Famem discute ajuda a municípios alagados no MA

1comentário

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), prefeito Cleomar Tema, coordenou, nesta quinta-feira (12), uma reunião de emergência envolvendo o secretário de Articulação Política e Comunicação do Estado, Ednaldo Neves, o coordenador adjunto da Defesa Civil do Estado, major Jairon Moura;  e diversos prefeitos, cujas cidades estão sendo fustigadas pelas chuvas.

Logo na abertura da reunião, Cleomar Tema deu como exemplo da calamidade a própria cidade que administra, Tuntum. “Nosso município passa por uma situação delicada. Num período  de 10 horas, choveu o equivalente a um mês, provocando o transbordamento do riacho que dá nome à cidade e deixando um rastro de problemas, com algo em torno de 400 famílias desabrigadas afirmou.

O dirigente municipalista sugeriu que seus colegas prefeitos adotem as medidas necessárias para a decretação do estado de emergência, identificando número  de desabrigados, prédios públicos e privados danificados e que recorram de imediato à Defesa Civil.

Secretário adjunto de Articulação Civil e diretor-executivo da Famem, Geraldo Nascimento,  mostrou a necessidade de que os prefeitos sejam rápidos em suas ações, para que o socorro por parte do governo estadual seja o mais rápido possível.

O diretor-geral da Famem, Gildásio Ângelo ressaltou que parte da bancada federal em Brasília está mobilizada junto ao governo federal, na busca de ajuda aos municípios maranhenses.

O secretário Ednaldo Neves destacou que o governo Flávio Dino está sensível ao drama das populações que estão sofrendo  com as cheias, mas ponderou ser necessário que os prefeitos ajam com a máxima urgência no encaminhamento dos documentos adequados para a decretação do estado de emergência.

Por sua vez, o coordenador adjunto  da Defesa Civil, Major Jairon, fez uma explanação técnica a respeito do decreto emergencial, ressaltando que com uma modificação na lei da emergência, agora os  municípios é que dão os  passos iniciais quando de qualquer ocorrência desastrosa.

Ele apresentou o modelo do decreto de emergência (o mesmo está disponível no www.famem.org.br) , que  está sendo entregue a todos os prefeitos para que eles possam estabelecer a emergência em situação  que isso seja necessário, para evitar problemas de cunho burocrático.

Os prefeitos Chico Freitas,  de Lagoa Grande, Dr. Cristino, de Araioses, e Sidrack, de Morros, fizeram relatos  de suas cidades em decorrência das chuvas. De acordo com Chico Freitas, seu município enfrente problemas de estradas vicinais quase intrafegáveis e uma ponte que está prestes a ruir, enquanto Sidrack destacou que as ruas e estradas de Morros estão praticamente bloqueadas.

Araioses enfrenta uma situação mais delicada, uma vez que várias ilhas dos municípios estão alagadas e com seus moradores sem poderem sair de casa. “É uma verdadeira catástrofe”, disse o prefeito Dr. Cristino.

Foto: Divulgação

1 comentário »

Prefeitura reforça ações em áreas de riscos

0comentário

A Prefeitura de São Luís está intensificando a campanha de Prevenção de Riscos e Desastres como forma de reforçar as ações durante o período de chuvas na capital, principalmente em áreas consideradas de risco. A ação, que segue orientação do prefeito Edivaldo, é coordenada pela Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc), por meio da Defesa Civil Municipal. Ainda como parte das ações de contingência para o período chuvoso, a Defesa Civil vai intensificar o trabalho durante o período carnavalesco. Os plantões iniciam a partir desta sexta-feira (9) até a próxima Quarta-Feira de Cinzas (14).

Agentes estarão de plantão para atender às demandas do órgão que chegam através dos telefones. Além disso, uma equipe estará pronta para atuar, a qualquer momento, caso aconteça algum sinistro de grandes proporções. Os órgãos municipais e estaduais que integram o Plano de Contingência do Município também estão em alerta. Além da Cruz Vermelha, Grupo de Prevenção e Resgate e Legião da Boa Vontade, que atuam de forma voluntária na cidade, integram o plano.

O trabalho educativo também está sendo intensificado. Durante a ação as famílias são orientadas sobre os perigos durante o período chuvoso e quanto à forma de proceder em casos de possíveis deslizamentos. Entre os materiais educativos distribuídos estão folders, cartilhas voltadas para o público infantil e adesivos com os números da Defesa Civil (3212-8473 ou 153).

“As famílias recebem recomendações sobre medidas preventivas que reduzem riscos, como, por exemplo, não colocar lixo na base da encosta, ação simples que preserva a vegetação da área e evita a sedimentação das barreiras, uma das causas dos deslizamentos”, alerta a superintendente da Defesa Civil do município, Elitânia Barros.

As ações estão ocorrendo em todas as áreas de risco, simultaneamente. Além do trabalho preventivo para evitar sinistros, a Defesa Civil Municipal intensifica a orientação direta aos moradores, com a finalidade de mostrar a melhor forma de lidar com situações de perigo, quando as chuvas aumentam.

Foto: Maurício Alexandre

sem comentário »

Bombeiros interditam loja do Supermecados Mateus

2comentários

mateusO Corpo de Bombeiros interditou na tarde desta quinta-feira, o Eletromateus e o estacionamento interno do Supermercado Mateus, no João Paulo. A operação foi realizada em parceria com o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-MA) e a Defesa Civil.

“Recebemos várias ligações através do Disque-denúncia informando que a laje estava oferecendo risco, que estavam com medo de uma tragédia. Pela manhã, fizemos uma vistoria e verificamos que, de fato, havia várias rachaduras no local”, disse o comandante do Corpo de Bombeiros, Wibirajara Figueredo.

Apesar da interdição, o engenheiro do Grupo Mateus Antônio Marques informou ao G1 que os problemas encontrados na vistoria não levariam riscos aos clientes da empresa.

2 comentários »

Aumenta número de áreas de risco em São Luís

1comentário

G1 com informações da TV Mirante

O número de áreas de risco em São Luís aumentou. Um relatório da Defesa Civil apontou três novos pontos com riscos de deslizamento, que já somam 66 locais, no total. Os locais estão sendo monitorados pela Defesa Civil desde o dia 13 de fevereiro – Quarta-Feira de Cinzas – quando foram registrados 156 milímetros cúbicos por metro quadrado, superando a média da capital.

De acordo com a superintendente da Defesa Civil da capital, as famílias desses locais recebem orientações constantemente. “As pessoas que moram sob ou embaixo de uma encosta estão em alto risco. Deve ser observado se a casa está estalando, se tem rachaduras e, quem mora na parte de baixo, deve observar se há deslocamento de solo. Isso são os primeiros sinais de um possível deslizamento”, explicou Elitânia Barros.

Alguns moradores de Salinas, na área do Sacavém, uma das mais afetadas no período chuvoso, não escondem os problemas. Eles reclamam, inclusive, da suspensão do aluguel social há cerca de três meses. “Já tem três meses que eu não recebo e eu ainda continuo de aluguel. E não trabalho e ainda tenho três filhos”, lamentou a desempregada Claudiane Serra.

Sobre o atraso do pagamento do aluguel social, a Secretaria da Criança e Assistência Social (Semcas) disse que em três semanas o pagamento será liberado. Informou também que as famílias estão inseridas nos programas de habitação e algumas delas já foram sorteadas.

1 comentário »