MP pede volta de atendimento em hospital de Caxias

0comentário

Os contratempos provocados à população pelo desvio de finalidade da Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA 24h) de Caxias em função da reforma do Hospital Geral Municipal “Gentil Filho” levaram o Ministério Público do Maranhão a ajuizar Ação Civil Pública contra o Município, solicitando a finalização da reforma e o restabelecimento das atividades da Ala de Serviços de Urgências e Emergências do hospital.

Na ACP, de 7 de junho, o promotor de justiça Williams Silva de Paiva sugere multa por descumprimento no valor de R$ 1 mil diários, a serem pagos diretamente pelo prefeito Fábio José Gentil Rosa. O objetivo é garantir o atendimento eficiente e evitar o colapso nos serviços de saúde na região.

Reforma

Em julho de 2016, o Município de Caxias fechou a ala de urgências e emergências do Hospital Geral Municipal “Gentil Filho” para reforma e deixou a Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA 24h) como unidade de substituição temporária.

Com a decisão, a UPA24h passou a acumular suas funções com as do Hospital Geral. Para executar as ações adicionais, a unidade recebeu o valor de R$ 2.044.323,84, do Ministério da Saúde. Além disso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) destinou R$ 2 milhões ao Hospital Geral como reforço financeiro.

“O funcionamento como Unidade de Urgências e Emergências pela UPA24h, que inicialmente fora planejado para ser provisório, perdura até a data atual, desviando a finalidade da Unidade de Pronto Atendimento de Caxias”, relata o promotor de justiça.

(mais…)

sem comentário »

Mais um crime?

1comentário

O vídeo em que o prefeito de Caxias, Fábio Gentil (PRB), anunciou seu apoio à reeleição do governador Flávio Dino gerou uma forte polêmica. Ao confirmar a aliança, o chefe do Executivo municipal caxiense declarou que, com a decisão do governador de “trabalhar muito mais do que tem trabalho pelo município”, ele terá “apoio político naquilo que for possível em relação às eleições de 2018”.

“Saímos daqui convictos mais além ainda de que o governador irá trabalhar muito mais do que tem trabalhado pelo município e consequentemente tem nosso apoio junto a sua estrutura do Governo do Estado do Maranhão e nosso apoio político naquilo que for possível em relação às eleições de 2018”, disse Gentil.

O questionamento que se faz, então, é: seria essa declaração uma confissão de que o apoio de Fábio Gentil ao governo foi uma troca por obras e ações do governo em Caxias?

Flávio Dino sempre foi aliado da família do ex-deputado Humberto Coutinho (PDT) em Caxias. Mas, após a morte deste, passou a cortejar o prefeito Fábio Gentil, que se elegeu na oposição aos Coutinho.

O vídeo do prefeito será analisado em conjunto com outras questões envolvendo o apoio a Flávio Dino, que podem caracterizar mais um crime eleitoral cometido pelo comunista, já investigado em várias frentes.

O Ministério Público Eleitoral já está de posse de documentos que comprovam o suposto aliciamento do prefeito. E pode dar mais dor de cabeça ao governador.

Recorrentes

A troca de ações do governo por apoio eleitoral nos municípios tem sido a tônica do governo Flávio Dino neste período da pré-campanha.
O aliciamento está sendo analisado pelos órgãos de fiscalização da Justiça Eleitoral e devem virar ações em breve.

Independentemente do resultado das eleições de outubro, Dino pode deixar o pleito com o maior número de denúncias de crime eleitoral já registrado no Maranhão.

Estado Maior

1 comentário »

Ainda sobre Fábio Gentil e Flávio Dino

0comentário

O ex-deputado Paulo Marinho, pai do vice prefeito de Caxias, Paulo Marinho Júnior criticou, nas redes sociais, o anúncio pelo prefeito Fábio Gentil ao governador Flávio Dino que busca a reeleição.

“As fotos dos eventos da vinda de Flávio Dino a Caxias dizem tudo: ele tem os Coutinho para cuidar da eleição dele. Nada mais justo. Eles possuem o mesmo DNA político”, afirmou.

Marinho diz que continuará na oposição aos Coutinhos e que trabalhará na eleição do filho a deputado federal.

“A mim, que sou oposição a forma Coutinho de cuidar de Caxias, que atrasou nossa cidade por décadas, cuidando apenas dos interesses econômicos deles, cabe trabalhar para que a cidade volte a ter representação no parlamento estadual e federal. Vou trabalhar muito, como fiz na campanha do Fábio, pela eleição do Paulinho a câmara federal e do Zé a assembleia”, disse.

Leia também:

Igor Lago critica a “realpolitik” de Flávio Dino

Palanque dos Leões

Foto: Reprodução/ Facebook

sem comentário »

Igor Lago critica a “realpolitik” de Flávio Dino

0comentário

O médico Igor Lago, filho do ex-governador Jackson Lago e um dos mais ferrenhos críticos do governador do Maranhão, criticou, nas redes sociais o anúncio do apoio do prefeito de Caxias, Fábio Gentil ao projeto de reeleição de Flávio Dino

“É a “realpolitik” sem caráter que não mede os meios para chegar aos fins”, classificou.

Igor lago questiona o fato de Humberto Coutinho ter feito de tudo para eleger Flávio Dino e agora torna-se aliado de um adversário político do ex-aliado.

“Flávio fez de tudo para derrotar esse prefeito na última eleição. Adversário do Humberto Coutinho, o primeiro prefeito a garantir apoio à eleição do então juiz federal e pré-candidato a deputado federal em 2006, o acordo parece ter se iniciado ainda durante o velório do ex-deputado estadual”, disse.

Leia também:

Palanque dos Leões

Foto: Reprodução/ Facebook

sem comentário »

Palanque dos Leões

1comentário

Faltando pouco mais de três meses para as eleições deste ano, o governador Flávio Dino (PCdoB) intensifica sua agenda de pré-campanha. E, na busca desenfreada por votos, comete abusos.

Um deles, é o desvirtuamento do uso da estrutura do Palácio dos Leões.

Nesta semana, o comunista recebeu no local uma comitiva composta pelo prefeito de Caxias, Fábio Gentil (PRB), mais 15 vereadores.

O tema da reunião não foram ações e benefícios para a cidade. Segundo a própria mídia governista, o gestor e sua base aliada foram recepcionados em agenda não administrativa para tratar de apoio político. Ainda de acordo com os aliados do governador, Gentil declarou voto em Dino.

Foi com esse mesmo objetivo – articular apoio político-eleitoral – que o chefe do Executivo abriu os salões do Palácio, em abril, para anunciar aos partidos aliados a composição da sua chapa majoritária.

São eventos que, repise-se, nada têm a ver com a rotina administrativa do Estado.

E que têm transformado a sede oficial do governo em um notório “Palanque dos Leões”.

Foto: Divulgação/ Secap

Estado Maior

1 comentário »

Perseguição clara contra Fábio Gentil

0comentário

Prefeito Fábio Gentil e o secretário Carlos Lula

Foi quase virulenta a reação dos comunistas após a cabal revelação de O Estado de que o governo Flávio Dino (PCdoB) cortou, em 2017, 98% dos recursos a serem destinados ao Fundo Municipal de Saúde de Caxias.

No total, o aporte de recursos para o fundo – na comparação entre o primeiro semestre do ano passado e deste ano – caiu de mais R$ 23 milhões, para míseros R$ 446 mil.

Baseada em dados do próprio Portal da Transparência, a reportagem jogou por terra todos os desmentidos do Palácio dos Leões sobre a polêmica e expôs as entranhas de uma ação que tem como único objetivo perseguir.

Os comunistas perseguem o prefeito Fábio Gentil (PRB) porque ele ousou derrotar na eleição do ano passado o queridinho do Palácio dos Leões, o ex-prefeito Léo Coutinho (PSB). E é por isso que, agora, punem a população de Caxias, fechando a torneira dos repasses para a Saúde do município.

Alegam não ter mais dinheiro para mandar aos Municípios. Mas propõem assumir uma maternidade existente na cidade.

Ora, se há verba para o Estado manter a unidade de forma direta, por que a mesma verba não pode simplesmente ser enviada para que a Prefeitura continue à frente da maternidade – como ocorria na gestão Coutinho?

A resposta é uma só: porque o governo quer fazer política com a Saúde. E como encontrou um gestor que não aceita tal medida, agora o persegue.

Coluna Estado Maior/ O Estado

sem comentário »

Gentil comprova cortes do Governo em Caxias

0comentário

Prefeito Fábio Gentil e o secretário Carlos Lula

O prefeito da cidade de Caxias, Fábio Gentil (PRB), apresentou documentos a O Estado que comprovam o corte de repasses do Governo do Estado à saúde de Caxias no exercício financeiro 2017. Os documentos, publicados no Diário Oficial do Estado do Maranhão, vão de encontro ao que sustentou à imprensa o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula. Lula havia negado o corte do aporte financeiro.

São quatro as portarias publicadas no Diário Oficial no ano de 2016 – durante a gestão do ex-prefeito Léo Coutinho (PDT), aliado do governador Flávio Dino (PCdoB) e que perdeu e eleição no ano passado –, e que atestam a manutenção de repasses, até dezembro daquele ano, de cerca de R$ 20 milhões mensais à cidade de Caxias.

A Portaria número nº 1083, de 14 de dezembro de 2016, assinada por Carlos Lula, estabelecia a transferência de recursos financeiros ao Fundo Municipal de Caxias, destinado ao custeio de assistência à saúde para a Maternidade Carmosina Coutinho Na justificativa, a portaria detalhava: “considerando a necessidade de custeio e manutenção da contratação de profissionais assistenciais de nível médio e superior para a maternidade”. O aporte era de R$ 2 milhões mensais.

Outras duas portarias estabeleciam o repasse mensal de R$ 8.150.794,96 milhões, cada, para Caxias. A primeira é de número191 de 22 de julho de 2015, e que foi publicada no Diário Oficial do dia 28 daquele mês. O dinheiro era aplicado na Maternidade Carmosina Coutinho.

A segunda portaria, número 27, de 15 de fevereiro de 2016, publicada no Diário Oficial do dia 17 daquele mês, também destinava recursos para a maternidade.

Outra portaria publicada pelo Governo do Maranhão e que assegurava até dezembro de 2016, último mês da gestão Léo Coutinho, recursos para a saúde de Caxias, é a de número 190 de 2015, publicada no DOE no dia 29 de julho de 2015. Assegurava aporte financeiro de R$ 1.840.264,24 milhão.

Abandono – De acordo com o prefeito Fábio Gentil, contudo, logo após ele ter assumido o mandato em Caxias, as transferências referentes às quatro portarias, foram cortadas.

“O secretário de Estado da Saúde foi para a imprensa afirmar que eu estava mentindo em relação aos cortes. Estou mostrando esses documentos agora para que todos vejam quem está mentido. Os recursos foram pagos até dezembro de 2016. Esse ano Caxias não recebeu um centavo sequer referente a estas portarias”, disse.

Gentil também afirmou que o governador Flávio Dino abandonou Caixas, cidade que segundo ele, foi onde o comunista iniciou a sua trajetória política, quando se elegeu deputado federal.

“Se observarmos as portarias publicadas em 2015 e 2016, quando o prefeito era aliado do governador, ele reconhece a necessidade de custeio para manutenção e pagamento de profissionais na maternidade. A pergunta que fica é: essa necessidade acabou em 2017? Depois que eu assumi a necessidade acabou? Só existia a necessidade até o ano passado? O governador tem de entender que ele é governador de todo o estado e não somente de municípios onde há prefeito aliado”, pontuou.

Há cerca de 15 dias o Governo assinou convênio com a cidade de Matões no valor de R$ 500 mil mensais. E porque não firma a mesma parceria institucional com Caxias? Flávio Dino abandonou Caxias.

Outro lado – Na última segunda-feira, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, rechaçou o corte de aporte financeiro para o município de Caxias. Na ocasião, ele afirmou que somente neste ano o Executivo Estadual já havia encaminhado o equivalente a R$ 30 milhões para a saúde. Ontem, O Estado solicitou esclarecimentos a respeito da documentação apresentada pelo prefeito, mas até o fechamento desta edição, não houve resposta.

O prefeito Fábio Gentil (PRB) também contestou a versão dada pelo secretário de Saúde, Carlos Lula, de que este ano já houve repasses para Caxias. Os recursos, segundo o prefeito, foram destinados para o custeio do Hospital Regional de Caxias, unidade da rede estadual, e não municipal. “Os repasses para aquela unidade, que é estadual, não foram facultativos, mas sim uma obrigação. O que não há até o momento é a mesma ajuda que era dada à gestão passada, cujo prefeito era aliado do governador”, enfatizou.

O Estado

sem comentário »

Prefeito e vice são diplomados em Caxias

0comentário
Prefeito eleito Fábio gentil e o vice-prefeito Paulo Marinho Jr. São diplomados em Caxias

Prefeito eleito Fábio Gentil e o vice-prefeito Paulo Marinho Jr. São diplomados em Caxias

O prefeito eleito em Caxias Fábio Gentil e o vice Paulo Marinho Júnior foram diplomados ontem (16), pela Justiça Eleitoral em solenidade presidida pela juíza Marcela Santana Lobo. Também foram diplomados os vereadores eleitos.

Em seu discurso, Fábio Gentil disse que assume com a obrigação de ser o melhor prefeito que Caxias já teve.

“Senhoras e senhores, eu não tenho a obrigação de ser um bom prefeito, mas, eu tenho obrigação de ser o melhor prefeito de Caxias. Cheguei aqui sem estrutura financeira, sem apoio dos grandes políticos, mas, com apoio do povo e a humildade que me acompanha. Daremos muita atenção a saúde e a educação que deve prioridade a todo gestor, mas, também dedicarei todos os esforços para melhoria do trânsito e da infraestrutura da cidade buscando chegar onde não chegamos com dedicação de vida aos bairros mais carentes. Em toda a ação da prefeitura teremos um olhar muito especial e cuidadoso para nossas crianças que de coração abraçaram nossa campanha”, disse.

O prefeito Fábil Gentil disse ainda que governará sem cores partidárias a partir de 1º de janeiro.

“As eleições se enceraram, vamos governar para toda a população independente da cor partidária (…) Agradeço em especial ao meu vice Paulinho Júnior, companheiro valoroso dedicado e um grande amigo que ganhei. Dedico uma homenagem especial aos onze partidos que fizeram parte dessa vitória, obrigados a todos pela confiança, estivemos unidos na campanha construindo a vitória e estaremos juntos na gestão. Fica meu agradecimento especial a nossa militância, aos quase 70 candidatos a vereadores que formaram um verdadeiro exército e enfrentaram todos os tipos de dificuldades”, finalizou.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Transição inicia trabalhos em Caxias

1comentário
Prefeito Fábio gentil e o vice Paulo Marinho Jr. participam da transição em Caxias

Prefeito eleito Fábio gentil e o vice Paulo Marinho Jr. participam da transição em Caxias

A primeira reunião para tratar sobre a transição em Caxias da gestão Léo Coutinho para a nova de Fábio Gentil aconteceu na última segunda-feira

Iniciada em Caxias, a transição entre as equipes do governo Léo Coutinho e do novo prefeito Fábio Gentil. A primeira reunião foi realizada nesta segunda-feira (17).

O atual prefeito Léo Coutinho não participou da reunião que contou com o prefeito eleito Fábio Gentil e o vice Paulo Marinho Júnior, mas foi representado pelo procurador do município Vinicius Machado Filho.

Fábio Gentil participou da reunião acompanhado da equipe que participará do trabalho de transição nos próximos dias em busca de informações sobre o atual governo municipal.

Nesta equipe estão Renato Meneses, os advogados Adenilson Dias e Catulé Júnior e pelo vice-prefeito eleito Paulo Marinho Júnior que é o coordenador da transição.

Foto: Divulgação

Leia mais

1 comentário »

Léo Coutinho lidera em Caxias

0comentário

Pesquisa Caxias

O Instituto Escutec divulgou pesquisa sobre a disputa eleitoral em Caxias. O levantamento, contratado pela Rádio Caxias, mostra que o prefeito Léo Coutinho (PSB), que disputa a reeleição, está à frente no levantamento espontâneo e também em dois cenários estimulados.

A pesquisa Escutec ouviu 1500 pessoas em Caxias de 18 a 22 de julho deste ano e foi registrada na Justiça Eleitoral com o número MA-00826/2016. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Na pesquisa espontânea, Léo Coutinho aparece com 23,9%. Em segundo vem Fábio Gentil (PRB) com 18,2%, em seguida, Paulo Marinho Júnior com 5,6%. Outros nomes como do ex-prefeito e agora presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT), com 0,3%, candidato do PT com 0,1% mesmo percentual de Antônio Barros. Não sabe ou não respondeu somaram 40,2%. E nenhum candidato, 11,7%.

No primeiro cenário estimulado, Léo Coutinho obteve 36,3% sendo seguido por Fábio Gentil com 26,3% e Paulo marinho Júnior que aparece com 10%. Nenhum dos candidato foi a opção de 10,5% dos entrevistados e não sabe ou não respondeu somaram 16,8%.

No segundo cenário estimulado com apenas dois candidatos, se a eleições fosse hoje, Léo Coutinho venceria a disputa com 38,3% das intenções de votos. O seu adversário, Fábio Gentil, apresentou nesse cenário 32,9% da opinião dos entrevistados. Nenhum dos candidatos obteve 12,9% e não sabe ou não respondeu, 16%.

Foi medida ainda pelo Escutec a rejeição dos candidatos. Paulo Marinho Júnior aparece em primeiro com 28,8%, seguido por Léo Coutinho com 26,5% e Fábio Gentil com 12,3%. Nenhum dos candidatos foi a opção para 13,8% dos entrevistados e não sabe ou não respondeu somaram 18,7%.

O Estado

sem comentário »