‘Fazer oposição é muito difícil’, diz Andrea Murad

2comentários

A deputada estadual Andrea Murad (PRP) divulgou, nota de agradecimento aos maranhenses. Ela não conseguiu se reeleger para a Assembleia Legislativa.

Segundo Andrea, fazer oposição no Maranhão é um trabalho muito difícil. “A responsabilidade de levantar a voz em defesa da nossa gente, voz que muitas vezes soou quase solitária…fiz sem mudar de lado, sem temer as represálias e sem recuar”, disse.

A deputada faz um agradecimento especial à população de Coroatá que lhe deu uma votação expressiva.

Leia a nota na íntegra:

“O momento é de agradecer por tudo. Primeiramente a Deus, que sabe todas as coisas e sempre tem os melhores planos para nós. Compreender isso é difícil para muitos, mas quero que fiquem todos em paz e relembrem que fizemos um bom trabalho pelo Maranhão como oposição ao governo.

Fazer oposição é um trabalho muito difícil. A responsabilidade de levantar a voz em defesa da nossa gente, voz que muitas vezes soou quase solitária, foi algo que tomou esses 4 anos de mandato de forma muito vigilante, pesada e que chegou até comprometer minha saúde nestes últimos meses. Foram anos dedicados a cumprir, realmente, um papel para o qual a população me chamou em 2014 e o fiz sem mudar de lado, sem temer as represálias e sem recuar.  Mesmo com muitos nos abandonando, — pois acham ser mais confortável ficar debaixo das sombras do Poder —, me mantive firme até o fim. Isso é motivo de muito orgulho, porque sei do meu papel em cada momento da minha vida.

Quando chegaram estas eleições, sabíamos, desde o início, que seria algo ainda mais difícil do que os anos de luta na oposição. Por que acompanhar candidatos oposicionistas alvos de perseguições desenfreadas? Como ter prefeitos, ex-prefeitos e lideranças fortes ao seu lado sem qualquer possibilidade de ajuda-los como parlamentar ou quando se é contra pagar por um voto com valor estabelecido nesse mercado desonesto? Só pude oferecer minha voz para denunciar as injustiças e que muitas vezes fiz enquanto ficavam às escondidas com medo de perseguições. Também foi difícil competir com a força com que a grande maioria dos governistas angariaram seus votos. Sem dúvida, uma disputa desequilibrada, que, infelizmente, a justiça só assistiu sem tomar as providências.

A vitória não veio desta vez e não há nada de errado nisso. Na política, um dia se vence, em outro se perde. Todo o meu grupo, candidatos ao governo, ao senado, os que realmente permaneceram firmes na oposição do início ao fim do governo Flávio Dino, perdemos as eleições, sim, mas isso não significa que amanhã será da mesma forma. Cresci nesse ambiente e já passamos por essa experiência. E não será saqueando prefeitura, tirando do povo o pouco que tem, ou fruto de agiotagens e de abusos, que quero ser deputada, mas sim por reconhecimento do que sempre defendi como parlamentar.

Então, encerrarei meu trabalho defendendo os ideais que sempre acreditei. Obrigada, Maranhão, e um obrigada especial à minha querida Coroatá que me honrou com expressiva votação me fazendo a deputada estadual mais votada do município diante do abuso econômico dos candidatos de Flávio Dino.”

Foto: Nestor Bezerra

2 comentários »

Maranhão lidera ranking de extrema pobreza

2comentários

A extrema pobreza cresceu em todo o país durante a crise, de 2014 a 2017, mas foi na região historicamente mais carente, o Nordeste, em que essa piora se deu de forma mais intensa. Estados como Bahia, Piauí e Sergipe viram dobrar ou quase dobrar o número de famílias vivendo na miséria. No Norte, o Acre chamou atenção pela rápida piora nesses quatro anos.

Levantamento da consultoria Tendências, obtido pelo Valor, mostra que, das 27 unidades da federação, 25 tiveram piora da miséria entre 2014 e 2017. Nove Estados atingiram um nível recorde no ano passado. Na média nacional, a pobreza extrema avançou de 3,2% em 2014 para 4,8% em 2017, maior patamar em pelo menos sete anos, conforme dados da consultoria.

O Maranhão segue liderando o ranking de extrema pobreza do país. E tem sido assim há pelo menos sete anos, início da série histórica levantada pela consultoria. Do total de famílias maranhenses, 12,2% viviam com menos do que R$ 85 por pessoa no ano passado. Quatro anos antes, o indicador era de 8,7%.

Foi na Bahia, porém, que a miséria cresceu mais rapidamente. A proporção de famílias nessa situação dobrou em quatro anos – de 4,8% em 2014 para 9,8% no ano passado. Desta forma, o Estado, que tem a maior população do Nordeste e a quarta maior do país, escalou da 12ª para a terceira posição no ranking.

Segundo Adriano Pitoli, diretor da consultoria Tendência, a piora da pobreza no Nordeste reflete tanto as particularidades da região quanto a crise do país, que afetou o emprego especialmente de setores que ocupavam mão de obra de menor qualificação, como comércio e serviços.

Leia mais

2 comentários »

Haddad venceu em 214 cidades do Maranhão

1comentário

O candidato do PT a Presidência da República, Fernando Haddad, venceu em 214 das 217 cidades do Maranhão no 1º turno das eleições de 2018. Jair Bolsonaro (PSL) ganhou em apenas 3 municípios. Nenhum outro candidato conquistou uma cidade além de Haddad e Bolsonaro.

No geral, Fernando Haddad obteve 61,26% dos votos contra 24,28% de Bolsonaro no MA. Veja o mapa completo.

Onde Haddad perdeu

O candidato do PT perdeu nas cidades de São Pedro dos Crentes, Imperatriz e Açailândia, que ficam na região oeste do estado. A maior diferença de votos ocorreu em Imperatriz, onde Bolsonaro conseguiu 50,93% dos votos contra 37,53% de Haddad.

Onde Haddad ganhou

Fernando Haddad venceu em todas as outras cidades do Maranhão. A maior diferença de votos ocorreu em Belágua, onde Haddad conseguiu 89,57% dos votos contra apenas 5,87% de Bolsonaro.

Capital

Na capital São Luís, Fernando Haddad venceu em quatro regiões contra duas de Bolsonaro. O candidato do PT venceu na zona rural e na região central da cidade, enquanto o candidato do PSL ganhou na maioria das áreas consideradas nobres da capital.

Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo; Fábio Vieira/Fotorua/Estadão Conteúdo

Leia no G1

1 comentário »

Conheça os deputados estaduais eleitos no MA

0comentário

A candidata Detinha (PR) foi a deputada estadual mais votada no Maranhão. Ela recebeu 88.402 votos.

Dos eleitos, o menos votado foi Felipe dos Pneus (PRTB) com 21.714 votos.

Ao todo, 19 deputados da atual legislatura conseguiram se reeleger e 23 são novatos.

O partido que mais fez deputados estaduais foi o PDT com sete, seguido do PCdoB com seis deputados. Segue o DEM com cinco deputados e PR, PV e Solidariedade, com três.

Confira a lista dos 42 deputados estaduais do Maranhão:

Detinha (PR) – 88.402 votos
Cleide Coutinho (PDT) – 65.438 votos
Duarte Jr. (PCdoB) – 65.144 votos
Zé Gentil (PRB) – 62.364 votos
Othelino Neto (PCdoB) – 60.386 votos
Márcio Honaiser (PDT) – 56.322 votos
Drª Thaiza (PP) – 51.895 votos
Adriano Sarney (PV) – 50.679 votos
Carlinhos Florêncio (PCdoB) – 50.359 votos
Neto Evangelista (DEM) – 49.480 votos
Marcelo Tavares (PSB) – 48.269 votos
Professor Marco Aurélio (PCdoB) – 47.683 votos
Fernando Pessoa (Solidariedade) – 47.343 votos
Andreia Rezende (DEM) – 47.252 votos
Edson Araújo (PSB) – 45.819 votos
Rafael Leitoa (PDT) – 45.462 votos
Ana do Gás (PCdoB) – 44.321 votos
Adelmo Soares (PCdoB) – 43.974 votos
Rigo Teles (PV) – 43.633 votos
Glabert Cutrim (PDT) – 42.773 votos
Paulo Neto (DEM) – 41.765 votos
Daniella Tema (DEM) – 40.541 votos
Vinícius Louro (PR) – 39.873 votos
Yglésio Moisés (PDT) – 39.804 votos
Hélio Soares (PR) – 38.555 votos
Antônio Pereira (DEM) – 37.935 votos
Ciro Neto (PP) – 36.688 votos
Arnaldo Melo (MDB) – 35.958 votos
Roberto Costa (MDB) – 35.214 votos
Fábio Macedo (PDT) – 34.873 votos
Rildo Amaral (Solidariedade) – 33.239 votos
Ricardo Rios (PDT) – 33.202 votos
Leonardo Sá (PRTB) – 31.682 votos
Zé Inácio (PT) – 31.603 votos
Pará Figueiredo (PSL) – 31.555 votos
Helena Duailibe (Solidariedade) – 31.147 votos
Mical Damasceno (PTB) – 30.693 votos
César Pires (PV) – 30.091 votos
Pastor Cavalcante (PROS) – 29.366 votos
Wellington do Curso (PSDB) – 24.950 votos
Wendell Lajes (PMN) – 22.989 votos
Felipe dos Pneus (PRTB) – 21.714 votos

sem comentário »

Veja a lista dos 18 deputados federais eleitos

0comentário

O candidato Josemar de Maranhãozinho (PR) foi a deputado federal mais votado no Maranhão que recebeu 195.768 votos.

Dos eleitos, o menos votado foi João Marcelo (MDB) com 67.532 votos.

Ao todo, 8 deputados da atual legislatura conseguiram se reeleger e 10 são novatos.

Os partido que mais elegeram deputados federais foram PMN, PCdoB e MDB com dois cada.

Confira a lista dos deputados federais eleitos no Maranhão:

Josimar Maranhãozinho (PR) – 195.768
Eduardo Braide (PMN) – 189.843
Márcio Jerry (PCdoB) – 134.223
Júnior Lourenço (PR) – 117.033
Rubens Jr. (PCdoB) – 111.584
Pedro Lucas Fernandes (PTB) – 111.538
Edilázio Jr. (PSD) – 106.576
Aluísio Mendes (Podemos) – 105.778
André Fufuca (PP) – 105.583
Cléber Verde (PRB) – 101.806
Bira do Pindaré (PSB) – 99.598
Juscelino Filho (DEM) – 97.075
Júnior Marreca Filho (Patriotas) – 79.674
Hildo Rocha (MDB) – 77.661
Zé Carlos (PT) – 76.893
Gil Cutrim (PDT) – 72.038
João Marcelo (MDB) – 67.532
Pastor Gildenemyr (PMN) – 47.758

sem comentário »

Weverton e Eliziane eleitos para o Senado

0comentário

 

Os deputados Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) foram eleitos Senador pelo Maranhão para os próximos 8 anos.

Weverton Rocha foi o mais votado com  1.997.443 votos (34,91%). Eliziane Gama ficou com a segunda vaga e recebeu 1.539.916 votos (27,07%).

Veja como foi a votação:

Weverton Rocha (PDT) – 34,91% – 1.997.443 votos
Eliziane Gama (PPS) – 27,07% – 1.539.916
Sarney Filho (PV) – 12,92% – 752.893 votos
Edison Lobão (MDB) – 9,44% – 553.276 votos
Samoel de Itapecuru (PSL) – 4,72% – 254.979 votos
Zé Reinaldo (PSDB) – 3,86% – 219.225 votos
Alexandre Almeida (PSDB) – 3,55% – 191.997 votos
Saulo Pinto (PSOL) – 1,52% – 87.100 votos
Preta Lu (PSTU) – 0,89% – votos
Saulo Arcangeli (PSTU) – 0,69% – 36.436 votos
Iêgo Brunno (PCB) – 0,42% – 23.327 votos
Brancos: (7,84%) – 565.180 votos
Nulos: (13,04%) – 939.985 votos
Abstenção: (20,54%) – 931.611 votos

Fotos: Biaman Prado

sem comentário »

4 milhões 537 mil e 237 eleitores vão às urnas no MA

0comentário

4 milhões 537 mil e 237 eleitores vão às urnas, nas eleições deste domingo (7), em 217 municípios, dos quais em 92 (o que equivale a 3.380.833) a identificação será, obrigatoriamente pela biometria.

Em 53 cidades, a eleição será híbrida e em apenas 72 a biometria ainda não foi implantada pela Justiça Eleitoral, que tem até 2022 para concluir os trabalhos de recadastramento.

O Maranhão tem 105 zonas eleitorais e na capital, São Luís, são 6: a 1ª, 2ª, 3ª, 10ª, 76ª e 89ª. São 15.830 seções ((2.088 em São Luís), distribuídas em 5.742 locais de votação.

As seções estarão abertas das 8h às 17h, período em que o eleitor deve comparecer em sua seção eleitoral levando documento oficial com foto e o título de eleitor. Nele constam informações sobre a zona eleitoral e a seção onde o cidadão está inscrito para votar.

Quanto à transmissão de dados, serão 83 postos avançados, 20 juntas especiais e mais 5 centrais avançadas, instaladas em Timbiras, Amapá do Maranhão, São Francisco do Maranhão, Alto Alegre do Pindaré e Itinga.

Pediram para votar em trânsito 2.287 eleitores (São Luís, Imperatriz, Timon e São José de Ribamar) e se cadastraram com nome social 107 pessoas.

Os maranhenses vão escolher o governador, dois senadores, 18 deputados federais, 42 deputados estaduais e o presidente da República.

Seis candidados disputam o governo do Maranhão: Flávio Dino (PCdoB), Maura Jorge (PSL), Odívio Neto (Psol), Ramon Zapata (PSTU), Roberto Rocha (PSDB) e Roseana Sarney (MDB).

Fotos: Divulgação

sem comentário »

Maranhão registra 378 focos de incêndio em setembro

0comentário

O Maranhão registrou 378 focos de queimadas durante o mês de setembro, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Desta forma, o estado ocupa o primeiro lugar no ranking divulgado nesta sexta-feira (28) seguido pelos estados do Piauí com 317 e Bahia com 173 focos.

Entre as dez cidades do Brasil que mais registraram focos de queimadas no mês de setembro, o Maranhão possui quatro municípios na lista. Alto Parnaíba localizado a 875 km de São Luís, liderou o ranking com 24 focos registrados, seguidos por Buriti Bravo com 22, Pastos Bons com 21 e São Francisco do Maranhão com 18.

Ainda de acordo com o Inpe, de maio a setembro deste ano o estado contabilizou 3.073 focos de queimadas, ocupando o sexto lugar no ranking. Os estados de Mato Grosso que registrou 6.503 focos, Rondônia com 5.946, Amazonas com 4.801, Pará com 4.651 e Acre com 4.299 ocupam as cinco primeiras posições, já Sergipe é o último colocado tendo registrado apenas dois focos.

O Inpe afirma que esses municípios devem ter reforço de brigadas de incêndio nos próximos dias para evitar novas queimadas na região.

Leia no G1

sem comentário »

TSE cancela 216 mil títulos eleitorais no Maranhão

0comentário

No Maranhão, 216.576 pessoas tiveram os títulos eleitorais cancelados e não poderão votar nas eleições de 2018. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o cancelamento dos títulos foi realizado porque os eleitores não fizeram o cadastramento biométrico.

Com 4,7% do eleitorado total, o Maranhão foi o terceiro estado com maior percentual de títulos cancelados do país. O estado fica atrás apenas da Bahia, com 586.333 títulos cancelados, o que representa 5,6% do eleitorado local.

No país, mais de 3 milhões de eleitores tiveram os títulos cancelados durante o ciclo 2017-2018 por terem faltado ao cadastramento biométrico em cidades em que o processo era obrigatório. Ainda segundo dados do TSE, 2.751 cidades do país têm 99% ou mais do cadastramento biométrico realizado. De acordo com o tribunal, estados e cidades com o percentual em torno de 99% são considerados completamente recadastrados.

Para saber se você está com o título cancelado, basta acessar o site do TSE e fazer uma busca inserindo nome e data de nascimento. Se o título estiver cancelado, a partir do dia 5 de novembro será reaberto o cadastro eleitoral. Daí basta ir até um cartório eleitoral e fazer a regularização junto a Justiça Eleitoral.

Leia no G1

sem comentário »

Edilázio mobiliza o interior do Maranhão

0comentário

A campanha do candidato a deputado federal pelo PSD, Edilázio Júnior mobilizou o interior do estado no último fim de semana.

Ao lado de lideranças políticas, apoiadores, prefeitos, vice-prefeitos, eleitores e presidentes de partidos, ele percorreu as cidades de Axixá, Santo Amaro, Brejo, Santana do Maranhão, Santa Quitéria, Magalhães de Almeida, Araioses, Barreirinhas, Paulino Neves, Açailândia, São Luiz Gonzaga, Vitorino Freire, Bacabal, Lago da Pedra, Esperantinópolis e Tutóia.

A incursão de Edilázio ao interior do estado começou na quinta-feira e se estendeu até domingo.

A campanha mobilizou milhares de eleitores e começou numa caminhada em Axixá realizada ao lado do deputado estadual Glalbert Cutrim e da prefeita Sônia Campos.

Edilázio participou de caminhada ao lado de Roseana Sarney (MDB), candidata ao Governo do Maranhão pela coligação “O Maranhão quer Mais” nos municípios de Barreirinhas e Paulino Neves. Além de Roseana, estavam junto de Edilázio nos municípios visitados, o deputado estadual Adriano Sarney; o deputado federal e candidato ao Senado, Sarney Filho; o senador Edison Lobão e o suplente de senador Lobão Filho.

Em Tutóia  ele participou de uma grande reunião política ao lado do ex-prefeito Diringa, Roseana, vereadores, ex-vereadores e lideranças políticas da região. Ele também participou de reuniões políticas nos municípios de São Luiz Gonzaga, Araioses, Esperantinópolis, Brejo, Bacabal, Santa Quitéria e Santana do Maranhão.

Em cada município percorrido Edilázio reafirmou o compromisso em continuar atuando pelo desenvolvimento do Maranhão e com agenda municipalista no Congresso Nacional. A resposta do eleitorado tem sido positiva.

Foto: Divulgação

sem comentário »