Jo Mersa Marley lança novo EP e videoclipe de “No Way Out”

0comentário

Jo Mersa Marley, neto do ícone de Bob Marley, acaba de lançar o segundo EP da carreira, Eternal, e clipe de “No Way Out’. Com sete faixas, o novo trabalho conta com as participações especiais de Busy Signal, Kabaka Pyramid e Black Am I, além de misturar o reggae com outros estilos musicais, como por exemplo, dance hall, hip hop e música eletrônica.

O jovem cantor aborda temas como o amor à música, confrontamento em relação às injustiças presentes na sociedade e também sobre a presença feminina na sua vida. “Este é um disco no qual estou muito orgulhoso. Nele eu trago mensagens necessárias”, disse Marley.

Nessa segunda-feira (19), Jo Mersa gravou uma mensagem para o programa Reggae Point, que tem divulgado suas músicas através da Mirante FM. Ouça aqui.

O EP Eternal já está disponível em todas as plataformas de música.

sem comentário »

“Solid Gold”, o disco póstumo de U-Roy, será lançado em 16 de julho via Trojan Jamaica.

0comentário

Com emoção e orgulho, o selo Trojan Jamaica anuncia o lançamento do último registro de estúdio de U-Roy, um dos maiores mestres da música jamaicana de todos os tempos: Solid Gold U-Roy. O disco estava previsto para ser lançado em 2020, junto com uma turnê mundial, mas, infelizmente, a pandemia atrasou os planos. 

Em 17 de fevereiro de 2021, a notícia do falecimento de U-Roy, em Kingston, repercutiu mundialmente. Homenagens por sua indiscutível relevância para a música não faltaram na imprensa e nas redes sociais de estrelas da música e do cinema. 

Exatamente um ano antes, U-Roy fazia sua última tour no Brasil ao lado de artistas como: BNegão, MiniStereo Público e Russo Passapusso, Digitaldubs e os fundadores do selo Trojan Jamaica, Zak Starkey e Sharna “Sshh” Liguz. Na época, U-Roy lançava Wake The Town, o primeiro single do disco Solid Gold U-Roy

Agora, este lançamento se materializa como uma grande celebração coletiva em torno do nome de U-Roy, o criador do “toasting”. A técnica musical de canto-falar sobre o ritmo da música foi desenvolvida nos anos 60 e disseminada mundialmente. U-Roy foi o precursor deste estilo que influenciou tanto a cena sound system quanto o hip hop.

“Fizemos o álbum ‘Solid Gold’ porque queríamos que todos soubessem que U-Roy ajudou a inventar o rap”, afirma Sharna “Sshh” Liguz, fundadora do selo Trojan Jamaica ao lado de Zak Starkey.

Junto com U-Roy, 12 participações especiais figuram no álbum: Ziggy Marley, Santigold, Shaggy, Mick Jones (The Clash), Tarrus Riley, David Hinds (Steel Pulse), Jesse Royal, Rygin King, Sly & Robbie, Richie Spice, Big Youth e Scientist.

Man Next Door” (feat. Santigold). Assista ao clipe aqui.

“Foi uma grande honra trabalhar nesse projeto com U-Roy, um verdadeiro precursor,” afirma Santigold. “Ele foi pioneiro num gênero que me influenciou profundamente. Tanto que a música da minha participação, “Man Next Door” é uma das minhas favoritas desde criança. Eu já tinha a harmonia da música no meu corpo, não precisei pensar nem um segundo”, completa ela.

Stop That Train” (feat. Rygin King). Assista aqui clipe aqui.

“É uma sensação incrível ter colaborado com uma lenda do calibre de Daddy U-Roy”, afirma Rygin King. “Não é todo mundo que grava com um dos seus precursores. Agradeço demais por ter registrado ‘Stop That Train’, um clássico que faz parte da nossa cultura”, completa o astro em ascensão na Jamaica.

Zak Starkey e Sharna “Sshh” Liguz – os fundadores do selo Trojan Jamaica – conheceram U-Roy em 2018, em Kingston, e sua amizade se desenvolveu de forma natural. A dupla se sente extremamente privilegiada por ter assinado com ele e está profundamente comprometida a honrar seu legado.

“No primeiro encontro, nos demos muito bem e já conversamos sobre regravar seus maiores sucessos com convidados especiais. Era fácil conversar com ele, bastante acessível, mas muito digno e confiante. Seu jeito era despretensioso, mas quando abria a boca, saía uma grande declaração”, lembra Sshh.

“Três semanas após nosso encontro, começamos a gravar no estúdio Trojan Jamaica Sounds, em Ocho Rios”, conta Zak. “U-Roy brindava suas canções e Sshh cantava as partes que seriam cantadas posteriormente pelos convidados. Sshh e U-Roy se ligaram rapidamente e se divertiram muito fazendo isso. A banda era Sly & Robbie, Tony Chin, Robbie Lyn e eu”.

“Uma de nossas memórias favoritas é dele nos explicando por que Bob Marley e outros faziam dubplates especialmente para ele”, relembra Zak Starkey, multi-instrumentista também conhecido como baterista do The Who e filho do ex-Beatle Ringo Starr.

djwaldiney

sem comentário »

Junior Holt e Bamm Holt anunciam novo álbum, “Volts Of Holt”, para julho

0comentário

Bamm Holt, neto do falecido cantor John Holt, decidiu ingressar de vez no caminho da música e seguir os passos do avô. O jovem integra a terceira geração de cantores da família e explica sobre o legado: “é uma questão de DNA essa paixão e amor pela música”.

Ao lado de seu pai, Junior Holt, Bamm lancará álbum em que revive sucessos de Holt, intitulado “Volts Of Holt”, previsto para 1º de julho deste ano.

O título faz alusão ao famoso disco “1000 Volts Of Holt de John Holt, lançado pela Trojan, considerado um dos melhores do artista e um dos álbuns de reggae mais vendidos no Reino Unido.

De acordo com Bamm Holt, a seleção musical não só presta homenagem ao seu avô, mas pode ser uma apresentação do seu som, tanto para fãs quanto para o mercado fonográfico.

“Volts Of Holt” também conta com músicas de Junior Holt, cuja voz é comparada com a do pai.

“Também haverá material novo no álbum, assim como algumas releituras de suas canções. Quando as pessoas ouvirem vão pensar que é John Holt. Vai ser ótimo!”, disse ele. 

Agora que todas as faixas foram mixadas e masterizadas, Holt está feliz com o produto final e espera que os fãs ao redor do mundo ouçam este álbum e gostem também.

“Quando você conclui uma faixa, você espera que as pessoas amem seu trabalho. Acima de tudo quero que elas ouçam este álbum e saibam que o legado do meu pai ainda vive”, disse Junior. 

O projeto trará uma compilação de 10 grandes sucessos de John Holt, incluindo os hits “Police In Helicopter”, “Wildfire” e “Help Me Make It Through The Night”, lançada com exclusividade no Reggae Point, da Mirante FM. 

Por meio do Reggae Point, Junior Holt lançou 2 das 10 faixas que compõe o álbum: “Wildfire” e “Help Me Make It Through The Night”. Sintonize a rádio Mirante FM e curta!

sem comentário »

Ouça a primeira faixa do álbum póstumo de U-Roy, ícone do reggae e dancehall

0comentário

O selo Trojan Jamaica surpreendeu os fãs e lançou “Man Next Door”, de U-Roy, seu novo single, na tarde dessa quinta-feira (20). Ao longo do mês de abril, todo o dia, fãs especularam – nas redes sociais – que a música poderia ser uma prévia do novo álbum do artista, inicialmente previsto para 2020, como anunciou a própria gravadora. Porém, o impacto da pandemia do coronavírus adiou o lançamento do disco. 

Ao que tudo indica, os fãs de U-Roy estavam certos e, inclusive, tiveram outra surpresa na última semana: a empresa também divulgou o clipe de “Man Next Door”, que fará parte do álbum póstumo do toasting, intitulado “Solid Gold U-Roy”.

A faixa e vídeo já estão disponíveis nas plataformas de música e no canal do YouTube da Trojan Jamaica. Ouça aqui.

Escrita por John Holt, “Man Next Door” traz a participação da cantora norte-america Santigod. 

“Foi muito especial cantar essa música em particular – eu já tinha a harmonia dela no meu corpo, não precisei pensar nem um segundo – e ouvir a voz de U-Roy dirigindo o ritmo, nos guiando para o seu mundo. Que presente foi poder cantar com ele nessa faixa. Ele foi um dos grandes”, disse a cantora.

Gravado em 2018, o disco será uma homenagem ao DJ, que faleceu em 17 de fevereiro, aos 78 anos.

O álbum também é aguardado pela lista de artistas que a Trojan chamou para contribuir com ele, como Ziggy Marley, Scientist, Santigold, Sly & Robbie, Jesse Royal, Mick Jones, Shaggy, entre outros. 

A previsão para o lançamento é 16 de julho.

DJWaldiney

sem comentário »

Morre Ronnie ‘Bop’ Williams, aos 78 anos

0comentário

O guitarrista, compositor e produtor jamaicano Ranford Williams, conhecido no meio artístico como Ronnie ‘Bop’ Williams, morreu no dia 18 de abril, aos 78 anos de idade. No entanto, a notícia só foi dada nessa segunda-feira (10). A informação foi confirmada pelo jornalista Nicholas Jennings.

Ronnie morreu em decorrência de infecção generalizada e de complicações do diabetes após ser internado.

Nascido em Spanish Town, Jamaica, em 8 de novembro de 1942, Bop contribuiu com centenas de gravações que ajudaram a moldar o reggae e popularizá-lo em todo mundo.

Ele tocou com Bob Marley, Jimmy Cliff, Johnny Nash e Toots And The Maytals e, ainda, trabalhou para proprietários de estúdios famosos, tendo como exemplo, Duke Reid, Bunny Lee, Lee Perry e as gravadoras Trojan e Treasure Isle. Sua guitarra está presente em várias composições de sucesso, como “Small Axe”, “Kaya”, “Trenchtown Rock”, “Sun Is Shining” e “Don’t Rock My Boat”, de Bob Marley.

Ronnie também colaborou com o sucesso de “The Liquidator”, de Harry J All Stars, que se tornou um hino do futebol inglês.

Em São Luís, o ex-membro do grupo The Supersonics fez sucesso com os singles “Cecilia”, “Tenderness” e “Little Boy”, presentes na coletânea “I Can’t Resist Your Tenderness”, de Ginger Wiiliams, assinada por ele.

Williams morava em Toronto, no Canadá, com a esposa e cinco filhos.

sem comentário »

“Reggae Agarradinho” pode virar Patrimônio Cultural Imaterial do Maranhão

0comentário

Há quarenta anos, já desenganado pelos médicos, Bob Marley retornava da Alemanha para a Jamaica para passar seus últimos dias com a família. Não deu tempo. No trajeto de volta ao lar, ele foi internado às pressas em um hospital de Miami, e morreu em 11 de maio de 1981, aos 36 anos, em decorrência de um câncer.

No Brasil, a data que marca a morte do músico, dia 11 de maio, foi instituída como o Dia Nacional do Reggae.
Desde os anos 1970, a música reggae originária da Jamaica chegou ao Brasil, influenciando ritmos, comportamentos e estética em algumas regiões do país. Entre as regiões do nordeste, São Luís do Maranhão é denominada Jamaica brasileira, por abrigar o maior número de espaços onde se ouve o ritmo jamaicano e se dança em par, popularmente conhecido como “agarradinho”. 

Característica marcante do ritmo no Estado, o estilo maranhense de dançar reggae pode agora virar Patrimônio Cultural Imaterial do Estado.

Foi com esse objetivo que, nessa terça-feira (11), Dia Nacional do Reggae, o Museu do Reggae do Maranhão, dirigido pelo produtor cultural e jornalista Ademar Danilo, apresentou proposta para que a dança de reggae do Maranhão seja tombada como Patrimônio Cultural Imaterial do Maranhão, por meio de inscrição no Livro de Registro das Formas de Expressão, como preconiza a Lei nº 10.514, de 05 de outubro de 2016.

A proposição foi recebida pelo secretário de Estado da Cultura (Secma), Anderson Lindoso, que deverá encaminhar a solicitação para aprovação do governador Flávio Dino. “Vou avaliar com atenção e submeter essa proposta à aprovação do governador Flávio Dino. 

O nosso estilo de dançar reggae é genuinamente maranhense”, frisou Anderson Lindoso, em postagem nas redes sociais.

A história do reggae com São Luís começa na década de 1970. As explicações para a chegada do ritmo no Maranhão são muitas, mas talvez as teses mais conhecidas sejam a de que marinheiros que chegavam ao porto de São Luís e de Cururupu deixavam discos trazidos da Jamaica nas zonas de prostituição para pagar pelos serviços e, ainda , sobre à sintonização de ondas de rádio do Caribe. 

Em pouco tempo, o reggae já havia se difundido pela periferia da cidade e passou a conquistar adeptos pela cidade. 

Nos anos 80, São Luís já contava com dezenas de clubes, salões e programas de rádio dedicados ao ritmo. A influência jamaicana também pode ser vista no linguajar e nas roupas das pessoas.

sem comentário »

Jo Mersa Marley lança segunda música do seu EP “Eternal”

0comentário

O cantor jamaicano Jo Mersa Marley (filho de Stephen Marley) aposta no dancehall, afro e reggaeton em seu EP, “Eternal”. 

A segunda música do trabalho, intitulada “Made It ”, parceria com seu conterrâneo Kabaka Pyramid, foi lançada na última semana nas plataformas digitais e no canal do cantor no Youtube.

“É sobre ser corajoso e sair de um emprego que você não se sente bem, é sobre o que você está fazendo enquanto corre atrás de suas verdadeiras paixões”, disse ele.

O lançamento do EP completo está previsto para o próximo dia 21 de maio e trará as faixas: “Guess Who’s Coming Home”, “Yo Dawg feat Busty Signal”, “Company feat. Melii”, “Made It feat. Kabaka Pyramid”,  “No Way Out feat. Black Am I”, “Thinking” e “That Dream”.

O trabalho tem produção musical assinada pela dupla Silent Addy e Bombocat. Para ouvir, clique aqui.

sem comentário »

David Cairol lança single “Building Bridges” acompanhado de clipe

0comentário

“Building Bridges” é o novo single de David Cairol, já disponível em todas plataformas de streaming.

A música também ganhou clipe e traz uma grande parceria com os cantores Brinsley Forde, do Award, e Var, do Inna De Yard, além dos músicos: Courtney Diedrick, Roots Percussionist, Latoya, Winta James e Donald Dennis. 

A produção musical é de Matthieu Bost e fará parte do álbum “Vers(e), previsto para o segundo semestre de 2021. 

“Building Bridges” faz parte da programação do Reggae Point, da Mirante FM, comigo (DJ Waldiney). O cantor deixou um recadinho pra mim. Confira aqui.

sem comentário »

Ajax lançará nova camisa em homenagem a Bob Marley

0comentário

De acordo com diversos sites esportivos, o Ajax lançará uma camisa celebrando Bob Marley, o maior ídolo do reggae mundial.

A homenagem, segundo informações, consiste em detalhes em verde, amarelo e vermelho na gola da camisa. As tradicionais listras que percorrem a região dos ombros também reúnem as cores – que representam o reggae.

A ideia da fornecedora de material esportivo do Ajax é lançar oficialmente o uniforme em 11 de maio, data em que serão completados 40 anos da morte de Bob Marley. 

A torcida do maior clube holandês adotou a música “Three Little Birds”, do cantor jamaicano, como um dos cânticos entoados nos estádios em 2008. A canção foi gravada pelo ícone do reggae na década de 1970, mas é sucesso até os dias atuais.

Por conta da canção, a camisa também terá a presença de três aves na parte interna, além das três letras X, que pertencem à bandeira da cidade de Amsterdam.

Em 2018, Ky-Mani Marley, um dos filhos de Bob, cantou a música antes de um jogo contra o AEK pela Liga dos Campeões.

O anúncio oficial não foi feito pelo clube, mas o fardamento promete fazer tanto sucesso quanto Bob Marley.

sem comentário »

A banda Toots And The Maytals ganha o Grammy de Melhor Álbum de Reggae

0comentário

A banda Toots And The Maytals foi a grande vencedora da 63ª edição do Grammy Awards, na tarde desse domingo (14), em Los Angeles.

Em um ano atípico, a cerimônia de premiação ocorreu de forma híbrida, com parte dos indicados presenciais e outra parte virtual.

Os Maytals levaram seu segundo prêmio no Grammy, na categoria Melhor Álbum de Reggae, com “Got To Be Tough”, lançado dias antes da morte de Frederick “Toots” Hibbert (líder vocal do grupo). 

Também concorriam ao prêmio os cantores Buju Banton (Upside Down),  Skip Marley (Higher Place), Maxi Priest (It All Comes Back to Love) e a banda The Wailers (One World).

Em 2010, Toots Hibbert foi eleito pela Time Magazine, como um dos “100 Maiores Cantores” de todos os tempos. 

O cantor morreu no Hospital Universitário das Índias Ocidentais no ano passado, aos 77 anos, e foi sepultado no Parque dos Heróis, em Kingston.

sem comentário »
https://www.blogsoestado.com/reggaepoint/wp-admin/
Twitter Facebook RSS