Ribamar reconstrói centros de referência

0comentário

Todos os dias ao longo de mais de onze anos, a rotina de dona Maria José, mãe do jovem Mateus Paixão Teixeira, de 17 anos, tem sido cuidar exclusivamente do filho. Dedicada, ela conta que ele, logo nos primeiros dias de vida, foi diagnosticado com Retardo Mental. Desde então, dona Maria busca acompanhamento especial além de educação. “Mateus foi acolhido no Complexo de Referência da Pessoa com Deficiência desde os seis anos de idade e aqui ele recebe todos os tratamentos que precisa além da alfabetização estimulada”, explicou.

Uma realidade que alcança hoje outras 232 crianças, adolescentes e adultos, que recebem atendimento no Complexo de Referência da Pessoa com Deficiência que compreende o Centro de Reabilitação Integral que oferece atendimento multidisciplinar e Escola Maria Amélia Bastos, voltada para oferta de educação infantil, ensino fundamental além de Educação de Jovens e Adultos, o EJA.

O complexo, que ganhou na última quarta-feira (22) novas instalações e equipamentos, entre eles, um Gabinete Odontológico, atende ainda diariamente outras 160 pessoas da comunidade. Prestação de serviços, que de acordo com o prefeito Luis Fernando, vem fazendo a diferença na vida de famílias inteiras.

“A reconstrução do Centro, além de trazer conforto, estrutura e qualidade para o atendimento humanizado das crianças e adultos que buscam e precisam dos serviços, também devolve a dignidade e o respeito que cada uma dessas pessoas merece”, frisou o prefeito.

Centro de Reabilitação Integral – Além de Terapeuta Ocupacional, a equipe multidisciplinar do Centro de Reabilitação Integral conta ainda com profissionais das áreas de fonoaudiologia, fisioterapeutas, assistentes sociais, psicólogos e agora dentistas, especialidade recentemente incorporada a equipe.

Já escola Amélia Bastos que atende crianças a partir de três anos de idade, também recebeu atenção especial. O local que já atende cerca de 232 pessoas agora passa a contar com novas salas para o desenvolvimento de atividades de estimulação. Além de refeitório, biblioteca, brinquedoteca, o espaço também conta com salas de recurso, Libras, Braile e sala especial para Cegos. Os alunos também contam com atividades nas áreas de Psicomotricidade, Psicopedagogia, Arte Terapia, e Música.

Foto: Willian Tindale

sem comentário »

O dilema de Braide

0comentário

Por Joaquim Haickel

Alguns filósofos da política dizem que a melhor definição que se pode dar para essa atividade é “a arte do possível”, enquanto outros acreditam que ela é “a reunião de esforços e ações no sentido de alcançar um determinado objetivo”. Uns imaginam que as finalidades de suas ações importam mais que os meios para alcançá-las, outros pensam diferente. O certo é que, como ocorre em relação a outras coisas, nada é unânime ou plenamente aceitável, no que diz respeito à política.

Poucos políticos conseguem se notabilizar quando jovens. A notoriedade vem normalmente com o passar dos anos e com a prática deste ofício que envolve um mínimo de inteligência, uma boa dose de sabedoria, bastante diplomacia e capacidade de aglutinação, isso para que se alcance algum sucesso.

Dito isso, gostaria de falar especificamente sobre um jovem político maranhense, um deputado estadual em seu segundo mandato, que se encontra em uma encruzilhada, confrontado a um dilema, que a meu ver definirá quem ele poderá vir a ser, mais do que qualquer outra coisa em sua carreira, até agora.

Filho de um político experimentado, que chegou a ser presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Eduardo Braide, de certa forma já assegurou seu lugar na história política de nosso estado, não apenas pelos mandatos obtidos, mas pela candidatura a prefeito de São Luís, que começou pequena e chegou ao segundo turno.

Em alguns aspectos é pouco parecido com seu pai, Carlos Braide, o que se por um lado parece ser bom, por outro nem tanto. Em Eduardo falta maior desenvoltura no relacionamento com os demais políticos. Ele se coloca a uma distancia regulamentar, o que o impede de aglutinar em torno de si um grupo, pressuposto indispensável para o sucesso de um projeto majoritário.

A eliminação peremptória de seu excesso de individualismo é a primeira providência que ele deve tomar para que tenha uma melhor aceitação não apenas dos políticos, mas também dos possíveis grupos de apoio.

Mas voltemos um passo atrás! Por que fazer um texto falando sobre Eduardo Braide!? É simples! Porque ele é uma das jovens lideranças que podem vir, em um futuro próximo, ter papel decisivo nos destinos do Maranhão, e como ele não existem muitos outros, mas posso aqui citar alguns sem aprofundar comentários sobre nenhum: Francisco Nagib, prefeito de Codó, Fábio Gentil, prefeito de Caxias, Adriano Sarney, deputado estadual, Weverton Rocha, deputado federal e até mesmo o já tarimbado, porém ainda jovem, senador Roberto Rocha.

Voltando a Braide, ele precisa decidir se em 2018 irá se candidatar mais uma vez a deputado estadual, se concorrerá a deputado federal ou se será candidato ao governo do estado, mandando um recado claro a quem interessar possa, de que seu objetivo é chegar ao Palácio dos Leões.

É bem verdade que em se candidatando ao governo, Eduardo correrá o risco de, perdendo o pleito, fato que é provável acontecer, ficar sem mandato por dois anos, até a eleição seguinte. Porém fazendo isso ele se colocará no panorama geral da política maranhense, passará a ser realmente conhecido em todo o estado, iniciando a construção de sólidas bases de uma estrada que poderá ser pavimentada mais adiante.

Eduardo pode ainda vir a ser a opção de todos que se opuserem à continuidade dos 36 anos de domínio de um mesmo grupo no comando do Palácio La Ravardiere. Candidatando-se ao governo em 2018 e vindo a perder, ele poderá pleitear e conseguir o compromisso formal de todos os atores da cena política maranhense, não alinhados ao atual governo, no sentido de apoiarem sua candidatura a prefeito de São Luís em 2020.

Para fazer isso ele precisará ter desprendimento, obstinação e fé, mas principalmente precisará confiar nas pessoas com quem tiver que compor esse plano político.

sem comentário »

Prefeitura leva serviços e cidadania ao Gapara

0comentário

Ultrapassando a marca de 50 edições, O programa ‘Todos por São Luís’ chegou neste sábado (25), ao bairro do Gapara, onde aconteceu a sua 54ª edição. O programa tem como prerrogativa aproximar a população dos principais serviços da administração municipal. Durante a culminância, realizada na Unidade de Educação Básica João do Vale, na avenida do Cajueiro, foram oferecidas consultas médicas com clinico geral e diversas especialidades, além de diversas atividades.

“O Todos por São Luís é mais um canal de dialogo entre a Prefeitura de São Luís com a comunidade. Por meio do programa alinhamos as politicas de governo, ouvimos as demandas das comunidades, criando assim um governo participativo, aberto e transparente”, destacou a primeira-dama e coordenadora do programa, Camila Holanda. Ela destacou ainda que desde a primeira edição, já foram 150 mil pessoas capacitadas pelas oficinas do programa.

Seguindo o formato do programa, durante a semana que antecedeu a culminância do programa, moradores do Gapara e bairros próximos participaram de oficinas de panificação. Para atender mais pessoas, a coordenação estendeu o período de realização das oficinas por mais uma semana. Todas as oficinas foram gratuitas, sem nenhum custo para o participante.

A edição no Gapara será a penúltima do ano do programa ‘Todos por São Luís’, lançado em abril de 2015 pela Prefeitura de São Luís. No mês de dezembro, o programa encerra as atividades no bairro Rio Anil.

Fotos: Maurício Alexandre

sem comentário »