Cabrera lamenta: “é difícil explicar o inexplicável”

0comentário

“As palavras somem às vezes”. A declaração é de Paulo Cabrera, técnico do Iape, clube que o jovem Cleilton atuava. Um dos primeiros a tomar conhecimento do acidente com seu atleta, que teve uma das pernas amputadas, Cabrera lamentou o acontecido com uma promessa do futebol maranhense e brasileiro e classificou o acidente como “inexplicável”.

– É um momento muito triste. É uma perda muito grande não pro futebol local, mas pro futebol brasileiro que ia ter um grande jogador. E Deus não quis assim na trajetória da vida dele. Fica ruim pra família, pro Iape, pro próprio Cleilton porque ele tinha um sonho na vida, em um dia voltar pra São Luís em um grande clube. A dor é mto grande. É difícil explicar o inexplicável – lamentou.

Ouça a entrevista de Paulo Cabrera à Rádio Mirante AM

O técnico do Iape disse que via em Cleilton um grande talento do futebol. Porém, a expectativa pelo sucesso do atleta dentro de campo deu lugar à dor. Agora, a expectativa de Cabrera é que o jogador consiga superar estas dificuldades.

– Dói muito. A gente tá tentando junto a família dar um alento. As palavras somem de vez em quando. O futebol maranhense perdeu um grande atleta, um grande jogador. A dor é grande. A superação vai ser muito grande. Ele vai precisar muito da gente e muito mais da família, porque a hora que a ficha cair mesmo, vai ser doído. Porque você ter um corpo normal e depois faltar uma parte dele é ruim pra qualquer pessoa – finalizou.

Por Paulo de Tarso Jr./Imirante

sem comentário »

“Não vai ser uma perna que vai tirar minha alegria”

0comentário

Sábado, dia 18 de dezembro de 2010. Um grave acidente. O fim de um sonho. O jovem Cleilton Reinaldo Alves Costa, jogador do Iape estava em motocicleta em companhia de um amigo quando foram atingidos por um automóvel Fiesta. Em decorrência do acidente, Cleilton sofreu um duro golpe: perdeu a perna direita. O caminho do jovem atleta no futebol profissional chegou ao fim, mas ele sabe que a alegria por estar vivo deve continuar.

– [A perda da perna direita] Não vai afetar em nada. Vou fazer fisioterapia. Vou botar uma prótese. Vou ficar uma pessoa independente dos outros. Vou depender de mim mesmo. Não vai ser uma perna que vai tirar minha alegria. Se Deus quiser, vou superar mais este obstáculo – revelou.

O sonho de ser um grande jogador e atuar por equipes importantes do futebol brasileiro e do mundo foi interrompido. Apesar de saber que não poderá mais fazer o que mais gostava, Cleilton revelou, em entrevista à Rádio Mirante AM, nesta segunda-feira (20), que o momento agora é de se recuperar e acreditar em novos sonhos. Sonhos estes, que continuam relacionados ao futebol.

– Quero me formar em Educação Física e, quem sabe, ser treinador, preparador ou alguma coisa no ramo do futebol – disse.

Ouça a entrevista de Cleilton à Rádio Mirante AM

O acidente

O jogador do Iape deu a sua versão para o acidente do último sábado (18). De acordo com Cleilton, a motorista do Fiesta, que não teve o nome revelado, foi a responsável pelo acidente. Segundo o atleta, além da condutora daquele veículo causar esta fatalidade, ela não foi capaz de prestar socorro às vítimas.

No momento do acidente, de acordo com Cleilton, uma mulher dirigia o automóvel Fiesta. Dentro do veículo estava, ainda, um homem, que seria marido da condutora.

– A gente tava vindo de um aniversário e daí uma mulher num Fiesta fechou eu e meu amigo, que tava pilotando a moto. Ele tentou desviar e ela jogou o carro pra cima da gente na contramão. E ela conseguiu pegar só minha perna. No momento do acontecido, os dois [a motorista e o carona] saíram do local. Todos os dois. Eles não prestaram socorro de forma alguma – explicou o jogador.

Cleilton ainda desmentiu que a motocicleta em que ele e o amigo estavam, estivesse em alta velocidade. O jogador também negou que uma terceira pessoa estivesse na motocicleta, informação revelada pelo cunhado do motorista do Fiesta, em entrevista à Rádio Mirante AM.

 – A gente tava vindo com uns 50km. Se eu tivesse vindo veloz, a gente teria capotado e se acabado num poste – afirmou.

 Logo após o acidente, a polícia descobriu que a condutora do veículo dirigia sem carteira de habilitação. No entanto, foi o carona do Fiesta, identificado como Wilton Mendes Gonçalves, quem assumiu que estava dirigindo o automóvel.

 – Foi um sonho interrompido devido a um irresponsável que foi dar o carro pra uma pessoa que não tem nenhum tipo de responsabilidade e aconteceu o que aconteceu – lamentou o jogador.

Por Paulo de Tarso Jr./Imirante

sem comentário »