Rodrigo Ramos vai encarar desafio das urnas

5comentários

O goleiro Rodrigo Ramos que acabou de conquistar o título de campeão maranhense pelo Moto está disposto mesmo a encarar o desafio das urnas na eleição de 2018.

Ele contou ao Blog do Zeca Soares que aceitou um convite do PSL e fala com entusiasmo da sua pré-candidatura a deputado estadual.

“Há 4 meses eu recebi um convite do vereador Chico Carvalho que é do PSL e confesso que fiquei balançado com a possibilidade de lutar por uma cadeira na Assembleia. Eu fiquei bem pensativo durante todo esse tempo e conversando com a minha esposa, com amigos mais próximos, com pessoas do meio político e todos eles me incentivaram bastante a acreditar nesse projeto. Eu já havia recebido convite antes para disputar uma eleição, mas apenas agora me senti à vontade para encarar esse desafio”, disse.

Há 15 anos morando no estado e tendo jogador por Imperatriz, Sampaio, Maranhão e Moto, o goleiro e capitão rubro-negro disse conhecer a dificuldade de quem faz esporte no Maranhão que, segundo ele não tem representatividade.

“A bandeira que eu vou defender é o esporte em primeiro lugar, pois tenho acompanhado que tudo depende também da política. Tenho amigos em todas as modalidades esportivas aqui no Maranhão e eles tem tido pouco ou nenhum apoio dos atuais políticos que se dizem políticos do esporte como vereadores e deputados. Poucos deles vieram ou vivem do esporte como eu vivo. São 15 anos vivendo aqui no Maranhão e eu conheço bem as dificuldades do esporte e, principalmente dos atletas não apenas no futebol, mas em outros segmentos, pois eles não possuem representatividade na política”, contou.

Rodrigo Ramos disse que a sua pré-candidatura não é oportunismo por conta da conquista recente do Moto.

“Não é uma coisa que nasceu da noite para o dia. Não estou aproveitando o momento de uma conquista do Moto, por exemplo para me promover. É uma coisa que eu vinha trabalhando há muito tempo. Eu quero trabalhar realmente para que o esporte do Maranhão cresça não apenas o futebol, mas todas as modalidades. Me dói ver os talentos maranhenses espalhados nos semáforos em busca de ajuda para participar de competições fora do Maranhão por total falta de apoio e assim continuarem fazendo o que mais gostam”, destacou.

Aos 38 anos, o goleiro do Moto disse não pensar em aposentadoria ainda e que pretende ajudar o Moto a conquistar o acesso à Série C.

“Eu estou com 38 anos, mas me sinto muito bem ainda. Acabei de fazer um excelente Campeonato Maranhense com atuações muito marcantes e que contribuiram muito para o Moto chegar onde chegou juntamente com os meus companheiros. Eu quero jogar mais no mínimo por dois anos, mas é claro que tudo vai depender do que vai acontecer na minha vida daqui em diante, principalmente em relação com essa questão da candidatura e se a gente conseguir êxito nessa batalha é lógico que eu terei que escolher entre uma coisa e outra. Por enquanto vou continuar jogando porque estou com muita vontade e pronto para lutar pelo acesso do Moto à Série C que é o clube que tenho contrato e quero continuar jogandol”, finalizou.

Foto: Lucas Almeida

5 comentários »

André Campos assume comando do MDB em SL

0comentário

O atual diretor da Funasa no Maranhão, André Campos é o novo presidente do MBD em São Luís.

Ele era vice-presidente e assume o comando da sigla em substituição a Fábio Câmara que se filiou ao PSL.

André Campos foi ex-diretor-geral do Detran-MA e iniciou a modernização do órgão, no governo de Roseana Sarney.

A sua principal missão será organizar o partido às vésperas da convenção que definirá os rumos do partido para as eleições de 2018.

Foto: DIvulgação

sem comentário »

Felipe Camarão não será candidato nas eleições

5comentários

Acabou o silêncio….

O secretário de Educação, Felipe Camarão (DEM). Não será candidato a nenhum cargo na eleição de 2018.

Em contato com o Blog do Zeca Soares, o secretário Felipe Camarão disse que não existe nenhuma indefinição quanto à sua possível e candidatura.

De fato, se ele não se desincompatibilizou do cargo é porque não será candidato.

Mas em resposta ao blog se será ou não candidato agora, Camarão respondeu: “Não”.

Camarão chegou a se filiar no DEM e a ter o seu nome especulado para vice na chapa encabeçada pelo governador Flávio Dino (PCdoB), mas vai continuar trabalhando na Secretaria de Educação.

Vale lembrar que o prazo para desincompatibilização do cargo para concorrer na eleições vai até o dia 7 de abril.

Foto: Divulgação/ Seduc

5 comentários »

Karen Barros assume presidência do Procon

3comentários

A advogada Karen Barros assume a presidência do Procon com a desincompatibilização de Duarte Júnior que será candidato a deputado estadual. Ela era adjunta no Procon.

Além de Duarte Júnior, na semana passada se desincompatibilizaram do governo do Maranhão para concorrer nas eleições, os secretários de Agricultura Familiar, Adelmo Soares e o secretário da Casa Civil, Marcelo Tavares.

Eles também disputarão uma das 42 vagas na Assembleia Legislativa.

Ainda tem mais gente no governo que vai disputar a eleição.

Vamos aguardar!!!

Foto: Arquivo pessoal/ Facebook

3 comentários »

Roberto Rocha concede coletiva

1comentário

O presidente do Diretório Estadual do PSDB no Maranhão, senador Roberto Rocha, concede coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (15), para falar sobre conjuntura política do Maranhão e os novos rumos da legenda no Estado.

O encontro com jornalistas ocorre no auditório do seu escritório de representação política em São Luís, às 17h30, no Calhau. Participam também representantes de movimentos sociais ligados ao partido.

Ao longo deste mês, durante a abertura da chamada janela partidária, o PSDB vem filiando diariamente novas lideranças ao partido dispostas à contribuir com o fortalecimento da legenda no interior e na capital. Esse processo segue em curso e ao final será realizado um grande ato político, na nova sede do partido, para o abono das fichas dos novos membros, na presença de lideranças nacionais.

Foto: Agência Senado

1 comentário »

José Reinaldo Tavares fora

1comentário

A cúpula do governo Flávio Dino (PCdoB) já decidiu: não quer mesmo o ex-governador José Reinaldo Tavares (sem partido) como candidato a senador.

E para isso vai usar até o que chama de “uma correção histórica” no discurso de suposto sacrifício, usado por ele para justificar sua unção como candidato.

Os que decidem no grupo dinista entendem que o posicionamento de Tavares nas eleições de 2006, 2008, 2010, 2012 e 2016 não aponta para esse tal “sacrifício”.

Tavares fora II

Outro ponto histórico que a cúpula do Palácio dos Leões usa para desqualificar o discurso de sacrifício de José Reinaldo é a eleição para o Senado, em 2010.

Para eles, não condiz com a verdade o discurso de que o ex-governador abriu mão de duas eleições certas de senador – em 2006 e 2014 – em nome do projeto oposicionista.

– Ele omite que foi candidato a senador em 2010. E se é verdade que tinha eleição garantida, por que não se elegeu em 2010, na chapa do próprio Flávio Dino? – perguntou um dos comunistas que decidem.

Estado Maior

1 comentário »

Braide diz que candidatura depende do povo

0comentário

O deputado estadual e pré-candidato ao Governo do Maranhão, Eduardo Braide (PMN) foi o entrevistado desta sexta-feira (19), na Rádio Mirante AM, no programa Ponto Final, apresentado pelo radialista Jorge Aragão.

Ele adiantou que uma eventual candidatura ao governo do Maranhão depende de vontade do povo. E afirmou que tem ficado impressionado com a reação da população em todos os cantos do Maranhão em relação ao seu nome.

“Já fui procurado por algumas lideranças políticas e alguns dirigentes partidários, mas ainda estamos conversando. Tudo depende do anseio e vontade da população maranhense”, disse.

Braide afirmou que teve conversas com o deputado estadual, Alexandre Almeida e com o deputado federal. José Reinaldo Tavares sobre a formação de uma chapa majoritária. E lamentou o tratamento que o governador Flávio Dino tem dispensado ao ex-governador.

“Acho que é uma tremenda injustiça o que tem acontecido com ele, entendo que ele deveria ser o primeiro candidato a ser escolhido na chapa do governador, não só pela ligação que tem com o próprio governador, como por tudo que já fez pelo Maranhão. Tenho certeza que onde quer que o ex-governador José Reinaldo Tavares estiver, tem chances reais de se eleger senador pelo Maranhão”, afirmou.

Eduardo Braide falou sobre a falta de união da classe política e disse que o Maranhão precisa de um governador que defenda a união dos políticos.

“Um governador precisa ter em mente que tem a missão de fazer com que a classe política se una a favor do povo maranhense. O Maranhão precisa de um governador que trabalhe pela união dos maranhenses, principalmente da classe política”, finalizou.

Foto: Rafaelle Fróes

sem comentário »

Roseana fala sobre disputa da eleição e BR-135

1comentário

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) foi entrevistada nesta quinta-feira (11), no Ponto Final na Rádio Mirante AM apresentado por Jorge Aragão. Ela reafirmou que o seu nome está à disposição do MDB para a disputa da eleição.

Roseana destacou a entrega pelo governo Federal no dia de hoje, da obra de duplicação da BR-135, mais precisamente do segundo trecho.

“Hoje é um dia de festa para o Maranhão, pois a luta pela duplicação da BR-135 é uma reivindicação antiga de todos os maranhenses. Essa é a segunda parte da duplicação, pois a primeira que está dentro da Ilha foi feita no meu governo. A gora teremos mais um trecho até Miranda do Norte e a nossa luta agora vai ser levar essa estrada duplicada até Timon. Essa é uma obra importante não apenas para o Maranhão, mas também para o Brasil. Eu, realmente estou comemorando porque eu me sinto parte dessa obra, entào eu estou aqui agradecendo ao presidente Temer, à presidenta Dilma e a todos os deputados que lutaram por essa duplicação, então parabéns ao povo maranhense”, afirmou.

Roseana falou sobre a disposição de disputar a eleição para o governo e disse que se sente muito feliz ao ter o seu nome novamente lembrado pelo povo do Maranhão.

“Eu fico muito feliz em ser lembrada pelo povo, pois é um sinal que o meu nome é lembrado pelo trabalho que sempre desenvolvi pelo Maranhão e pela responsabilidade. Eu estou analisando tudo, mas a princípio sim eu serei candidata a governadora do Maranhão. O meu nome está à disposição do meu partido”, afirmou.

Ao ser perguntada sobre os dados do IBGE que apontam para o aumento da pobreza nos ultimos três meses no Maranhão, Roseana preferiu não comentar.

“A vida inteira as pessoas me acusavam sobre essa coisa de pobreza. Agora as pessoas que estão no governo estão aprendendo a governar. Estão sabendo o que é governar. Não é fácil governar. Entào eu me resguardo a não comentar, pois esse nào é o meu estilo. Então eu prefiro não comentar e repasso essa pergunta ao povo do Maranhão… Quem tem que analisar não sou eu. Eu não sou juíza e nem professora de Deus para analisar tudo. Eu sou uma pessoa comum, eu não sei tudo. As pessoas é que vão analisar se o Maranhão cresceu ou nào cresceu… Então eu entrego essa questào ao povo maranhense”, disse Roseana.

Foto: Adriano Soares

Ouça a entrevista

1 comentário »

Escutec aponta equilíbrio na disputa do governo

2comentários

A Escutec divulgou nesta sexta-feira (22), os números da pesquisa de intenções de votos para as eleições de 2018 no Maranhão.

Os números da pesquisa estimulada apontam equilíbrio na disputa para o  governo. O governador Flávio Dino tem 36%, enquanto a ex-governadora Roseana Sarney aparece com 32,4%.

Mesmo sem confirmar a sua pré-candidatura, o deputado estadual Eduardo Braide é o terceiro com 9,8%. O senador Roberto Rocha 5,2%, a ex-prefeita de Lago da Pedra Maura Jorge 3,2% e o ex-deputado estadual Ricardo Murad 3%. Disseram não votar em nenhum deles 4,1% e não souberam ou não responderam em quem irão votar 6,2%.

Na disputa para o Senado, o ministro do Meio-AmbienteSarney Filho tem 17,8%, o senador Edison Lobão 14,4%, a deputada Eliziane Gama tem 12,6%, Zé Reinaldo Tavares aparece com 11,2%, Waldir Maranhão 6,6% e Weverton Rocha com 5,4%. Nenhum deles 7,6% e não souberam ou não responderam foram 24,4%..

A pesquisa Escutec foi contratada por Cordeiro Filho Consultoria e realizada entre os dias 9 e 13 de dezembro. Foram entrevistados 2 mil eleitores e a margem de erro é de 2% para mais ou para menos.

2 comentários »

Manifesto em favor da candidatura do PT

0comentário

Após o período de redemocratização no Brasil e a fundação do Partido dos Trabalhadores em 1980, o PT no Maranhão lançou sua primeira candidatura ao governo do estado no ano de 1982. Em uma disputa sem alianças, o PT do Maranhão apresentou como governador neste pleito Osvaldo Furtado, que obteve 8.643 votos, correspondendo a 0,99% do total de eleitores. Já o vencedor, Luís Rocha, foi eleito governador do Maranhão pelo PDS, oriundo da ARENA, com apoio de 76,91% dos votantes.

Em 1986, o PT, em uma frente de oposição com o PV, lançou Delta Martins ao governo estadual, obtendo 31.504 votos, o que representou 2,45% da votação. Nas eleições de 90 e 94, o partido optou por apoiar, respectivamente, Conceição Andrade (PSB) e Jackson Lago (PDT), com o PT indicando os seus candidatos a vice-governadores, e ambas as candidaturas conquistaram cerca de 20% do eleitorado maranhense. Somente em 1998 é retomada a tática de candidatura própria e o candidato a governador do partido neste pleito é Domingos Dutra, que alcançou, em uma disputa sem alianças, a marca de 97.536 votos, ou 6,40% do total de eleitores.

Na primeira eleição vitoriosa de Lula, em 2002, o partido no estado deu prosseguimento à tática de candidatura própria e o companheiro Raimundo Monteiro foi candidato a governador pelo PT, logrando o 3º lugar entre os candidatos (127.082 votos), mantendo assim os mesmos 6% do eleitorado obtidos no pleito anterior. Desde então, para garantir sustentabilidade aos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma, o PT do Maranhão vem participando das eleições majoritárias compondo alianças e, somente em 2010, o partido conseguiu ocupar um espaço na chapa majoritária, ao eleger Washington Luiz como vice-governador do estado.

O projeto de conquista de governos estaduais pelo PT no Nordeste, por sua vez, é fortalecido através da eleição do presidente Lula em 2002, a exemplo do que ocorreu com a eleição de Wellington Dias no Piauí no mesmo ano de 2002, hoje cumprindo seu terceiro mandato como governador no estado, e na Bahia, com a vitória de Jacques Wagner em 2006, recondução ao cargo em 2010 e a eleição de seu sucessor Rui Costa em 2014. Em outros termos, o aumento do eleitorado petista no Nordeste possibilitou a implementação de um novo modo de governar os estados dessa região tradicionalmente dominada pela velha política.

No Maranhão, é preciso reconhecer que a eleição do governador Flávio Dino pelo PC do B em 2014 trouxe novas perspectivas ao cenário político do estado. As expectativas de renovação da classe política e da gestão pública tomaram conta do eleitorado, definitivamente ampliadas com a garantia do apoio da presidenta Dilma ao novo governador então eleito. Nesse sentido, ainda em 2015, a direção estadual do PT se reuniu e deliberou por compor a base do governo Flávio Dino, sem reivindicar cargos no poder executivo ou alianças políticas futuras.

O mandato do único parlamentar petista na Assembleia Legislativa do Maranhão, companheiro José Inácio, atuou diuturnamente na defesa das pautas progressistas do governo Flávio Dino e reconheceu, assim como toda a militância petista, a importância do posicionamento do PC do B em nível nacional e do próprio governador em favor da manutenção do mandato da presidenta Dilma. A denúncia do golpe parlamentar orquestrado contra o PT reafirmou entre nós e o PC do B a solidariedade de classe necessária para o enfrentamento da ofensiva neoliberal da direita brasileira.

O modo petista de governar é reconhecido e admirado em todo o país. Os programas desenvolvidos por prefeituras, governos estaduais e pelos mandatos dos presidentes Lula e Dilma granjearam fama internacional e conquistaram prêmios de excelência. É sensato, portanto, concluir que o PT, aliado há mais de três décadas do PC do B, apresenta-se como um dos mais importantes partidos do arco de alianças a ser fechado em 2018 e com capacidade de contribuir efetivamente para a implementação de políticas públicas que revertam os baixos indicadores sociais e econômicos que o Maranhão ainda ostenta.

O Campo Construindo Um Novo Brasil – CNB participou das eleições do PED em 2017 e apresentou o nome do companheiro e deputado estadual Zé Inácio para concorrer à presidência do PT, ao lado de uma chapa, formada por companheiros e companheiras de todo o estado, que pleiteou os cargos da Direção Estadual. A votação dos filiados e filiadas nos posicionou enquanto maior força do PT no Maranhão, com direito a ocupar em torno de 40% das vagas de Direção, apesar de a CNB sair do PED com mais de 50% dos votos. Zé Inácio, pela eleição direta, ficou em 1º lugar entre todos os candidatos, recebendo 4358 votos.

No Congresso Estadual do PT, realizado em maio deste ano, o partido aprovou a seguinte tese política da CNB, defendida ao longo do PED, “Tendo como CENTRO DA NOSSA DA TÁTICA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE LULA e no Maranhão buscará compor a Chapa Majoritária com o PCdoB, seja com a candidatura a Vice-Governador(a) ou ao Senado Federal, haja vista a importância do PT e do Presidente Lula para o povo maranhense.” Em nenhum momento houve por parte do nosso campo algum recuo em relação a esta proposição; ao contrário, em todas as oportunidades e fóruns de discussão do partido a tese congressual foi reafirmada e aberta para a construção com dirigentes do PC do B e representantes do governo.

Diferentemente do que se esperava, a chapa majoritária que disputará a reeleição de Flávio Dino vem sendo articulada por partidos políticos de vários espectros ideológicos, à exceção do PT, e o Governador na convenção do PDT garantiu que uma das vagas na sua chapa majoritária para o senado terá como candidato o deputado federal Weverton Rocha, do PDT. A imprensa tem divulgado como certa a outra vaga para o senado o ex-governador e deputado federal José Reinaldo.

Além disso, o próprio presidente estadual do PCdoB faz defesa pública da continuidade do atual vice-governador Carlos Brandão (PSDB), que hoje se encontra sem partido devido à intervenção do PSDB.

É preciso admitir, com efeito, que não há mais possibilidade de o PT do Maranhão concorrer na chapa majoritária do governador Flávio Dino, o que tem ficado cada vez mais evidente com a proximidade do pleito de 2018 e os arranjos políticos feitos à margem da direção petista. Como o CENTRO DA NOSSA DA TÁTICA É A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE LULA, não podemos estar em um palanque no Maranhão com partido que tem candidatura a presidente, que é o caso do PCdoB, que lançou como pré-candidata a presidência a deputada estadual do Rio Grande do Sul e ex-deputada federal Manuela D’Ávila. Logo, a tese congressual perdeu seu objeto e o partido precisa urgentemente reorganizar-se para desempenhar um papel protagonista nas eleições de 2018.

Estamos vivendo atualmente no Brasil um processo denominado por estudiosos como Estado Pós-Democrático. As garantias sociais não foram suprimidas do texto constitucional, mas não há nenhum interesse por parte dos representantes do neoliberalismo em fazer valê-las. O golpe parlamentar que destituiu Dilma e a caçada ou o lawfare praticado contra o presidente Lula, visando impedi-lo de concorrer às eleições presidenciais e continuar simbolizando a esperança para milhares de brasileiros e brasileiras das camadas populares, são provas incontestes que lutar por direitos sociais voltar a ser uma das trincheiras da disputa hegemônica pela esquerda.

Em 2018, o PT não poderá titubear. No Maranhão, para retomarmos o crescimento do estado, defender o legado dos governos petistas e resgatarmos o projeto de desenvolvimento social com inclusão, nós da CNB defendemos que o partido concorra às eleições com candidatura própria ao governo do estado com o companheiro Monteiro – PT, que já foi testado nas urnas e tem com chances reais de aglutinar um novo polo da esquerda maranhense e representar avanços na escalada histórica de eleições do PT.

Com nossa candidatura própria podemos ampliar o número de deputados estaduais e federais, além de termos um senador do partido na chapa majoritária. Não temos dúvida que com as candidaturas de Lula Presidente e Monteiro – PT Governador mudaremos de fato os rumos da política do Maranhão, trazendo a esperança que nosso povo tanto precisa!

*Fernando Silva (Diretório Estadual do PT), Nonato Chocolate (Diretório Estadual do PT) e Mundico Teixeira (Executiva Estadual do PT).

sem comentário »