Crise na arbitragem de futebol no MA

13comentários

SandroMedeiros

O árbitro Sandro Nascimento Medeiros contou ao blog detalhes sobre bastidores desconhecidos da arbitragem do futebol maranhense que vieram à tona depois que o presidente da Ceaf, Marcelo Filho decidiu excluir do quadro nacional da CBF, dois dos principais árbitros de futebol do Maranhão: Mayron Frederico dos Reis Novais e Paulo Sérgio Santos Moreira.

Sandro Nascimento Medeiros que foi retirado do quadro nacional no ano passado também se diz vítima da “perseguição” de Marcelo Filho e afirma: “Sei que a pressa de lançar seu filho e a sede de vingança está claro em suas ações”.

Ele também deixa claro que a “omissão” do presidente da FMF, Antônio Américo é determinante para que essas coisas aconteçam no futebol maranhense.

Veja o relato:

Boa noite Zeca Soares, a história dessa renovação do Presidente da CEAF-MA é longa, mas vou tentar resumir.

Primeiro, o presidente gosta tanto de renovação que apitou até 50 anos e só parou ainda chateado querendo continuar, impedindo um árbitro jovem ter oportunidade.

Desde que assumiu a CEAF excluiu do quadro da CBF Sandro Medeiros (assistente), Cícero Romão (assistente), Aélson Mariano (assistente), Mayron Novais (árbitro), Geison Mendes (assistente) e ainda Paulo Moreira e Fernando. Este último (Fernando) de Bacabal, pela terceira vez foi retirado do quadro e retornando em seguida, nesse o presidente da CEAF não conseguiu, pois os seu poderes estão abaixo de um Sr. de Bacabal que dá a ordem para colocá-lo de volta. Todos árbitros experientes com vários jogos da Série B, C, D, Copa do Brasil, Copa do Norte e Copa do Nodeste, com final de Copa Verde entre outros jogos importantes. Árbitros com 6 a 15 anos de carreira e que foram retirados no ápice da experiência entre 35 e 40 anos que podiam contribuir e representar muito bem o Estado e aos novos árbitros que fossem chegando.

O Maranhão hoje tem um ditador na arbitragem, onde é proibido falar e dá opiniões, sempre se escondendo atrás de uma comissão de arbitragem que só existe no papel, onde toma todas as decisões sozinho, depois só comunica e depois divulga que foi a comissão que decidiu. Temos um Sindicato que tem uma pessoa no comando mandado por ele. O sindicato é do presidente da CEAF, quem manda em tudo e em todos.

O que está acontecendo no Maranhão é muito grave, passei 6 anos na CBF e o presidente da Federação não me conhece, um absurdo!!!! Fui retirado do quadro sem ter sido comunicado, recebido um documento da Federação, agradecimento pelos serviços prestados etc. O que o presidente sabe de arbitragem, é o que a CEAF passa a ele.

Nunca o presidente da Federação nesses 6 anos que estive na CBF, compareceu a um treinamento, palestras, pré-temporadas e avaliações dos árbitros do quadro da CBF que representa a federação nacionalmente. Outro absurdo!!!!!

Ninguém pode se posicionar e ter opinião própria, não aceita opiniões e críticas que não sejam as suas. Sendo perseguido e na primeira oportunidade ele tira do caminho.

Tudo começou por causa do sindicato, quando Robson cogitou uma possivel candidatura, todos sabem que o presidente da CEAF e o árbitro citado não se cheiram, Robson me convidou e eu aceitei, a partir daí me viu como inimigo. Quando o atual presidente assumiu e deixou o sindicato, eu, Paulo, Aelson e Mayron tentamos formar uma chapa para concorrermos a eleição do sindicato. Tudo começou aí. Pois o mesmo queria ter o sindicato e a CEAF nas suas mãos, lançando o atual presidente do sindicato sem nem ele mesmo saber que era candidato.

Tem muita história pra contar, seria muitas e muitas páginas. Sei que a pressa de lançar seu filho e a sede de vingança está claro em suas ações.

Todos sabem que toda renovação tem que ser gradativa, unindo a experiência com a juventude.

Fica o espaço para Marcelo Filho se posicionar se achar necessário.

13 comentários »