Mau exemplo: carro do governo Flávio Dino despeja lixo em avenida de São Luís

3comentários
Camionete de órgão estadual despeja lixo no canteiro central da Avenida Vitorino Freire

Camionete de órgão estadual despeja lixo no canteiro central da Avenida Vitorino Freire

Como se não bastasse a deficiência na coleta de lixo de São Luís, fruta da inadimplência da prefeitura com a empresa terceirizada contratada para fazer o serviço de limpeza pública na capital, os próprios agentes públicos contribuem para a sujeira se espalhar pela cidade. Na manhã desta quarta-feira (11), servidores, em uma caminhonete de uso do Governo do Estado, foram flagrados despejando lixo no canteiro central da Avenida Senador Vitorino Freire, na Areinha.

Galhos podres de árvore são jogados em via pública por homens que usavam o carro oficial

Galhos podres de árvore são jogados em via pública por homens que usavam o carro oficial

A caminhonete transportava galhos podres de uma árvore na carroceria, depositados em via pública, aos olhos de motoristas e pedestres esterrecidos com a cena.

Lixo despejado pelos servidores públicos aumentou sujeira no local

Lixo transporta pelo carro oficiakl aumentou sujeira no local, onde um contêiner já não comporta tantos resíduos

Os sujões não deram a mínima para a reprovação popular e deixaram o local como se não tivessem feito nada de errado.

Camionete do governo foi estacionada dentro do lixão para que galhos fossem descartados

Péssimo exemplo dado por um governo que a cada dia se supera no mau uso da coisa pública.

3 comentários para "Mau exemplo: carro do governo Flávio Dino despeja lixo em avenida de São Luís"


  1. joao dos santos da luz

    Mais esse e o Governo que todos voces queriam agora wstao
    Mais esse era o Governo que todos voces queriam,agora estao reclamando deque

  2. Rosa

    Ja pensaram que pode ter sido acordado com a Prefeitura para eles buscarem depois? Pois ali próximo tem um container, não da pra tirar conclusões definitivas apenas por essas imagens.

  3. AnjoPIrata®

    Enquanto isso no palácio: Flavio Dino: Eu não sei de nada! não fui eu! iremos abrir sindicância para punirmos os responsáveis. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

deixe seu comentário