Sai laudo de exame de conjunção carnal feito em jovem que acusa Ribamar Alves de estupro

3comentários
Ribamar Alves desembarca de helicóptero do GTA na SSP após ser transferido para São Luís (Foto: Biné Morais/O Estado)

Ribamar Alves desembarca de helicóptero do GTA na SSP após ser transferido para São Luís (Foto: Biné Morais/O Estado)

O laudo do exame de conjunção carnal feito pelo Instituto Médico Legal (IML) na jovem de 18 anos que acusa o prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), de estupro aponta indícios de que houve ato sexual. O político está preso preventivamente por ordem do Tribunal de Justiça desde a última sexta-feira, no Presídio São Luís I, onde há uma ala para detentos com diploma de nível superior.

O resultado do exame, assinado pela médica legista Márcia Sandra de Castro Moraes, aponta a presença de “secreção espessa esbranquiçada no introito vaginal” da suposta vitima. Também foi constatada a existência de “ferida contusa pequena com sangramento discreto na comissura posterior dos lábios”.

O laudo informa ainda que a jovem “no dia 29 do corrente mês (28, na verdade) combinou com o prefeito de Santa Inês que a buscasse em sua residência para resolver problemas relativos a uma licença para compra de material para a prefeitura. Informa ainda que, “quando ele foi deixá-la em casa, a conduziu a um motel, sem sua anuência. No motel, pediu que ele não tirasse sua roupa, mas ele não atendeu e que não ofereceu mais resistência porque ficou com medo do que pudesse acontecer. Informa que ele a forçou a praticar sexo vaginal sem proteção e que sua última relação sexual havia sido aos 14 anos de idade”.

O exame não apontou lesões corporais externas e constatou que a genitália externa está compatível com o desenvolvimento normal, além de rupturas himenais antigas. Segue o laudo:

exame carnal

3 comentários para "Sai laudo de exame de conjunção carnal feito em jovem que acusa Ribamar Alves de estupro"


  1. JN

    Infeliz a formulação destes quesitos.Por que as questões a cerca da virgindade? Não há no código penal nenhum dispositivo que aborde o tema nos crimes sexuais.Ou seja, ser a vítima de estupro virgem , não atenua ou aumenta a gravidade da violência, de acordo com a Lei.Na verdade os quesitos deveriam ter enfoque inicial nos vestígios de conjunção carnal recente,estabelecendo nexo com o relato da provável vítima e ,principalmente, se há indícios de violência para consumação da mesma.Resumindo, a descrição das lesões por si só permite afirmar que houve conjunção recente , embora não haja descrição de vestígios de violência física e os quesitos formulados confundem ,muito mais que esclarecem.

  2. raul

    nossa quanta imprudência do blog em expor o nome da vitima. que eu saiba esse tipo de crime corre em segredo de justiça justamente pra prserva a vitima.

  3. KLECIO CARVALHO DE ARAUJO

    Esse exame aí não tem condição de confirmar que o suposto agressor cometeu o crime.Secreção espessa esbranquiçada na vagina pode ser várias coisas,incluindo infecção por cãndida.Foi feito pesquisa de espermatozóide na secreção vaginal?Qual o resultado?O quê confirmaria que o crime foi cometido por fulano ou beltrano seria a análise de DNA da secreção compatível com o DNA do suspeito.

deixe seu comentário