Roseana vai usar tecnologia para formar mão de obra

3comentários

A candidata ao governo do Maranhão, Roseana Sarney (MDB), afirmou em entrevista ao JMTV 1ª edição nesta quinta-feira (13) que, se eleita, pretende usar tecnologia nas escolas para a formação de mão de obra e ajudar na entrada dos jovens no mercado de trabalho. (Clique aqui e veja a entrevista na íntegra).

A ideia é aplicar na grade curricular do ensino médio cursos profissionalizantes na área digital. O programa seria aplicado em todas as escolas estaduais de ensino e os cursos serão voltados para as áreas de criação de jogos, aplicativos e web design.

“Precisamos colocar na nossa grade curricular do ensino médio, o ensino profissionalizante para dar a oportunidade a esses jovens e que eles possam ingressar no mercado de trabalho. Então para isso nós estamos pensando e vamos fazer, colocar na grade do ensino médio cursos da área digital. Como cursos de preparação desses alunos para eles poderem fazer jogos, fazerem web design, fazer aplicativos e esses melhores alunos desses cursos poderão nos ajudar na rede fundamental”, explicou.

Roseana Sarney afirmou também que deve investir na geração de empregos com o retorno de grandes empresas para o estado.

“A Suzano está ai e está avançando. Você sabe que a Suzano já trouxe mais de cinco fábricas internas e criou mais emprego na região? O que não foi adiante foi a refinaria, que aliás vamos voltar a brigar pela refinaria. Eu acredito nesse projeto. Mesmo com as condições da Petrobrás ou algum grupo privado. Quando foi feito o estudo da refinaria o Maranhão era o estado melhor localizado e que tinha melhores condições para ter a refinaria aqui”, afirmou.

Questionada sobre o baixo índice do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no estado durante sua gestão como governadora, Roseana falou que não se sente responsável e que os índices cresceram ao longo dos anos.

“Nós, quando assumimos o governo pela primeira em 1995, pelo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) o nosso estado era considerado de baixo desenvolvimento. Em 2010, quando nós também estávamos no governo, o IDH do Maranhão passou a ser médio desenvolvimento. Então nós sempre melhoramos. Eu não considero que o Maranhão tenha piorado durante as minhas gestões, acho que o Maranhão melhorou”, disse.

A candidata também falou que, nos últimos anos, algo em torno de 300 mil maranhenses retornaram para a linha de pobreza.

“O que eu tenho a dizer é que os últimos quatro anos do meu governo, nós conseguimos tirar da pobreza absoluta em torno de 500 mil pessoas. E eu acho que você deve estar muito bem informado que, durante esses últimos três anos, voltaram para a área de pobreza mais de 300 mil pessoas. Então o que está acontecendo: o Maranhão em vez de estar avançando, ele está retrocedendo”, declarou.

Leia no G1

3 comentários »

Santa Rita incluída no Internet para Todos

0comentário

O prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, conseguiu junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) a adesão do município ao programa “Internet para Todos”. Após a validação do MCTIC, a prefeitura recebeu o termo de adesão e cadastrou os povoados no programa.

A banda larga do programa Internet para Todos vem do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), fruto de um investimento de R$ 3 milhões do governo federal e que foi lançado ao espaço em maio do ano passado. Depois de seu lançamento, o MCTIC assinou um conjunto de convênios para usar a capacidade do satélite.

O intuito do programa é a inclusão digital de populações que, seja por dificuldade de acesso, dificuldade econômica ou não dispor de serviços de internet em sua localidade de residência, não conseguem contratar serviços de internet de Banda Larga.

Para participar do programa, os municípios deveriam habilitar e assinar um convênio com o governo federal. A partir disso, antenas serão instaladas gratuitamente nas regiões sem conectividade, de modo a distribuir banda larga em um raio de até 2 quilômetros.

Na cidade de Santa Rita foram contempladas as seguintes localidades: Alto das Pedras, Careminha, Cariongo, Carionguinho, Centrinho, Companhia, Enfesado, Fogoso, Jiquiri, João Mendes, Jussara, Marengo, Mata dos Pires, Morada Nova, Munim, Nova Vida, Novo Horizonte, Novo Tempo, Outeiro dos Pires, Papagaio, Porto Alegre, Recurso, Santa Barbara, Santa Luzia, Santa Rita do Vale, Santana, Santiago, São Manoel, São Raimundo da Felicidade, Sítio do Meio e Vila Fé em Deus.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Educação e tecnologia

0comentário

educacao

Cerca de 900 alunos de escolas da rede estadual localizadas em comunidades e povoados em regiões de difícil acesso de 19 municípios maranhenses estão recebendo aulas do ensino médio regular mediado pela tecnologia. Trata-se do Programa de Mediação Tecnológica (M Tec), desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em parceria com a Secretaria de Estado Ciência e Tecnologia e Ensino Superior (Sectec).

O M Tec contempla uma das prioridades do governo do Estado para a educação, que é a universalização do ensino médio em todo o Maranhão, com o foco na qualidade no processo ensino-aprendizagem.

Iniciado em setembro, o programa funciona em escolas situadas em povoados de difícil acesso e que tenham carências de professores com formações específicas para ministrar as disciplinas do currículo do ensino médio regular. “Todos os professores que atuam no programa são especialistas e aptos para lecionar as determinadas disciplinas”, destacou a supervisora de Tecnologia Educacional da Seduc, Akemi Wada.

Ministradas em tempo real e via satélite, a partir da plataforma tecnológica da Universidade Virtual do Maranhão (Univima), as aulas acontecem em 30 salas, com horário único (vespertino) e com seis aulas diárias, com o mesmo rigor do ensino médio regular.

Além disso, as salas possuem dois professores locais que suscitam e orientam a discussão durante as aulas. “Acontecem em tempo real, com 50 minutos, sendo 30 de aula e outros 20 minutos de interatividade para dirimir as dúvidas dos alunos”, completou Akemi Wada.

Para a professora de Língua Portuguesa, Literatura e Redação, Wanessa Soares, além da oferta de um ensino de qualidade ministrado por professores especialistas, a ação possibilita maior interatividade com os alunos com a utilização da tecnologia. “É uma experiência maravilhosa e inovadora no ensino médio. Os alunos têm uma oportunidade única de interatividade diária com excelentes professores, diminuindo as distâncias e possibilitando ensino de qualidade”, afirmou.

A primeira etapa do programa já está acontecendo em 21 unidades escolares localizadas nos municípios de São Raimundo das Mangabeiras, Tuntun, Itaipava do Grajaú, Caxias, Buriti, Tutóia, Chapadinha, Brejo, Itapecuru-Mirim, Dom Pedro, Icatu, Rosário, Alto Alegre do Pindaré, Santa Inês, Pastos Bons, Palmeirândia, Olinda Nova, São Vicente Férrer e Centro Novo. Ao todo, 11 regiões do Maranhão estão sendo beneficiadas com o M-Tec. A meta da secretaria é expandir de 30 para 300 salas de aula no próximo ano letivo.

Ilha Canárias

Localizada no município de Araioses, a Ilha Canárias foi uma das beneficiadas pelo Programa de Mediação Tecnológica. “Dada à distância e a logística complicada para chegar à ilha, o programa trará um grande avanço para a formação da população de Canárias e qualidade no ensino para os alunos”, ressaltou o gestor da Unidade Regional de Educação (URE) de Chapadinha, Jânio Rocha.

O gestor relatou que ao explicar a finalidade e metodologia do programa aos alunos na comunidade, eles demonstraram grande expectativa. “Logo no primeiro dia percebeu-se grande expectativa por parte dos alunos quanto ao sistema e a metodologia utilizados. Eles estavam curiosos e confirmaram o interesse em participar ativamente das aulas”, contou.

sem comentário »