Maria José de Lima Soares: a voz firme do Boi de Maracanã

0comentário

Maria José de Lima Soares: sempre levantando a bandeira da cultura maranhense

 

São Luís – Quem assiste às apresentações dos grupos de bumba meu boi maranhenses, nem imagina o trabalho que dá para conceber um batalhão sempre animado, organizado e enérgico, para brilhar nos terreiros. Nos bastidores, sempre há aquela ou aquelas pessoas que se doa(m), de corpo e alma, incansavelmente, para que a tradição não morra e a fogueira não se apague.

Darei o exemplo de um desses personagens que estão por trás de um dos mais expressivos grupos folclóricos maranhenses, por representar um projeto centenário, carregado de simbolismos e que revela a cultura de massa.

Chama-se Maria José de Lima Soares, presidente do Boi de Maracanã, uma personalidade marcante dentro do grupo folclórico, entre as vozes ressoantes que hasteiam a bandeira da cultura local. Certamente, ela muito aprendeu com o amo Humberto de Maracanã, que foi para o andar de cima em 2015.

O trabalho de Maria José de Lima Soares não se resume ao período junino. Muito pelo contrário. Ela é quem imprime garra e força de vontade ao batalhão o ano inteiro, não deixando a peteca cair. Organizada, centrada e disposta, dia e noite, cuida de todos os detalhes para que o voo de Maracanã seja cada vez mais alto, galgando, também, ares de outros estados do Brasil, o que pode ser comprovado nos inúmeros projetos dos quais o boi participa, sempre via editais nacionais.

 

350 componentes, dez ônibus e um batalhão de “mutucas” 

 

Para este São João, a presidente já avisou que Maracanã vai com tudo para os terreiros, levando 350  componentes usando indumentárias, transladados em dez ônibus fretados e, no total, quase mil pessoas, entre brincantes e mutucas (pessoas que acompanham os grupos folclóricos nas noites de São João). Afinal, onde tem Maracanã, tem multidão.

Segundo a presidente, Maracanã já recebeu vários convites, tanto para apresentações neste mês de maio, quanto para o período de junho. Independentemente, o grupo prossegue com os ensaios, que terão continuidade nos dias 12 e 9 de junho, em sua sede, na instância urbana de Maracanã, com apoio da Cemar e do SESC.

O batalhão é formado por vários personagens, entre caboclos de pena e de fita, índias, o Nêgo Chico e ainda pelos cantadores da linha de frente: Ribinha, Humberto Filho, Toninho Rocha e Manoel Victor, este último com 16 anos, neto do cantador Humberto de Maracanã.

O batizado dos brincantes está marcado para 23 de junho, na sede, com o lançamento do DVD, em memória da vida e da obra de Humberto de Maracanã, e do CD, com 15 toadas. “Ambos produzidos graças ao incentivo do Itaú Cultural e da Cemar, nossos patrocinadores”, destaca Maria José de Lima Soares.

Nos terreiros, o Boi de Maracanã apresentará novas toadas, entre elas, a carro-chefe, “Lá vai firmeza de São João”. A programação ainda não está fechada, mas já estão confirmadas apresentações nas festas juninas do Banco do Brasil e do Sesi Araçagi (22 de junho), Associação dos Bancários (24 de junho) e SESC (27 de junho).

Aprovada com nota máxima no edital do Governo do Estado, a manifestação folclórica está garantida nos arraiais oficiais, mas a agenda ainda será divulgada. O grupo é presença confirmada também nas festas de São Pedro, na Capela de São Pedro (Madre Deus), dia 29 de junho, e de São Marçal, na Avenida São Marçal (João Paulo), no dia 30 de junho.

 

Integrantes do Boi de Maracanã, com suas indumentárias coloridas, que encantam o público nas noites de São João

Sem comentário para "Maria José de Lima Soares: a voz firme do Boi de Maracanã"


deixe seu comentário