Maranhão tem 6 cidades com menor PIB per capita

1comentário

Das 10 cidades com menor per capita no Brasil, seis são do Maranhão, segundo levantamento divulgado na sexta-feira (!4) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com destaque para o município de Nina Rodrigues (R$ 4.282), que é o segundo colocado, perdendo apenas para a cidade baiana de Novo Triunfo (R$ 3.190).

Os outros municípios maranhenses que estão no top 10 de menor PIB per capita no Brasil são Penalva (R$ 4.530), Santana do Maranhão (R$ 4.586), Cajapió (R$ 4.689), Satubinha (R$ 4.766) e Matões do Norte (R$ 4.803).

Esses e outros municípios maranhenses integram a lista de 571 cidades que possuem os menores PIBs per capita (todos acima da posição 5.000 no ranking). E de acordo com o IBGE, dois destes municípios, não tiveram a administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social como principal atividade econômica. São eles: Barra do Corda e Paço do Lumiar, ambos no Maranhão.

Já os cinco maiores PIB per capita no Maranhão correspondem aos municípios de Santo Antônio dos Lopes (R$ 89.607,91), Tasso Fragoso (R$ 58.403,77), Davinópolis (R$ 56.655,59), Imperatriz (R$ 27.482,99) e São Luís (R$ 26.154,25). Segundo análise do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográcos (Imesc), no caso do Davinópolis, houve um aumento expressivo do PIB per capita nesse período devido ao crescimento significativo no Valor Adcionado (VA) da atividade Comércio.

Entre as capitais, a primeira posição ficou com Brasília, com PIB per capita de R$ 79,1 mil por pessoa. Em último lugar aparece Macapá, com R$ 19,9 mil. Dentre as 27 Unidades da Federação, oito registraram PIB per capita maior que o do Brasil em 2016, enquanto os outros 19 ficaram abaixo do nacional.

Os números do IBGE confirmam ainda que apenas seis dos 217 municípios maranhenses – São Luís, Imperatriz, Balsas, Açailândia, São José de Ribamar e Caxias – concentram 50,72% da economia do estado. A capital, com 33,21% de participação do PIB do estado em 2016, ocupa o 1° lugar no ranking, tendo como destaque em sua composição, as participações dos segmentos de serviços (76,0%), indústria (23,9%) e agropecuária (0,1%).

O Estado

1 comentário »

O Maranhão de verdade

0comentário

O depoimento do médico Alan Roberto Costa Silva, que trabalha no Socorrão I, dá a dimensão a que se reduziu a saúde pública no Maranhão. Com corredores lotados de pacientes internados, o hospital municipal tem oito de 10 pacientes oriundos do interior do estado. Isso é resultado, segundo o médico, de desestruturação das unidades de saúde estaduais no interior e da política de saúde ineficiente das prefeituras.

O que Alan Roberto explanou pode ser percebido facilmente, já que o Governo do Estado reduziu os hospitais de 20 leitos no interior, sucateou as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e investiu cerca de R$ 32 milhões em ambulância para as prefeituras, o que reforçou a vinda de pacientes que chegam aos Socorrões.

O resultado não poderia ser diferente: prefeitos enviando pacientes nas ambulâncias distribuídas pelo governo comunista para a capital, superlotando o hospital de urgência e emergência da cidade.

Este é o Maranhão de verdade, que tem ainda índices sociais e econômicos preocupantes comprovados por órgãos oficiais como IBGE e CGU. A Macroplan, empresa brasileira de consultoria que se baseia nos dados oficiais, também mostrou que o estado é o “paraíso” dos índices vexatórios. Saúde, Educação, Segurança, Economia e Desenvolvimento Social têm dados que deixam o Maranhão sempre entre os últimos – e na maior parte das vezes em último mesmo – entre os estados da federação.

E a tristeza maior é verificar que os membros do governo estadual tentam mostrar um outro Maranhão: aquele das peças publicitárias.

O secretário de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry, reuniu a imprensa para apresentar dados que somente a gestão comunista tem e que vão de encontro a todos os números oficiais divulgados.

No Maranhão encantado de Dino e Jerry, o cenário é bom. E o que existe de ruim foi culpa da macroeconomia, do governo federal e do aquecimento global. O governador? Segundo Jerry, somente acertou.

Mas a realidade escancara o estado assim: povo sofrido, mais da metade vivendo na extrema pobreza, desemprego elevado, saúde sucateada, pressão no contribuinte com mais impostos e pouca perspectiva de que haverá melhora.

Estado Maior

sem comentário »

Robson Paz deve assumir presidência do Maranhão

2comentários

O jornalista Robson Paz, atual secretário adjunto de Comunicação do governo Flávio Dino (PCdoB) deverá assumir a presidência do Maranhão Atlético Clube.

Robson Paz que atualmente é o diretor de futebol do MAC já recebeu o convite e estuda encarar o desafio.

“Já recebemos o convite e vamos reunir toda a diretoria do MAC para discutir o assunto e ouvir outras pessoas também. Tenho que pensar muito e bem “, disse ao blog de Zeca Soares.

Robson Paz é daqueles atleticanos presentes aos jogos do clube e sempre sonhou em ver o MAC sempre brigando por títulos e não duvido que possa de fato encarar esse grande desafio.

Com a conquista da Copa FMF e da vaga para o Campeonato Brasileiro Série D, Paz se aninou com a possibilidade.

O mandato do atual presidente Antonio Macedo termina no dia 31 de dezembro e a eleição no MAC deve acontecer logo nos próximos dias.

Foto: Divulgação

2 comentários »

Maranhão garante vaga no Brasileirão Série D

0comentário

Deu MAC na Copa FMF.

Após a vitória por 1 a 0, na primeira partida, em São Luís, o Maranhão arrancou o empate com o Pinheiro, por 1 a 1, no estádio Costa Rodrigues, em Pinheiro e garantiu o titulo da Copa FMF.

Mais do que o título, o resultado garante o Maranhão como o segundo representante do estado no Campeonato Brasileiro Série D em 2019. O outro representante é o Moto Club, atual campeão estadual.

Os gols da partida foram marcados no primeiro tempo. Cléber Pereira fez para o MAC, enquanto Vivico empatou para o Pinheiro que precisava vencer para conquistar o título e a vaga inédita em uma competição nacional.

Em 2019, o futebol maranhense terá Sampaio e Imperatriz, na Série C e Moto e Maranhão, na Série D.

Foto: Bruno Alves

sem comentário »

Maranhão é 17º lugar no ranking de transparência

3comentários

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou nesta quarta-feira (12) o resultado da Escala Brasil Transparente (EBT), que verifica o nível de transparência no repasse de informações aos cidadãos por parte dos Estados e Municípios do país.

Todas as unidades avaliadas receberam entre 0 e 10 pontos, o que permite a geração de rankings. O Governo do Maranhão ficou em 17º lugar com 7.74 pontos. O número fica abaixo da média nacional, que é de 7,94.

Já a Prefeitura de São Luís ficou na 18º posição dentre todas as capitais do país, com 7.42 pontos. O valor também fica abaixo na média do país, que ficou em atingiu 8 pontos.

O G1 entrou em contato com o Governo do Maranhão e a Prefeitura de São Luís e aguarda retorno sobre as respectivas posições no ranking de transparência.

Para avaliação da Transparência Passiva, foi verificada a existência de canais de atendimento ao cidadão (SIC ou similar) e de um sistema, formulário eletrônico ou e-mail para envio de pedidos de acesso a informações públicas.

Também foi avaliada a possibilidade de acompanhar o trâmite das demandas via Lei de Acesso a Informação (LAI) e a análise das respostas recebidas (prazo, conformidade e opção de recurso). De acordo com a CGU foram feitas três solicitações, por usuários diferentes (não identificados como funcionários da CGU). O objeto dos pedidos foi pré-definido e o mesmo direcionado a cada município e/ou estado.

Em relação à Transparência Ativa – que se refere à publicação de informações públicas na internet de maneira espontânea (proativa) – a CGU verificou, primeiramente, a existência de sites oficiais e de portais de transparência dos entes. Em caso positivo, os avaliadores buscaram dados previstos como obrigatórias pela LAI e outras legislações.

O anúncio faz parte das atividades comemorativas pelo Dia Internacional contra a Corrupção. A iniciativa busca verificar o grau de cumprimento de dispositivos da Lei de Acesso à Informação (LAI) e de outros normativos sobre transparência nos Estados e no Distrito Federal, além de todos os municípios com mais de 50 mil habitantes, incluindo as capitais (com base nas estimativas do IBGE em 2017). No total, foram avaliados 691 entes federativos – universo que abrange quase 70% da população brasileira.

Ranking nacional

A EBT – Avaliação 360° revelou que 22 estados e o Distrito Federal (85% das UF) tiveram nota acima de 7. Das capitais, 93% possuem nota maior que 6, sendo que oito delas (30%) estão entre 9 e 10: Vitória (ES), Recife (PE), Curitiba (PR), Campo Grande (MS), Porto Velho (RO), Maceió (AL), Brasília (DF) e Cuiabá (MT). Com relação aos demais entes avaliados, 340 municípios (51% do total) conseguiram nota superior a 6 pontos.

3 comentários »

Edilázio articula pauta com Bolsonaro para o MA

0comentário

O deputado estadual Edilázio Júnior (PSD), que a partir de fevereiro de 2019 assume mandato na Câmara Federal, cumpriu extensa agenda política em Brasília no início desta semana e articulou pauta positiva para o Maranhão junto ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

No encontro com Bolsonaro, Edilázio se colocou à disposição para a discussão de propostas, no Congresso Nacional, que beneficiem a população.

Ele também externou ao presidente eleito a tristeza de ter no Maranhão o único governador comunista em exercício.

“O presidente prometeu não discriminar o Maranhão e se empenhar para ajudar todos os maranhenses. Ele também afirmou que conta com a ajuda de todos os deputados do Maranhão para que possamos mudar a realidade do nosso estado”, disse.

Bolsonaro prometeu investir no Maranhão nos próximos 4 anos, em todas as áreas de atuação, a exemplo da saúde, educação, infraestrutura e saneamento básico.

Na agenda em Brasília, Edilázio também se reuniu com o ministro Kassab, presidente nacional do PSD, e discutiu os rumos do partido no estado.

Edilázio foi o único deputado federal eleito pelo PSD no pleito de outubro deste ano.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Maranhão sai na frente na decisão da Copa FMF

0comentário

O Maranhão venceu o Pinheiro, no estádio Castelão, na primeira partida pela decisão da Copa FMF.

O MAC fez 1 a 0, com gol de Cleber Pereira, aos 29 minutos do segundo tempo.

Com a vitória, o time atleticano agora tem a vantagem e joga a partida de volta por um simples empate. O Pinheiro precisa de uma vitória simples para conquistar o título.

A partida de volta entre Pinheiro e Maranhão será na quarta-feira (12), às 19h30, no Estádio Costa Rodrigues, em Pinheiro.

O campeão da Copa FMF garante vaga no Campeonato Brasileiro Série D em 2019.

Foto: Igor Leonardo

sem comentário »

Tudo começa na falta de investimento na base

0comentário

Entra ano e sai ano e falamos a mesma coisa dos nossos times de futebol. e mais uma vez vamos falar da falta de interesse e investimento na base.

Na prática, a impressão que temos é que nossas equipes, principalmente Sampaio, Moto, Maranhão e Imperatriz são equipes ricas e que não tem qualquer dificuldade financeira.

Reclamam a falta de patrocínio, mas gastam aquilo que não tem com a importação de uma enxurrada de jogadores. E sabe porque isto acontece? Exatamente porque não possuem trabalho de fato na base.

E digo que nossas equipes não tem trabalho de base porque trabalho na base é bem diferente do “arranjo” que é feito por aqui na maioria das equipes, principalmente nessas equipes tidas como “grandes” no Maranhão.

Nossas equipes saem por ai buscando um ou outro atleta e monta uma equipe na base em cima da hora disputar uma competição nas diversas faixas etárias. O treinador de fora, quando chega descarta logo a prata da casa e por ai vai.

O resultado de tudo isso podemos ver na Copa São Paulo que é a principal competição de futebol da base no país. Nenhuma das nossas principais equipes estarão lá. E sabe porque isso acontece? Exatamente porque elas não possuem trabalho sério na base.

Nossos clubes precisam profissionalizar as ações na base, criar ou fortalecer as suas escolinhas. Precisam montar uma comissão técnica permanente que trabalhe na formação de atletas a base e consequentemente para a equipe principal.

Identificado o atleta com potencial na base, o clube deve investir nele da mesma forma como acontece nas grandes equipes.

Dessa forma, além de aproveitar o excelente material humano que o Maranhão possui, nossas equipes de fato começarão a gastar menos e a gastar certo.

Sem isso não vejo como o nosso futebol voltar aos seus grandes momentos.

Foto: Site do Sampaio

sem comentário »

Roberto Costa vota contra o aumento de impostos

1comentário

O deputado Roberto Costa (MDB) votou contra o aumento de impostos no Maranhão, durante a sessão desta quarta-feira (05), que deliberou sobre o Projeto de Lei nº 239, de autoria do Poder Executivo, que determinava o aumento de tributos estaduais sobre combustíveis e bebidas.

O parlamentar explicou que o aumento de tributos gera um efeito cascata sobre a população. “Se aumenta o preço do diesel, consequentemente essa elevação será repassada ao cidadão através do aumento de passagens de ônibus e do aumento de preço das mercadorias que são transportadas por caminhões”, exemplificou.

Costa explicou que o cidadão não pode ser penalizado e que reajustes devem ser feitos para sanear as contas do Estado. “Claro que é necessário reajustes, mas eles não podem ser feito de modo a prejudicar o cidadão. É preciso que se busquem alternativas”, finalizou.

Contra o aumento de impostos: Roberto Costa (MDB), Adriano Sarney (PV), César Pires (PV), Wellington do Curso (PSDB), Léo Cunha (PSC), Max Barros (PMB) e Nina Melo (MDB)

A favor do aumento de impostos: Antonio Pereira (DEM), Bira do Pindaré (PSB), Cabo Campos (PEN), Levi Pontes (PCdoB), Edivaldo Holanda (PTC), Edson Araújo (PSB), Fábio Macedo (PDT), Franscisca Primo (PCdoB), Glalbert Cutrim (PDT), Hemetério Weba (PP), Júnior Verde (PRB), Marcos Caldas (PTB), Neto Evangelista (DEM), Paulo Neto (DEM),  Rafael Leitoa (PDT), Marco Aurélio (PCdoB), Raimundo Cutrim (PCdoB), Ricardo Rios (SD), Rogério Cafeteira (DEM), Sérgio Frota (PR), Stênio Rezende (DEM), Valéria Macedo (PDT), Vinícius Louro (PR) e Zé Inácio (PT)

Abstenção: Eduardo Braide (PMN)

Foto: Agência Assembleia

1 comentário »

Maior proporção de pobres do país está no Maranhão

0comentário

O Maranhão possui o maior número de pessoas vivendo em situação de pobreza, segundo revela a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cerca de 54,1% dos maranhenses vivem com menos de R$ 406 por mês, que é considerado o valor estipulado pela pesquisa.

Ainda segundo o IBGE, mais de 81% dos maranhenses não possui saneamento básico adequado, e a média nacional é de 35,9% da população. Além disso, 32,7% das pessoas não tem acesso à coleta direta ou indireta de lixo e para 29,2% não há abastecimento de água.

Cerca de 3% da população vive sem nenhum tipo de renda no Maranhão, quando a média nacional é de 2,4%. Além disso, 24,3% vive com renda de um quarto a meio salário e outros 27,4 % vive com renda entre meio a um salário-mínimo no estado.

O levantamento que foi realizado em 2017, mostra que a Região Nordeste é a que possui o maior percentual de pessoas nesta condição, com cerca de 14,7% da população. Atrás do Maranhão ficam os estados de Alagoas (48,9%) e Piauí (45,3%).

O estado de Santa Catarina possui o menor percentual de pobres (8,5%) de sua população está abaixo da linha da pobreza. Logo em seguida, aparecem os estados do Rio Grande do Sul (13,5%) e Distrito Federal (13,9%).

Em comparação com o ano anterior, o Maranhão apresentou crescimento no percentual de pessoas em condições de extrema pobreza. Em 2016, o índice era de 52,4%. Nos últimos dois anos, o estado continua sendo o único a atingir mais da metade da população nas condições de extrema pobreza.

Leia no G1

sem comentário »