Hildo Rocha garante academias ao ar livre na Uema

0comentário

O deputado federal Hildo Rocha destinou emenda para financiar a construção de quatro academias de saúde ao ar livre que serão instaladas nos campus e polos da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), nos municípios de São Luís, Barra do Corda, Bacabal e São João dos Patos. (Clique aqui e veja o vídeo).

“Essas academias de saúde irão servir para os alunos, professores, demais servidores da Uema e para as comunidades onde estão instalados os campus e os polos dessa importante instituição de ensino superior”, destacou Hildo Rocha.

O parlamentar disse que essa é mais uma ação que tem como finalidade contribuir para fortalecer o ensino universitário no Maranhão, principalmente, na Uema.

Hildo Rocha tem sido uma das vozes mais atuantes na defesa das universidades públicas, no Congresso Nacional. Dois exemplos de ações que o deputado realizou em prol da instituição: no ano de 2017, por meio de emenda parlamentar, Hildo Rocha destinou recursos para construir um belíssimo ginásio de esportes na Cidade Universitária Paulo VI, em São Luís.

Recentemente Hildo Rocha requereu oficialmente, ao Ministro da Educação, a implantação de Curso de Medicina na cidade de Chapadinha e a construção de um polo da Universidade Federal do Maranhão em Barra do Corda, pleitos há muito reivindicados que graças ao apoio do parlamentar finalmente ganha considerável impulso.

Foto: Divulgação/Agência Câmara

sem comentário »

Roberto Costa homenageia curso de Direito da Uema

0comentário

O deputado estadual Roberto Costa (MDB) e o deputado Rafael Leitoa (PDT) realizaram sessão solene em homenagem aos 10 anos de Fundação do Curso de Direito da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), na última quarta-feira (23), na Assembleia Legislativa do Maranhão. Na oportunidade, Roberto Costa condecorou o professor Flávio Trindade com a medalha Manuel Beckman, maior honraria do Poder Legislativo.

O deputado Roberto Costa destacou o desempenho do Curso de Direito da Uema, tanto em São Luís, quanto em Bacabal, que tem um histórico de resultados positivos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Em 2013, alcançou a nota 4,69. No último exame da OAB, 71,43% dos alunos do curso foram aprovados e a instituição ficou na14ª posição no ranking nacional.

“Sabemos da referência nacional que o curso de Direito da Uema tem em São Luís e Bacabal. É um orgulho para todos nós maranhenses saber dessa repercussão positiva e da boa estruturação do curso, o que traz resultados significativos”.

O professor Flávio Trindade foi fundador do curso de Direito da instituição e o primeiro diretor. “É uma pessoa extraordinária, um obstinado por aquilo que acredita. Por onde passou, destacou-se como gestor, sempre trabalhando com amor e dedicação à educação”, disse Roberto Costa.

O professor Flávio Trindade agradeceu a homenagem do deputado Roberto Costa e destacou o trabalho do parlamentar em prol do curso. “Sinto-me realizado e a homenagem é justa não somente para mim, mas para toda a Universidade Estadual do Maranhão. O deputado Roberto Costa acompanhou a criação do curso, tanto em São Luís, quanto em Bacabal. Ele apoiou e mediou, com o Governo do Estado, a contratação de professores para o curso e a Assembleia foi sensível a esta causa. O deputado Roberto Costa é presente no curso de Direito de São Luís e de Bacabal”.

O parlamentar falou também sobre o trabalho que o reitor Gustavo Pereira vem desenvolvendo na Uema. “Sei da sua luta pelo engrandecimento da universidade. Continue firme nesse caminho. O que fazemos aqui, nesta sessão solene, é justiça, pois quem ganha com tudo isso é o povo do Maranhão”, elogiou o deputado.

Ao final da solenidade, os deputados Rafael Leitoa e Roberto Costa entregaram placas a personalidades que, ao longo dos anos, contribuíram para o engrandecimento do Curso de Direito da Uema.

Os homenageados foram: o reitor Gustavo Pereira Costa; o chefe do Curso de Direito, professor Marcelo Carvalho; a coordenadora do curso, professora Jaqueline Alves; os professores Gilson Mendonça, Francisco José Pinto, Gisele Martins, Lúcia Maria Saraiva, José de Ribamar Bastos e José Maria Ramos.

A placa também foi entregue ao advogado José Espinosa Lima, aluno da primeira turma. E a Medalha “Manuel Beckman” foi entregue ao professor Flávio Trindade, pelo deputado Roberto Costa. Roberto Costa informou ainda que prestará uma homenagem ao curso de Direito da Uema de Bacabal.

Presenças

Os deputados Marco Aurélio (PCdoB), Sousa Neto (PRP), Bira do Pindaré (PSB), Zé Inácio (PT) e Wellington do Curso (PSDB) prestigiaram a solenidade. Participaram, ainda, o reitor da Uema, Gustavo Pereira da Costa; o chefe do Departamento do Curso de Direito, professor Marcelo de Carvalho; a coordenadora Jaqueline Alves, professores, alunos e ex-alunos.

Entre as autoridades, o secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Davi Teles, que representou o governador Flávio Dino; o presidente da Comissão de Educação da OAB-MA, Raimundo Gustavo, representando o presidente da instituição, Tiago Diaz; o promotor de justiça Raimundo Leite, promotor Gilberto e a promotora Cristiane Lago.

Foto: Kristiano Simas/Agência AL

sem comentário »

Uema capacitará professores em Santa Rita

0comentário

O prefeito Hilton Gonçalo assinou o termo de cooperação que vai possibilitar a capacitação de professores da rede municipal de ensino através do Programa Ensinar, o qual será desenvolvido pela Universidade Estadual do Maranhão. A Prefeitura de Santa Rita ficará responsável pela logística e a UEMA destinará os capacitores.

A iniciativa tem como objetivo a melhoria dos índices educacionais do município de Santa Rita. “Existe um grande investimento na recuperação e construção de escolas, mas também garantimos a capacitação dos nossos professores, garantindo mais qualidade na educação”, afirmou Hilton Gonçalo.

No Programa Ensinar vão ser contemplados os professores de Ciências (Química, Física e Biologia), Matemática, Letras (Português) e Geografia.

Com mais essa conquista para a Educação de Santa Rita, Hilton Gonçalo falou o quanto se sente honrado por estar cumprindo com mais uma de suas propostas de Governo, reafirmando assim, o seu compromisso com os munícipes.

“Eu mostrei minhas propostas de governo e a de número 1 era a implantação de um polo universitário em Santa Rita, diante desse fato, foi colocado à possibilidade de levar um polo da UEMA pra Santa Rita. Então aqui estamos implantando a nossa primeira proposta de governo, levando pra Santa Rita um polo da UEMA. Tínhamos implantado o IFMA, que infelizmente parou e agora estamos retornando com um polo da UEMA e estou certo de que será um grande avanço em nosso Município”, declarou.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Braide diz que Dino discrimina aposentados

0comentário

O deputado Eduardo Braide criticou, nesta segunda-feira (18), a aprovação da Medida Provisória 249/2017 (MP), que trata sobre os vencimentos dos professores da UEMA, sem a concessão do percentual de gratificação aos pensionistas e professores aposentados da instituição.

“O governador realmente parece discriminar os professores aposentados da UEMA. Ele não cumpriu o acordo para o pagamento da URV até o final do ano passado. Não encaminhou Projeto de Lei para incorporar o percentual da gratificação aos aposentados. E quando teve a oportunidade de faze-lo por meio de uma MP, esqueceu dos índices a esse quadro de professores. É uma verdadeira injustiça àqueles que transmitiram conhecimento a milhares de maranhenses ao longo dos anos”, destacou.

Antes da votação, Eduardo Braide ainda defendeu no Plenário da Assembleia, uma emenda de sua autoria, que garantiria os mesmos índices aos professores aposentados e pensionistas da UEMA. A emenda foi rejeitada pela base do governador Flávio Dino.

“A emenda repararia um erro, uma injustiça com os professores aposentados e pensionistas da Universidade Estadual. Ela garantiria que eles receberiam os índices a que fazem jus. Infelizmente a maioria decidiu manter a discriminação vinda do Governo do Estado”, lamentou o parlamentar.

O deputado lembrou que a valorização da UEMA só existe no discurso do Governo do Estado.

“A UEMA é a instituição mais citada no Programa de Governo do governador Flávio Dino. Com certeza, os professores dessa instituição mereciam um tratamento mais digno. Como se vê, o discurso é um e a prática continua sendo outra. O governador deveria respeitar os professores aposentados da UEMA”, concluiu Eduardo Braide.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »

Braide defende reajuste a aposentados na Uema

0comentário

O deputado Eduardo Braide apresentou nesta terça-feira (28), na reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), emenda de sua autoria à Medida Provisória (MP) 249/2017, que trata sobre os vencimentos dos professores da UEMA. A emenda do parlamentar garante que o salário dos professores aposentados seja o mesmo que é concedido aos que estão na ativa na Universidade.

“A nossa Constituição é clara ao estabelecer a paridade nos vencimentos entre professores da ativa e aposentados. E isso só não está acontecendo no Maranhão porque o Governo do Estado não concedeu a gratificação dada aos da ativa para os professores aposentados”, afirmou o deputado.

Logo depois, já na tribuna, Eduardo Braide relatou que a luta dos professores aposentados da UEMA vem desde o ano passado quando foram feitos alguns acordos, nenhum deles cumpridos.

“Essa situação dos professores da UEMA vem se arrastando desde o início do ano passado, quando foi iniciada uma série de reuniões. Eu mesmo participei de algumas dessas conversas, com o chefe da Casa Civil e na Procuradoria Geral do Estado. Os professores aposentados da UEMA não receberam a gratificação que foi dada pelo Governo do Estado aos professores da ativa. Como primeiro item de compensação ficaram de receber até o final do ano passado, o pagamento da URV, um direito que já lhes foi assegurado pela Justiça, transitado em julgado e que não foi cumprido pelo Executivo. O segundo item do acordo também não cumprido, foi que no início deste ano o Governo encaminharia um Projeto de Lei a esta Casa, incorporando o valor da gratificação ao vencimento dos professores. Dessa forma a situação estaria resolvida e os aposentados não teriam prejuízos”, explicou o parlamentar.

Ao fim do discurso, o deputado disse que espera uma resposta do Governo do Estado para a questão dos professores da UEMA, a partir de sua emenda.

“Apresentei essa emenda (na CCJ), houve a retirada de pauta da votação da Medida Provisória 249/2017 e o texto da nossa emenda será levado ao Governo do Estado, para que o Executivo possa dizer se vai conceder ou não o reajuste salarial de forma igualitária aos professores aposentados da UEMA. Espero que o Governo seja sensível sobre essa causa. E caso isso não ocorra, tenho a confiança de que esta Casa corrigirá essa injustiça na próxima sessão da CCJ e, logo após, na apreciação do Plenário da Assembleia. O que não pode é os professores aposentados da UEMA, que deram sua contribuição ao longo dos anos a milhares de maranhenses, serem agora tratados de forma diferente”, concluiu Eduardo Braide, que apresentou o texto da emenda aos professores da UEMA que participaram da reunião da CCJ.

Foto: Divulgação

sem comentário »

André Fufuca busca recursos para UemaSul

0comentário

O deputado federal André Fufuca (PP-MA) sensibilizado pelo clamor da juventude Sul Maranhense e acompanhando a luta do prefeito Cícero Neco e vereadores de Estreito, decidiu reforçar a luta por recursos para os diversos cursos superiores da grade curricular da Uema e UemaSul.

“Acabo de sair da reunião com o reitor da Uema, ainda essa semana estarei em reunião com a UemaSul. Me coloquei a disposição para ajudar a alocar recursos para novos cursos que não estão no projeto inicial. Não é uma missão fácil, porém é importante corrermos atrás. A união faz a força”, disse Fufuca após reunião com o reitor Gustavo Pereira da Costa.

Em audiência pública realizada na Câmara de Estreito, estudantes da região escolheram como prioridade os cursos de direito, engenharia civil, psicologia e enfermagem.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Braide lamenta suspensão de ano na Uema

0comentário

Braide lamenta suspensão de ano na Uema e cobra cumprimento de acordo com professores

 O deputado Eduardo Braide subiu à tribuna nesta quarta-feira (5), para lamentar que a Uema não reiniciará as aulas no segundo semestre letivo deste ano. A decisão foi tomada pelos professores durante assembleia geral da categoria – realizada na terça-feira (4) – que ainda espera o cumprimento do acordo firmado pelo Governo do Estado com os professores da universidade.

“É com muita tristeza que eu venho hoje anunciar que os professores da Uema decidiram ontem (4), por unanimidade, a não reiniciar as aulas no segundo semestre. Somente este ano, eu já estive nesta tribuna por três vezes cobrando uma posição do Governo do Estado para que não chegasse nessa situação, que é a de seus professores decidirem que não retornarão às aulas a partir do dia 14 de agosto”, declarou Eduardo Braide.

O deputado destacou ainda que participou do início e acompanha a negociação entre o Governo do Estado e os professores da Uema.

“O Governo do Estado se comprometeu em pagar a URV (já garantida pela Justiça) aos professores aposentados da Uema até dezembro do ano passado. Mas até hoje, seis meses se passaram e nem um centavo foi pago a nenhum professor. Por outro lado, ainda segundo o acordo, a gratificação dada aos professores da ativa deveria ter sido incorporada aos vencimentos por meio de um Projeto de Lei no início deste ano. Acontece que esse projeto nunca chegou aqui, conforme acordado com os professores da Uema”, explicou Eduardo Braide.

Ainda no discurso, o parlamentar criticou o descumprimento do Governo com os professores da Uema.

“É muito importante você inaugurar campus de universidade, tirar foto e aparecer em jornal. Mas de nada adianta ampliar a estrutura física e não respeitar o recurso humano, que é fundamental, principalmente, em uma universidade. A Uema, para que se tenha ideia, foi o órgão mais citado no plano de governo do governador Flávio Dino. Mas depois de eleito, ele demonstra qual é a importância que a Uema tem ao não dialogar e, mais do que isso, ao não cumprir o acordo firmado com os professores da universidade”, afirmou Braide.

Ao finalizar o pronunciamento, Eduardo Braide disse que ainda espera pela sensibilidade do governador, para evitar que os alunos da Uema não fiquem sem aula no retorno das férias.

“Continuo com a esperança de que até o dia 14 de agosto, o governador Flávio Dino que, diga-se de passagem, é um professor universitário, se sensibilize com a classe de professores da Uema, sente para negociar e possa evitar que os universitários sejam penalizados com essa decisão, que já foi por demais evitada pelos professores da universidade. Paciência tem limite e, certamente, depois de tantas assembleias e de tanta espera, a dos professores esgotou”, finalizou o deputado.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »

Audiência discute Conselho Universitário

0comentário

Aprovadas alterações no Projeto de Lei que cria Conselho Universitário do Maranhão

O deputado Eduardo Braide realizou, nesta segunda-feira (26), a segunda audiência pública para tratar do Projeto de Lei 126/2017, que cria o Conselho Universitário do Maranhão. Na oportunidade, foram apresentadas e aprovadas alterações na proposta, que é de autoria do Governo do Estado.

“No primeiro encontro com os representantes dos universitários e professores, apresentamos o Projeto e, juntos, identificamos as incoerências na proposta encaminhada pelo Governo. A primeira delas, a não inclusão de estudantes no Conselho e, ainda, a indicação de professores pelo próprio governador para o órgão. Com isso, essa discussão de hoje se faz ainda mais importante para que estudantes e professores sejam devidamente representados neste Conselho”, afirmou o deputado Eduardo Braide.

Representantes da Associação dos Professores da Universidade do Estado do Maranhão (Apruema), Associação dos Professores da Universidade Federal do Maranhão (Apruma), DCE da UFMA, além de representantes da UEMA e do Ceuma, que participaram das duas audiências sobre o tema, sugeriram e aprovaram alterações na proposta original encaminhada à Assembleia Legislativa pelo Governo do Estado.

As alterações

Na proposta original, os estudantes não tinham assento previsto no Conselho. Agora, com alteração proposta, comporão o Conselho “três universitários indicados pelas entidades representativas de classe”.

Com relação aos professores, a proposta do Governo do Estado, previa que apenas dois docentes com titulação de mestre ou doutor, seriam indicados ao Conselho pelo governador. Contudo, na alteração aprovada, “três professores, mestres ou doutores, indicados pelas entidades representativas de classe” devem compor o Conselho Universitário.

Outra alteração aprovada por unanimidade pelos representantes dos alunos e professores participantes das audiências, foi o tempo de mandato dessas representações no Conselho, o que também não era previsto na proposta original. O mandato deverá ser de um ano, podendo ser prorrogado por mais um.

Também foi incluído um dispositivo possibilitando que as reuniões sejam convocadas por 1/3 do colegiado e não somente pelo governador do Estado.
“Ouvimos quem deveria ter sido ouvido antes da proposta ser votada na Assembleia Legislativa. Acreditamos que com as alterações, estudantes e professores estão devidamente contemplados e que essas alterações serão aprovadas pelos deputados, uma vez que fica claro que agora, o Conselho Universitário cumprirá com o seu papel”, destacou Eduardo Braide.

As alterações ao Projeto de Lei 126/2017 seguem agora para apreciação da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. Posteriormente, a proposta vai à votação no Plenário da Assembleia.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »

Prefeitura e Uema firmam parceria

3comentários

Prefeitura e Uema firmam parceria para oferta de estágios na área de ciências agrárias

A Prefeitura de São Luís e a Universidade Estadual do Maranhão (Uema) celebraram, nesta sexta-feira (26), Acordo de Cooperação Técnica para abertura de campo de estágios a alunos da instituição, na área de Ciências Agrárias. O convênio instituindo a colaboração mútua foi assinado pelo prefeito Edivaldo e o reitor da Uema, Gustavo Pereira da Costa, em solenidade realizada no Palácio La Ravardière.

A ação será coordenada pela Secretaria Municipal de Agricultura Pesca e Abastecimento (Semapa), em parceria com a Divisão de Estágios e Monitoria da Uema.

“Uma importante parceria na qual a Prefeitura de São Luís coloca à disposição da Uema toda a sua expertise na área agrária, com o propósito de contribuir com a formação prática dos acadêmicos, abrindo novos campos para a experimentação científica, fomentando o conhecimento e o crescimento desses estudantes. A Prefeitura e a Uema sempre mantiveram um excelente relacionamento institucional e, com essa parceria, consolidamos ainda mais esse espírito colaborativo entre ambas as instituições”, afirmou o prefeito Edivaldo.

O convênio prevê a abertura de campos de estágios nas modalidades obrigatório e não obrigatório, voltados aos alunos dos cursos da área de Ciências Agrárias, como agronomia, zootecnia, engenharia de pesca e medicina veterinária. A parceria tem como objetivo proporcionar aos estudantes que estiverem regularmente matriculados na universidade a atuação prática nos setores ligados à Semapa, nas ações, projetos e programas desenvolvidos pela Prefeitura de São Luís no setor agrícola.

“A Prefeitura vai colocar à disposição da Uema toda a sua expertise no setor agrícola, para proporcionar aos estudantes da área a expansão do seu conhecimento, contribuir com o seu processo de ensino-aprendizagem visando à melhor formação dos futuros profissionais”, afirmou o titular da Semapa, Ivaldo Rodrigues.

Foto: A. Baeta

3 comentários »

Professores da Uema esperam resposta

0comentário

“Os professores da Uema esperam uma resposta do Governo há mais de um ano”, diz Braide 

O deputado Eduardo Braide usou a tribuna nesta terça-feira (23), para cobrar o cumprimento do acordo firmado entre o Governo do Estado e os professores da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

“Nós tivemos no fim de semana, a ida do governador a Imperatriz para inaugurar algumas dependências da UemaSul e isso é muito importante: ampliar e dar melhores condições aos universitários da Uema. A parte física é fundamental, mas não adianta o tijolo sem as pessoas. E o Governo do Estado vem desrespeitando os professores da Uema há muito tempo. Eu participo dessa negociação desde a primeira conversa, junto com uma comissão de professores da Uema, representados pela Apruema, na pessoa do seu presidente prof. Ubiraci Nascimento. Já estivemos na Casa Civil e na Procuradoria Geral do Estado, e até hoje, o acordo não foi cumprido com os professores. Somente este ano, essa já é a terceira vez que eu subo a esta tribuna para tratar do descumprimento do acordo firmado pelo Governo do Estado com os professores da Uema”, afirmou o deputado.

No pronunciamento, Eduardo Braide deu detalhes de como foi firmado o compromisso com os professores da Uema.

“O acordo consistia em incorporar aos vencimentos por meio de um projeto de lei, a gratificação que foi dada no ano passado aos professores da ativa. E que o Governo do Estado pagasse as URVs dos professores aposentados. Direito já garantido pela Justiça. O que aconteceu? O Governo se nega a encaminhar o projeto de lei à Assembleia a fim de incorporar a gratificação dos professores nos seus vencimentos e nunca pagou um centavo da URV aos professores aposentados. Mas isso não é de espantar, uma vez que o governo mandou para cá uma Medida Provisória prevendo a recomposição salarial sobre a gratificação e não sobre os vencimentos dos professores, contrariando o Art.32 do Estatuto do Magistério”, assinalou.

Eduardo Braide tratou ainda da contrariedade entre o discurso e a prática do governador.

“Que o governador desrespeita os professores do Estado a gente já sabe. Agora, no caso da Uema, o governador a colocou (isso está registrado na Justiça Eleitoral) como a principal instituição estadual no seu Plano de Governo e, portanto, o que tinha que acontecer era a valorização dos seus quadros. E veja a ironia do destino. No ano em que a Uema completa 35 anos de atividades, o Governo do Estado dá de presente aos professores o descumprimento do acordo. Isso é inaceitável. Você não pode ir para televisão posar ao lado de uma sala nova com práticas velhas, em relação a valorização dos professores. Que ele honre e cumpra com aquilo que acertou com os professores”, finalizou o parlamentar.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »