Braide critica parceria e fala sobre apoios políticos

0comentário

O deputado federal Eduardo Braide (PMN) e pré candidato a prefeito de São Luís foi o entrevistado desta segunda-feira (4), no Ponto Final, por Roberto Fernandes, na Rádio Mirante AM.

Braide lamentou os dados do levantamento da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) divulgado na semana passada e que colocam São Luís com a pior situação fiscal dentre todas as capitais brasileiras.

“Em relação à situação fiscal, eu já havia falado no começo mas vou falar aqui rapidamente da minha tristeza de ver São Luís como a pior capital do Brasil em relação ao equilíbrio fiscal. O que é o equilíbrio fiscal? Nada mais é do que dizer como é que está o dinheiro as finanças da prefeitura de São Luís e lamentar também que a prefeitura tenha recebido nota zero em relação ao quesito liquidez, que é o que? Saber quando chega o final do ano quais são os recursos que você tem depositado em conta para pagar as despesas do ano que vem. Então a partir do momento que São Luís recebe a nota zero, mostra que não está fazendo o dever de casa”.

Segundo eduardo Braide, o discurso de parceria entre o governo do Estado e a Prefeitura de São Luís é uma “grande mentira”.

“Esse discurso de parceria entre governo do Estado e prefeitura foi uma grande mentira que falaram ao povo de São Luís, porque se assim fosse, São Luís era prá viver o seu melhor momento, porque o maior aliado do governador é o prefeito da capital e nós estamos vendo a situação que se encontra a cidade, seja na questão das suas finanças, seja em relação ao desprezo, a forma com que estão tratando os bairros da nossa cidade, especialmente aqueles bairros que mais precisam da ajuda da Prefeitura e do governo do Estado, então a pergunta que fica é: se eles já estão juntos há tanto tempo, o prefeito e o governador, por que eles não começaram a trabalhar pela cidade? Me parece que agora que as eleições estão chegando é que eles abriram o olho e entenderam que precisam fazer alguma coisa. Então é de se lamentar realmente esse tratamento dado a nossa capital tanto pelo prefeito de São Luís como pelo governador do estado, mas eu tenho certeza que o povo terá a sabedoria de saber quais são os rumos que deverão ser tomados em nossa capital, no momento oportuno”, afirmou.

Braide refroçou a crítica ao afirmar que só existe parceria entre governo e Prefeitura na propagandea de TV.

“A última vez que eu vi essa parceria foi em 2016, quando eles estiveram na televisão juntos, dizendo que um precisava eleger o outro para que a cidade permanecesse com as obras. O que nós tivemos de lá pra cá? O Hospital da Criança nunca foi entregue, nós tivemos a paralização de todas as obras de asfaltamento no dia seguinte à eleição, agora que estamos chegando próximo à eleição que eles lembraram que São Luís precisa de asfalto, ai estão correndo para asfaltar enquanto não chega a chuva e a única vez que eu vi os dois juntos depois da eleição de 2016 prá cá, foi quando eles estiveram no palácio, eu recebi uma matéria dizendo que eles estão se juntando para lançarem os seus candidatos a prefeito de São Luís juntos, quer dizer então que São Luís só serve para eleição? São Luís só serve para que sejam feitas obras eleitoreiras? Quanto tempo nós tivemos para que o governo do Estado e a Prefeitura desse as mãos e trabalhassem pela nossa cidade? São Luís não precisaria está passando por essa situação que está passando na saúde em relação a falta de medicamentos, uma série de situações. São Luís não precisava está passando com diversas escolas municipais que estão fechadas por falta de condições. São Luís não precisaria ter a vergonha de ter seu principal Terminal de Integração interditado, sem condições de uso. Então a pergunta que se faz é, cadê a parceria entre o governo do estado e a prefeitura? Certamente ela vai querer começar aparecer porque as eleições estão chegando, mas é de se lamentar que isso tenha acontecido da forma como aconteceu. Só olham São Luís no ano da eleição, o povo de São Luís parece que só existe para o prefeito e governador quando chegam as eleições e é este tipo de situação que nós temos que acabar, porque quem vai ficar sempre no prejuízo é a população enquanto não tiverem um olhar todos os anos, enquanto não entenderem que São Luís é uma cidade que deve ser respeitada, tratada e bem cuidada durante todos os meses de todos os anos”, acrescentou.

Ao ser perguntado sobre a possibilidade de indicação do vereador Marcial Lima a vice, o deputado Eduardo Braide desconversou.

“Eu sei da competência e da atuação do vereador Marcial, é um dos vereadores mais atuantes que nós temos aqui na nossa capital, faz um grande trabalho. Essa questão de candidatura a vice é algo que certamente só será decidido no momento certo, nós nem estamos na campanha ainda, nós estamos aguardando ainda várias definições, mas na hora certa isso será anunciado, como acontece em qualquer candidatura”, disse.

Braide voltou a negar que tenha conversado com o presidente da OAB, Thiago Diaz a vice-prefeito.

“Esta é uma notícia que eu não sei de onde partiu, nunca conversei com o presidente Thiago Diaz sobre política e é bom que diga isso. Nós temos um relacionamento institucional, até porque na câmara dos deputados eu sou coordenador da frente parlamentar da advocacia o que faz com que nós sempre tenhamos reuniões para tratar dos assuntos dos advogados, talvez por termos tirado alguma foto em algum momento, estarmos juntos em algum evento, tenha surgido esta situação, mas o que posso dizer a você é que está muito longe ainda para se falar em vice, isso é algo que certamente só vai acontecer mais na frente, aguardando todo desenrolar daquilo que haveremos de formar realmente um time muito bom para que São Luís possa de uma vez por todas sair do atraso em que se encontra e realmente ser uma cidade, a exemplo do que é Salvador, a exemplo do que é Fortaleza, a exemplo do que é Teresina aqui do nosso lado. Se você tiver oportunidade de visitar Teresina e muitos aqui têm, sabem que até a qualidade do asfalto é diferente, a qualidade no atendimento à saúde é diferente. Se todas essas capitais podem ser melhor, por que São Luís não pode? Pode e vai ser porque o povo merece”.

Primeiro colocado na pesquisa Escutec para a sucessão na Prefeitura de São Luís, Braide disse que os números da última pesquisa aumentam a sua responsabilidade.

“A pesquisa realmente nos deixa com uma responsabilidade muito grande. Em primeiro lugar, acho que o provo de São Luís já está cansado de toda vez chegar a eleição e você chega na campanha eleitoral, faz um bom programa eleitoral, coloca imagens bonitas. Quem não lembra aqui? E eu me lembro como se fosse hoje. O prefeito de São Luís andando de capacete na maternidade da cidade operária. Andava pra cima e pra baixo, as obras a pleno vapor. O que foi que aconteceu depois que passou a eleição? Tá lá, só tem o pilar da obra. Nada mais foi pra frente. Quem não lembra daqui o prefeito de São Luís andando de capacete no hospital da criança? Vá lá no Hospital da Criança, suba nos andares e vejo como é que tá essa situação. Então eu acho que o nós temos que fazer daqui pra frente, todos nós enquanto políticos, é falar só aquilo que puder ser feito, e o que não puder ser feito ter a coragem de dizer: – Isso aqui não dá para fazer. Mas o que dá para fazer, colocar no papel e fazer. Eu acho que essa é grande missão que nós teremos, de mostrar que realmente São Luís pode ser uma capital, a exemplo do que são outras cidades como eu já citei aqui, mas que o povo de São Luís poderá ter a certeza que aquilo que nós colocarmos no programa de governo é porque nós temos a certeza que aquilo será executado”, destacou.

Braide destacou a necessidade de uma aliança com o povo e com os partidos políticos.

“Ninguém é mais forte do que o povo. Não existe dizer que vão juntar vários partidos, vão juntar vários candidatos se o povo tiver tomado a decisão. Eu sou eleito deputado federal, fui eleito deputado estadual, todas as vezes pelo povo. Eu não sou um deputado eleito pelo governo do Estado, eu não sou um deputado eleito pela Prefeitura de São Luís, e as votações que eu tive ao longo dos meus mandatos demonstram que quem realmente tem o poder de decidir é o povo. Todo mundo, se nós lembrarmos a campanha de 2016, quando eu fui e me lancei candidato a prefeito de São Luís, todo mundo fazia piada, ninguém acreditava que eu seria candidato pra valer. Fui ao segundo turno e quase chego à vitória no segundo turno. Então isso foi o quê? Foi a força do povo de São Luís, essa mesma força que me fez o deputado federal mais votado da história, e não são números. Eu gosto sempre de dizer isso e fico muito emocionado quando falo: – Aqui na capital, quando eu tive mais de 131 mil votos para deputado federal, são pessoas que saíram das suas casas de manhã cedo com o título na mão, com a consciência de me escolher como deputado federal. Me fizeram ter 26% dos votos da capital pra deputado federal, o que nunca tinha acontecido. Então, se o povo quiser, se o povo decidir, não tem governo que segure, não tem prefeitura que segure, não tem partido que segure, o maior grupo que pode existir em uma eleição é o povo, então se nós tivermos a benção de Deus e o apoio do povo eu tenho certeza que tem tudo pra dar certo’, afirmou.

Eduardo Braide finalizou afirmando que vem mantendo várias conversas com partidos e que oportunamente anunciará possíveis apoios.

“Ninguém consegue nada sozinho na vida. E essas conversas estão acontecendo, eu tenho mantido diálogos com diversos atores da força política da nossa capital, do nosso estado do Maranhão. Agora, existe uma diferença, eu não saio divulgando tudo que eu estou fazendo, eu não saio publicando tudo com quem estou conversando porque isso atrapalha. Eu tenho, por exemplo, aliados do prefeito de São Luís que me procuram pra conversar e demonstrar interesse em me apoiar para prefeito. Eu tenho aliados do governador do estado que entendem que o nosso nome é o melhor nome para representar São Luís a partir do ano que vem, mas eu não posso divulgar esses nome no momento porque eu vou expô-los, eu vou criar um problema, um certo constrangimento a cada um deles. Então assim, esse não é o momento certo de isso acontecer, mas fique certo de uma coisa, no momento oportuno nós vamos anunciar um grande time que nós iremos formar prá poder enfrentar essa situação, mas mais do que isso, eu acho que essa situação é mais importante, talvez essa seja a nossa diferença. Enquanto eles estão se organizando para manter o poder que eles estão conquistando e conquistaram nos últimos anos, eu estou me organizando e mostrando a todos que estou conversando um programa de governo para São Luís, uma forma realmente de mostrar que a saúde de São Luís vai melhorar, de que o transporte de São Luís vai melhorar, de que a educação de São Luís vai melhorar. Eu acho que aí que está a grande diferença, porque se nós paramos para pensar, a força que eles estão montando pra formar um grupo, todos eles são do mesmo grupo. Quando um não é do grupo do prefeito é do grupo do governador. Cadê essa força que não esteve nos últimos anos para ajudar São Luís a crescer, porque que não se juntaram pra trazer mais obras pra capital, porque que não se juntaram para poder melhorar a saúde, a gente tá vendo as reclamações da saúde, porque que não se juntaram para que as escolas estivessem funcionando melhor. Então todos eles já tiveram a oportunidade de fazer por São Luís alguma coisa e não fizeram. E o que a gente percebe agora é que o grupo que aí está, tanto o governador quanto o prefeito de São Luís, estão se juntando para manter o poder, é um projeto de poder, não é um projeto de governo para a cidade, se fosse um projeto de governo para a cidade, a cidade estaria a mil maravilhas e com várias obras, vários serviços a serem inaugurados e nós não teríamos estas reclamações que nós ouvimos aqui ao longo desta entrevista”, finalizou.

sem comentário »

Edilázio diz que PSD terá candidatos em SL e ITZ

0comentário

São Luís e Imperatriz terão candidaturas próprias do PSD nas eleições municipais em 2020. A informação foi confirmada nas dedes sociais pelo deputado federal, Edilázio Júnior que comanda a legenda no Maranhão.

Edilázio esteve reunido com o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab e ficou acertado que além de São Luís e Imperatriz, todas as cidades com mais de 50 mil habitantes no Maranhão terão candidaturas próprias do partido.

Nessa listas, estão também os municípios de Timon, São José de Ribamar, Caxias, Codó, Açailândia, Paço do Lumiar, Bacabal, Balsas, Barra do Corda, Santa Inês e Pinheiro

“Foi deliberado hoje, junto com o presidente nacional do meu partido, Gilberto Kassab, que o PSD terá candidaturas próprias em todas as cidades do Maranhão com mais de 50 mil habitantes, incluindo São Luís e Imperatriz”, disse.

Edilázio destacou nas redes sociais que a partir de agora, o PSD começará a definir nomes para a disputa, mas não adiantou os nomes que o partido pretende lançar nas disputas em São Luís e Imperatriz.

“Agora vamos pesquisar e debater os nomes de possíveis candidatos para as eleições municipais de 2020. Estamos trabalhando para fortalecer cada vez mais o nosso partido em benefício da população”, finalizou.

Foto: Divulgação

sem comentário »

PTB realiza encontro para capacitar pré-candidatas

0comentário

Com o tema Vez, voz e voto, o PTB Mulher realiza um grande encontro nacional do partido na próxima sexta-feira (25), em São Luis, no Multicenter Sebrae, às 8h.O encontro vai passar pelas principais cidades do Brasil, com o objetivo de preparar, qualificar e fortalecer candidaturas femininas para a campanha eleitoral de 2020. O partido que tem em sua história, a atuação de grandes mulheres, acredita que é necessário aumentar a presença de mulheres em cargos políticos em todo o país.

O encontro vai ter a presença do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson; da presidente nacional do PTB Mulher, Graciela Nienov; do deputado federal e presidente do PTB Maranhão, Pedro Lucas Fernandes; da presidente estadual do PTB Mulher, Emilce Campos; do presidente nacional da Juventude do PTB, Pedro Chaves; da ex-deputada federal, Cristiane Brasil; da deputada estadual, Mical Dasmaceno; do vereador de São Luís, Joãzinho Freitas; de prefeitos eleitos do PTB; de lideranças municipais e da militância do partido.

Desigualdade na política

As mulheres são a maioria da população do Brasil. Apesar do aumento do número de mulheres eleitas nas últimas eleições, o fato é que a desigualdade representativa em cargos políticos ainda é muito grande. Para se ter uma ideia, das 513 vagas para a Câmara Federal, apenas 77 foram ocupadas por mulheres nas eleições 2018.

Lançar mais candidaturas femininas não é o suficiente. O PTB Mulher defende que é preciso capacitar as pré-candidatas. “Nós precisar incentivar as mulheres, mostrar que elas são capazes de promover mudanças na sociedade e na política”, destacou a presidente do PTB Mulher no Maranhão, Emilce Campos.

Capacitação de candidaturas femininas

O Encontro Nacional Vez, Voz e Voto vai promover um ciclo de palestras com especialistas sobre temas relacionados. A advogada e presidente do PTB Mulher no Rio Grande do Sul, Paula Vaz vai proferir palestra sobre as atualizações da legislatura eleitoral; a ex-deputada federal, Cristiane Brasil, vai falar com as pré-candidatas sobre planejamento estratégico e a relações públicas, Rafaela Armani vai proferir uma palestra sobre Marketing digital, assunto que ganhou destaque nas últimas eleições e se tornou uma grande ferramenta política.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Contradição

0comentário

O deputado estadual Zé Inácio (PT) usou as redes sociais para defender uma candidatura própria do PT na eleição para prefeito de São Luís.

Segundo ele, é necessário que o partido volte a ter protagonismo. Claro que esta posição do petista é uma contradição, já que ele e seu grupo contribuem para a desorganização do PT.

Com ações para tentar ter controle sobre o PT, Zé Inácio e seu grupo (de tantas outras alas da legenda) acabam enfraquecendo a sigla, que não consegue ter expressão entre os demais partidos aliados.

Defesa

Sobre candidatura própria do PT, o deputado Zé Inácio não é o primeiro petista a defender esta tese.

O vereador Honorato Fernandes – que foi reeleito presidente municipal da sigla na capital – tem defendido a candidatura do partido em São Luís.

Mas como o PT é diferente de todas os demais partidos, não adianta nem Zé Inácio e nem Honorato defenderem a candidatura própria se esse tipo de decisão for acontecer em algum encontro do partido no próximo ano às vésperas do processo eleitoral.

Estado Maior

sem comentário »

Bira confirma pré-candidatura a prefeito de São Luís

0comentário

O deputado federal Bira do Pindaré (PSB) foi o entrevistado desta setxa-feira (10), no programa Ponto Final, na Rádio Mirante AM, apresentado pelo jornalista Roberto Fernandes.

Bira confirmou a sua disposição de disputar a eleição para a Prefeitura de São Luís em 2020.

“Olha eu já comuniquei ao partido a minha disposição de concorrer à eleição em São Luís, existe uma construção partidária em curso, todas as providências estão sendo tomadas, embora nesse momento eu não tenha ainda concentrado a minha atenção nesse debate, porque eu acho que eu preciso cumprir primeiro com a minha obrigação enquanto deputado federal. Então, eu estou lá me dedicando a essas pautas e deixando para o próximo ano que é ano eleitoral, ai sim você poder se dedicar um pouco mais tanto a pré-candidatura como também a candidatura, assim que ela for oficializada. De maneira que eu tenho construído isso junto ao partido PSB que tem total interesse e motivação de ter candidatos em todas as capitais, é um partido grande o PSB, são 32 deputados, tem presença forte em vários estados da federação e que aqui no Maranhão também terá a sua representação com certeza nesse debate de São Luís, tomando as providências que são necessárias para que o partido possa estar em condições de concorrer tudo isso nós estamos fazendo, até porque eu sou o presidente do partido na capital, então eu sou o responsável diretamente por isso. Estamos organizando chapa de vereador, preparando programa, tudo aquilo que faz parte do ritual de preparação para um candidatura, isso nós estamos tocando com muita tranquilidade”, disse.

Bira do Pindaré também falou sobre a possibilidade do governador Flávio Dino (PCdoB) vir a ser candidato à presidência da República e disse que é um nome bem recebido nacionalmente.

“Olha [Flávio Dino] é um nome muito bem recebido, sobre tudo na esquerda, é um nome que cresce muito no Brasil, a experiência do governo do Maranhão também contribui pra isso. É muito bem visto, porque todo governo tem problema, todo governo tem dificuldade, mas no balanço geral, existe um balanço positivo daquilo que o governo tem feito aqui e isso reflete nacionalmente. Ele tem se movimentado, tem dado entrevista, tem participado de eventos e discutindo coisas da atualidade, coisas que interessam o Maranhão e que interessam o Brasil. Eu acho que isso tem causado muita repercussão e é muito comentado no Congresso Nacional o nome do governador Flávio Dino”, destacou.

Durante a entrevista, Bira do Pindaré falou também sobre o Acordo de Salvaguardas para exploração comercial da Base de Alcântara assinado entre Brasil e Estados Unidos, Reforma da Previdência, Reforma Tributária e outras questões relacionadas à política nacional.

Clique aqui e ouça a entrevista na íntegra

Foto: Zeca Soares

sem comentário »

O PT sendo PT

0comentário

Por mais um ano, o Partido dos Trabalhadores (PT) no Maranhão protagoniza a novela que deixa em cheque a credibilidade da legenda e, principalmente, dos filiados. No Processo Eleitoral Direto (PED) há suspeitas de que petistas estão enrolando os próprios petistas.

Como de costume, a eleição interna da legenda é quase um jogo de “Brasil e Argentina”. Cheio de manhas e “catimbas” para tentar ganhar numa oportunidade ou com o tempo. Não há um jogo limpo e corrido.

Os petistas do Maranhão mais uma vez repetem as cenas que ocorrem a cada dois anos quando os filiados se reúnem para escolher a direção do PT.

Este ano, em menos de dois dias após o PED – ocorrido no domingo, 8 – já houve recursos, confusões na sede da legenda, paralisação na apuração dos votos e perda do prazo para totalização e resultado da eleição em São Luís.

Resultado: somente a direção nacional para fazer com que o processo avance no estado.

As cenas do PED no Maranhão representa exatamente o que o PT é no estado: nada. Um partido, cujo atrativo nada mais é do que o tempo de televisão e rádio que tem. Não há força política para buscar espaços.

Dos dirigentes – pelo menos a maioria – trabalham desde sempre para questões pessoais e não de partido. Cargos de segundo escalão ou uma simples assessoria especial. Assim trabalham os petistas.

Com uma eleição burocrática e pouco transparente, o partido repete um cenário em eleições anteriores.

Enquanto outras siglas já apresentam nomes para a disputa de 2020, o PT trava uma luta interna que deixa o partido cada dia mais fraco e sem expressão política alguma no estado.

Atrapalhando

No PED 2019, o imbróglio mais uma vez tem como protagonista o grupo do deputado estadual Zé Inácio, que apoia Kleber Gomes para presidente municipal e Augusto Lobato para a estadual.

O parlamentar – cujo assessor, Fernando Silva é quem presidente a comissão eleitoral – determina a suspensão da apuração a todo momento deixando o processo conturbado.

Ele já foi até “chamado” pela presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffmann, para deixar o processo correr. Mas desobediente e com aval da direção estadual, Zé Inácio vai atrapalhando o PED e comprometendo a imagem já abalada do PT.

Estado Maior

sem comentário »

Raposa: Edilázio oficializa filiação de Andreia no PSD

1comentário

O presidente da Executiva Estadual do Partido Social Democrático (PSD), deputado Edilázio Júnior, oficializou neste fim de semana a filiação da liderança política de Raposa, Andreia da Colônia.

O ato foi acompanhado pelo vereador Magno da Colônia, pelo Dr. Wolmer Araújo e pelo comunicador Gugu Maranhão.

Com a filiação, Andreia da Colônia passou a ocupar a posição de pré-candidata do PSD à Prefeitura de Raposa no pleito de 2020. O município, um dos mais importantes do Maranhão, fica situado na Região Metropolitana de São Luís.

Edilázio lembrou que Andreia é esposa do vereador Magno da Colônia, que em 2016 registrou a maior votação de um candidato ao Legislativo na história do município. Ele também ressaltou a liderança política já consolidada da pré-candidata, que no último pleito ajudou a eleger candidatos do seu grupo, todos com votações expressivas, superiores aos candidatos da prefeita do PCdoB, Talita Laci e do ex-prefeito Paraíba.

“Andreia já está consolidada como uma grande liderança e o PSD estará presente nesse grande polo pesqueiro, que merece ter uma representante genuinamente da pesca à frente do município”, disse.

A filiação de Andreia da Colônia faz parte do processo de fortalecimento da legenda para o pleito do próximo ano. O objetivo de Edilázio – à frente da sigla -, é aumentar o número de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores da legenda em todas as regiões do estado.  

Foto: Divulgação

1 comentário »

No jogo

0comentário

O vice-governador Carlos Brandão vai tentar protagonismo com o PRB nas eleições municipais do próximo ano para fortalecer o seu projeto de disputa ao Governo do Maranhão em 2022.

Ele tem acenado com a sigla para a filiação de pré-candidatos a prefeito de São Luís, a exemplo de Duarte Júnior, e participação ativa na sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

Adversário direto para 2022 dentro do próprio grupo, Weverton Rocha já tem o PDT como cacife para a disputa na capital: trabalha com o presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho.

Estado Maior

sem comentário »

Eleições definem novos conselheiros da Cultura

0comentário

Desde o mês de maio que o Conselho Estadual de Cultura vem cumprindo uma série de ações relacionadas ao processo de eleição de novos conselheiros, previsto para este ano. Nesta terça-feira (6) foi realizado mais um fórum regional na cidade de João Lisboa, região oeste do Maranhão.

O calendário de ações para o processo eleitoral foi definido em maio, no auditório da Biblioteca Benedito Leite, com a participação de representantes da Capital e demais municípios, artistas, fazedores e produtores de cultura.

Para Neto de Azile, presidente do Consec-MA, é fundamental a participação de todos nesse momento.

“O Conselho sempre primou pela democratização e transparência das suas ações. Na reunião realizada em maio na Biblioteca Benedito Leite todo o processo de planejamento das eleições foi referendado pelo pleno, que decidiu sobre as datas, estratégias de mobilização e outras resoluções”.

As próximas agendas dos fóruns regionais estão previstas para os dias 9 de agosto (Fortaleza dos Nogueiras – região sul), 14 de agosto (São Benedito do Rio Preto – leste), 16 de agosto (São Mateus – região central) e 24 de agosto (Guimarães).

O Fórum Estadual de Cultura para eleição dos novos conselheiros está previsto para o dia 31 de agosto, em Açailândia.

“Convidamos todos a participarem dos encontros e a fazerem parte da construção desse processo. Os municípios que estão sediando os fóruns são parceiros na organização dos eventos e também mobilizadores junto ao público alvo”, diz Neto de Azile.

O secretário de Cultura do estado, Anderson Lindoso, aponta a democratização como um dos pontos fortes do Conselho. “A Secretaria de Cultura quer que o processo seja o mais participativo e democrático possível, com ampla representatividade de todas as regiões do Maranhão, pois entendemos que cada região do estado tem suas tradições e peculiaridades que devem ser representadas”, conclui o secretário.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Famem fará consulta sobre eleições unificadas

0comentário

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, Famem, realizará consulta junto à bancada federal para conhecer o posicionamento de cada  parlamentar diante da Proposta de Emenda Constitucional 56/2019 entre outros assuntos que integram a pauta encaminhada pelos prefeitos durante a edição deste ano da Marcha dos municípios à Brasília.

De autoria do deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC), o texto da PEC 56/2019 prevê a ampliação dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores por mais dois anos, para que, em 2022, o Brasil tenha eleições gerais. De acordo com a proposta, os gestores não poderão concorrer à reeleição, mesmo que no modelo atual tenham esse direito.

“Essa é uma das pautas que estamos apresentando à bancada para aferirmos o posicionamento de cada deputado. Temos outros temas candentes para tratarmos com nossos parlamentares que ora tramitam no Congresso, como 1% extra do Fundo de Participação dos Municípios, nova lei de licitação e a reforma da previdência”, observou o presidente da Famem, Erlanio Xavier. A consulta deverá acontecer durante evento realizado pela federação até o final de maio com participação da bancada, prefeitos, prefeitas, vereadores e vereadoras.

A pauta da Famem repercute as discussões encaminhadas pelas associações e federações em eventos. A ideia é produzir um documento que será apresentado conjuntamente por todas as entidades em encontro nacional, programado pela CNM para o dia 4 de junho.

O presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi, pretende conduzir um grupo de presidentes das entidades para dialogar com os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre; da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.  Aroldi tratou esta semana sobre o assunto com o presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, deputado Felipe Francischini (PSL-PR) e o relator do texto, Valtenir Pereira (MDB-MT).

“A gente se reuniu com o relator da matéria, o presidente da CCJ, para tentar construir uma posição que atenda à expectativa da população brasileira. A unificação das eleições é boa para o Brasil por conta da economia. Nós tivemos uma eleição no ano passado e teremos outra no próximo ano. Os orçamentos não se conversam. Em 2017, os Municípios vão estar nos seus planos plurianuais. Agora em 2019, a União e os Estados fazem o deles. Então, nosso orçamento não se alinha”, disse. No próximo dia 30 de maio, mais de 1,4 mil vereadores de Mato Grosso realizam um ato público em favor da PEC 56/2019.

O presidente da União dos Vereadores do Brasil (UVB), vereador de Iraí, no Rio Grande do Sul, Gilson Conzatti (MDB) acredita na aprovação da proposta. “Esta PEC é fundamental para nós vereadores, o Senado Federal realizou um levantamento e comprovou que o nosso país tem as eleições mais caras do mundo. Essa proposta trará economia para o Brasil, em um projeto econômico e coerente com o atual sistema eleitoral do país”, apontou o parlamentar.

Há uma corrente de congressistas que defende que os mandatos passem a durar cinco anos, a partir do próximo pleito. Com a alteração, os mandatos dos prefeitos e vereadores seriam estendidos e terminariam em 1º de janeiro de 2023, junto com os mandatos de governadores, vice-governadores, deputados federais e deputados estaduais, eleitos em 2018.

Foto: Divulgação

sem comentário »