Maranhão registra aumento de mortes por policiais

0comentário

O Maranhão registrou um aumento de 33,3% no número de mortes causadas por policiais no estado. O levantamento exclusivo feito pelo G1, apontou que o estado ocupa a sexta posição no ranking nacional, que analisou dados do 1º semestre de 2019.

Ao todo, já foram registradas 44 mortes este ano, dez a mais em relação ao mesmo período do ano passado. Com a estatística, o Maranhão fica somente atrás dos estados do Amazonas, Piauí, Amapá, Pará, Paraíba e Roraima.

O Brasil teve no 1º semestre deste ano 2.286 pessoas mortas por policiais – 120 a mais do que o mesmo período de 2018. O levantamento realizado em 26 estados e no Distrito Federal, faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Os dados, inéditos, compreendem todos os casos de “confrontos com civis ou lesões não naturais com intencionalidade” envolvendo policiais na ativa (em serviço e fora de serviço).

Leia no G1 MA

sem comentário »

Pré-sal

0comentário

Deve ser apreciado amanhã no Senado Federal o Projeto de Lei 5478/2019 que define o rateio, entre estados e municípios, de parte dos recursos do megaleilão de petróleo do pré-sal que será realizado no próximo dia 6 de novembro.

A matéria foi encaminhada pela Câmara Federal para análise da Comissão de Assuntos Econômicos (CAS) da Casa. A expectativa é de que o projeto tramite em caráter de urgência e já na quinta-feira vá para sanção presidencial.

Se o Senado mantiver a proposta aprovada na Câmara, o Maranhão abocanhará um saldo de mais de R$ 1 bilhão do megaleilão do pré-sal.

De um total de R$ 1.004.053.084,24 bilhão destinado ao estado, o Executivo receberá R$ 560.083.866,00 milhões e os municípios levarão R$ 443.969.218,24 milhões.

O projeto permite aos estados e ao Distrito Federal usarem sua parcela exclusivamente para o pagamento de despesas previdenciárias, inclusive de estatais, exceto as independentes, e para investimento.

Ou seja, um socorro para o Maranhão, que enfrenta grave crise na gestão previdenciária estadual. Já os municípios ficam mais livres. Cada um dos 212 poderá usar sua parte em investimento ou para criar uma reserva para o pagamento de suas despesas previdenciárias a vencer.

No caso das despesas previdenciárias, estão incluídas aquelas de contribuições para o INSS e para fundos previdenciários de servidores públicos, inclusive as incidentes sobre o 13º salário e quanto a multas por descumprimento de obrigações acessórias.

O acordo costurado pela bancada maranhense na Câmara Federal foi tão significativo que o governador Flávio Dino e prefeitos de todas as regiões do estado já esperam pelos recursos. Um saldo considerado muito positivo diante da atual situação financeira e econômica do país.

Estado Maior

sem comentário »

Polícia cumpre mandados contra suspeitos de golpes

0comentário

A Polícia Civil cumpriu 14 mandados judiciais no Maranhão entre busca e apreensão e prisão, nas cidade de Zé Doca, São João do Caru e Bom Jardim. As ações são parte de uma operação deflagrada também no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília para desarticular uma quadrilha que aplicava golpes principalmente em servidores públicos. Ao todo, foram seis mandados de prisão temporária e 36 de busca e apreensão nos quatro estados.

No Maranhão, Charleylson Bezerra da Silva foi preso em Zé Doca. No momento da abordagem, uma arma de fogo foi encontrada com Charleylson.

A polícia identificou Roniel Cardoso dos Santos como líder do grupo. Ele foi preso logo cedo no Rio de Janeiro. São investigados também Gabriel Almeida Piquet de Oliveira, Luciene Assunção Silva e Luana Cardoso e outras sete pessoas pelos crimes de estelionato e lavagem de dinheiro.

A ação no Maranhão foi coordenada pela Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI) com o apoio da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC). Fez parte da operação a apreensão de aproximadamente R$ 50 milhões em bens e contas bancárias dos alvos da operação.

Segundo consta na investigação, a quadrilha escolhia servidores públicos e as vezes outro tipo de vítima para que contraíssem empréstimos consignados. Depois, sugeriam às vítimas que aplicassem o dinheiro em investimentos fictícios. A quadrilha prometia ganhos enormes que fugiam da realidade do mercado.

Nos primeiros meses, o grupo repassava pequenos valores às vítimas como “retorno” dos investimentos fictícios. Depois de alguns meses, as vítimas eram lesadas financeiramente. Um das forma usadas pelos investigados para atrair as vítimas, segundo a polícia, eram com fotos de ostentação e em suas empresas que passavam a certeza de ganhos.

G1 MA

sem comentário »

Claro tem internet móvel mais rápida do Maranhão

0comentário

A Claro comemora mais um resultado do SpeedtestAwardsTM, da Ookla® – líder global em aplicações de testes de banda larga fixa e móvel, dados e análises –, quepremia e consolida a internet móvel da operadora como a mais rápida doBrasil e também do Maranhão.

A partir da leitura dos testes de conexão móvel realizados pelos consumidores brasileiros e maranhenses, via aplicativo do Speedtest, a Ookla considerou os critérios de velocidades de download, upload e latência das principais operadoras do Brasil.

Desempenho no Brasil

Pelos resultados da Claro no Brasil, a operadora acaba de receber da Ooklaos prêmios Brazil’sFastest Mobile Network e Brazil’sFastestFixed NetworkO recente movimento da operadora, que incorporou os serviços da NET, faz com que o feito seja inédito: é a primeira vez que uma mesma marca é vencedora nas duas categorias do prêmio no país.

Informações e dúvidas podem ser direcionadas à Ookla pelo e-mail [email protected].

Foto: Divulgação

sem comentário »

Globoesporte destaca final do Brasileiro Série C

1comentário

Já está no ar a edição desta segunda-feira (7), do GE Comenta, no Globoesporte Maranhão. Clique aqui e veja o programa completo.

Com a participação da redação do Globoesporte Zeca Soares (coordenador), Afonso Diniz, João Ricardo e Matheus Sampaio (editores) destacam a decisão do Campeonato Brasileiro Série C entre Sampaio e Náutico.

Veja os gols da decisão no Castelão e os lances polêmicos de pênalti que o Sampaio reclama e que o árbitro Paulista FLávio Rodrigues de Sousa não marcou.

O GE Comenta também destaca a campanha vitoriosa do Sampaio com o acesso à Série B.

A turma também destaca a final da segunda divisão do Campeonato Maranhense, a Copa FMF e fala um pouco sobre o calendário do futebol brasileiro para 2020 com grande mudança na Série D.

Foto: João Ricardo

Leia mais

1 comentário »

Maranhão é 3º nas Maratonas Aquáticas em Maceió

0comentário

A natação maranhense voltou a dar um show no Circuito Brasileiro de Maratonas Aquáticas, em provas realizadas nas piscinas naturais da praia de Pajuçara, em Maceió/Alagoas. A equipe Nina obteve o 3º lugar geral absoluto por equipes na prova de 10 quilômetros. Julia Nina, Carol Hertel e Átila Brandão uniram forças e deram ao Maranhão o melhor resultado no ano entre todos os clubes do país que disputaram o evento. 100 atletas participaram das provas nas distâncias de 2,5 km, 5 km e 10 km. Ao todo, clubes de 20 estados estavam inscritos na competição.

A comemoração começou em Maceió e continuou com a chegada da equipe em São Luís. E não era para menos. No pódio por equipes, a escola Nina de Natação ficou atrás de clubes de referência no país: 1º – Clube Curitibano/PR; 2º – ACEB/BA; 3º – Nina/MA. Feliz da vida, o treinador Alexandre Nina elogiou o desempenho dos atletas patrocinados pelo Grupo Equatorial Energia/CEMAR, através da Lei de Incentivo ao Esporte do Governo do Estado do Maranhão. “As provas foram difíceis. Eles tiveram muita dificuldade em visualizar as boias, o que os tirava constantemente da posição do nado para levantar a cabeça. O desgaste foi superado com garra e talento”, disse Alexandre.

Por ser um local muito visitado pelos turistas, os nadadores tiveram ainda que driblar as jangadas que passavam no percurso. Apesar dos obstáculos todos nadaram tecnicamente melhor que as outras etapas. Julia melhorou na prova de 10 km, chegando em 2º Lugar. Carol fez uma prova de recuperação até o final e obteve o 3º lugar da categoria Júnior.

Categoria Absoluto Geral Feminino

1º lugar – Betina Lorscheitter/SCCP/SP
2º lugar – Aricia Peree – ACEB/BA
3º lugar – Julia Nina – Mac/Nina/MA

Categoria Júnior Feminino

1º lugar – Aricia Peree – ACEB/BA
2º lugar – Julia Nina – Mac/Nina/MA
3º lugar – Carol Hertel – Mac/Nina/MA

Por sua vez, Átila Brandão sagrou-se campeão da Copa Brasil de Maratonas Aquáticas 5Km. Ele faz parte do Projeto Tóquio 2020 e acumula a terceira vitória consecutiva na competição.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Transformação pela iniciativa privada

1comentário

Por Adriano Sarney

Ando muito pelo interior do Maranhão e pelos bairros mais carentes de São Luis, além de sentir a ausência dos serviços públicos mais básicos, percebo a falta de uma iniciativa privada pujante que ofereça renda e dignidade para a população. Afinal, temos um estado com diversas potencialidades econômicas – já debatidas diversas vezes em outros artigos desta coluna – e uma capital portuária, bem localizada para o mundo. Mas, será que uma coisa (dinamismo econômico) não está intrinsecamente ligada a outra (políticas públicas)? As prioridades de um governo, seja prefeitura, estado ou união, impactam diretamente na construção de uma balança que equilibre prestação de serviços públicos e incentivo à iniciativa privada. 

Podemos ter um governo que incentive a abertura de novas empresas reduzindo impostos e dando mais benefícios para aumentar a arrecadação do governo. Nesse caso, a administração teria mais recursos para investir em infraestrutura, capacitação, saúde, etc, e, consequentemente, criar um bom ambiente de negócios para atrair mais empreendimentos. Ou podemos ter um governo que majore a arrecadação utilizando-se apenas do aumento de impostos para as poucas existentes empresas do Maranhão. Nesse caso, o dinheiro que será levantado pelo governo não será suficiente para investir em melhorias, mas apenas para fazer remendos orçamentários e seguir sem nenhuma mudança estrutural. Além disso, essa medida é insustentável, pois sacrifica o empreendedor que pode fechar as portas e demitir seus funcionários, aumenta o custo de produtos e serviços para a população, e incentiva a sonegação e a corrupção.

Reparem que nos dois casos temos aumento de arrecadação para o estado: no primeiro, aumentamos o número de empreendimentos que gerará mais renda e bem-estar para a população e no segundo, apenas uma transferência da iniciativa privada para a máquina pública que não gera nenhum tipo de benefícios, tendo em vista que esse dinheiro servirá apenas como paliativo para manter o funcionamento da máquina pública. O Maranhão se enquadra no segundo caso.

Precisamos urgentemente promover uma evolução que nos eleve ao patamar de estado amigo da iniciativa privada. No mês passado foi aprovada, por inciativa do governo federal, a Lei da Liberdade Econômica. Essa lei possibilita a desburocratização para empresas de médio e pequeno porte como a agilização da expedição de alvarás e licenças ambientais. Em breve apresentarei iniciativas parlamentares que estabeleçam no âmbito estadual os preceitos desta legislação e que cheguem à proprietárias de salão de beleza, donos de bares e restaurantes, quitandeiros, costureiras, borracheiros, sócios de pequenos escritórios de advocacia e inúmeros outros. Vale lembrar que hoje, dia 5 de outubro, é comemorado o Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa. No Maranhão, sou autor do Dia Estadual, comemorado todo 9 de junho, dia da instauração da nossa Frente Parlamentar em Defesa do Micro e Pequena Empresa.

Os desafios são muitos para que o Maranhão se equilibre entre prioridades governamentais e dinamismo econômico. Esse é o balanço para chegarmos ao tão esperado desenvolvimento social!

*Adriano Sarney é deputado estadual, economista com pós graduação pela Université Paris (Sorbone, França) e em Gestão pela Universidade Harvard.

1 comentário »

Hildo Rocha destaca ações da Codevasf no MA

0comentário

Em pronunciamento na tribuna da Câmara, o deputado federal Hildo Rocha destacou a atuação da Companhia de Desenvolvimento Vale do São Francisco (Codevasf), empresa pública federal fundada em 16 de julho de 1974. Clique aqui e veja o vídeo.

Rocha enfatizou que a empresa presta relevantes serviços a todos os estados da região nordeste, onde atua. Na ocasião, Rocha se congratulou com a 8ª Superintendência da instituição que, na semana passada, comemorou sete anos de atuação, apresentando excelentes resultados.

“No Maranhão, a Codevasf que hoje é administrada pelo superintendente Jones Braga, vem fazendo um grande trabalho, graças ao apoio que o presidente Jair Bolsonaro tem dado à empresa. Este ano já foram entregues a produtores rurais do nosso estado mais de R$ 40 milhões de reais só em equipamentos que foram doados a pequenos produtores rurais”, destacou o parlamentar.

A expectativa é que até o final do ano, sejam pagos mais R$ 30 milhões, totalizando R$ 70 milhões de reais, isso só em equipamentos, sem contar os investimentos em ações nas áreas da atuação da empresa. “Para este ano, a estimativa é de que serão aplicados aproximadamente R$ 200 milhões, é um salto e tanto”, destacou o parlamentar.

Rocha ressaltou que no Maranhão o trabalho da Codevasf tem contribuído para melhorar a qualidade de vida de comunidades rurais em todas as regiões do estado.

“No início das suas atividades, a Codevasf atuava apenas em municípios pertencentes às bacias do Parnaíba, do Itapecuru e do Mearim. Hoje a Codevasf trabalha em todas as 12 bacias hidrográficas do Maranhão. Em todas essas localidades a presença da Codevasf tem contribuído para melhorar a qualidade de vida por meio de instalação de Sistemas de Abastecimento de água; doação de patrulhas mecanizadas; implantação de unidades de beneficiamento de farinha de mandioca; produção de mel e dezenas de outros arranjos produtivos que ajudam a gerar renda e melhoria da qualidade de vida das comunidades rurais do nosso estado”, afiançou Hildo Rocha.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Previdência: veja o voto dos senadores do Maranhão

0comentário

Foi aprovada nesta terça-feira (1°), em primeiro turno, no Senado, a Proposta de Emenda à Constituição da reforma da Previdência (PEC 6/2019). Entre outros pontos, o texto aumenta o tempo para se aposentar, eleva as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS (hoje em R$ 5.839) e estabelece regras de transição para os atuais assalariados. A proposta ainda precisa passar por três sessões de discussão antes da votação em segundo turno.

Os senadores maranhenses Eliziane Gama (Cidadania) e Weverton Rocha (PDT) votaram contra a reforma da previdência. O senador roberto Rocha (PSDB).

O texto foi aprovado com 56 votos favoráveis e 19 contrários. Para evitar uma nova análise da Câmara dos Deputados, que atrasaria a promulgação, foram feitas apenas supressões e emendas de redação. Os pontos sobre os quais não havia consenso foram desmembrados durante a análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e passaram a tramitar como PEC paralela (PEC 133/2019), que também está sendo analisada pelo Senado.

A principal mudança prevista na PEC 6/2019 é a fixação de uma idade mínima (65 anos para homens e 62 anos para mulheres) para servidores e trabalhadores da iniciativa privada se tornarem segurados após a promulgação das mudanças. Além disso, o texto estabelece o valor da aposentadoria a partir da média de todos os salários, em vez de permitir a exclusão das 20% menores contribuições.

Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado

sem comentário »

César Pires volta a criticar saúde pública no Maranhão

0comentário

Em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado César Pires voltou a criticar o que classificou como “o desmonte da rede estadual de saúde”. Desta vez, ele destacou o que chamou de “precário funcionamento do serviço de hemodiálise recém-inaugurado em São Luís, o baixo número de cirurgias ortopédicas realizadas no Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO), além da suspensão de diversos atendimentos no interior do estado”. Segundo o parlamentar, “o governo mente sobre a saúde pública no Maranhão. Não podemos nos calar diante de tanto descaso com a vida das pessoas”. Clique aqui e veja o vídeo.

César Pires afirmou que, das 42 cadeiras de hemodiálise do centro inaugurado mês passado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) em São Luís, apenas 14 estão funcionando, “embora o governador tenha alardeado que iria atender 240 pacientes na capital”.

“Mas é tudo mentira, fui lá e comprovei. Só estão usando 14 cadeiras, porque falta condições técnicas, insumos, pessoal capacitado para realizar as hemodiálises, um serviço vital para milhares de pessoas, que ficam na fila aguardando atendimento”, lamentou.

O deputado citou também que o governador garantiu desafogar os Socorrões de São Luís com a inauguração do Hospital de Traumatologia e Ortopedia. “É outra mentira, porque realizam cerca de 15 das mais de 700 cirurgias mensais que prometeram realizar por mês no HTO, atendendo pacientes vindos dos Socorrões. Estão sacrificando a urgência e emergência na capital, resumindo o apoio aos municípios à doação de ambulâncias. É um total desrespeito aos maranhenses”, criticou.

César Pires acrescentou que o descaso com a saúde pública é gritante no interior do estado. “Filmei recentemente o hospital estadual em Chapadinha, onde encontrei somente um médico. Desmontaram o anexo de Presidente Dutra. Em Monção, o hospital virou um ambulatório, porque lá acabaram com a UTI Neonatal e com os setores de ginecologia, obstetrícia e cirurgia geral. Em Codó, não pagam os fornecedores da UPA, situação que se repete no Hospital de Timbiras, onde os funcionários fizeram greve. Todo esse desmonte no interior fez aumentar em 45% o número de ambulâncias que somente vêm trazer pacientes para os corredores dos Socorrões. É um absurdo inaceitável”, declarou.

 Segundo César Pires, “a falta de insumos, atraso no pagamento de fornecedores e médicos, a demissão de pessoas e o fechamento de serviços podem ser constatados em toda a rede estadual de saúde. “Vimos o desmonte da saúde em Matões, Paulino Neves, Lago dos Rodrigues, Magalhães de Almeida, Timbiras, Peritoró, Monção. Os municípios estão sem apoio do governo estadual, e quem necessita de atendimento sofre nas estradas para São Luís e nos corredores superlotados dos Socorrões”.

César Pires concluiu dizendo que os deputados não podem silenciar diante do desmonte que está ocorrendo na rede estadual de saúde, enquanto o governador alardeia que está ampliando a assistência aos maranhenses. “Quem precisa dos serviços públicos de saúde sabe qual é a real situação, e precisamos ser a voz dessas pessoas, cobrando verdadeiro compromisso do governo estadual”, finalizou.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »