E agora, Flávio Dino?! Maranhão lidera ranking nacional da miséria, aponta IBGE

2comentários

No estado governado pelo comunista, 53% da população sobrevivem com renda mensal por pessoa inferior a R$ 145, ou US$ 1,9 por dia

À mídia nacional, Flávio Dino Só aponta virtudes do seu governo

Mais de 13 milhões de pessoas foram identificadas em condições de extrema pobreza no Brasil, em 2018. Governado já quase cinco anos pelo comunista Flávio Dino, o Maranhão lidera o vexatório ranking. É o que aponta um levantamento realizado pelo IBGE, divulgado nesta quarta-feira (6). Segundo a publicação, de 2012 para 2018, o percentual subiu de 5,8% da população para 6,5%, um recorde em sete anos.

As informações foram apresentadas na Síntese de Indicadores Sociais (SIS). O número total é de 13,5 milhões de pessoas com uma renda mensal per capita menor que R$ 145, ou US$ 1,9 por dia. O critério estabelecido para a classificação de extrema pobreza foi criado pelo Banco Mundial.

O resultado identificado no ano passado tem 4,5 milhões de pessoas a mais do que em 2014, quando o Brasil registrou os menores índices de desemprego.

Maranhão

Na análise por estados, o Maranhão registou o maior taxa de pessoas com rendimento abaixo da linha da pobreza, 53% da população. Na contramão, Santa Catarina registrou o menor percentual para a população pobre, além de ter a menor desigualdade.  

Na análise por regiões, Norte e Nordeste apresentaram os maiores índices para quantidade de pessoas pobres no país, com resultados acima da média nacional.

2 comentários para "E agora, Flávio Dino?! Maranhão lidera ranking nacional da miséria, aponta IBGE"


  1. Helena

    A “culpa” é do Bolsonaro ou do Moro porque do governador ñ é.

  2. Pêral Lima

    O Maranhão sempre estará nessa situação à menos que as pessoas tomem consciência sobre em quem votar, à séculos o povo maranhense escolhe políticos de esquerda para seu enredo político, e vemos continuamente nosso estado ser destruído por tais governantes, é triste. ..

deixe seu comentário