Muro de condomínio do PAC, no Monte Castelo, desaba pela segunda vez

1comentário
Muro do Residencial Jackson Lago caiu pela segunda vez em dois meses, deixando moradores novamente assustados

Muro do Residencial Jackson Lago caiu pela segunda vez em dois meses, deixando moradores novamente assustados

Parte do muro que cerca o Residencial Jackson Lago, condomínio construído com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Monte Castelo, desabou durante a forte chuva que caiu em São Luís no final da tarde de ontem. O incidente aconteceu na Rua Rachid Abdala e foi o segundo do tipo no local. Em fevereiro, um pedaço do muro foi ao chão na Rua Roma Velha e deixou moradores assustados.

Felizmente, ninguém passava no trecho na hora do desabamento. Mas algumas casas da Rua Rachid Abdala ficaram com rachaduras após a queda do muro.

Segundo especialistas em construção civil ouvidos pelo blog, a estrutura ficou fragilizada após a terraplenagem da área onde foi erguido o condomínio. A obra teria causado desnivelamento excessivo entre o residencial e a rua. Moradores dos blocos mais próximos ao muro temem que seus apartamentos também estejam ameaçados.

Hoje cedo, engenheiros e operários da empresa que construiu o Residencial Jackson Lago trabalhavam na recuperação do muro.

Foto: De Jesus/O Estado do Maranhão

1 comentário para "Muro de condomínio do PAC, no Monte Castelo, desaba pela segunda vez"


  1. Ilka Nascimento

    Sr. Daniel,
    Infelismente sou moradora da Rua Rachid Abdalla que vem sendo soterrada pelas Obras do PAC( A Avenida IV Centenário e o Condomínio Jackson Lago). Desde do ínicio das obras sofremos as consequências deste sonho que virou pesadelo, nós moradores de casas de alvenária que receberíamos o benefício de melhorias, agora nos restam casas rachadas,inclinadas,soterradas, danos materiais nas casas invadidas pela erosão, perda de veículos (carro e moto), e gostaria de FRIZAR QUE O MESMO MURO JÁ CAIU 5 (CINCO) VEZES E NÃO 3(TRÊS) como lhe informaram e todas as vezes foi feito B.O., acionado a Defesa Cívil, Corpo de Bombeiros, a SECID, a Vitral e Egesa( Empresas responsáveis pela execução da obras acima citadas) as empresas responsabilizam o Estado e o mesmo acusam as empresas informo também que todas as informações citadas estão registradas com fotos e documentos e nada foi providenciado definitivamente.ESTAMOS INDIGNADOS E DISPROVIDOS DE NOSSOS DIREITOS.
    Obrigada pelo espaço para protestar,
    Att,
    Ilka Nascimento

deixe seu comentário