Outubro Rosa: prevenção

0comentário

Por Edivaldo Holanda Junior

Gerir uma cidade não significa fazer apenas obras de infraestrutura. É preciso ter um olhar cuidadoso para cada cidadão, afinal, a cidade é feita pelas pessoas que nela vivem e a qualidade de vida e saúde das pessoas influencia diretamente na forma como a cidade se desenvolve. Outubro será mais um mês em que teremos que apurar ainda mais nosso olhar para um público específico de São Luís: as mulheres.

A partir da próxima terça-feira (1º/10) entramos em mais um ano da campanha Outubro Rosa. O movimento ocorre durante todo o mês e tem como objetivo ressaltar a necessidade da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Em minha gestão o cuidado com a saúde integral da mulher é uma das nossas prioridades. 

Em São Luís, a incidência da doença – câncer de mama – vem acompanhando as estatísticas levantadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo estudos e estimativas confirmadas pelo Instituto Nacional do Câncer, em São Paulo, a maioria dos casos ocorre na faixa etária de mulheres inferior a 40 anos. Por isso, dentre nossas políticas de saúde voltadas especificamente para o atendimento da mulher, fizemos a reestruturação total do Hospital da Mulher.

Até 2013, o Hospital da Mulher só oferecia serviços básicos ambulatoriais. Depois que assumi a Prefeitura de São Luís, reformamos e ampliamos esse hospital e implantamos diversos outros atendimentos na unidade de saúde. Hoje, o Hospital da Mulher de São Luís disponibiliza também atendimentos de média e alta complexidade, com a implantação, inclusive, do setor de neurocirurgia. São ofertados ainda outros serviços, como o de diagnóstico e imagem, tomografia computadorizada, eletroneuromiografia, ultrassom, entre outros exames.

As melhorias que implantamos levaram a unidade a receber certificação internacional da Patient Safety Movement Foundation por conta do registro de zero mortes evitáveis entre 2017 e 2018. Em 2016, o Ministério da Saúde já havia tornado o nosso Hospital da Mulher referência de assistência em alta complexidade na especialidade médica de neurocirurgia.

Todas estas melhorias impactam diretamente na qualidade do atendimento prestado às mulheres que buscam a nossa rede de saúde. As pacientes das outras unidades de saúde da rede municipal, em caso de suspeita de câncer de mama, são encaminhadas diretamente para o Hospital da Mulher, onde recebem atendimento imediato. No caso do câncer de mama sabe-se que 95% dos casos diagnosticados no início têm possibilidade de cura.

Por isso, ao longo da minha gestão todos os anos realizamos ampla programação de atividades alusivas ao Outubro Rosa, para levar às mulheres orientações e ações preventivas contra o câncer de mama, informações sobre o autoexame, palestras educativas, consultas médicas, coleta de preventivos, atividades de valorização à mulher entre outras. E este ano não será diferente.

Minha gestão entende ainda que a saúde da mulher não está ligada apenas às questões médicas, mas também a aspectos socioculturais. Hoje temos uma forte articulação com os diversos órgãos públicos para garantir o respeito aos direitos das mulheres. O Centro de Referência no Atendimento à Mulher em Situação de Violência, que é a porta de entrada nos serviços que compõem a Rede de Atenção à Mulher em São Luís, foi totalmente reestruturado e implantamos ainda uma ação pioneira: o Setor de Atividades Especiais – Espaço Mulher instalado no Hospital Municipal Dr. Clementino Moura, o Socorrão II. Espaço dedicado a identificar, encaminhar para o atendimento médico que for necessário e, ainda, acolher mulheres vítimas de violência.

E assim vou seguir até o fim de minha gestão, cercando as mulheres de todos os cuidados necessários para que elas tenham acesso aos serviços de saúde, melhore sua qualidade de vida, esteja incluída socialmente e conquiste sua autonomia como indivíduo e cidadã.

*Edivaldo holanda Jr. é prefeito de São Luís

sem comentário »

Dia D de vacinação

0comentário

Por Edivaldo Holanda Junior

A manutenção da saúde pública é, sem dúvida, um dos principais desafios dos gestores de todo o país. Na contramão dos investimentos federais, que só reduzem repasses aos estados e municípios – motivado em grande parte pela crise que o Brasil enfrenta nos últimos anos -, as demandas nas unidades de saúde e hospitais não param de crescer. Para amenizar os problemas no atendimento que há décadas vêm sendo enfrentados na área, é imprescindível que cada cidade esteja empenhada em garantir a atenção básica ao cidadão, e nesse contexto a vacinação é uma estratégia importante para a prevenção da ocorrência de doenças. 

Ontem, em São Luís, um grande número de profissionais da nossa rede municipal de saúde passou o dia mobilizado para conseguir o maior número de adesão do público-alvo da campanha de vacinação contra gripe. Já havíamos realizado no dia 13 do mês passado o Dia D Municipal de Vacinação Contra a Gripe, e ontem, Dia D Nacional, estivemos novamente, em horário excepcional, em todas as unidades de saúde da cidade com salas de imunização, além de postos de vacinação em shoppings, facilitando o acesso da população. 

O público-alvo da campanha são pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a menores de seis anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, populações indígenas, portadores de doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Para conseguir atingir a meta vacinal, a Prefeitura de São Luís tem adotado diversas estratégias, incluindo ampla divulgação para estimular o público-alvo, vacinação de alunos dentro da faixa-etária prevista na campanha em escolas públicas da rede municipal de ensino e implantação de unidades volantes em quatro dos principais shoppings da capital maranhense. A meta estabelecida para São Luís é de imunizar 254.958 pessoas até 31 de maio, quando encerra a campanha nacional. É importante que todos para quem a campanha é direcionada procurem o posto mais próximo de casa com a carteirinha de vacinação e um documento de identificação.

Mais do que somente a prevenção individual, o cidadão ao se vacinar está contribuindo para a diminuição de casos de doenças em São Luís, sendo a influenza ou as demais patologias com imunizações disponíveis em nossos postos de saúde. A gripe, por exemplo, é responsável atualmente por um número significativo das internações nos hospitais, o que acaba contribuindo para aumentar a demanda por atendimento nas unidades básicas de saúde, acarretando uma série de problemas, como a demora no atendimento e a sobrecarga dos profissionais da área. Além disso, também provoca o aumento nos gastos com medicamentos, em tempos em que os recursos financeiros são bem restritos. O ditado “é melhor prevenir do que remediar” é bastante assertivo no contexto de dificuldades em que o país se encontra atualmente.

O trabalho preventivo, de um modo geral, é, portanto, fator fundamental para transformar o sistema público de saúde. É necessário que cada gestor tenha o compromisso de oferecer essa rotina de serviços ao cidadão em suas cidades, até para também não sobrecarregar os grandes centros populacionais e os hospitais de alta e média complexidade com pacientes já com doenças em estágios evoluídos ou até irreversíveis. Aqui, em São Luís, temos um trabalho contínuo de atenção básica, de acompanhamento e orientação para os cuidados com a saúde. Tudo para levar mais bem-estar e qualidade de vida para a população.

*Edivaldo Holanda Júnior é prefeito de São Luís

sem comentário »