Edivaldo anuncia Feira do Livro para outubro

0comentário

“A 13ª Feira do Livro de São Luís – FeliS, maior evento literário do Maranhão, já tem data marcada. O evento vai acontecer de 11 a 20 de outubro no Multicenter Sebrae”, disse o prefeito Edivaldo Holanda Junior em suas redes sociais na noite de sexta-feira (30).

O anúncio é, sem dúvida, uma boa notícia visto que a FeliS é uma importante ação da gestão do prefeito Edivaldo de fomento à leitura e que impulsiona o comércio livreiro de São Luís. Este ano a feira tem como patrono o escritor Aluísio Azevedo.

Entre as atrações, todas gratuitas, estão palestras com escritores nacionais e locais, lançamentos de livros, rodas de conversa, mesas redondas e conferências, seminários, plenárias, bate-papos literários, workshops, oficinas e minicursos, intervenções artísticas, espetáculos teatrais, performances poéticas, contações de histórias, apresentações culturais, exposições, pocket shows e visitas de escritores a escolas da rede pública. Milhares de títulos estarão à venda no local. Ano passado o volume de venda chegou a R$ 1,6 milhão.

Espera-se este ano repetir o sucesso dos anos anteriores em volume de negócio e movimento de pessoas nas atividades pensadas para atrair o público de todas as idades. Em 2018, cerca de 160 mil pessoas visitaram o evento. A FeliS soma-se a muitas outras ações nessa área colocadas em prática pelo prefeito Edivaldo, a exemplo projeto Contadoras de História, vencedor do Troféu Baobá de Literatura, um reconhecimento nacional pela importante iniciativa de incentivo à leitura. Com certeza, essa será uma grande festa literária.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Honorato destaca importância da Feira do Livro

1comentário

O vereador Honorato Fernandes (PT), em pronunciamento realizado na última segunda-feira(18) no plenário da Câmara Municipal de São Luís, parabenizou a Prefeitura de São Luís pela realização da 12ª Feira do Livro de São Luís e não economizou críticas à conduta do futuro presidente Jair Bolsonaro ao pontuar várias ações “desastrosas”, como denominou o parlamentar, do chefe de estado recém eleito.

A 12ª edição da Feira do Livro de São Luís foi o primeiro assunto pautado pelo parlamentar, que destacou a importância da iniciativa para o estímulo à leitura, parabenizando ainda a Prefeitura pela realização do evento, que já integra o calendário cultural da capital maranhense.

“Quero parabenizar a Prefeitura de São Luís pela execução da 12ª edição da Feira do Livro de São Luís, uma iniciativa importante e por isso deve ser destacada, por valorizar e incentivar a prática da leitura. Um sociedade formada por indivíduos que não lêem é uma sociedade composta por pessoas sem senso crítico e sem consciência cidadã”, destacou Honorato.

O parlamentar deu sequência ao pronunciamento, fazendo ainda um breve resumo das ações “desastrosas”, já cometidas pelo futuro presidente Jair Bolsonaro, embora o mesmo ainda não tenha nem tomado posse. Dentre as ações, Honorato destacou a saída dos médicos cubanos do Programa Mais Médicos.

“O futuro presidente tem adotado posturas que só têm colocado o nosso país em descrédito, no que diz respeito a sua política externa. Citemos, por exemplo, a decisão de Cuba deixar o programa Mais Médicos após as declarações ameaçadoras de Bolsonaro de que expulsaria os médicos cubanos com base na prova do Revalida. Uma postura de completo desrespeito com os médicos cubanos, que, desde 2013, atuam nos redutos mais longínquos desse país, levando atendimento em saúde básica para a população de baixa renda, povos tradicionais e comunidades indígenas, outrora abandonados pelo serviço de saúde pública”, disse o vereador.

Honorato finalizou as críticas destacando ainda, na lista das ações “desastrosas”: a infeliz fala de Bolsonaro quando desqualificou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no que tange a produção de dados de desemprego no país, o que provocou o posicionamento da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em defesa do IBGE; a intenção do futuro presidente de criminalizar movimentos sociais e ONG’s, por meio de um projeto de lei que já tramita no Congresso; a tentativa de fusão do Ministério da Agricultura e do Meio Ambiente, bem como de extinção do Ministério do Trabalho; o atrito diplomático entre Brasil e Egito após Bolsonaro defender o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, e não da Palestina, levando o Brasil para o centro de uma guerra armada entre judeus e palestinos, que dura mais de meio século.

Foto: Zagroz Neto

1 comentário »

Feira do Livro tem programação especial no feriado

3comentários

Nesta terça-feira (20) é celebrado em todo país o Dia Nacional da Consciência Negra, em referência à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. No Maranhão, será feriado em todo Estado pela primeira vez. A 12ª Feira do Livro de São Luís, maior evento literário maranhense, promovido pela  Prefeitura de São Luís, implementou em sua programação uma série de atividades para colocar a cultura negra em foco e abriu espaço para a I Feira SLZ Preta, que além dos estandes de exposição e comercialização de produtos afro, traz discussões pertinentes e de valorização desta cultura. A FeliS, organizada pela gestão do prefeito Edivaldo, ocorre no Multicenter Sebrae até o dia 25 de novembro, com programação gratuita das 10h às 22h.

A Feira SLZ Preta do Estado do Maranhão (FSP) surge da necessidade de apresentar para a sociedade ludovicense a cadeia produtiva de diversificados produtos afro-brasileiros confeccionados por artesãos, pintores, escritores, trancistas, cabeleireiros afros, artistas, designers de moda étnica, entre outros produtores. O evento está acontecendo dentro da 12ª Feira do Livro de São Luis e é uma vitrine para investidores, empresários e consumidores maranhenses, além de ser um espaço para a promoção da economia solidária e criativa, contando com produtos de alta qualidade. É também um espaço para shows, atividades educacionais, intervenções artísticas, elaboração de oficinas e muito mais.

“A Prefeitura coloca no centro essa discussão tão rica e tão importante dentro da 12ª FeliS. Mais de 80% da população do Maranhão é negra e nada mais justo do que enfatizarmos esta nossa cultura, nossas raízes, nosso povo. Somos conhecidos mundialmente pela nossa cultura popular, que nasce na cultura negra e é feita por nós, que somos negros”, ressaltou o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão.

Outro ponto bastante relevante da FSP, serão as palestras e mesas redondas promovidas por escritores locais e de renome nacional. Esta 1º edição conta com a participação do escritor Luciano Góes, vencedor do Prêmio Jabuti de obra jurídica 2017; dra. Vanda Machado; pós doutora Rosane Borges; professora Aurea Borges, presidenta do Conselho das Populações Afrodescendentes (Comafro); Gabriel Furtado, subdefensor geral da Defensoria Pública do Estado do Maranhão; Isabella Miranda, diretora da Escola Superior da Defensoria Pública; Eduardo Ribeiro, pesquisador e militante negro de Salvador (BA); Bruna Candido, advogada e membro a Associação de Advocacia Negra do Brasil (São Paulo).

Foto: Agência São Luís

3 comentários »

Feira do Livro: mais um acerto de Edivaldo

3comentários

A gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) deu início nesta sexta-feira (16) a 12ª Feira do Livro de São Luís (FeliS), o maior evento literário do Maranhão. A 6ª edição sob administração do pedetista acontece até o dia 25 deste mês, das 10h às 22h, no Multicenter Sebrae (Cohafuma), com programação gratuita e para todos os públicos.

Com sucessivas edições de sucesso desde que assumiu a Prefeitura de São Luís, Edivaldo comprova que mesmo em meio a uma crise nacional tem conseguido fazer investimentos em todas as áreas que a cidade precisa, inclusive em ações diretas de estímulo ao conhecimento, incentivo à leitura e aproximação da cultura local.

A Feira do Livro vem crescendo a cada ano e já faz parte do calendário de São Luís, sendo aguardada ansiosamente por todos os setores da população, que encontram no local um espaço democrático, com atividades gratuitas e para todos os públicos, reunindo escritores nacionais e locais, lançamentos de livros, palestras, rodas de conversa, seminários, sessões de cinema, oficinas e minicursos, intervenções artísticas, contações de histórias, shows, visita de escritores a escolas da rede pública, entre outras ações.

É mais um acerto do prefeito Edivaldo, que a cada edição reinventa a Feira do Livro. Este ano uma das novidades é local, o Multicenter Sebrae, no bairro Cohafuma, que deixou o evento mais amplo (11.500m²), com espaço para realização de mais atividades e trazendo mais conforto aos 150 mil visitantes que são esperados nesta edição.

A Feira do Livro de São Luís é realizada pela Prefeitura de São Luís e conta ainda com a parceira do Sebrae, Sesc, Vale, Gasmar, Governo do Maranhão, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Associação dos Livreiros do Maranhão (Alem) e Potiguar.

Foto: Maurício Alexandre

3 comentários »

Prefeitura de São Luís abre Feira do Livro

3comentários

Tendo como tema “A brasilidade na cultura contemporânea”, a 12ª Feira do Livro de São Luís (FeliS), maior evento literário do Maranhão, foi aberta na noite desta sexta-feira (16), no Multicenter Sebrae (Cohafuma). Na ocasião, o ator maranhense Domingos Tourinho apresentou a performance sobre o texto “A Arte do Belo”, de Graça Aranha, escritor patrono do evento que também homenageia dois matemáticos: os maranhenses Joaquim Gomes de Sousa e João Antônio Coqueiro.

A iniciativa de incentivo à leitura e fomento à literatura, realizada pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, se estende até o dia 25 de novembro com mais de 500 atividades, das 10h às 22h. Esta é a sexta edição da Feira realizada na gestão do prefeito Edivaldo.

Na cerimônia de abertura da 12ª Feira do Livro de São Luís, o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão, destacou que no momento de mais gave crise política e econômica do país, o prefeito Edivaldo demonstra que tem compromisso com a cultura. “A Feira é uma referência para nós. Metade das 12 edições foi realizada na gestão do prefeito Edivaldo. Isso foi possível graças à construção de parcerias. Consolidamos o evento que é forte na cidade e promove não apenas o livro, mas todas as outras cadeias que a literatura envolve”, disse o secretário Marlon Botão, que representou o prefeito Edivaldo na solenidade de abertura.

Promovida pela Prefeitura de São Luís por meio das secretarias de Cultura (Secult) e Educação  (Semed) a Feira é correalizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae-MA) e Serviço Social do Comércio (Sesc-MA), com patrocínio da Vale e Companhia Maranhense de Gás (Gasmar), apoio do Governo do Estado, Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e Associação dos Livreiros do Maranhão e empresa Potiguar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e parceria com a TV Difusora.

O superintendente do Sebrae-MA, Edilson Baldez, disse enxergar na FeliS um espaço ideal para a disseminação do conhecimento e estímulo às potencialidades intelectuais das pessoas, principalmente na área do empreendedorismo. Durante os 10 dias do evento, o Sebrae desenvolve uma programação com ações voltadas para o projeto de economia criativa e programa de educação empreendedora de escopo nacional.

“O conceito de sustentabilidade e pluralidade permeia a concepção desta edição da Feira e o Sesc por ser uma instituição de promoção de ações socioeducativas e culturais tem a felicidade de participar desse evento tão importante para a cultura local”, ressaltou a representante do Sesc, Rutineia Amaral, em seu discurso de abertura. “É uma emoção participar dessa Feira que somos parceiros desde a primeira edição”, disse Gisele Pinto, da Vale, empresa que patrocina o evento.

Foto: Maurício Alexandre

3 comentários »

Edivaldo lança a 12ª Feira do Livro de São Luís

3comentários

“A Brasilidade na Cultura Contemporânea” é o tema da 12ª edição da Feira do Livro de São Luís (FeliS), que será promovida pela Prefeitura de São Luís de 16 a 25 de novembro, no Multicenter Sebrae. Nesta quarta-feira (31), o prefeito Edivaldo Holanda Júnior lançou oficialmente o evento, que este ano tem como patrono o escritor maranhense Graça Aranha, um dos articuladores da Semana de Arte Moderna, movimento artístico de grande importância para história e a cultura brasileira. A FeliS é coordenada pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult), com apoio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e tem como correalizadores o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Serviço Social do Comércio (Sesc).

“É com muita felicidade que estamos preparando essa grande festa da nossa literatura. Será uma semana repleta de atividades para enaltecermos nossas letras, nossas artes, valorizar nossos escritores e a cultura ludovicense de modo geral. A Feira do Livro de São Luís já é um patrimônio da nossa cidade e se transformou no maior espaço de estímulo à leitura e fomento à literatura do Maranhão. Realizaremos centenas de atividades para todas as idades e convidamos toda a população para participar desse grande momento literário”, disse o prefeito Edivaldo que estava acompanhado do vice-prefeito, Julio Pinheiro e dos secretários Marlon Botão (Cultura) e Moacir Feitosa (Educação).

No lançamento, realizado no auditório Fernando Falcão, o prefeito e o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão, apresentaram a programação da 12ª FeliS à imprensa, parceiros, escritores e convidados. A programação completa do evento já está disponível no site http://www.feiradolivrodesaoluis.com.br/programacao. Participaram do ato de lançamento da 12ª Felis o superintendente do Sebrae-MA, João Batista Martins; a diretora regional em exercício do Sesc-MA, Rutineia Amaral; a gerente de Relações Institucionais da Vale, Gisele Pinto; e o diretor da Companhia Maranhense de Gás (Gasmar) José Artur Cabral.

A FeliS tem ainda como apoiadores do evento o Governo do Maranhão, a Vale, a Companhia Maranhense de Gás (Gasmar), a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), a Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Associação dos Livreios do Maranhão e a Potiguar.

Foto: A. Baeta

3 comentários »

Prefeitura lança Feira do Livro de São Luís

0comentário

Espaço para autores maranhenses, mostra de literatura nacional e internacional, palestras com escritores e uma série de atividades artísticas e culturais compõem a programação da 11ª edição da Feira do Livro de São Luís (FeliS). O evento foi apresentado oficialmente na tarde desta quarta-feira (1º), em coletiva à imprensa, no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho. A FeliS é promovida por meio de parceria entre a Prefeitura de São Luís e o Governo do Maranhão e será realizada de 10 a 19 de novembro, em diversos pontos do Centro Histórico.

“Esta edição é simbólica pela parceria sempre exitosa com a Prefeitura e demais colaboradores e por ser uma importante iniciativa para os estudantes, que além da vasta programação poderão adquirir obras gratuitamente. O governador Flávio Dino apoia esse evento desde seu primeiro ano de gestão, demonstrando seu respeito e dedicação à cultura maranhense”, enfatizou o secretário de Estado de Educação (Seduc), Felipe Camarão, que representou o governador Flávio Dino.

Na avaliação do vice-prefeito de São Luís, Julio Pinheiro, a FeliS é um grande fomento à leitura e ferramenta contribuinte para que se melhore o cenário da educação. “O objetivo principal desse macro evento é melhorar a realidade educacional e social, integrando diversos segmentos e, reconhecidamente, homenageando a primeira romancista do Brasil, Maria Firmina dos Reis”, pontuou ele, que no evento representou o prefeito Edivaldo.

Participar deste evento de referência para as letras e a literatura do Maranhão é de forte simbolismo, enfatizou o secretário de Estado de Cultura e Turismo (Sectur), Diego Galdino. “Entendemos que este evento não poderia ficar de fora do calendário cultural da cidade e esta edição tem um grande simbolismo por ser no Centro Histórico, berço da Feira do Livro. Sobretudo, a base da gestão do governador Flávio Dino é mudar a realidade do Maranhão pela educação, e a FeliS simboliza esse esforço”, reforçou.

O secretário municipal de Cultura (Secult), Marlon Botão, enfatizou o mote inclusivo, de resistência e espaço para todos os que não têm o devido alcance ao conhecimento. “É muito significativo realizar mais uma edição podendo contar com importantes parceiros que somam com a Prefeitura para o prosseguimento desta ação de relevância para a cidade e o Maranhão”, destacou.

“A FeliS é espaço para o reconhecimento, representatividade e ferramenta importante de divulgação da cultura e literatura do estado”, pontuou o diretor de Relações Institucionais da Vale, Dorgival Pereira. A empresa é uma das patrocinadoras da Feira.

Nesta edição, a FeliS homenageia a escritora maranhense Maria Firmina dos Reis, primeira romancista brasileira, que se destacou pela criatividade e genialidade. A temática do evento focará nas questões de identidade racial e de gênero.

Foto: Maurício Alexandre

sem comentário »

Feira do Livro recebe 150 mil visitantes

1comentário

CacoBarcelos

Conferência de encerramento foi com o jornalista e escritor, Caco Barcellos, da Rede Globo.

A 10ª edição da Feira do Livro de São Luís (FeliS), encerrada no último domingo (13), foi um sucesso de público. Cerca de 150 mil pessoas prestigiaram os sete dias de evento cuja programação reuniu escritores locais e nacionais em uma grande celebração às letras.

A conferência de encerramento foi com o jornalista e escritor, Caco Barcellos, do Profissão Repórter da Rede Globo. Ele partiucipou da Feira em dois momentos: a tarde no Espaço Jovem com um bate-papo para a juventude e à noite em plaestra com tema “A arte da Comunicação”, mediada pelo curador da 10ª FeliS, Alberto Júnior.

Barcellos destacou que a reportagem nada mais é que uma história contada a partir de vários olhares. “É preciso ter muito cuidado porque um bom repórter fala em nome da sociedade e ele não coloca a sua visão. Ter ética em uma era de informação muito volátil é essencial, é o que determina a credibilidade do profissional. Uma entrevista pode conter mentiras, portanto é preciso comprovar cada palavra dita, os fatos dizem por si só. No Profissão Repórter temos um processo colaborativo, não damos ordens, damos exemplos”, disse o jornalista.

O repórter celebrou 10 anos de Profissão Repórter com um montante de 1.200 reportagens no ar e falou de sua influência literárias. “Eu sempre ouvi e contei histórias, nunca fiz nenhum outro trabalho que não fosse esse. A única diferença é que tudo que eu conto é real, eu intitulo de ‘Romance de não ficção’. É uma herança do meu avô que era trovador e contava histórias ao som do violão, cresci ouvindo aquilo. Escolhi estar nas ruas, fazendo o que eu gosto, porque minha família sempre me ensinou a não abrir mão a minha felicidade e acho que isso é o mais importante da vida. Acredito que além disso, os livros são uma oportunidade concentrada no melhor que o autor pode dar, damos cada dia uma nova oportunidade aos leitores de nos conhecerem”.

Muitos fã aproveitaram para bater fotos com o repórter Caco Barcelos da Rede Globo

Muitos fã aproveitaram para bater fotos com o repórter Caco Barcelos da Rede Globo

Com um total de 120 apresentações, 70 grupos artísticos, 40 contações de histórias, 28 intervenções, 14 palestrantes nacionais, 50 escolas e 30 mil crianças atendidas em diferentes atividades infantis, como o Cine Sesc, Biblio Sesc, pinturas faciais, brincadeiras lúdicas e leitura, a 10ª Feira do Livro de São Luís aconteceu de 7 a 13 de novembro, na Praia Grande.

Nos lançamentos de livro, 91 obras inéditas e relançamentos foram apresentados ao público na Casa do Escritor Maranhense e estandes das Universidades Estadual do Maranhão (Uema) e Federal do Maranhão (UFMA), além de 15 crianças que participaram do “Escritores Mirins”.

Foto: Lauro Vasconcelos

1 comentário »

Diversidade cultural marca Feira do Livro

4comentários

FeiradoLivro

Com programação para todas as idades e diferentes seguimentos culturais, a Feira do Livro de São Luís (FeliS) disponibilizou ao público nesta terça-feira (8) uma programação que contemplou cinco palestrantes nacionais, intervenções artísticas, exibições de filmes, atividades infantis e exposições voltadas para o tema da leitura. O jornalista e escritor Eduardo Bueno, fez a conferência no palco principal para centenas de pessoas.

“É a primeira vez que participo da Feira do Livro de São Luís, mas já era encantado pela cidade. Antes de vir até aqui, li muito e viajei pela cidade através dos escritos sobre a capital maranhense. Hoje quero partilhar minhas experiências de viagens assim, através dos livros, minhas impressões sobre a cidade e as ligações de São Luís com a história. Quando conhecemos o local onde habitamos, conseguimos promover a mudança deste lugar”, destacou o palestrante.

Antes da conferência, a Praça Nauro Machado foi palco de uma programação voltada para o público infantil, com intervenções durante todo o dia. Uma delas foi o Bolsão de Livros no qual as publicações estão em árvores da Praça. Nelas estão sendo feitos o “troca-troca” de livros, a pessoa pode deixar um e levar outro para casa.

O Pé-de-Livro, no “coração da Feira” recebeu o escritor Ferréz para um bate-papo sobre a juventude de periferia. “A sociedade está com cérebro enferrujado, as pessoas reclamam constantemente que a cabeça dói quando leem alguma coisa que não compreendem. Meu pai, Raimundo, mal sabia ler, lia com dificuldade, mas comprava cordéis e eu vivi com isso dentro da minha realidade. Uma das maiores alegrias para um escritor é quando o leitor se identifica com sua obra e eu escrevo o que vivo”, contou o romancista, contista, poeta e empreendedor Ferréz.

A 10ª Feira do Livro de São Luís (FeliS) este ano homenageia o poeta maranhense Gonçalves Dias. Com o tema “Ler a Cidade e suas Memórias”, o maior evento literário do Maranhão vai até o dia 13 de novembro, na Praia Grande. A FeliS ficará aberta das 13h às 22h todos os dias com programações voltadas para todas as idades. O evento é realizado pela Prefeitura de São Luís e tem, como correalizadores, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e a Associação dos Livreiros do Maranhão (Alem).

A programação completa está disponível no Portal da Prefeitura (www.saoluis.ma.gov.br) e no site da Feira do Livro de São Luís (www.feiradolivrodesaoluis.com.br).

Foto: Lauro Vasconcelos

4 comentários »

Feira do Livro homenageia Gonçalves Dias

4comentários

FeriradoLivro

Feira do Livro ficará aberta até o dia 13 de novembro das 13h às 22h, na Praia Grande

A 10ª Feira do Livro de São Luís (FeliS) abre programação nesta segunda-feira (7) para receber os mais de 200 mil visitantes, entre turistas e moradores locais, que celebrarão a tradição literária e cultural da capital maranhense. Este ano, a Feira homenageará o poeta maranhense Gonçalves Dias. Com o tema “Ler a Cidade e suas Memórias”, o maior evento literário do Maranhão vai até o dia 13 de novembro, na Praia Grande.

A FeliS ficará aberta das 13h às 22h todos os dias com programações voltadas para todas as idades. O evento é realizado pela Prefeitura de São Luís e tem, como correalizadores, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e a Associação dos Livreiros do Maranhão (Alem).

A programação da X FeliS incluirá atividades artísticas, lançamentos de livros, palestras, oficinas e debates com escritores, pesquisadores e poetas de relevância local e nacional. O espaço que está sendo montado no Centro Histórico de São Luís abrigará também exposições e vendas de artigos literários.

O evento ocupará as ruas, praças e espaços culturais do Centro Histórico, com estrutura que compreende 36 estandes para livreiros, nove estantes institucionais, cinco auditórios para palestras, debates e conferências, quatro espaços infantis e um palco principal na escadaria da Praça Nauro Machado.

FeiradoLivreo2

Evento ocupará as ruas, praças e espaços culturais do Centro Histórico de São Luís

A conferência de abertura acontecerá na Praça Nauro Machado, às 20h, com o pesquisador Weberson Grizoste, especialista na obra de Gonçalves Dias. Ao longo da programação, várias atividades desvendarão as facetas de Gonçalves Dias, por meio de palestras, debates, intervenções artísticas e rodas de conversa. “Gonçalves Dias é um patrimônio maranhense da comunidade brasileira. É também um grande pesquisador do indigenismo, tendo conhecido, como poucos, a Amazônia e o Brasil”, explicou Grizoste.

O pesquisador também lembrou o posicionamento político de Gonçalves Dias. “Ele criticou a política imperial e foi inclusive demitido do jornal em que atuava, o Guanabara. Outro ponto que merece destaque é a paixão por Olímpia, menos conhecida que Ana Amélia, mas ainda assim importante. Na palestra, vamos falar sobre essa trajetória e obra política”, descreveu o pesquisador.

Celebrando 10 anos de Feira do Livro, Gonçalves Dias foi escolhido entre diversos nomes de escritores e poetas maranhenses por ser considerado o poeta maior da Literatura Brasileira. O maranhense é patrono da cadeira de número 15 da Academia Brasileira de Letras, por escolha do poeta Olavo Bilac. Gonçalves Dias também é exaltado como um dos criadores do Romantismo Brasileiro e é reconhecido pela capacidade de construir versos sobre as mais variadas temáticas, como a saudade, o amor, o índio, a identidade cultural de um povo, entre outros.

4 comentários »