Honorato cobra respeito a princípios democráticos

1comentário

O vereador Honorato Fernandes (PT) utilizou, na manhã de hoje (30), a tribuna da Câmara para reafirmar a necessidade de defesa dos princípios democráticos e constitucionais, de respeito aos direitos da classe trabalhadora, às liberdades individuais, a diversidade étnica, racial, sexual e ideológica, repudiando atos e crimes de intolerância, cujos registros tem sido cada vez mais frequentes em nossa sociedade.

Durante o pronunciamento, o parlamentar repudiou a postura da deputada estadual de Santa Catarina Ana Caroline Campagnolo (PSL), que, no domingo (28), fez uma publicação nas redes sociais, oferecendo um contato telefônico para alunos enviarem vídeos de professores em sala de aula que estejam fazendo “manifestações político-partidárias ou ideológicas”, como assim declarou a deputada.

O parlamentar destacou que a postura da deputada desrespeita o direito de liberdade de cátedra, principio constitucional que assegura a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber. No Brasil, a Constituição Federal de 1988 assegura essa liberdade em seu artigo 206.

“Precisamos exigir o respeito ao direito à liberdade de cátedra, previsto em nossa Constituição. Por isso, manifesto aqui o meu repúdio a ação da deputada estadual de Santa Catarina, que utilizou as redes sociais, para sugerir que os alunos tratem seus educadores como verdadeiros bandidos”, disse Honorato, que seguiu o pronunciamento ressaltando a importância de combater a onda de intolerância, que a cada dia que passa se torna mais frequente, vitimando inúmeras pessoas diariamente.

“Nossa sociedade vive atualmente direcionada por uma inversão de valores perversa, onde o diálogo e o respeito não tem mais espaço, apenas o preconceito e a intolerância. Pessoas estão sendo agredidas e mortas nas ruas porque são negras, porque são gays ou porque seguem religiões de matriz africana. Precisamos resistir a isto. Nós vivemos em um Estado Laico ou não vivemos? Caso contrário, vamos rasgar a nossa Constituição”, declarou o vereador.

Finalizando a fala e seguindo a linha de repúdios, Honorato criticou também a fala do vereador Francisco Chaguinhas (PP), que, em pronunciamento realizado ontem (29), afirmou que os sindicatos são pelegos, criticou o programa Bolsa Família, e a Lei Rouanet, lei que estabelece diretrizes de como o Governo Federal deve disponibilizar recursos para a realização de projetos artístico-culturais.

Direcionando a fala ao colega de parlamento, Honorato afirmou: “Repudio a sua colocação, sua fala está carregada de preconceito contra a classe trabalhadora e ao direito resguardado constitucionalmente a esta classe de se organizar para lutar em defesa dos seus direitos. Quero dizer ainda que vossa excelência desrespeita as pessoas mais pobres, chamando-as de ignorantes, ao dizer ainda que o Bolsa Família é o cala boca do pobre. E desrespeita igualmente os movimentos culturais ao falar que estes vivem para se beneficiar da Lei Rouanet”, disse Honorato.

Foto: Divulgação

1 comentário »