Explosão pink no jardim

1comentário

Para quem gosta de cor, o Capim-Santo mostra hoje uma espécie que é uma verdadeira explosão de alegria: a crista-de-galo. Na minha infância essa planta era encontrada com muita facilidade em São Luís, depois foi sumindo, sumindo e hoje dificilmente a gente encontra alguém que ainda cultiva, só na zona rural da capital e no interior do Estado é que ainda podemos ver a espécie. Aí … este fim de semana eu fui a um supermercado e encontrei uma muda de crista-de-galo imediatamente decidi comprar a minha (R$ 3,95).

A crista-de-galo (Celosia Caracas) é uma planta de inflorescências felpudas, formadas por muitas florezinhas, nas cores vermelho, rosa, roxa, laranja, amarela e branco-creme. Ela mede cerca de 40 cm, é uma espécie anual, de folhagem ereta e folhas verdes ou bronzeada. A seleção e o melhoramento genético disponibilizaram diversas variedades, que podem ter flores com formas e cores diferentes, porte anão, especiais para flor-de-corte ou para a produção de flores secas.

No paisagismo pode ser utilizada em bordaduras e maciços ou em conjuntos compondo com outras flores e forrações. Deve ser cultivada a pleno sol, em solo fértil, bem drenado e enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares (3 vezes por semana). Multiplica-se por sementes.

Beijos e até!

Foto: Ana Paula Muniz

Fonte: Jardineiro net

1 comentário »

Casa Cor Maranhão

1comentário

 

Vai ser aberto neste domingo (30), em um coquetel para convidados a 1ª edição da Casa Cor Maranhão, maior exposição de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas e segunda maior do mundo. A edição local, poderá ser visitada pelo público de 1 de fevereiro a 13 de março, e tem como tema “Dia a dia com tecnologia” . A mostra maranhense reunirá cerca de 100 profissionais – entre arquitetos, decoradores, designers e paisagistas – que exibirão em 48 ambientes as principais tendências regionais e mundiais do bem-morar.

O projeto arquitetônico da casa, localizada no bairro Calhau, é do arquiteto cearense Luís Fiúsa. O imóvel tem 3.500m² de área construída e 6.000m2 de área total com um espelho d’água que circula toda a área verde que tem vista para o mar. O Capim-Santo vai registrar todos os detalhes do imóvel com atenção especial ao projeto paisagístico.

Segundo os organizadores da mostra, obras de artistas e artesões locais serão valorizadas em vários ambientes da casa. A franquia foi trazida para o Estado pelos empresários Henrique Almeida e Adalberto Teobaldo. A estimativa é que a Casa Cor Maranhão receba, aproximadamente, 30 mil visitantes e gere negócios em diversos setores do mercado e da economia maranhense. A movimentação financeira já ultrapassava a marca 10 milhões de reais em investimentos e até um mês antes do evento já haviam sido gerados 700 empregos diretos.

Paralelo à visita aos espaços que compõem uma residência sofisticada, os visitantes terão opções de lazer, como restaurante, bar e cafeteria.

Serviço:

Período

1 de fevereiro a 13 de março

Horário

Terça a Sábado: 16h00h às 22h00

Domingo: 14h00 às 20h00

Local

Rua Lago Verde, LT 01 / QD 14 – Quintas do Calhau – São Luis – MA

Ingresso

Terça-feira a Quinta-feira: R$ 20,00

Sexta-feira a Sábado: R$ 25,00

Domingo: R$15,00

Passaporte: R$ 80,00

Informações sobre o Evento

(98) 3311-1518

1 comentário »

Voltei com… dinheiro-em-penca!

4comentários

Pessoal estava de férias! Há um mês, quando me dei conta de que o Capim-Santo ficaria 30 dias sem atualizações, pensei, vou preparar notas extras e me programar. Pois é, os dias passaram muito rápido e o meu plano caiu por terra.

A boa notícia é que voltei cheia de novidades, andar por outros lados atrás de notícias fresquinhas me fez um bem danado. Aproveitei as férias para estudar e me aprimorar um pouco e, sabem do melhor… me arrisquei em alguns projetos de paisagismo que deram super certo. Prometo registrar tudo e mostrar aqui – é que ainda faltam algumas finalizações.

Bom, voltando as dicas do Capim-Santo vou mostrar e falar sobre uma das minhas mais novas aquisições, o dinheiro-em-penca (Callisia repens).  O dinheiro-em-penca é uma planta herbácea e rasteira, de pequeno porte, alcançando apenas 5 a 10 cm de altura. Ela apresenta folhagem densa e muito ornamental, formada por caule ramificado e comprido, de numerosas folhas cerosas, delicadas, pequenas e verdes, com a página inferior roxa.

O dinheiro-em-penca presta-se principalmente como forração. Sua textura fina e delicada é muito valorizada no paisagismo. Adapta-se em diversos estilos de jardins, e é especialmente indicado seu plantio entre as rochas, em locais úmidos. Também é apropriada para cestas suspensas e jardineiras, para que seus ramos pendentes possam ser melhor apreciados. O meu, plantei em uma bacia que coloquei sob um jarro alto para criar o efeito da folhagem pendente (como vocês podem ver na foto). Sua popularização é crescente e diz-se que traz sorte e dinheiro para a pessoa que ganhar um vaso com a muda da planta, de presente.

Deve ser cultivada sob meia-sombra, em solo fértil, leve, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Não tolera o frio, ventos fortes ou pisoteio. O cultivo sob sol pleno torna a planta excessivamente avermelhada e queima as folhas. Já sob sombra, ela perde o aspecto denso. Multiplica-se facilmente por divisão da ramagem enraizada ou estaquia.

Espero que tenham gostado da dica de hoje. Beijos e até!!!

Foto: Ana Paula Muniz

Fonte: Jardineiro net

4 comentários »

Opção para substituir a grama

2comentários

A maioria dos terrenos pede uma forração, mas nem sempre a grama pode ser usada, pois ela necessita de muito sol para se desenvolver com saúde. Nessa hora é necessário buscar alternativas e uma boa opção para áreas de meia-sombra é a espécie conhecida como gota-de-orvalho.

A gota-de-orvalho (Evolvulus pusillus) é uma herbácea rasteira com flores que se abrem ao amanhecer e pode ser utilizada como grama ou planta pendente.  Tem porte de 5 a 10 cm de altura, com aspecto bastante delicado. A gota-de-orvalho apresenta folhas ovaladas, pequenas que são distribuídas simetricamente ao longo da ramagem. As flores são solitárias, brancas e pequenas. Recomenda-se o cultivo a pleno sol ou meia-sombra, sendo pouco exigente em tipo de solo. Adapta-se bem a regiões de clima tropical e subtropical.

Pode ser utilizada em vasos ou jardineiras, mas o uso mais comum é como forração em jardins, cobrindo às vezes, extensas áreas. Beijos e até!!!

Foto: Evelyn Müller / Casa e Jardim

Fonte: Flores na web

2 comentários »