Mulheres aumentam na AL e Senado, mas na Câmara

0comentário

As eleições de 2018 proporcionaram situações diferentes com relação a Assembleia Legislativa, Câmara Federal e Senado.

O maior prejuízo foi na Câmara Federal. Se no Brasil, de uma maneira geral aumentou o número de mulheres, no Maranhão foi exatamente o contrário. O Maranhão possui atualmente duas mulheres como deputadas – Eliziane Gama e Luana Alves, mas não conseguiu eleger nenhuma nestas eleições, ou seja, a partir de 2019, o Maranhão não terá uma representante feminina na Câmara Federal.

Já na Assembleia Legislativa, o efeito foi exatamente o contrário, pois aumentou a bancada feminina no parlamento estadual maranhense. A atual bancada possui seis deputadas e apesar de apenas a deputada Ana do Gás ter sido reeleita, serão oito mulheres a partir de 2019.

Além da deputada reeleita, chegam ao parlamento: Andreia Rezende, Daniela Tema, Cleide Coutinho, Helena Duailibe, Thaiza Ortegal, Mical Dasmasceno e Detinha.

Entretanto, a maior vitória feminina foi no Senado Federal. A eleição de Elziane Gama devolve ao Senado do Maranhão a presença das mulheres, anteriormente só contabilizada através de Roseana Sarney.

Blog do Jorge Aragão

sem comentário »

Weverton e Eliziane eleitos para o Senado

0comentário

 

Os deputados Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) foram eleitos Senador pelo Maranhão para os próximos 8 anos.

Weverton Rocha foi o mais votado com  1.997.443 votos (34,91%). Eliziane Gama ficou com a segunda vaga e recebeu 1.539.916 votos (27,07%).

Veja como foi a votação:

Weverton Rocha (PDT) – 34,91% – 1.997.443 votos
Eliziane Gama (PPS) – 27,07% – 1.539.916
Sarney Filho (PV) – 12,92% – 752.893 votos
Edison Lobão (MDB) – 9,44% – 553.276 votos
Samoel de Itapecuru (PSL) – 4,72% – 254.979 votos
Zé Reinaldo (PSDB) – 3,86% – 219.225 votos
Alexandre Almeida (PSDB) – 3,55% – 191.997 votos
Saulo Pinto (PSOL) – 1,52% – 87.100 votos
Preta Lu (PSTU) – 0,89% – votos
Saulo Arcangeli (PSTU) – 0,69% – 36.436 votos
Iêgo Brunno (PCB) – 0,42% – 23.327 votos
Brancos: (7,84%) – 565.180 votos
Nulos: (13,04%) – 939.985 votos
Abstenção: (20,54%) – 931.611 votos

Fotos: Biaman Prado

sem comentário »

Senado: Weverton, 35%; Eliziane, 34%

1comentário

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (4) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado no Maranhão:

Weverton Rocha (PDT): 35%
Eliziane Gama (PPS): 34%
Sarney Filho (PV): 25%
Edison Lobão (MDB): 23%
Zé Reinaldo (PSDB): 10%
Alexandre Almeida (PSDB): 5%
Saulo Pinto (PSOL): 4%
Samuel de Itapecuru (PSL): 3%
Preta Lú (PSTU): 2%
Saulo Arcangeli (PSTU): 2%
Iêgo Bruno (PCB): 1%
Branco/Nulo – Vaga 1: 12%
Branco/Nulo – Vaga 2: 20%
Não sabem: 24%

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
Quem foi ouvido: 1.008 eleitores
Quando a pesquisa foi feita: 2 a 4 de outubro
Registro no TRE: MA-07570/2018
Registro no TSE: BR-03151/2018
Contratante da pesquisa: TV Mirante
O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro
0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado

Leia no G1

1 comentário »

Caso de polícia

6comentários

A acirrada disputa pelo Senado Federal ganhou contornos dramáticos nesta reta final. Com jovens políticos na disputa – entre os quais nomes enrolados com problemas de ordem moral, judicial e eleitoral -, a corrida virou uma espécie de guerra e vale-tudo. E até a polícia entrou no processo.

Primeiro foi o deputado estadual Alexandre Almeida (PSDB). De uma hora para outra, o candidato a senador resolveu partir para cima dos seus adversários, com duras acusações em seus programas eleitorais. O problema é que as “denúncias” de Almeida não surtiram o efeito esperado por ele e, assim, o parlamentar partiu para uma segunda etapa, denunciando à Polícia Federal suposta ameaça.

Em seguida, vieram as denúncias contra o marido da candidato ao Senado Eliziane Gama (PPS), suspeito de estelionato em dossiê divulgado por O Estado e – mais grave ainda – acusado em processo judicial e inquérito policial por débito de Pensão Alimentícia e ameaça de agressão à ex-esposa.

Autoproclamada “defensora das causas das mulheres e das minorias”, Eliziane, em vez de assumir publicamente o espanto com as revelações sobre seu marido – com quem casou há menos de um ano -, resolveu jogar os ideais às favas e acobertá-lo, negando as denúncias, mesmo diante de documentos que tramitam na Justiça e na polícia.

A onda senatoria policial foi coroada ontem pela mesma Eliziane e seu parceiro de chapa, Weverton Rocha (PDT). Eles tentaram fazer-se de vítima diante da distribuição de panfletos mostrando as enroladas nas quais se meteram. E quebraram a cara ao tentar transformar a história em caso de polícia, porque o panfleto tem autor registrado – o ex-vereador Carioca – e o CNPJ do partido e da gráfica que fez a impressão. Caso de Polícia, portanto, são os próprios candidatos.

Seria mais um caso explícito de uso da “polícia política” no Maranhão?

Estado Maior

6 comentários »

Senado: Lobão 25%; Sarney Filho 23%; Eliziane 23%

0comentário

 

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (19) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado no Maranhão:

Edison Lobão (MDB): 25%
Sarney Filho (PV): 23%
Eliziane Gama (PPS): 23%
Weverton Rocha (PDT): 20%
Zé Reinaldo (PSDB): 12%
Alexandre Almeida (PSDB): 4%
Preta Lú (PSTU): 2%
Saulo Pinto (PSOL): 2%
Samuel de Itapecuru (PSL): 2%
Saulo Arcangeli (PSTU): 1%
Iêgo Bruno (PCB): 0%
Branco/Nulo – Vaga 1: 17%
Branco/Nulo – Vaga 2: 30%
Não sabem: 38%

A pesquisa foi encomendada pela TV Mirante. É o segundo levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

No levantamento anterior, feito de 20 a 22 de agosto, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes: Edison Lobão (MDB): 27%; Sarney Filho (PV): 26%; Eliziane Gama (PPS): 17%; Zé Reinaldo (PSDB): 13%; Weverton Rocha (PDT): 11%; Alexandre Almeida (PSDB): 6%; Preta Lú (PSTU): 3%; Saulo Pinto (PSOL): 3%; Samuel Campelo (PSL): 2%; Saulo Arcangeli (PSTU): 2%; Iêgo Brunno (PCB): 1%; Brancos/nulos – vaga 1: 20%; Brancos/nulos – vaga 2: 31%; Não sabem: 37%.

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos.
Quem foi ouvido: 1008 eleitores.
Quando a pesquisa foi feita: Entre 16 e 19 de setembro.
Registro no TRE: MA-06667/2018.
Registro no TSE: BR‐07474/2018.
O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.
0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado.

Leia no G1

sem comentário »

Ibope divulga nova pesquisa esta semana

0comentário

O Ibope divulga, na próxima quarta-feira (19), a segunda pesquisa de intenções de votos nas eleições no Maranhão com novos números para o governo e Senado. O Ibope também divulgará a simulação do 2º turno.

A pesquisa foi contratada pela pela TV Mirante e será divulgada no JMTV 2ª Edição. Ao todo 1.008 eleitores vão ser entrevistados até o dia 19 de setembro.

A primeira pesquisa divulgada no dia 23 de agsto apontou os seguintes números para o governo: Flávio Dino (PCdoB): 43%, Roseana Sarney (MDB): 34%, Maura Jorge (PSL): 3%, Roberto Rocha (PSDB): 3%, Ramon Zapata (PSTU): 1%, Odívio Neto (PSOL): 0%, Brancos/nulos: 8% e Não sabe: 7%.

Os números para o Senado na primeira pesquisa Ibope foram: Edison Lobão (MDB): 27%, Sarney Filho (PV): 26%, Eliziane Gama (PPS): 17%, Zé Reinaldo (PSDB): 13%, Weverton Rocha (PDT):11%, Alexandre Almeida (PSDB): 6%, Saulo Pinto (PSOL): 3%, Preta Lú (PSTU): 3%, Samuel Campelo (PRTB): 2%, Saulo Arcangeli (PSTU): 2%, Saulo Pinto (PSOL): 2%, Iêgo Brunno (PCB): 1%, Brancos/nulos – Vaga 1 : 20%, Brancos/nulos – Vaga 2 : 31% e Não sabe: 37%.

sem comentário »

Sem emoções

0comentário

Hoje é o último dia do prazo para o que Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgue todos os pedidos de registro de candidatura. No Maranhão, 802 pessoas solicitaram o registro junto à Justiça Eleitoral. Seis são para governador do Estado e 11 para o Senado.

Dos cargos majoritários, não houve surpresa quanto aos registros de candidatura. Todos foram deferidos, apesar de pedidos de impugnação.

No caso dos candidatos ao governo, foram impugnados Flávio Dino (PCdoB) e Roseana Sarney (MDB).

A Corte Eleitoral acabou por julgar ontem os pedidos de registro dos dois principais candidatos na disputa pela sucessão Estadual. Por unanimidade, Roseana e Dino se tornaram aptos para continuar na disputa.

Para o Senado, não teve impugnação. E sendo assim, todos os registros foram deferidos sem qualquer complicação. Pelo menos para os titulares.

Um dos últimos registros julgados foi o de Sarney Filho (PV), aprovado por unanimidade também.

Mais uma parte do processo eleitoral sendo concluído – e este ano sem grandes emoções finais – para que no dia 7 de outubro o eleitor possa decidir quais serão os novos representantes.

Não é o fim

O TRE, pelo calendário eleitoral, tem até hoje para julgar os pedidos de registros de candidatura.

Isso não significa que será finalizado esse processo. Os candidatos com registros indeferidos podem recorrer com embargos.

E se confirmada a sentença, ainda poderão buscar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Sendo assim, concorrem sub judice.

Estado Maior

sem comentário »

Alexandre quer levar proposta polêmica ao Senado

0comentário

O candidato mais jovem ao Senado Federal no Brasil e atual deputado estadual, Alexandre Almeida (PSDB), abordou um tema polêmico em sua última inserção na propaganda eleitoral veiculada nas televisões maranhenses: o poder do lobby e de lobistas no Congresso Nacional.

A proposta do candidato que trata da Lei da Agenda Prioritária consiste em obrigar deputados e senadores a inverter a ordem de votações nas duas Casas garantindo prioridade para Projetos que tratem de temas como saúde, educação e segurança pública.

“O lobby hoje, infelizmente, é o que pauta as negociações dos velhos políticos profissionais. Eles defendem apenas os próprios interesses e os interesses de seus financiadores, como empreiteiras, bancos, sindicatos… Não há outra razão para que respostas para as reais necessidades das pessoas sejam deixadas para depois”, esclareceu Alexandre.

Perfil – Alexandre Almeida tem 35 anos, é advogado e especialista em Direito Tributário. Vive em Timon, no leste maranhense, com a esposa e o filho. Foi eleito como vereador do município aos 21 anos e hoje está em seu segundo mandato como deputado estadual. É o candidato mais jovem a concorrer ao Senado Federal nas eleições de 2018.

Foto: Aline Roberta

sem comentário »

Olhem o Senado

0comentário

Por José Sarney

Nas eleições atuais, com a reforma eleitoral que foi feita — aliás, péssima —, há um esquecido, a que todo mundo aspira, mas ninguém se aprofunda no seu significado e na sua importância. Ele é a cúpula do regime democrático e representa a união dos estados, aquilo que chamamos Federação.

Tão importante que na Constituição a primeira disposição intocável é a Federação. E o que representa e expressa a Federação é o Senado. Lá todas as unidades são iguais, têm todas direito a três Senadores; lá São Paulo, com todo seu poderio econômico, é igual ao Acre, Roraima igual a Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul.

O Senado evita que os estados menores sejam massacrados pela junção dos maiores, daí porque cada lei que ali é votada representa os interesses de todos.

O Senado não é lugar para aventureiros, nem demagogos, nem principiantes. É de Capristano de Abreu a constatação de que ao Senado e ao Poder Moderador devemos a construção do Brasil.

O Maranhão sempre teve grandes nomes naquela Casa. Eu mesmo incorporo o título de ser o Senador que mais tempo esteve no Senado republicano. Por ali passaram Gomes de Castro, de quem Rui Barbosa dizia ser um dos maiores oradores do País; Cândido Mendes de Almeida; Urbano Santos da Costa Araújo, duas vezes vice-presidente da República. No Senado nasceram todas as grandes obras que o Maranhão obteve.

O Senado é formado, em grande parte, por ex-governadores e ex-ministros: ali é necessário se ter capacidade, experiência e prestígio. Colocar ali pessoas sem biografia, sem expressão é o mesmo que apunhalar o nosso Estado.

Por isso, quero advertir que o voto do Senado está para o interesse do povo e do Estado no mesmo nível do voto para Presidente da República.

Temos hoje como candidato a Senador o Deputado Sarney Filho, nove mandatos, duas vezes Ministro do Meio Ambiente, considerado um dos melhores e maiores formuladores do Congresso. Idealista, dedicou toda a sua vida à causa do meio ambiente, representando o Brasil muitas vezes em fóruns internacionais, sendo ouvido e respeitado como um dos maiores conhecedores da matéria.

Foi um grande defensor da democracia — votou pelas eleições diretas muito jovem —; criou a Comissão do Meio Ambiente e Desenvolvimento da Câmara dos Deputados; teve a iniciativa das principais leis de proteção ambiental; fez reservas extrativistas para defender os pescadores e as riquezas do litoral do Maranhão; trouxe obras de saneamento, abastecimento de água, habitações populares e infraestrutura para muitas localidades; criou o Parque das Nascentes do Parnaíba, propôs o Parque dos Lençóis para patrimônio da Humanidade e apoiou fortemente a conservação do Parque da Chapada das Mesas, entre tantos outros benefícios para o nosso Estado. Sarney Filho recebeu, como reconhecimento mundial, o 4º Prêmio Henry Ford de Conservação Ambiental.

A nossa chapa tem também o nome do ex-governador Edison Lobão, várias vezes Presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Presidente do Senado e duas vezes Ministro de Minas e Energia. É um nome de grande reconhecimento nacional e de grande prestígio dentro do Congresso, e sua permanência no Senado é a certeza do Maranhão bem defendido e representado.

Assim, o eleitor deve ter grande cuidado em sua escolha para o Senado da República e escolher, para Senador, a experiência e a capacidade de Edison Lobão e Sarney Filho.

Coluna do Sarney

sem comentário »

Lobão diz que o Maranhão vive ‘cenário de paralisia’

7comentários

O senador Edison Lobão (MDB), que concorre à reeleição ao Senado pelo Maranhão, encerrou a série de entrevistas com os candidatos ao Senado, no programa Ponto Final, na Rádio Mirante AM, com o jornalista Roberto Fernandes. Lobão disse que a sua experiência política é a garantia de que ele está preparado fazer ainda mais pelo nosso estado. (Clique aqui que confira a entrevista na íntegra).

“O governo não consegue vencer as dificuldades maiores que se antepõe ao seu caminho. Eu acredito que através do parlamento brasileiro muita coisa pode ser feita e tem sido feita. Alguns projetos extraordinários que começaram a serem trazidos para o Maranhão, ainda em tempos anteriores e que foram estimulados pelo governo da Roseana e meu governo. Esses projetos junto à iniciativa privada precisam ser estimulados e trazidos para o Maranhão para que a economia ganhe uma configuração nova. Nós não podemos ser dependentes apenas dos recursos oficiais. É preciso que a iniciativa privada aqui se plante à indústria pesada”, afirmou.

Lobão disse que o Maranhão vive um cenário de paralisia e que o governo se limita a pequenas ações e pressão gigantesca por aumento de impostos.

“Eu vejo uma certa paralisia de tudo, o governo se limita a pequenas ações mínimas, superficiais. Não tem mais ação criadora, não há um projeto para um estado ser criado de forma densa, não existe. O que nos temos são apenas falácias politicas e a tentativa de reeleição do governo. Nada mais do que isso. Há uma pressão gigantesca por dinheiro, cobrando abusivamente impostos no estado. Nós temos exemplos gritantes, recentemente houve uma elevação no preço do ICMS, na taxa de energia elétrica que afeta todos os maranhenses. Aqui se cobra o ICMS mais caro que se possa imaginar. Não se governa com a pressão permanente dos tributos e impostos, a ponto de massacrar uma economia que já vem sofrendo e penando”, destacou.

Ele lembrou a situação da saúde e destacou que parte dos hospitais inaugurados na gestão de Flávio Dino foram construídos pela ex-governadora Roseana Sarney.

“Uma parte desses hospitais foram construídos na época da Roseana restaram poucos que não foram concluídos. Agora vimos a dificuldade do atual governo que não põe os hospitais para a funcionar. O resultado disso é que há filas de pessoas doentes nos corredores e que morrem por conta de mal atendimento. O que o governo precisa fazer é se convencer que a saúde do povo é importante, e atribuir a saúde os recursos necessários para que amenize os seus sofrimentos. Mas essas coisas rendem pouco voto e o governo só quer fazer aquilo que neste momento li atribui algum voto”. O candidato do MDB negou que os senadores maranhenses tenham dificultado a vinda de recursos ao estado, pelo contrário disse que sempre trabalhou pelo Maranhão.

“Nós sempre trabalhamos os senadores, indistintamente em favor do estado do Maranhão. Nós sempre buscamos recursos para que venham ajudar o povo do Maranhão. E esse recursos vieram, todos foram recebidos, ora pelo governo do Estado, ora pelos prefeitos dos municípios”.

Uma parte desses hospitais foram construídos na época da Roseana, restaram poucos que não foram concluídos. A essa dificuldade do atual governo que não põe os hospitais para a funcionar. O resultado disso é que há filas de pessoas doentes nos corredores, e que morrem por conta de mal atendimento. O que o governo precisa fazer é se convencer que a saúde do povo é importante, e atribuir a saúde os recursos necessários para que amenize os seus sofrimentos.Mas essas coisas rende pouco voto, e o governo só quer fazer aquilo que neste momento lhe atribui algum voto”, finalizou.

Dez dos onze candidatos que disputam o Senado pela Maranhão participaram da série de entrevistas na Rádio Mirante AM. Apenas o candidato Samuel Campelo (PSL) não compareceu.

Foto: Zeca Soares

7 comentários »