Gastão reage corte de verbas das universidade

0comentário

Nas suas redes sociais, o deputado federal Gastão Vieira (PROS) comentou a decisão do Ministro da Educação, Abraham Weintraub, de cortar recursos das universidades federais brasileiras. 

“O anúncio que o Ministério da Educação iria cortar 30% dos recursos destinados às universidades federais que, segundo o próprio ministro, “estivessem promovendo balbúrdia em vez de melhorar o desempenho acadêmico”, gerou uma série de críticas. Especialistas afirmam que a medida fere princípios constitucionais como autonomia das universidades para, inclusive divulgar a arte, o pensamento e o lazer”, disse o parlamentar.

Para o deputado, a redução de investimentos poderá comprometer o ensino superior do Brasil. “Depois de “morder a língua” o ministro voltou atrás e estendeu os cortes para todas as universidades e institutos federais com a justificativa de que o bloqueio é técnico e isonômico e que a medida pode ser repensada caso a reforma da Previdência seja aprovada. Enfim, não podemos imaginar a situação das nossas universidades com mais essa redução de verbas. Entre 2014 e 2018 houve uma redução no repasse de 15%, isso dá quase seis bilhões a menos em investimentos no Ensino Superior no país”, acrescentou.

Na oportunidade, Gastão reforçou o seu compromisso de lutar para que as universidades não percam nenhum recurso. “De minha parte, assumo o compromisso de lutar para que não tirem mais nenhum centavo das nossas universidades, em especial da UFMA que já sobrevive com dificuldade. Estamos de olho”, ressaltou o parlamentar.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Veja a situação com a greve de caminhoneiros no MA

0comentário

São Luís amanheceu nesta segunda-feira 28) com 70% da frota de ônibus circulando por conta do protesto de caminhoneiros que entrou no 8º dia por conta da alta do óleo diesel.

As aulas foram suspensas em pelo menos cinco universidades. A UFMA suspendeu as aulas nos campus em São Luís e interior do Maranhão. Ceuma, UNDB, Pitágoras, Estácio e Uema, também suspenderam as aulas.

Os postos de combustíveis em São Luís e no interior começam a ser abastecidos no fim de semana e os motoristas já conseguem abastecer os veículos com mais tranquilidade.

Os serviços essenciais estão funcionando normalmente segundo a Prefeitura de São Luís e Governo do Maranhão.

Na Ceasa, estoque de frutas e verduras está acabando. Alguns supermercados começaram a racionar a venda de alimentos.

A Polícia Rodoviária Federal (PFR) registra bloqueios em 16 trechos de rodovias no Maranhão.

Confira os trechos:

São Luís – kms 2, 5, 6 e 16,2 da BR-135
Bacabeira – km 46 da BR-135
Caxias – kms 544, 535 e 550 da BR-316
Timon – km 610 da BR-316
Imperatriz – km 246 da BR-010
Cidelândia – km 299,5 da BR-010
Governador Edson Lobão – km 225 da BR-010
Açailândia – km 663 da BR-222
Estreito – km 131 da BR-010
Grajaú – km 413 da BR-226
Balsas – kms 396 e 406 da BR-230
São Domingos do Azeitão – km 216 da BR-230

Foto: Reprodução/ TV Mirante

sem comentário »

Mais universidades

0comentário

lobaofilhoTramita no Congresso Nacional três projetos de lei (PLS) de autoria do senador Lobão Filho para a criação de três universidades no estado do Maranhão, com sede nos municípios de Açailândia, Balsas e Santa Inês.

Os projetos 343, 359 e 370 de 2009 propõem a construção da Universidade Federal do Oeste Maranhense, com sede em Açailândia; da Universidade Federal do Sul Maranhense, com sede em Balsas; e da Universidade do Centro-Norte Maranhense, com sede em Santa Inês. As propostas baseiam-se na Constituição Federal que elenca, em seus objetivos fundamentais, a erradicação da pobreza e marginalização e a redução das desigualdades sociais e regionais entre os brasileiros.

Acreditando que a universalização do ensino de qualidade possibilitará a realização das referidas metas, o senador Lobão Filho entende que elas devem ser pensadas a partir das peculiaridades de cada região. “No caso específico do Maranhão, a existência de poucas universidades federais, sobretudo no interior do estado, é motivo suficiente para convidar políticos e cidadãos à ação coletiva em favor dos demais municípios maranhenses, que anseiam pela descentralização das oportunidades na educação pública superior de qualidade”, defende Lobão Filho.

O Maranhão conta com 8 campi da Ufma e 21 da Uema para atender aos 217 municípios do estado. Se aprovadas, as propostas do senador Lobão Filho beneficiarão 61 municípios integrantes das duas grandes mesorregiões: Oeste e Sul Maranhense, além de favorecer a mesorregião Central do estado, com a instalação da universidade em Santa Inês.

sem comentário »