Eliziane diz que o Brasil enfrenta crise ética e moral

0comentário

Nesta quinta-feira (6), a candidata ao senado Eliziane Gama (PPS) foi a entrevistada do programa Ponto Final com Roberto Fernandes. (clique aqui para ouvir a entrevista)

Eleita em 2014, Eliziane ocupa atualmente o cargo de deputada federal. Ela defende o fim da reeleição para o Legislativo, afirma que um candidato tem tempo suficiente com dois ou três mandatos para realizar o que propôs para o estado.

“Eu vejo o espaço politico não como um espaço de eternização do poder, você tem que da sua contribuição e feito isso você da à oportunidade para outras pessoas. Eu não quero me eternizar na politica maranhense, nem brasileira. Apenas dá minha contribuição.”

A candidata comentou sobre a crise que o Brasil enfrenta, não só econômica, mas também na ética e na moral. E ressaltou a importância que teve a operação Lava Jato para o país, colocando em evidência a corrupção que existe em todos os partidos brasileiros.

Sobre as eleições, Eliziane falou da falta de credibilidade dos eleitores com a classe politica e todo o processo eleitoral. E enfatizou a preocupação que se tem, pois não se sabe o resultado que teremos na escolha dos representantes.

“O processo de escolha presidencial, por exemplo, está muito embolado e imprevisível em nível nacional e não se sabe se haverá segundo turno. E isso é fruto da descredibilidade muito grande com seus representante. Mas isso se resolve na politica”, afirmou.

As entrevistas serão retomadas na segunda-feira (10), com o candidato ao Senado Samuel Campelo (PSL). Veja a ordem das entrevistas:

Segunda-feira (10/09) – Samuel Campelo (PSL)
Terça-feira (11/09) – Edison Lobão (MDB)

Foto: Zeca Soares

sem comentário »

Autoenganação

6comentários

O grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) aproveitou-se do fim de semana para soltar mais duas pesquisas que forçam uma barra pela reeleição do comunista em primeiro turno. Já multado por vários delitos eleitorais na mídia, Dino insiste em utilizar-se dessas pesquisas para criar um ambiente a seu favor.

É uma espécie de autoenganação. Dino sabe que os números divulgados incompletos – curiosamente diante do TRE e da Procuradoria-Regional Eleitoral – apenas fantasiam sua própria situação, que, aliás, pode ser vista nas ruas de cidades como Rosário e Dom Pedro, como ocorreu no fim de semana.

As pesquisas estão incompletas porque não trazem os dados sobre votos nulos, em branco e eleitores indecisos. E esses dados somem para que os índices de Dino subam às alturas. Mas os próprios institutos se denunciam quando põem os números nominais. Nesse caso, Dino varia abaixo da linha de corte para a vitória em primeiro turno. Ou seja, as pesquisas contratadas pelo comunista tentam criar um ambiente que não existe na campanha, o de vitória em primeiro turno.

Mas o governador quer forçar isso porque sabe que as coisas ficam mais difíceis para ele no segundo turno, caso tenha que enfrentar um adversário num tête-à-tête. E pelo temor que ele tem disso, já se vê os riscos que ele corre.

Novo Ibope

A próxima pesquisa do Ibope, que serve de referência para todos os grupos políticos – mesmo os que não gostam do instituto -, deve ser divulgada por volta do dia 15 de setembro.
Mas uma outra pesquisa, esta do Instituto Escutec, deve sair nos próximos dias.

Os dois costumam pôr ordem na confusão que os institutos pagos pelo Palácio dos Leões fazem.

Estado Maior

6 comentários »

Deboche comunista

0comentário

É certo dizer que a postura do Tribunal Regional Eleitoral e da Procuradoria Regional Eleitoral tem sido correta nestas eleições maranhenses, com decisões técnicas e fundamentadas no entendimento legal e na interpretação das leis, punindo, em mesma escala, qualquer ator envolvido no processo.

Essa postura já garantiu, por exemplo, várias condenações ao governador Flávio Dino (PCdoB) – inclusive a decretação, em primeira instância, de sua inelegibilidade por oito anos, por decisão da juíza Anelise Reginato – e aos seus principais aliados, como o vice-governador Carlos Brandão (PRB).

Mas é certo também que a onipotência almejada por Flávio Dino durante os quatro anos do seu mandato – que se traduziu no autoritarismo como exerceu o poder contra adversários, contra a imprensa e contra os próprios órgãos de controle – se elevou à enésima potência neste processo eleitoral.

Flávio Dino simplesmente dá de ombros às decisões judiciais contra ele, ignora solenemente as recomendações estabelecidas nas sentenças e debocha do posicionamento de juízes e desembargadores que compõem o Pleno do Tribunal de Justiça.

A postura do governador do estado já foi fruto de diversos comunicados de adversários e até de posicionamentos orais na tribuna do TRE, mas o comunista continua a ignorar os desígnios da Justiça. Condenado ontem mais uma vez, e multado em mais de R$ 5 mil por conduta vedada, ao utilizar redes sociais do governo em proveito pessoal, Dino continuava, mesmo após a decisão, a extrapolar os seus limites legais. Até quando continuará o deboche comunista?

Punições

Nenhum outro ocupante do Palácio dos Leões em campanha já teve tantas condenações ou decisões contrárias na Justiça Eleitoral quanto o governador Flávio Dino.

Desde o início da campanha, o comunista já foi punido pelo menos duas dezenas de vezes pela Justiça Eleitoral.

As punições a Dino chamam mais atenção por ser ele um ex-juiz federal, ciente, portanto, dos limites legais que cada cidadão deve ter no exercício de sua cidadania.

Estado Maior

sem comentário »

Candidatos registram movimentação financeira

0comentário

Os candidatos ao governo do Maranhão e também ao Senado já começaram a receber doações e repasses de partidos para a campanha eleitoral de 2018. A candidata da coligação “Maranhão quer mais”, Roseana Sarney (MDB), foi a que mais recebeu de seu partido, R$ 8 milhões. Flávio Dino (PCdoB), da coligação “Todos pelo Maranhão” recebeu R$ 4 milhões do diretório de sua legenda e Roberto Rocha (PSDB), da coligação “Coragem e união para fazer um Maranhão melhor” recebeu R$ 1 milhão do diretório tucano.

O limite de gastos para um candidato a governador é de pouco mais de R$ 9 milhões para o primeiro turno. No Maranhão, dos seis candidatos, somente três já receberam dinheiro das direções nacionais de suas legendas para a campanha.

Roseana Sarney recebeu do MDB 87,9% do valor do teto de gastos na campanha. Este, até o momento, é a única verba recebida pela emedebista que não registrou junto a Justiça Eleitoral qualquer doação de pessoa física.

Já Flávio Dino recebeu do PCdoB 43,95% do valor total a ser gasto na campanha para o governo estadual. Esta verba foi acrescida com a doação de R$ 84,8 mil feito por pessoas físicas.

O PSDB enviou para Roberto Rocha somente 10,9% do valor total de gastos para governador. Assim como Roseana, o tucano não recebeu qualquer dinheiro de doação.

Já os candidatos Odívio Neto (PSOL) da coligação “Vamos sem medo de mudar o Maranhão”, Ramon Zapata (PSTU) e Maura Jorge, da coligação “Renovação de verdade” não apresentam qualquer tipo de gasto ou receita para a campanha.

O Estado

sem comentário »

TRE mira nos fakes

0comentário

Uma decisão do desembargador José de Ribamar Castro, membro do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), reforçou durante a semana a tese de que a Justiça Eleitoral maranhense está atenta aos casos de fake news de uso de perfis falsos para atacar candidatos no pleito deste ano.

Ao analisar representação do MDB, o magistrado determinou a exclusão de mais um perfil de rede social criado exclusivamente para atacar a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Intitulada “Isso a Mirante não Mostra”, a página – administrada anonimamente no Instagram – era repleta, segundo a defesa da emedebista, de postagens “que agridem e difamam a candidata com a finalidade de trazer prejuízos à sua campanha eleitoral para as eleições vindouras”.

Castro ordenou o bloqueio imediato da conta e, ainda, mandou que o Facebook, proprietário do Instagram, forneça informações que ajudem a identificar o administrador da página.

A decisão é muito parecida com outra do mesmo tribunal: em julho, o juiz federal Clodomir Reis já havia deferido liminares em representações eleitorais protocoladas contra o Facebook pela manutenção no ar de perfis com essas mesmas características.

Após a identificação dos administradores, descobriu-se que um deles era o blogueiro Fabrício Oliveira – filiado ao PCdoB, que se identificava como funcionário do Governo do Maranhão em uma de suas páginas em redes sociais e que chegou a admitir receber dinheiro público para disseminar material pró-governo Flávio Dino.

O comunista foi preso no fim do mês de julho, depois de se descobrir que contra ele havia um mandado de prisão em aberto no estado de Goiás.

Estado Maior

sem comentário »

Campanha digital

0comentário

O primeiro dia de propaganda eleitoral da campanha de 2018 começou nesta quinta-feira, 16, com um marco delineado: é o início da era digital nas eleições. O aplicativo de troca de mensagens WhatsApp foi literalmente inundado com todo tipo de propaganda política – de banners a vídeos; de flyers a faixas – dando a entender que será esta a ferramenta principal da campanha em todos os níveis.

A Justiça Eleitoral já regulamenta há década a propaganda na televisão e no rádio. De 1998 para cá, passou a tentar controlar também a internet, com regras para as redes sociais, páginas, sites de notícias e de campanha. E nesta eleição, além de combater a disseminação das fake news, tem regras rígidas para redes como Facebook, Youtube e Twitter.

Por isso, o aplicativo WhatsApp passou a ser o canal principal para divulgação de notícias, porque ainda é de difícil controle, embora eventuais abusos tenham as mesmas sanções dos que ocorrem nas outras redes sociais.

E eles continuam a existir no Whats… No primeiro dia de campanha, com a propaganda de seus candidatos, eleitores e cabos eleitorais também disseminaram fake news e propaganda negativa contra os adversários, sobretudo os do governador Flávio Dino. Isso mostra a tendência de que essa ferramenta de troca de mensagens ganhará importância na campanha. Para o bem e para o mal.

Estado Maior

sem comentário »

PSTU é o primeiro partido a registrar candidaturas

0comentário

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) registrou na tarde desta quarta-feira (8), a candidatura de Ramon Zapata ao Governo do Maranhão e foi o primeiro partido a fazer o registro das candidaturas no TRE-MA.

O nome do professor Ramon Zapata foi escolhido pela militância do partido em Convenção realizada no dia 26 de julho. O partido lançou também duas candidaturas ao Senado: o professor, militante sindical e servidor público Saulo Arcangeli e a militante do movimento negro Preta Lú, além de candidaturas à Deputado Estadual e Federal.

Ramon tem como vice a poetisa e ativista do movimento negro Nicinha Durans. Nestas eleições o PSTU faz um chamado para a população se rebelar contra as oligarquias que dominam o estado há anos e que estão representados nas candidaturas de Flávio Dino e Roseana Sarney. “Nosso objetivo é chamar os trabalhadores e o povo pobre do Maranhão a lutar contra esse sistema que explora e oprime a classe trabalhadora e é responsável pelos péssimos indicadores sociais do Estado”, afirma Ramon.

Junto ao registro das candidaturas, o PSTU apresentou seu programa de Governo. O texto apresenta 16 medidas centrais apontadas pelo partido como resposta ao atraso histórico que vive o Maranhão. Entre estes pontos, destacam-se: suspensão do pagamento e auditoria da dívida pública do Estado; um plano de obras públicas;  fortalecimento da Caema para garantir água e  saneamento básico para todos; uma verdadeira reforma e revolução agrária;políticas de transporte, acessibilidade e mobilidade; ampliação dos investimentos nas áreas de educação, saúde, produção agrícola e pesqueira, segurança, moradia, cultura, turismo e esporte e lazer ; valorização, cumprimento de acordos e estatutos, garantia das Leis do Piso e reajuste salarial para os servidores públicos estaduais; instalação de conselhos populares.

Foto: Divulgação

sem comentário »

PSL homologa candidatura de Maura Jorge

2comentários

A ex-prefeita do município de Lago da Pedra Maura Jorge foi  escolhida pelo Partido Social Liberal (PSL) candidata a governadora do Maranhão nas eleições 2018. O anúncio foi feito durante uma convenção realizada na tarde deste sábado (4), no Espaço Renascença, em São Luís.

“Construir um Maranhão decente, um Maranhão de oportunidades, de geração de emprego. Que o presente hoje significa essa esperança que está sendo depositada na Maura, no nosso vice e em todos os nossos pré-candidatos porque juntos nós somos mais fortes e vamos construir um Maranhão decente para o seu povo e a sua gente”, disse Maura sobre as suas propostas de governo.

A convenção reuniu apoiadores e filiados do partido. A chapa de Maura Jorge lançou Samuel Campelo do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) para a vaga no Senado Federal. Ele já foi eleito duas vezes ao cargo de vereador no município de Itapecuru.

O candidato a vice-governador do estado é o tenente-coronel Roberto Filho (PSL). Roberto Filho tem 28 anos e atualmente é chefe da comunicação da Polícia Militar do Maranhão.

Maura Jorge é formada em Direito e está na política há 27 anos. Ela já foi eleita deputada estadual quatro vezes e prefeita duas vezes da cidade de Lago da Pedra, onde nasceu.

Leia no G1

2 comentários »

Os desafios de Roseana Sarney

12comentários

Depois de fazer uma grandiosa convenção, no último do domingo, 29, que reuniu um exército de lideranças políticas, partidárias e populares em geral, além de calar a boca de muita gente do próprio grupo que duvidava de sua candidatura ao Governo do Maranhão, Roseana Sarney (MDB) tem, a partir de agora, alguns desafios a serem enfrentados até as eleições de outubro.

A ex-governadora sabe não terá uma campanha fácil como já teve em outros tempos.

Detentora de nada menos do que quatro mandatos de chefe do executivo estadual, a emedebista terá que fazer, primeiro, um balanço da “era Roseana Sarney” para, em seguida, tentar convencer a população de que merece ser inquilina do Palácio dos Leões pela quinta vez.

Não há como negar que Roseana possui serviços prestados, obras e projetos no estado, inclusive na capital. Não é por acaso que alguns a consideram a melhor “prefeita” que São Luis já teve e com certeza esse trabalho na ilha será levado aos programas eleitorais no rádio e na tevê. Se convencerá o eleitor é outra coisa.

Outra questão fundamental que será colocada para a candidata é unir o seu grupo e evitar corpo de mole de lideranças importantes como aconteceu no campanha de Lobão Filho em 2014 em vários municípios.

Havendo dispersões ou “corpo mole” sejam dos “praças” ou “oficiais” ao longo da campanha do 15, o resultado pode ser catastrófico!

Sendo candidata do MDB-15, não terá como Roseana ter a sua imagem associada  ao presidente Michel Temer, ainda que diga pelos quatro cantos do estado que ela é Lula! Ainda mais se o seu partido realmente tiver candidato a presidente, no caso o ex-ministro Henrique Meireles. Misturar Roseana, Temer e Meirelles será algo inevitável, e os estrategistas da campanha terão que encontrar as vacinas, se é que é possível.

A favor da candidata Roseana, porém, tem o fato de sua campanha estar em boas mãos, no caso seu irmão Fernando Sarney.

O empresário e dirigente da CBF é um homem inteligente, articulado, bem relacionado e pode costurar e atrair apoios de lideranças de fora do seu grupo mesmo durante a campanha. Soma-se a isso, claro, o fato de ninguém menos, ninguém mais estar por trás das grandes articulações: José Sarney.

O fato é que a Roseana Sarney terá vários desafios a serem enfrentados e superados ao longo do processo eleitoral.

Mas, quem conhece a emedebista sabe que ela é dada a vencer situações adversas ao longo da sua vida.

Não é à toa que leva a alcunha de “Guerreira”.

Blog do Robert Lobato

12 comentários »

TCE entrega lista de gestores inelegíveis ao TRE

0comentário

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) cumpriu nesta terça-feira (31), a etapa mais importante de sua participação no processo sucessório, entregando à Justiça Eleitoral a lista dos gestores com contas julgadas irregulares nos últimos oito anos, para efeito de declaração de inelegibilidade.

A documentação foi entregue ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) desembargador Ricardo Duailibe, pelo presidente do TCE, conselheiro Caldas Furtado. Participaram da reunião o Corregedor do TRE, Tyrone Silva, o procurador Regional Eleitoral, Pedro Henrique Oliveira Castelo Branco, o diretor-geral do TRE, Flávio Costa e o promotor auxiliar da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), Pablo Bogéa.

Peça fundamental para que a justiça eleitoral decida sobre o deferimento de candidaturas, a lista, no caso do TCE maranhense traz inovações que vão além desse aspecto. A partir da Resolução nº 285/2017, o Tribunal vem elaborando a lista de forma permanente, contínua, automática e transparente, inclusive com a inclusão das alterações decorrentes de revisão do próprio TCE ou de cumprimento de ordem judicial, além da relação dos gestores declarados inadimplentes.

A Lei das Eleições determina o envio da lista de gestores com contas desaprovadas nos últimos oito anos anteriores à realização de cada eleição até o dia 15 de agosto à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público Eleitoral (MPE), nos anos em que ocorrerem eleições.

Na página do TCE, o número do processo de contas e o do respectivo processo de revisão funcionam como meios de ligação eletrônicos às principais peças do processo, que incluem o teor integral do parecer prévio ou acórdão (relatório, voto do relator e demais votos escritos), parecer do Ministério Público de Contas (MPC), defesa do responsável e recursos apresentados e relatórios do corpo técnico.

Para o presidente do TCE, é importante destacar o grau inédito de transparência alcançado pelo TCE maranhense em relação à questão, atitude considerada como de vanguarda entre os próprios Tribunais de Contas, ao permitir que a lista possa ser acompanhada desde a sua elaboração por qualquer interessado, além da Justiça Eleitoral e do Ministério Público.

“Nosso propósito é dar uma contribuição efetiva à mudança de hábitos políticos, atendendo a uma demanda da sociedade por ampla transparência na gestão pública”, afirma Caldas Furtado. Para ele, a medida possibilita um avanço expressivo no controle da administração pública, nas áreas da improbidade e criminal, além dos processos eleitorais.

Foto: Divulgação

sem comentário »