Suspeita de negligência em morte de paciente no Hospital Carlos Macieira

2comentários

hcm.jpgA paciente Maria José Assunção, que estava internada há quatro meses no Hospital Carlos Macieira, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC), morreu na tarde do último sábado. O caso seria apenas mais um registro no óbituário da unidade de saúde, não fosse a série de episódios que antecederam a morte, marcados por comportamentos e atitudes com fortes indícios de negligência.

Uma fonte que fora visitar um parente internado no hospital e testemunhou o fato fez um relato indignado ao blog. Segundo ela, a mulher, já em idade avançada, sofreu uma parada cardíaca por volta das 16h. Uma equipe médica conseguiu reanimá-la e em seguida requisitou uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), instalada no 4º andar do hospital.

Ao ser levada para o setor, a paciente, em vez de ser acomodada imediatamente na UTI, ficou esperando por um bom tempo no corredor, na maca. Ao ver as condições em que estava a anciã, um fisioterapeuta da unidade cobrou sua remoção urgente para o leito e fez a seguinte advertência: “se ela sofrer nova parada cardíaca, não poderei fazer mais nada”. Apesar do alerta, o profissional não foi atendido.

Minutos depois, chegou uma médica e sentenciou: “a paciente não apresenta mais os sinais vitais”, para em seguida ligar para um profissional da equipe de enfermagem, repreendendo-o pelo descaso. A mesma médica ainda checou o quadro clínico da mulher e, ao constatar o óbito, fez novo contato telefônico com a área de enfermagem e, sem cerimônia, sentenciou: “tem mais um presunto aqui para vocês”.

O caso revoltou não só a fonte que fez o relato ao blog, mas todas as outras pessoas que presenciaram o fato. Infelizmente, não há certeza sobre uma possível apuração das responsabilidades no episódio. Ainda assim, vale o registro, pois, quem sabe, uma autoridade, ao tomar conhecimento, se digne a adotar uma providência.         

2 comentários para "Suspeita de negligência em morte de paciente no Hospital Carlos Macieira"


  1. Cicero

    AQUILO ALI É UM MATADOURO PUBLICO. HÁ DOIS ANOS MINHA FILHA FOI SALVA POR MILAGRE DAS MÃOS DOS AÇOUGUEIROS DAQUELA “CASA DE SAÚDE”. ESTAVA COM TODOS OS SINTOMAS DE APENDICITE, NO ENTANTO, A MÉDICA QUE A ATENDEU MANDOU QUE LEVÁSSEMOS A CRIANÇA PARA CASA DIZENDO “DIARREIA SE TRATA EM CASA”, NA TERCEIRA VEZ A CRIANÇA JÁ NÃO CONSEGUIA MAS ANDAR E AINDA ASSIM ESTAVA SENDO TRATADA COMO INFECÇÃO INTESTINAL E URINÁRIA. DEPOIS DE UMA SEMANA NO HOSPITAL E DE MUITA BRIGA DA MÃE DA CRIANÇA (MINHA ESPOSA) ELES AUTORIZARAM UM ULTRASOM, MAS ERA TARDE A APENDICE TINHA SUPURADO. E FIZERAM UMA LABORATOMIA EXPLORATÓRIA (BARRIGA ABERTA), LEVANDO NOSSA FILHA DE DEZ ANOS A FICAR 12 DIAS EM UTI, SÓ VOLTANDO PARA CASA DEPOIS DE 31 DIAS DE INTERNAÇÃO E QUATRO CIRURGIAS, HOJE AINDA SOFRE MUITO COM UMA GRANDE CICATRIZ NA BARRIGA O QUE ESTETICAMENTE É UM GRANDE PROBLEMA PARA A AUTO ESTIMA DE UMA ADOLESCENTE. TUDO GRAÇAS A IRRESPONSABILIDADE, INCAPACIDADE TÉCNICA E TOTAL DESCASO QUE OS SERVIDORES ESTADUAIS VIVEM NAQUELE É CINICAMENTE APELIDADO DE “HOSPITAL DO SERVIDOR”.

  2. andre

    nao entendo como esse hospital nao é um hospital de referencia no nosso estado, pois todos os funcionarios publicos contribuem e muito, mensalmente ( descontado em folha de pagamento, portanto sem atrasos ou falta de pagamento) ….fica o questionamento…como esta sendo investido nosso dinheiro??????????? cade a saude publica no nosso estado??????

deixe seu comentário