TJ suspende transferências em Medicina na UEMA

0comentário

O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), desembargador Joaquim Figueiredo, deferiu pedido da Universidade Estadual do Maranhão e suspendeu liminar proferida pelo Juízo da 1ª Vara da Comarca de Caxias, que determinava que a UEMA realizasse a transferência, ex officio (de ofício), de alunos de outras instituições de ensino superior para o curso de Medicina da instituição no Campus Caxias.

A decisão temporária anterior, de primeira instância, pela transferência, foi tomada tendo em vista que os alunos apresentariam distúrbios de ordem psicológica, necessitando de apoio familiar naquela localidade. O juiz de 1º grau havia fixado multa de R$ 1 mil, limitada ao montante de R$ 30 mil, em caso de descumprimento da ordem, bem como o bloqueio de verbas em favor dos requeridos.

A UEMA ingressou com um pedido de suspensão da segurança, alegando lesão à ordem e economia públicas. A universidade sustentou a ilegalidade da decisão, pois a sentença estaria comprometendo a regular prestação dos seus serviços educacionais, em especial do curso de Medicina, havendo risco de “periculum in mora” (perigo na demora) reverso na manutenção da decisão, ante possibilidade de ocorrência de efeito multiplicador, com a proposição de diversas ações da mesma natureza, causando graves prejuízos econômicos ao Estado.

A universidade afirma que não tem disponibilizado vagas para a transferência voluntária em seus editais no curso de Medicina (Bacharelado), Campus Caxias, em razão de falta de infraestrutura, ressaltando o não preenchimento dos requisitos necessários à transferência na modalidade pretendida.

DECISÃO – O presidente do TJMA destacou, de início, que a suspensão da execução de decisões proferidas por magistrados de 1º grau é medida de exceção e, por esta natureza, o deferimento se restringe a requisitos específicos. Disse que, para tanto, não se avalia a correção ou equívoco da decisão, mas a sua potencialidade de lesão, que, no caso, considerou nítida e evidente.

O desembargador disse que a percepção do presidente do Tribunal é restrita e vinculada, não comportando, assim, análise aprofundada do mérito da demanda. Entretanto, frisou que a jurisprudência das Cortes Superiores tem entendido que, para se exercer um juízo político acerca da potencialidade lesiva ao ente público, poderá ser realizado “(…)um juízo mínimo de delibação do mérito contido na ação originária.”

Joaquim Figueiredo verificou que entendimento firmado pelo Supremo Tribunal Federal acabou por viabilizar a transferência “ex officio” entre instituições de ensino superior, desde que observada a congeneridade entre a instituição de origem e a de destino, inviabilizando a transferência entre um sistema de ensino privado para um sistema de feição pública (ou vice-versa), com vistas à salvaguarda do interesse do restante do grupo social, ao proporcionar o preenchimento das vagas de universidades públicas apenas por meio de processo seletivo, segundo o critério do merecimento.

O presidente considera evidente que a transferência indiscriminada de alunos abala a própria infraestrutura da instituição de ensino, conturbando não apenas o ano letivo como a própria rotina acadêmica, inflacionando turmas e demandando maior quantidade de discentes, com evidente prejuízo ao desenvolvimento das atividades acadêmicas desenvolvidas, assim como macula a economia pública.

Mas lembrou que tais considerações são apenas no intuito de bem reconhecer o bom direito alegado, uma vez que não é possível, por meio do incidente processual proposto, adentrar em temas de mérito.

O desembargador Joaquim Figueiredo citou posicionamento semelhante do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e deferiu o pedido para suspender a liminar proferida pelo juiz da 1ª Vara da Comarca de Caxias. (Processo nº 0807835-89.2019.8.10.0000)

Foto: Divulgação / TJ

sem comentário »

Othelino recebe estudantes de medicina da UEMA

0comentário

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), recebeu, nesta quarta-feira (4), um grupo de alunos do curso de Medicina da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) da cidade de Caxias e conversou sobre o caso das transferências excessivas para a instituição, conseguidas por meio de liminares, que, segundo eles, compromete o andamento das aulas. O parlamentar abriu um canal de diálogo com os acadêmicos para apoia-los.

“Foi a primeira vez que ouvimos, de perto, os estudantes. Eles suspeitam que alguns entraram por via indevida na universidade, superlotando as salas de aula e gerando dificuldade na assimilação de conteúdo”, explicou o presidente. 

Na oportunidade, Othelino Neto reiterou a inconstitucionalidade da instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa para apurar o caso. “Temos uma interpretação majoritária na Casa de que seria uma invasão de competência instalar uma CPI para investigar eventuais desvios de condutas de membros do Judiciário, já que o próprio Judiciário seria a instância apropriada”, afirmou.

Em contrapartida, Othelino Neto citou o avanço no caso, conquistado com o apoio do Parlamento, atuando enquanto agente político. “A revogação de algumas liminares pelo próprio juiz foi um avanço bem significativo”, lembrou, reafirmando ainda que continuará acompanhando o andamento do processo permanentemente. “Daremos o apoio com aquilo que for prerrogativa deste Poder”, garantiu. 

Depois, mediou uma audiência entre os alunos e o corregedor-geral de Justiça, desembargador Marcelo Carvalho, que ficou marcada para a próxima segunda-feira (9), às 12h, no Fórum Desembargador Sarney Costa. E, em seguida, anunciou que agendará em breve uma reunião com o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, para que também discuta o assunto. 

Ao final da reunião, Othelino Neto abriu um canal de diálogo permanente entre a Alema e os acadêmicos de Medicina. “Vamos ouvi-los também sobre outras necessidades. Tenho certeza de que esse não é o único problema do curso”, afirmou. 

Para o estudante Alessandro de Sousa, representante do Centro Acadêmico de Medicina Aluízio Bittencourt de Albuquerque (Camaba), o apoio da Assembleia lhes dá mais segurança. “Saímos otimistas de que mais um passo foi dado. O presidente Othelino compreendeu nossos anseios e se comprometeu de continuar nos ajudando constantemente. Nossa expectativa agora é de que mais liminares possam cair daqui pra frente”, disse.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »

Duarte destina emenda para Engenharia na UEMA

0comentário

Para um deputado estadual que também é professor universitário, nada mais natural do que apoiar o desenvolvimento acadêmico do Maranhão.  Nesta terça-feira (3), Duarte Jr protocolou ofício destinando R$ 100 mil de emendas parlamentares para o Departamento de Engenharia da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). O objetivo é garantir a realização de cursos gratuitos de profissionalização e campo de estágio para os alunos das Engenharias.

O apoio foi anunciado no final de agosto, em reunião na universidade com Duarte Jr, alunos e os professores Carlos Ronyhelton, Ribamar Barros e Kaio Nogueira. O valor será voltado para as atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas pelo Núcleo Tecnológico de Engenharia da instituição (Nutenge).

Entre essas atividades, estão projetos como “Metalurgia Para Todos”, que levará capacitação e profissionalização para jovens e adultos de periferias de São Luís. “O investimento também permitirá que alunos e alunas tenham campo de estágio para colocar a teoria em prática”, comentou o parlamentar.

De acordo com o professor Carlos Ronyhelton, a emenda dará o suporte necessário também para projetos maranhenses de inovação tecnológica, desenvolvidos por alunos da UEMA de vários períodos no setor automobilístico, aeronáutica e aeroespacial. Organizados nas equipes Vórtex Racing, Bumba Meu Baja, Coyote, Carcará Rocket Design, Lanterna Verde e Zeus Aerodesign, eles agora terão na emenda um forte suporte para continuar alçando o nome da UEMA e do Maranhão no Brasil e no mundo.

Os cursos de Engenharia Civil (68º lugar), Engenharia de Produção (77º) e Engenharia Mecânica (85º) da UEMA possuem as melhores avaliações do Maranhão, de acordo com o Ranking Universitário Folha (RUF), elaborado pelo jornal Folha de São Paulo. Além disso, as equipes de Engenharia participam de eventos de nível internacional, como a Equipe Coyote, que também conta com apoio de Duarte Jr para apresentar o protótipo de um veículo automotor mais econômico e eficiente na Shell Eco-marathon Brasil, competição de inovação tecnológica que acontecerá entre universitários de toda a América Latina, neste mês de setembro, no Rio de Janeiro.

A emenda também tem o objetivo de trazer melhorias para as instalações de laboratórios e salas dos cursos de Engenharia, além da aquisição de novos equipamentos e máquinas, como explicou o professor Ribamar Barros ao deputado Duarte Jr. “Isso vai dar uma amplitude enorme para o trabalho das equipes. A gente tem um laboratório de soldagem e serralheria e o treinamento pra comunidade do entorno da UEMA precisa de um conjunto de máquinas, para qualificar jovens da comunidade”, informou o professor.

Duarte Jr falou aos alunos sobre a importância do seu apoio para o trabalho dos cursos de Engenharia. “Com essa emenda, vocês poderão fazer com que as instalações sejam utilizadas para melhor aprender e também possam prestar serviço para a sociedade”, concluiu.

O professor Carlos Ronyhelton agradeceu a iniciativa de Duarte Jr nas redes sociais do deputado. “Muito obrigado por todo o apoio e incentivo aos projetos que desenvolvemos na Engenharia Mecânica da UEMA. Na sua pessoa temos um exemplo de profissional e de político sério e comprometido com o progresso do nosso Estado do Maranhão e do nosso país”, escreveu o professor.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Yglésio pede CPI das transferências em Medicina

0comentário

Foi protocolado na manhã desta quinta-feira (29), na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, o requerimento do deputado Yglésio Moyses para criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar transferências externas suspeitas para o curso de Medicina da Universidade Estadual do Maranhão (saiba mais).

O requerimento, que necessita de 14 assinaturas para o pedido de abertura, obteve 15 adesões. Com o pedido protocolado, agora o requerimento será encaminhado para que o presidente Othelino Neto (PCdoB) solicite aos líderes de partidos ou bancadas as indicações dos seus membros para compor a Comissão que vai investigar transferências universitárias.

Proposta pelo deputado pedetista, o pedido de CPI levou as assinatura, também, dos deputados César Pires (PV), Ciro Neto (PP), Daniela Tema (DEM), Dr Leonardo Sá (PL), Felipe dos Pneus (PRTB) , Fernando Pessoa (SD), Mical Damasceno (PTB), Para Figueiredo (PSL), Paulo Neto (DEM), Rigo Teles (PV), Rildo Amaral (SD), Roberto Costa (MDB), Thaiza Hortegal (PP) e Zé Inácio Lula (PT). Deputados com base eleitoral em Caxias não assinaram pela abertura da CPI, são eles os deputados Adelmo Soares (PCDOB), Dra. Cleide Coutinho (PDT) e Zé Gentil (PRB), pai do prefeito de Caxias, Fábio Gentil (PRB).

A denúncia de possível irregularidade foi feita, na manhã de quarta-feira, pelos deputados César Pires (PV) e Yglésio Moyses. Em pronunciamento na tribuna da Casa, o parlamentar do PV relatou que inúmeras ações ordinárias e mandados de segurança, com pedido de liminar, têm sido impetrados na comarca de Caxias, desde 2016, por alunos de cursos de Medicina de faculdades privadas e de universidades estrangeiras, que alegam problemas de saúde para obter transferência para a Uema, em Caxias.

Os parlamentares também levaram a conhecimento público que estudantes oriundos de faculdades particulares do exterior estavam sendo transferidos para o curso de medicina da UEMA através de liminares. Segundo a denúncia dos deputados, as decisões liminares tinham similaridade, quase sempre pelo mesmo motivo: quadro de depressão, distância da família.

A presidente do Centro Acadêmico de Medicina da UEMA, Indira Odete Amorim, relata que as transferências têm influenciado na queda de qualidade do curso. No mesmo sentido, o deputado Yglésio destacou que a UEMA não pode ser vítima de sucateamento do ensino superior, em especial no curso de medicina. “As universidades têm que estar preparadas para receber os estudantes e isso demanda infraestrutura. Tem que ter laboratório suficiente para os estudantes. Garantir uma estrutura que seja compatível com a quantidade de alunos.”, defendeu Yglésio.

As decisões, segundo César Pires, não têm amparo legal. “É preciso garantir o devido processo de seleção dos alunos, assegurando acesso à universidade àqueles que comprovarem conhecimento para obter vaga em um curso que tem a enorme responsabilidade de formar profissionais que vão cuidar da saúde das pessoas”, disse o deputado César Pires (PV) na tribuna do Plenário Nagib Haickel da Assembleia.

Importante destacar que não há edital que garanta a transferência externa de alunos. “Não é menosprezar o problema de depressão. Mas quando você tem 17 decisões no mesmo sentido, todas as medidas liminares concedidas pelo mesmo magistrado. Nós começamos a ver problema em um curto horizonte”, disse o deputado Yglésio em discurso na tribuna.

Foto: JR Lisboa / Agência Assembleia

Blog de Gilberto Léda

sem comentário »

Seduc anuncia prorrogação das inscrições do PAES

0comentário

O ecretário de Estado da Educação do Maranhão, Felipe Camarão, anunciou neste sábado (10) a prorrogação das inscrições do Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (PAES) 2020.

As inscrições que seriam encerradas ontem (9), agora podem ser realizadas até a segunda-feira (19). A taxa de inscrição no valor de R$ 85 pode ser paga até a terça-feira (20).

Os candidatos podem realizar a inscrição por meio do endereço www.paes.uema.br. As provas da primeira etapa do PAES serão realizadas no dia 20 de outubro.

Estão sendo ofertadas 4.440 vagas, sendo 4.030 para os campi da Uema e 910 para a UemaSul, incluindo 40 vagas para o curso de Medicina da UemaSul, além dos cursos Engenharia Agronômica, Ciências Naturais e Letras.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Sedel e Uema firmam parceria para campeonatos

0comentário

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer (Sedel), firmou parceria com a Universidade Estadual do Maranhão (Uema), para a realização do ‘III Campeonato das Atléticas da Uema’ e o ‘Torneio das Associações Atléticas Acadêmicas das Engenharias’. A Sedel garantiu alojamento para os estudantes que virão do interior do estado, além de disponibilizar os ginásios Paulo Leite e Manoel Trajano, para a realização dos eventos.

O ‘III Campeonato das Atléticas da Uema’, evento esportivo universitário, ocorrerá de 12 a 16 de setembro, em São Luís.  O campeonato tem intenção fomentar a prática do esporte universitário com fins educativos e competitivos para crescimento do potencial esportivo no Maranhão.

Já o ‘Torneio das Associações Atléticas Acadêmicas das Engenharias’, acontecerá nos dias 12, 13 e 19 de outubro, sendo voltado a todas as atléticas universitárias das instituições de ensino superior de São Luís que tenham os cursos de engenharias, que este ano ficou sob a responsabilidade do Curso de Engenharia de Produção da Uema.

O apoio da Sedel foi discutido em uma reunião realizada na tarde desta quarta-feira (3) , entre o secretário adjunto da Sedel, Neto Azevedo, e o Coordenador de Cultura e Esporte (PROEXAE) da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), professor Wenderson Vasconcelos. 

Neto Azevedo, secretário adjunto da Sedel, disse que à secretaria está de portas abertas para ouvir atletas e todos aqueles que têm qualquer tipo de envolvimento com a prática esportiva. Além de afirmar que parcerias como esta feita com a Uema servem para alavancar o potencial esportivo do estado.

“Ficamos satisfeitos em poder contribuir com esses dois grandes eventos. A nossa intenção é promover e divulgar o potencial esportivo existente nos atletas universitários, bem como incentivar o crescimento do esporte no Maranhão”, ressaltou o secretário adjunto da Sedel.

De acordo com Coordenador de Cultura e Esporte (PROEXAE), professor Wenderson Vasconcelos, os eventos vão reunir aproximadamente 5 mil estudantes, da Uema do Campus Paulo VI de São Luís e demais Campis do interior juntamente com a UemaSul (Campus Imperatriz). 

“O apoio da Sedel para a realização desses eventos é fundamental, já que o nosso ginásio está em construção. Acreditamos também que depois de pronto possamos fazer novas parceria com a secretaria, como por exemplo, recebermos em nosso ginásio as algumas competições dos Jogos Escolares Maranhenses”, falou o professor Wenderson Vasconcelos.

Foto: Divulgação / Sedel

sem comentário »

Hildo Rocha garante academias ao ar livre na Uema

0comentário

O deputado federal Hildo Rocha destinou emenda para financiar a construção de quatro academias de saúde ao ar livre que serão instaladas nos campus e polos da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), nos municípios de São Luís, Barra do Corda, Bacabal e São João dos Patos. (Clique aqui e veja o vídeo).

“Essas academias de saúde irão servir para os alunos, professores, demais servidores da Uema e para as comunidades onde estão instalados os campus e os polos dessa importante instituição de ensino superior”, destacou Hildo Rocha.

O parlamentar disse que essa é mais uma ação que tem como finalidade contribuir para fortalecer o ensino universitário no Maranhão, principalmente, na Uema.

Hildo Rocha tem sido uma das vozes mais atuantes na defesa das universidades públicas, no Congresso Nacional. Dois exemplos de ações que o deputado realizou em prol da instituição: no ano de 2017, por meio de emenda parlamentar, Hildo Rocha destinou recursos para construir um belíssimo ginásio de esportes na Cidade Universitária Paulo VI, em São Luís.

Recentemente Hildo Rocha requereu oficialmente, ao Ministro da Educação, a implantação de Curso de Medicina na cidade de Chapadinha e a construção de um polo da Universidade Federal do Maranhão em Barra do Corda, pleitos há muito reivindicados que graças ao apoio do parlamentar finalmente ganha considerável impulso.

Foto: Divulgação/Agência Câmara

sem comentário »

Roberto Costa homenageia curso de Direito da Uema

0comentário

O deputado estadual Roberto Costa (MDB) e o deputado Rafael Leitoa (PDT) realizaram sessão solene em homenagem aos 10 anos de Fundação do Curso de Direito da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), na última quarta-feira (23), na Assembleia Legislativa do Maranhão. Na oportunidade, Roberto Costa condecorou o professor Flávio Trindade com a medalha Manuel Beckman, maior honraria do Poder Legislativo.

O deputado Roberto Costa destacou o desempenho do Curso de Direito da Uema, tanto em São Luís, quanto em Bacabal, que tem um histórico de resultados positivos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Em 2013, alcançou a nota 4,69. No último exame da OAB, 71,43% dos alunos do curso foram aprovados e a instituição ficou na14ª posição no ranking nacional.

“Sabemos da referência nacional que o curso de Direito da Uema tem em São Luís e Bacabal. É um orgulho para todos nós maranhenses saber dessa repercussão positiva e da boa estruturação do curso, o que traz resultados significativos”.

O professor Flávio Trindade foi fundador do curso de Direito da instituição e o primeiro diretor. “É uma pessoa extraordinária, um obstinado por aquilo que acredita. Por onde passou, destacou-se como gestor, sempre trabalhando com amor e dedicação à educação”, disse Roberto Costa.

O professor Flávio Trindade agradeceu a homenagem do deputado Roberto Costa e destacou o trabalho do parlamentar em prol do curso. “Sinto-me realizado e a homenagem é justa não somente para mim, mas para toda a Universidade Estadual do Maranhão. O deputado Roberto Costa acompanhou a criação do curso, tanto em São Luís, quanto em Bacabal. Ele apoiou e mediou, com o Governo do Estado, a contratação de professores para o curso e a Assembleia foi sensível a esta causa. O deputado Roberto Costa é presente no curso de Direito de São Luís e de Bacabal”.

O parlamentar falou também sobre o trabalho que o reitor Gustavo Pereira vem desenvolvendo na Uema. “Sei da sua luta pelo engrandecimento da universidade. Continue firme nesse caminho. O que fazemos aqui, nesta sessão solene, é justiça, pois quem ganha com tudo isso é o povo do Maranhão”, elogiou o deputado.

Ao final da solenidade, os deputados Rafael Leitoa e Roberto Costa entregaram placas a personalidades que, ao longo dos anos, contribuíram para o engrandecimento do Curso de Direito da Uema.

Os homenageados foram: o reitor Gustavo Pereira Costa; o chefe do Curso de Direito, professor Marcelo Carvalho; a coordenadora do curso, professora Jaqueline Alves; os professores Gilson Mendonça, Francisco José Pinto, Gisele Martins, Lúcia Maria Saraiva, José de Ribamar Bastos e José Maria Ramos.

A placa também foi entregue ao advogado José Espinosa Lima, aluno da primeira turma. E a Medalha “Manuel Beckman” foi entregue ao professor Flávio Trindade, pelo deputado Roberto Costa. Roberto Costa informou ainda que prestará uma homenagem ao curso de Direito da Uema de Bacabal.

Presenças

Os deputados Marco Aurélio (PCdoB), Sousa Neto (PRP), Bira do Pindaré (PSB), Zé Inácio (PT) e Wellington do Curso (PSDB) prestigiaram a solenidade. Participaram, ainda, o reitor da Uema, Gustavo Pereira da Costa; o chefe do Departamento do Curso de Direito, professor Marcelo de Carvalho; a coordenadora Jaqueline Alves, professores, alunos e ex-alunos.

Entre as autoridades, o secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Davi Teles, que representou o governador Flávio Dino; o presidente da Comissão de Educação da OAB-MA, Raimundo Gustavo, representando o presidente da instituição, Tiago Diaz; o promotor de justiça Raimundo Leite, promotor Gilberto e a promotora Cristiane Lago.

Foto: Kristiano Simas/Agência AL

sem comentário »

Uema capacitará professores em Santa Rita

0comentário

O prefeito Hilton Gonçalo assinou o termo de cooperação que vai possibilitar a capacitação de professores da rede municipal de ensino através do Programa Ensinar, o qual será desenvolvido pela Universidade Estadual do Maranhão. A Prefeitura de Santa Rita ficará responsável pela logística e a UEMA destinará os capacitores.

A iniciativa tem como objetivo a melhoria dos índices educacionais do município de Santa Rita. “Existe um grande investimento na recuperação e construção de escolas, mas também garantimos a capacitação dos nossos professores, garantindo mais qualidade na educação”, afirmou Hilton Gonçalo.

No Programa Ensinar vão ser contemplados os professores de Ciências (Química, Física e Biologia), Matemática, Letras (Português) e Geografia.

Com mais essa conquista para a Educação de Santa Rita, Hilton Gonçalo falou o quanto se sente honrado por estar cumprindo com mais uma de suas propostas de Governo, reafirmando assim, o seu compromisso com os munícipes.

“Eu mostrei minhas propostas de governo e a de número 1 era a implantação de um polo universitário em Santa Rita, diante desse fato, foi colocado à possibilidade de levar um polo da UEMA pra Santa Rita. Então aqui estamos implantando a nossa primeira proposta de governo, levando pra Santa Rita um polo da UEMA. Tínhamos implantado o IFMA, que infelizmente parou e agora estamos retornando com um polo da UEMA e estou certo de que será um grande avanço em nosso Município”, declarou.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Braide diz que Dino discrimina aposentados

0comentário

O deputado Eduardo Braide criticou, nesta segunda-feira (18), a aprovação da Medida Provisória 249/2017 (MP), que trata sobre os vencimentos dos professores da UEMA, sem a concessão do percentual de gratificação aos pensionistas e professores aposentados da instituição.

“O governador realmente parece discriminar os professores aposentados da UEMA. Ele não cumpriu o acordo para o pagamento da URV até o final do ano passado. Não encaminhou Projeto de Lei para incorporar o percentual da gratificação aos aposentados. E quando teve a oportunidade de faze-lo por meio de uma MP, esqueceu dos índices a esse quadro de professores. É uma verdadeira injustiça àqueles que transmitiram conhecimento a milhares de maranhenses ao longo dos anos”, destacou.

Antes da votação, Eduardo Braide ainda defendeu no Plenário da Assembleia, uma emenda de sua autoria, que garantiria os mesmos índices aos professores aposentados e pensionistas da UEMA. A emenda foi rejeitada pela base do governador Flávio Dino.

“A emenda repararia um erro, uma injustiça com os professores aposentados e pensionistas da Universidade Estadual. Ela garantiria que eles receberiam os índices a que fazem jus. Infelizmente a maioria decidiu manter a discriminação vinda do Governo do Estado”, lamentou o parlamentar.

O deputado lembrou que a valorização da UEMA só existe no discurso do Governo do Estado.

“A UEMA é a instituição mais citada no Programa de Governo do governador Flávio Dino. Com certeza, os professores dessa instituição mereciam um tratamento mais digno. Como se vê, o discurso é um e a prática continua sendo outra. O governador deveria respeitar os professores aposentados da UEMA”, concluiu Eduardo Braide.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »