Sargento entrega cargo e vira algo de investigação

2comentários

O sargento José Roberto Gonçalves Alves entregou o cargo de Comandante da 4ª Companhia do 28° Batalhão da Polícia Militar, após uma discussão com o prefeito de Anajatuba Sydnei Pereira. Uma gravação de ligação telefônica mostra que o prefeito reclama de uma blitz com apreensão de motos feita pelo PM na última segunda-feira (1º). (ouça os áudios aqui).

Em entrevista à TV Mirante, o sargento explicou que a blitz pretendia orientar os pilotos de motocicleta de Anajatuba sobre a importância de usar o capacete, conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Naquele dia, ele apreendeu dez motos. Porém, recebeu uma ligação do prefeito Sydnei Pereira, que reclamava da ação do sargento Roberto “a poucos dias de uma eleição”.

“Se eu tive uma discussão nesse tom com a maior autoridade do executivo municipal, qual o espaço que eu ainda tenho lá? Eu sou pequenininho. Um homem desse se ele conta uma mentira, valem dez verdades minha. Eu sou a pedra mais fácil de ser quebrada, é melhor eu me retrair”, justificou o pedido de afastamento. “Hoje eu ando de cabeça erguida, com a sensação do meu dever cumprido”, ressalta.

Mesmo assim, a PMMA decidiu abrir uma investigação sobre a conduta do sargento Roberto. Leia a nota enviada nessa quinta-feira (4) ao Imirante.com:

A Polícia Militar do Maranhão informa que será instaurada uma sindicância para apurar a conduta do sargento José Roberto Gonçalves Alves, no município de Anajatuba, frente às normas e regulamentos da corporação. O sargento foi chamado para a sede do Batalhão, que fica em Itapecuru Mirim, a fim de dar os devidos esclarecimentos.

No cumprimento de suas funções institucionais, cabe ao Comando zelar para que nenhuma ação policial vise interferir no processo eleitoral, nem a favor nem contra qualquer candidato.

Foto: Reprodução/TV Mirante

Imirante

2 comentários para "Sargento entrega cargo e vira algo de investigação"


  1. RUAN

    RODRIGO, hoje em dia qualquer app grava com qualidade, inclusive todas as ligações independentemente que quem liga.App call recorder. quando a matéria a cúpula da PMMA deveria corroborar a atitude do sargento e não investigá-lo. Estranho é o posicionamento do comando da PM

  2. Rodrigo

    Como essa pessoa conseguiu fazer essa gravação com o aúdio excelente e já sabia que era o prefeito ligando… estranho….

deixe seu comentário