Enfermeira que matou cão é multada em R$ 20 mil

2comentários

A enfermeira Ana Giselly Ferreira Atan que atropelou e matou um cachorro, em uma rua no bairro Residencial Pinheiros foi condenada a pagar multa no valor de R$ 20 mil reais e mais cinco salários mínimos.

Imagens de câmera de segurança de uma residência mostraram o momento em que uma mulher atropela dois cachorros. O caso foi registrado no dia 14 de agosto. O vídeo viralizou nas redes sociais e provocou revolta nos internautas.

No vídeo, a enfermeira que conduzia um veículo de cor prata passa cima dos animais. Após o atropelamento, os cachorros aparecem sangrando e mancando. Um dos cachorros morreu após o incidente.

Em nota, a enfermeira dissie à época que o “ato que não passou de um infeliz acidente e que está trazendo a ela e sua família um profundo abalo”. Ela acrescentou que “jamais maltratou qualquer animal, quer seu, quer de terceiros, que possui animais de estimação e sempre os tratou de forma respeitosa”.

A decisão foi da juíza Andrea Lago, do 1º Juizado Criminal que presidiu a audiência que contou com a participação do promotor do Meio Ambiente, Fernando Barreto.

A multa de R$ 20 mil será destinada ao Hospital Veterinário da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Os cinco salários mínimos serão destinados a uma instituição filantrópica a ser definida.

Foto: Arquivo pessoal

2 comentários »

Enfermeira diz que ato foi ‘infeliz acidente’

4comentários

A enfermeira Ana Gisely se pronunciou por meio de nota esclarecendo que não teve a intenção de atropelar os dois cães na terça-feira (14), em São Luís.

Segundo ela, o “ato que não passou de um infeliz acidente e que está trazendo a ela e sua família um profundo abalo”, disse.

A enfermeira acrescentou que “jamais maltratou qualquer animal, quer seu, quer de terceiros, que possui animais de estimação e sempre os tratou de forma respeitosa”.

Ana foi flagrada através de câmeras de segurança no Residencial Pinheiros atropelando dois cães da raça pastor alemão. O vídeo viralizou na internet e causou comoção e revolta nos internautas. No vídeo, o condutor aparece em um veículo de cor prata acelerando e passando por cima dos animais. Em seguida os cachorros aparecem nas imagens sangrando e mancando.

Após o atropelamento, Ana foi afastada do cargo enfermeira da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH). O presidente da EMSERH, Vanderley Ramos, se pronunciou no Twitter e anunciou o afastamento dela.

“A respeito do episódio envolvendo a empregada da EMSERH, Gisele Atan, apesar de ocorrido no ambiente de sua privada, quero expressar o sentimento de toda a empresa de profunda indignação e desaprovação, informando que a empregada já se encontra suspensa de suas funções”, publicou Vanderley Ramos.

Repercussão na internet

Logo após a divulgação das imagens nas redes sociais, artistas se pronunciaram sobre o caso. As cantoras Anitta, Preta Gil, o humorista Marcelo Adnet e a atriz Giovanna Ewbank foram algumas das pessoas que se manifestaram sobre o atropelamento dos dois cachorros.

O vídeo também foi compartilhado pela ativista Luisa Mell e ganhou a atenção da Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil do Maranhão (OAB-MA).

Dona dos cães pede justiça

Leila Cristina Oliveira, dona dos dois animais que foram atropelados, pede por justiça e diz que não concorda com a onda de violência e ataques que surgiram nas redes sociais contra a enfermeira Ana Giselly.

“Eu quero justiça, mas as coisas estão tomando uma proporção que eu estou assustada, pois estou com dor e raiva, mas não passa vingança na minha cabeça, pelo fato de eu acreditar na justiça. E eu quero que ela seja chamada pela justiça, mas nas redes sociais têm muita gente chamando violência e eu não concordo, não aceito. Não é assim que as coisas têm que ser”, afirmou.

Leia a nota na íntegra:

“A defesa de Giselle Atan, vem, a respeito dos vídeos amplamente divulgados em várias redes sociais e às matérias veiculadas nos diversos meios jornalísticos explanar que:

Giselle Atan, conforme depoimento prestado na tarde do dia 16 de agosto do presente ano na Delegacia do Meio Ambiente, após espontânea apresentação à autoridade policial, afirma que não teve em momento algum a intenção de atropelar os referidos animais e que sua única intenção era de afastá-los do local tendo em vista já terem atacado outros cachorros e pessoas que ali estavam, consoante restará provado durante as investigações.

Afirma também que, está colaborando de todas as formas para o bom deslinde do termo circunstanciado de ocorrência instaurado e espera que a verdade dos fatos venha à tona ao fim do processo investigatório.

Continuando, esclarece que jamais maltratou qualquer animal, quer seu, quer de terceiros, que possui animais de estimação e sempre os tratou de forma respeitosa.

Ao contrário das informações falsas que vêm sendo divulgadas em diversas redes sociais, Giselle Atan jamais foi acusada ou processada por maus tratos aos animais, tendo sido liberada após prestar depoimento, bem como responderá em liberdade ao processo, conforme já informado pela delegada Caroliny Fernanda que conduz o caso.

Por fim, lamenta profundamente o ocorrido e pede a toda a sociedade que não a condene de forma injusta, precipitada e sem qualquer direito à defesa por um ato que não passou de um infeliz acidente e que está trazendo a ela e sua família um profundo abalo.

São Luís, 17 de agosto de 2018.

Rafael Macena
Advogado”.

Leia no G1

4 comentários »

Enfermeira responderá por maus tratos de animais

4comentários

Em depoimento na Delegacia Especial do Meio Ambiente (Dema), a enfermeira Ana Gisella Athan disse que não queria atropelar os cachorros Peppe e Dukeza, mas apenas afastá-los de pessoas que estavam na rua, no Residencial Pinheiros, em São Luís, na última terça-feira (14). Ela se apresentou de forma espontânea, acompanhada de advogados, na tarde desta quinta-feira (16), prestou depoimento e foi liberada para responder o processo em liberdade.

A delegada Caroliny Fernanda dos Santos Santana foi quem tomou o depoimento da enfermeira. A justificativa apresentada foi de incidente e não de atropelamento deliberado. “A versão apresentada por ela é que não tinha intenção de maneira alguma de matar os animais, mas que ela estava acompanhando os cachorros, pois estariam avançando em algumas pessoas e a intenção dela era só afastá-los”, disse a delegada.

Ana Athan deve responder pelos crimes de maus tratos dos animais, agravados pela morte de um deles, mas ela vai responder em liberdade.

“Ela foi ouvida e liberada, pois ela não foi presa em flagrante. A pena pelo crime que ela está sendo investigada, que é de maus tratos, é de um ano. No caso como houve a morte do animal, a pena sobe para um ano e dois meses. O procedimento que se faz é um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). As partes são ouvidas e testemunhas são ouvidas e o procedimento é encaminhado para o juizado, onde haverá uma audiência com o juiz”, explicou a delegada.

A dona dos cachorros, a professora Leila Cristina Oliveira está em Salvador-BA concluindo curso de doutorado, mas pessoas da família devem ser ouvidas na Delegacia Especial de Meio Ambiente.

Entenda o caso

Imagens de câmera de segurança de uma residência no bairro Residencial Pinheiros, em São Luís, mostram o momento em que uma mulher atropela dois cachorros. O caso foi registrado na terça-feira (14), mas só nesta quinta-feira (16) o vídeo viralizou nas redes sociais e causou revolta nos internautas.

No vídeo, o condutor aparece em um veículo de cor prata acelerando e passando por cima dos animais, que são da raça pastor alemão. Após o atropelamento, é possível ver o carro indo embora. Em seguida, os cachorros aparecem nas imagens sangrando e mancando. Um dos cachorros morreu e um outro, chamado ‘Peppe’, sobreviveu, mas teve várias fraturas.

Após a divulgação das imagens, o caso repercutiu e causou revolta por parte dos internautas. Nas redes sociais, as cantoras Anitta e Preta Gil, o humorista Marcelo Adnet e a atriz Giovanna Ewbank foram algum dos artistas que se manifestaram sobre o atropelamento dos dois cachorros.

Foto: Reprodução/ TV Mirante

Leia no G1

4 comentários »

Polícia procura enfermeira que atropelou dois cães

3comentários

Um dos cachorros atropelados por enfermeira no Residencial Pinheiro acabou morrendo

Imagens de câmera de segurança de uma residência no bairro Residencial Pinheiros, em São Luís, mostram o momento em que uma mulher atropela dois cachorros. O caso foi registrado na terça-feira (14), mas só nesta quinta (16) o vídeo viralizou nas redes sociais e causou revolta nos internautas maranhenses.

No vídeo, o condutor aparece em um veículo de cor prata acelerando e passando por cima dos animais. Após o atropelamento, é possível ver o carro indo embora. Em seguida, os cachorros aparecem nas imagens sangrando e mancando. Um dos cachorros morreu após o incidente.

Após a divulgação das imagens, o caso repercutiu nas redes sociais e causou revolta por parte dos internautas. Nas redes sociais, as cantoras Anitta e Preta Gil, o humorista Marcelo Adnet e a atriz Giovanna Ewbank foram algum dos artistas que se manifestaram sobre o atropelamento dos dois cachorros.

“Como é que essa pessoa consegue dormir depois?”, comentou o Padre Fábio de Melo.

O vídeo também foi compartilhado pela ativista dos animais Luisa Mell e ganhou a atenção da Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil do Maranhão (OAB-MA).

De acordo com a presidente da comissão, Luciana Lauande, a Delegacia Especial de Meio Ambiente já foi acionada e suspeita está sendo procurada pela polícia para prestar esclarecimentos. A Comissão de Defesa dos Animais da OAB acompanha o caso.

Por meio de nota pública, o Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA) repudiou o ato praticado pela enfermeira e afirmou que está tomando providências para punir a suspeita no caso. Veja a nota completa abaixo.

“O Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA) vem através da presente nota esclarecer que repudia veemente o ato supostamente praticado pela profissional inscrita nesse Conselho onde ocasionou o atropelamento de dois cachorros em via pública, no dia 14 de agosto de 2018, conforme imagens divulgadas em redes sociais. Ato contínuo, informamos que iremos tomar as providências cabíveis em face a profissional envolvida no presente caso; Por fim, estaremos aguardando os desdobramentos do caso e acompanhando o trabalho das autoridades competentes para auxiliar no que for cabível”.

A suspeita de ser a motorista do carro é a enfermeira Ana Gisella Athan, que trabalha para a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH). O presidente da EMSERH, Vanderley Ramos, se pronunciou no Twitter e anunciou o afastamento da enfermeira.

Leia no G1

3 comentários »

Profissionais fazem campanha em hospital

1comentário
PropagandaHospital

Profissionais fazem campanha em hospital

O médico conhecido por Dr. Josemar e a enfermeira Dayse Leal Bernardo, que prestam serviço para a Prefeitura de Barra do Corda se deixaram fotografar nas dependências do Hospital Municipal Lobão, momento em que, de acordo com as imagens, estariam fazendo propaganda eleitoral antecipada em favor do prefeito e candidato a reeleição Eric Costa (PCdoB).

As duas fotos enviadas ao blog do Adonias Soares mostram médico e enfermeira dentro do Centro Cirúrgico vestindo uniforme do hospital e segurando um adesivo com os dizeres: Sou 65, Barra do Corda. Num claro gesto de pedir votos dentro de um prédio público, o que é vedado pela legislação eleitoral. 65 é o número do partido (PCdoB) pelo qual o atual prefeito de Barra do Corda, Eric Costa, patrão dos dois profissionais de saúde, concorre a reeleição no próximo dia dois de outubro.

Se denunciados pelo Ministério Público e condenados pela Justiça Eleitoral, Josemar e Dayse podem perder o emprego, serem multados de 5.000,00 a 25.000,00, ou ainda, responder crime eleitoral por estarem fazendo propaganda eleitoral antecipada. E o que é mais grave, dentro de um hospital. O titular do Blog tentou entrar em contato com a secretária municipal de Saúde, mas não conseguiu localizar o titular da pasta.

Um advogado especialista em legislação eleitoral ouvido pelo blog foi enfático. “Não foi somente o médico e a enfermeira que cometerem crime eleitoral, o candidato também cometeu e se for gestor público (prefeito) poderá até ser denunciado por improbidade administrativa”, afirmou.

1 comentário »