O que pensa Valdinar?

1comentário

valdinarebira

O ex-deputado estadual e primeiro suplente pelo PT, Valdinar Barros, não descarta acionar a Justiça Eleitoral para pedir o mandato hoje ocupado na Assembleia Legislativa pelo parlamentar Bira do Pindaré, que migrou na última quarta-feira para o PSB. Decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) diz que o mandato eletivo pertence ao partido político e o detentor da cadeira [eleito] deve fidelidade partidária à sigla.

Como Bira não seguiu para uma legenda recém-criada após deixar do PT, situação que asseguraria a sua permanência no legislativo sem o risco de ser questionado na esfera judicial, e apesar da leniência da própria direção do partido, o parlamentar está sujeito a perda de mandato. Valdinar explicou que analisará a situação nos próximos dias para somente então decidir que medida adotar no caso.

“Não fui procurado por ninguém até o momento, mas acredito que o próprio partido poderia já ter entrado na Justiça para requerer o mandato. Acho que a ação inicial deveria ser do partido”, afirmou.

Apesar de ainda esperar por uma intervenção da legenda, Valdinar disse que, com a prerrogativa de primeiro suplente, pode optar por uma ação judicial que garanta o seu retorno à Assembleia. “Caso a executiva estadual decida não questionar o mandato do parlamentar, aí eu posso tomar uma decisão em relação a isso e entrar na Justiça “, enfatizou.

O presidente estadual do PT, Raimundo Monteiro, afirmou a O Estado não ter interesse em pedir à Justiça Eleitoral o mandato de Bira do Pindaré. Ele confirmou ainda não ter tido a oportunidade de conversar com Valdinar Barros sobre o caso.

“A direção do PT deu carta de anuência a Bira do Pindaré, portanto, não há motivo algum para pedirmos o seu mandato. Não temos interesse nisso. Caberia tão somente ao suplente questionar a permanência de Bira na Assembleia”, disse.

O Estado

1 comentário para "O que pensa Valdinar?"


  1. jorge luis silva soeiro

    se fosse o contrario , o que estava pensando o dep bira do pindare

deixe seu comentário