A pedido de Eurídice, Jackson decreta novo

2comentários


estado de emergência no sistema penitenciário


Novo estado emergencial colocará à prova
competência de Eurídice para gerir segurança

O governador Jackson Lago decretou pela segunda vez, em nove meses, estado de emergência no sistema penitenciário do Maranhão. Desta vez, a alegação, apresentada pela secretária de Segurança Cidadã, Eurídice Vidigal, é de que a greve realizada por policiais civis entre 27 de setembro de 5 de outubro do ano passado resultou em uma série de prejuízos, como rebeliões, tentativas de fuga, destruição de celas, o que deixou as unidades prisionais fragilizadas.

Ao decretar pela primeira vez estado de emergência no sistema penitenciário, em 28 de maio de 2007, o governo apresentou como justificativa a superlotação dos presídios. A idéia também partiu de Vidigal, que com a medida pretendia chamar a atenção do Governo Federal para o caos no sistema penal do estado e assim conseguir mais recursos.

Uma das raras medidas que o governo tentou executar em caráter emergencial foi a construção de um cadeião na Cidade Operária. Indignada, a população do bairro repudiou a instalação do presídio e foi às ruas manifestar sua indignação, alegando que o cadeião colocaria em risco a segurança da comunidade.

Resultado: Eurídice Vidigal viu-se obrigada a transferir o projeto para Pedrinhas, cuja população também repudiou a idéia. Dessa vez, para garantir a execução da obra, a secretária contratou uma empresa de segurança privada, que mantém vigilantes armados permanentemente para conter eventuais investidas da comunidade contra a instalação da unidade prisional.

Passado quase um ano, não há qualquer indício de que o problema da superlotação tenha sido resolvido. Prova disso são as fugas e motins que continuam ocorrendo com freqüência em delegacias de todo o Maranhão e até mesmo no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Para tentar restabelecer a normalidade ao sistema, o novo decreto governamental (nº 23.816, de 22 de fevereiro de 2008), que terá vigência de 180 dias, prevê a construção e aparelhamento de seis Centros de Ressocialização em Açailândia, Bacabal, Caxias, Estreito, Pinheiro e Imperatriz. Estão previstas ainda reformas nas Centrais de Custódia de Presos de Justiça do Anil e Pedrinhas, da Casa de Detenção e Complexo Penitenciário de Pedrinhas para abrigar pessoas portadoras de problemas psiquiátricos.

Durante a vigência do estado emergencial deverá ser construído um presídio feminino na capital, ampliação e aparelhamento do Presídio São Luís, em Pedrinhas, aparelhamento do Centro de Detenção Provisória de Pedrinhas e contratação de monitores para realizar serviços de disciplina e ressocialização nas unidades prisionais.

De acordo com o decreto, a execução de todas essas ações será de responsabilidade da secretária Eurídice Vidigal. Uma vez à frente do projeto, ela terá uma ótima oportunidade de provar que tem competência para ocupar cargo público tão importante.

2 comentários »

Cutrim busca apoio do Diretório Nacional do

3comentários


DEM para candidatar-se a prefeito de São Luís


Rodrigo Maia, Fecury e Cutrim discutirão candidaturas do DEM no MA

O deputado estadual Raimundo Cutrim se reúne nesta quarta-feira, em Brasília, com o presidente nacional do seu partido, o DEM, Rodrigo Maia, em busca de apoio à sua pré-candidatura a prefeito de São Luís. Na audiência, ele estará acompanhado do presidente do Diretório Regional do DEM, deputado federal Clóvis Fecury, e do secretário-geral da legenda no Maranhão, Ricardo Guterres, pré-candidato a prefeito de Carutapera.

Cutrim apareceu bem colocado em todas as pesquisas realizadas até o momento para aferir as intenções de votos do eleitorado ludovicense na disputa para prefeito. Melhor colocado dentre os pré-candidatos da oposição ao Governo do Estado e à Prefeitura de São Luís, o parlamentar e ex-secretário de Segurança Pública já chegou a ficar em segundo em uma das sondagens. Na ocasião, ficou atrás apenas do ex-deputado federal e atual presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), João Castelo.

É esse potencial que Cutrim exporá a Rodrigo Maia, que nas entrevistas que concede sempre exalta que o DEM, por ser um partido historicamente grande, deve concorrer aos cargos majoritários em todas as eleições, incluindo a de prefeito. Levando em conta esse pensamento, a conclusão que se tira é que o presidente nacional dará total apoio ao projeto.

O deputado Clóvis Fecury terá participação decisiva nesse cenário. Responsável pela reestruturação do partido no Maranhão com a mudança do extinto PFL para Democratas (DEM), ano passado, o presidente do Diretório Regional é o principal avalista da candidatura. Na posse de Cutrim como presidente do Diretório do DEM em São Luís, em setembro passado, Fecury lançou o nome do colega à sucessão do prefeito Tadeu Palácio e agora se movimenta com o cacife de quem tem trânsito fácil entre as lideranças da sigla em nível nacional.

Na reunião desta quarta-feira, será discutida também a pré-candidatura do secretário-geral do DEM no Maranhão, Ricardo Guterres, a prefeito de Carutapera. Articulado, Guterres já garantiu o apoio de nomes importantes da política no Maranhão, dentre os quais a senadora e ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), o ex-senador e ex-governador João Alberto, o deputado estadual Jura Filho (PMDB), além do próprio Clóvis Fecury. Todos estarão juntos em um ato político a ser realizado no município em data a ser agendada.

3 comentários »

Aos leitores deste blog

1comentário

Por estar de férias, diminuí a freqüência de postagens neste blog. Retorno dia 3 de março às atividades normais, com fôlego renovado e muita disposição.

1 comentário »

Briga entre Eurídice Vidigal e Jeferson Portela

4comentários


abre nova crise na segurança pública no MA


Jeferson Portela: insatisfação com devaneios de Eurídice
provocou afastamento da função de delegado-geral

Vejam só que informação bombástica este blog recebeu. O texto a seguir foi enviado por um leitor cuja identidade vou preservar e traz detalhes sobre uma suposta briga entre a secretária de Segurança Cidadã, Eurídice Vidigal, e o delegado-geral da Polícia Civil, Jeferson Portela.

O motivo da confusão seriam novamente as idéias estapafúrdias da secretária na gestão da segurança pública no Maranhão, que já causaram mal-estar entre ela e alta cúpula da Polícia Militar. Desta vez, quem se insurge contra os devaneios de Eurídice é o delegado-geral.

Por não ter escondido sua insatisfação, Portela teria sido afastado de suas funções e por essa razão teria deixado de participar de várias solenidades públicas. No Carnaval, ele teria rumado para o interior, o que deixou a chefe furiosa.

Abaixo, o texto na íntegra:

Daniel,

Você sabia que a cúpula da Segurança Pública anda em crise novamente? Pois bem meu amigo, deixa colocá-lo informado do que vem ocorrendo.

A nossa secretária de Segurança, Dona Eurídice, após brigar com toda cúpula da polícia militar, agora anda bicuda com o Delegado Geral, Jeferson Portela, que está afastado da secretaria por conta de inúmeros desentendimentos com a toda poderosa. Nos corredores da secretaria, vários são os comentários que o Delegado Geral está de saco cheio das idéias utópicas da secretária e principalmente dos seus assessores exportados que se intitulam doutores em segurança pública, sem, no entanto conhecer nossa realidade.

O afastamento do Jeferson Portela pode ser corroborado por sua ausência na coletiva ocorrida no palácio Henrique de La Rocque (dia 1º deste mês), na qual foi divulgado o planejamento de Carnaval por todo staff da segurança, menos pelo Delegado Geral que estava ausente e bastante chateado com a secretária.

Também deixou de comparecer à Madre Deus no Sábado de Carnaval, na visita marcada por ela no circuito, onde estiveram presentes vários delegados, o comandante da PM (coronel Pinheiro Filho), a própria secretária e oficiais da PM, com o objetivo de fiscalizar in locu a distribuição do policiamento. Segundo informações, o delegado Jefferson andava curtindo o carnaval lá pelos interiores e a secretária estava uma FERA!

Vamos ver como vai se desenrolar essa nova briga: Jefferson Portela X Eurídice. O negócio para lá anda pegando fogo!

4 comentários »

Jackson faz propaganda, mas não paga

0comentário


titulação e progressão a professores


Jackson faz média, mas parece não priorizar educação

Os 6.911 professores da rede estadual de ensino que obtiveram titulação e progressão na carreira por meio de ato assinado pelo governador Jackson Lago em 14 de janeiro último ainda não receberam os valores referentes aos benefícios. Insatisfeitos, os docentes já começam a procurar a imprensa para exigir que o governador cumpra o compromisso firmado com a categoria.

Para anunciar o seu feito em favor dos professores, o governo patrocinou uma propaganda maciça em jornais, emissoras de rádio, TV, portais de Internet e até em outdoors espalhados por diferentes pontos do Maranhão. O ato que concedeu as progressões e titulações foi assinado em uma solenidade pomposa, no Palácio Henrique de La Rocque, da qual participaram, além de Jackson e o secretário de Educação, Lourenço Vieira da Silva, dirigentes do Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Pública (Sinproesemma) e centenas de professores. Na ocasião, foram nomeados 1.716 novos professores e supervisores escolares aprovados em concurso público.

A propaganda veiculada na TV mostrou o exato momento da assinatura do ato. Alguns professores foram escalados para dar depoimento em favor do governo. Ingênuo, um jovem docente elogiou e agradeceu à administração estadual pela concessão do benefício, imagem que foi exibida para todo o estado. Foram milhões gastos para divulgar uma promessa que ainda não saiu do papel.

Passado quase um mês, os educadores ainda esperam receber o acréscimo em suas remunerações. Muitos já haviam conquistado esse direito há bastante tempo por serem detentores de títulos de especialistas, mestres e até doutores, sem que suas qualificações fossem reconhecidas.

Resta ao governo cumprir sua promessa, que está devidamente registrada em documento formal e em páginas de jornais, gravações de rádio e imagens de TV. Se a intenção de Jackson Lago era alardear um feito que não é mais do que sua obrigação para limpar sua imagem de algoz de professores, a propaganda, até agora enganosa, é mais uma prova de que o governo atual não prioriza a educação.

sem comentário »

Maranhão foi o terceiro estado com maior número de casos

0comentário


de dengue hemorrágica em 2007, segundo Ministério da Saúde


Aedes aegypit: Governo do Estado não priorizou combate à proliferação
do mosquito

O Maranhão foi o terceiro estado do país com maior número de registros de casos de dengue hemorrágica ano passado. De janeiro a dezembro, a doença matou 13 pessoas no estado, o que coloca o Maranhão como recordista em número de óbitos por dengue hemorrágica na região Nordeste e na quinta posição dentre todas as Unidades da Federação. Os dados constam do boletim sobre a situação da dengue no Brasil em 2007, divulgado pelo Ministério da Saúde.

No fim do ano passado, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, chegou a fazer um alerta ao governador e médico Jackson Lago sobre a alta incidência da doença no Maranhão. Na ocasião, Temporão entregou a Jackson um relatório com os números da dengue referentes ao período entre janeiro e setembro.

O documento atestava que até aquela data haviam sido notificados 12.195 casos da doença no estado, o que representava um acréscimo de 121,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando foram 6.450 registros. Os casos estavam distribuídos em todas as regiões do estado, com a maioria dos municípios com altas incidências localizada perto da capital São Luís.

Apesar do alerta do ministro, o governador parece ter ignorado os riscos, tanto que ao fim de 2007 o número de casos de dengue no Maranhão fechou em 14.616, o que corresponde a um aumento de quase 20%.

sem comentário »

Gafes de Eurídice causam mal-estar em

6comentários


entrevista sobre policiamento no Carnaval


Eurídice deu mais um show de gafes
em entrevista coletiva

A secretária de Segurança Cidadã, Eurídice Vidigal, protagonizou um festival de gafes durante a entrevista coletiva concedida na manhã de hoje, no Palácio Henrique de La Rocque, para divulgar o esquema de policiamento para o Carnaval na Ilha de São Luís. Ao melhor estilo auto-ajuda, ela chegou a evocar as mulheres a acalmar os ânimos de seus parceiros para que eles não se envolvam em ocorrências de violência durante a folia de Momo.

Logo na abertura da entrevista, a secretária embaraçou-se toda ao tentar formular um conceito para segurança cidadã, que segundo ela é “garantir a segurança garantidora de cidadania”. A falta de nexo do enunciado impressionou jornalistas e membros da cúpula da segurança pública presentes.

Eurídice Vidigal tentou ainda minimizar a contribuição do comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Francisco Melo, no combate à criminalidade. Segundo ela, a redução de 11% dos índices de violência na capital e nos demais municípios da Ilha, atestada por estatísticas divulgadas recentemente, é resultado muito mais do aparelhamento da polícia que dos esforços empreendidos pelo oficial desde que reassumiu o cargo, em novembro do ano passado.

Melo chegou a interpelar a secretária de Segurança durante a entrevista quando ela afirmou que os números da criminalidade estão sendo superestimados por veículos de comunicação não alinhados ao Palácio dos Leões. Em resposta, o comandante do Policiamento Metropolitano afirmou que os números são reais, acrescentando que até o momento o balanço é positivo. Sem querer reconhecer a gafe, ela disse ao coronel que suas declarações foram mal-interpretadas.

Mas, a pérola do dia foi o conselho dado por Eurídice Vidigal às mulheres, com o intuito de fazê-las colaborar para a redução da criminalidade. Segundo ela, as companheiras devem cuidar melhor de seus homens para que eles não se envolvam em brigas. Com sua declaração, a secretária deu a entender que grande parte dos casos de violência é fruto de conflitos conjugais.

6 comentários »

Seagro ignora risco de novo surto

2comentários


de beribéri e descarta troca de arroz

A Secretaria de Estado da Agricultura (Seagro) considerou desnecessária a substituição do estoque de arroz com risco de estar contaminado por beribéri armazenado por pequenos produtores e beneficiadores do Maranhão. A troca do produto foi proposta pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que demonstrou preocupação com a possível ocorrência de outro surto da doença no estado, como o que matou 38 pessoas na Região Tocantina, em 2006.

A Seagro externou sua posição de não concordar com a substituição do arroz em reunião realizada no último dia 28 entre representantes do órgão e o gerente Social de Abastecimento da Conab, Augusto Lustosa, que veio de Brasília exclusivamente para tratar o assunto. Também participaram da audiência diretores do escritório regional do Ministério da Agricultura, da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged) e da Superintendência Estadual de Vigilância Sanitária.

Augusto Lustosa informou a O Estado que, na reunião, representantes da Seagro alegaram que o arroz com suspeita de contaminação não está mais em poder de pequenos produtores e beneficiadores maranhenses que o cultivaram e que por isso não há mais como substituir o produto.

Ainda de acordo com membros da secretaria, agricultores e empresas de beneficiamento já estariam à espera da próxima safra, cuja produção estaria livre do fungo causador da doença. Estranhamente, não foi publicada nenhuma matéria sobre tão importante encontro na página do Governo do Estado na internet ou em qualquer outro veículo de comunicação. “A Seagro precisa externar a posição manifestada na reunião por escrito, por meio de uma ata, que será enviada ao ministro da Agricultura”, observou Lustosa.

Mesmo tendo descartado sumariamente a substituição do arroz, a Seagro terá que produzir, em 15 dias, um relatório cujo resultado deverá afastar definitivamente o risco de o arroz estar impróprio ao consumo humano por carência de vitamina B1, que deixa o ser humano vulnerável a contrair beribéri. Para isso, uma equipe da Vigilância Sanitária terá que fazer uma incursão por municípios onde foram registrados casos da doença para analisar amostras de arroz armazenado em pequenas propriedades rurais e em usinas de beneficiamento.

ESTOQUE – A Conab dispõe de um estoque de 700 toneladas de arroz com casca para repassar a pequenos produtores e beneficiadores maranhenses. O alimento, produzido por lavradores incluídos em projetos de agricultura familiar, está armazenado em celeiros de propriedade do órgão federal em Imperatriz e Balsas. Esse estoque também passará por análise, na qual deverá ser constatado se o produto está próprio para consumo.

Entenda o caso

Em junho de 2006, um surto de uma doença inicialmente desconhecida atingiu 231 pessoas no sudoeste do Maranhão, causando 38 mortes. Os municípios de João Lisboa e São João do Paraíso foram considerados em situação mais crítica;

Após dezenas de mortes, a doença misteriosa foi diagnosticada como beribéri por pesquisadores do Ministério da Saúde da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa);

Nos municípios onde houve notificação de casos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) identificou 96 espécies de fungos, entre eles o Penicilium citreonigrum, causador do beribéri. Esse microorganismo libera uma microtoxina chamada citreoviridina, que no organismo humano inibe a absorção de vitamina B1 (tiamina);

Técnicos agropecuários da área atestaram que o armazenamento e o beneficiamento do arroz, principal alimento de subsistência da região, eram feitos de maneira precária, o que favorecia a proliferação de fungos como o causador da beribéri;

Preocupada com a possível ocorrência de um novo surto no Maranhão, dirigentes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) se reuniram, em Brasília, com representantes de vários ministérios para discutir políticas de combate ao problema. Uma das propostas levantadas foi a substituição do arroz com risco de contaminação por outro de boa qualidade.

O que é o beribéri?

É uma doença causada pela carência de vitamina B1 no organismo. A manifestação neurológica da falta desse nutriente caracteriza-se por neurites periféricas, distúrbios da sensibilidade com zonas de anestesia ou de hiperestesia e perda de força até a paralisia de membros. No cérebro, pode haver depressão, perda de energia, falta de memória, até síndromes de demência, como a psicose de Korsakoff e a encefalopatia de Wernicke. As manifestações cardíacas se manifestam por meio de falta de ar, aumento do coração, palpitações, taquicardia, alterações do eletrocardiograma, inclusive insuficiência cardíaca do tipo débito elevado.

2 comentários »