Alcione será homenageada pela Assembleia do MA

1comentário

Foi aprovado, na sessão desta quinta-feira (21), os Projetos de Resolução Legislativa 004 e 019/19, que dispõem, respectivamente, sobre a entrega da Medalha Manuel Beckman à cantora Alcione Nazareth e, “in memoriam”, aos ex-deputados Jean Carvalho, Valdir Jorge e João Silva.

O deputado Ciro Neto (PP) é o autor da comenda aos ex-deputados, que foram vítimas de acidente aéreo no dia 25 de março de 1996, quando se deslocavam para o município de Imperatriz para participar das sessões plenárias da Assembleia Itinerante.

Alcione

A homenagem à cantora Alcione Nazareth, que também é compositora e instrumentista, foi proposta pelo deputado Wendell Lages (PNM). “Alcione Nazareth é, sem dúvida, uma das maiores artistas maranhenses, sendo grande incentivadora e divulgadora da cultura de sua terra em todo o mundo. Portanto, nada mais justo do que esta Casa prestar homenagem a ela, que engrandece a cultura do nosso Estado”, disse Wendell Lages, acrescentando ainda que, em sua galeria de troféus, Alcione  tem títulos e honrarias que poucos artistas conseguiram obter ao longo de suas carreiras.

Ligada ao Carnaval, foi uma das fundadoras da Escola de Samba Mirim Mangueira do Amanhã, da qual é presidente de honra. Já ganhou 25 Discos de Ouro, 7 de Platina, sendo dois de Platina Duplo, 3 DVDs de Ouro e 1 DVD de Platino.

Biografia

Alcione Dias Nazareth, denominada carinhosamente de “Marrom” e “Rainha do Samba”, nasceu em São Luís do Maranhão no dia 21 de novembro de 1947. É a quarta de nove filhos do casal João Carlos e Felipa. Por influência do pai, policial e integrante da banda de sua corporação, viu-se desde muito cedo inserida dentro de um ambiente musical. Foi também o pai quem lhe ensinou a tocar diversos instrumentos de sopro, como trompete e clarinete.

Desde os 9 anos, já tocava em festas de amigos e familiares. Sua primeira apresentação profissional foi aos 12 anos, na Orquestra Jazz Guarani, regida por seu pai, quando precisou substituir o crooner da orquestra que estava rouco. Na ocasião, cantou as canções “Pombinha Branca” e o fado “Ai, Mouraria”.

Aos 18 anos, formou-se professora primária na Escola do Curso Normal. Lecionou por apenas dois anos, quando foi demitida porque estava ensinado seus alunos a tocar trompete e essa atitude acabou desagradando a direção da escola. Após a demissão, passou a dedicar-se exclusivamente à música. Conseguiu, então, uma vaga em um sorteio e passou a apresentar-se na TV do Maranhão. Além de cantar na TV, também se apresentava em bares e boates de várias cidades.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1967. Com a ajuda de seu amigo Everaldo, começou a cantar em boates de bares daquela cidade. Por meio de programas de calouros, foi chamada para fazer apresentações. Venceu as duas primeiras eliminatórias do programa A Grande Chance, de Flávio Cavalcanti. Nessa mesma época, conseguiu fazer um teste de voz na TV Excelsior e passou com boa colocação. Assinou, então, seu primeiro contrato profissional, apresentando-se no programa Sendas do Sucesso. Após seis meses, realizou uma turnê de quatro meses pela América Latina.

Logo em seguida, recebeu uma proposta de turnê pela Itália e mudou-se para a Europa, residindo por lá durante dois anos. Já se apresentou nos mais prestigiosos palcos do Brasil e do mundo.

Foto: Divulgação

1 comentário »

Atraso de Terceirizados

0comentário

WellingtondoCursoO deputado Wellington do Curso (PPS) cobrou na Tribuna da Assembleia Legislativa esclarecimentos sobre o atraso salarial dos prestadores de serviços gerais da Casa (Empresa Mafra), que há três meses não recebem seus pagamentos.

Consternado com a situação, o parlamentar destacou a relevância dessa discussão para a Assembleia e questionou também sobre o critério de substituição dos funcionários da “Casa do Povo”, além de repreender as demissões de funcionários antigos.

“Nos últimos 15 dias, tenho sido procurado por zeladores e prestadores de serviços gerais que estão com os seus salários atrasados há três meses. Em defesa da dignidade humana, solicito à presidência da Mesa esclarecimentos sobre esse lamentável fato. Peço, também, esclarecimentos dos critérios adotados para demissão e nomeação de funcionários por este Poder. Minha solicitação advém da insensibilidade de demitir funcionários que dedicaram anos de suas vidas em prol do funcionamento desta Casa e, de uma hora para outra, perderam seus empregos. Quais são os critérios de substituição de funcionários desta Casa? Mais uma vez, solicito a sensibilidade dos nobres colegas parlamentares e peço que tenhamos mais transparência nessas contratações”, ressaltou o parlamentar ao lamentar a morte do ex-funcionário Carlos Alberto Costa Pereira que trabalhou, de forma exemplar, por 22 anos na Assembleia e foi demitido em fevereiro deste ano sem motivos aparentes que justificassem a sua demissão.

Com a palavra o presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho…

sem comentário »