Oportunista de plantão

16comentários

sampaio

Após várias semanas de tentativas de contato com as Óticas Diniz para buscar parceria no patrocínio da camisa do Sampaio Corrêa, finalmente, na última 2ª feira, dia 05 de maio, fomos recebidos, muito atenciosamente, diga-se de passagem, pela gerente de marketing da empresa, que ficou de apresentar nossas cotas de patrocínio ao Presidente da Empresa, Sr. Arione Diniz.

Muito bem, a resposta veio na 4ª feira, dia do jogo contra o Palmeiras, por volta das 15h, quando o Sr. Diniz ligou pessoalmente para o Gerente de Marketing do Sampaio e ofereceu uma proposta de patrocínio pontual no valor de R$ 10 mil reais para estampar o peito da camisa (que é o local de maior visibilidade) no jogo contra o Palmeiras. Diante do constrangimento da proposta, muito abaixo do aceitável, ele mesmo nomeou sua proposta como proposta de valor simbólico.

Mesmo sendo possível estampar o patrocínio a tempo para o jogo, que aconteceria em poucas horas, o Departamento de Marketing do Sampaio recusou a proposta, por estar abaixo do mínimo que se poderia aceitar, principalmente para um jogo daquele porte.

Diante da recusa, é fato comprovado pela imprensa, que o Sr. Diniz foi pessoalmente, de cabine em cabine, dentro do Castelão, a diversas rádios, para difamar o Sampaio Corrêa e sua equipe de colaboradores, afirmando que propôs um valor bem acima do oferecido e que o Sampaio recusou!

Ora, Sr. Diniz, todos nós sabemos que uma empresa do seu porte, que chegou aonde chegou graças aos maranhenses, só teria a ganhar ao apoiar um clube de massa como o Sampaio Corrêa. Porém, ao oferecer de forma oportunista, migalhas, e além disso, difamar o clube, o senhor não apenas ofende o Sampaio Corrêa, mas também ofende o povo do Maranhão, que está cansado de saber que as Óticas Diniz patrocinam um enorme número de eventos e clubes de futebol Brasil afora. De oportunistas, querendo apenas tirar vantagem do nosso atual momento, queremos é distância!

O Sampaio Corrêa vem lutando sozinho desde a série D, sem apoio de quase ninguém, a não ser da sua imensa e apaixonada torcida, que sempre foi sua maior patrocinadora. Agora na série B, vamos continuar buscando parcerias, além das que já estão ao nosso lado como Hospital São Domingos, Mateus Supermercados, Smaak (River, You Happy, Roots), Cervejaria Proibida e outras empresas que acreditam e apoiam o Sampaio. Entendemos que com seriedade e, acima de tudo, integridade, alcançaremos nosso objetivo de tornar o Sampaio referência no futebol brasileiro.

Site do Sampaio

16 comentários »

Lobão Filho se consolida na corrida para o governo

8comentários

lobaofilho

A disputa eleitoral está definitivamente polarizada no Maranhão entre o senador Lobão Filho, pré-candidato do PMDB ao Governo do Estado, e o comunista Flávio Dino (PCdoB), representante de uma das alas oposicionistas. Lobão entrou no cenário político na condição de representante de seu grupo há exatos 35 dias, e conseguiu, além de motivar e mobilizar toda a classe política, se consolidar como pré-candidato ao Executivo Estadual.

Um dos impactos imediatos de sua movimentação foi o resultado da pesquisa de intenções de votos do Instituto Exata, contratada pela TV Guará e registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo 0010/2014, que mostrou o peemedebista com 23% da preferência do eleitorado, contra 56% de seu adversário. Pesquisa anterior, também registrada na Justiça Eleitoral e contratada pela oposição, apontava Lobão com apenas 12,5% e Flávio Dino com 62%. O fortalecimento da pré-candidatura do senador repercutiu em todas as alas políticas no Maranhão.

Desde o lançamento de sua pré-candidatura, Lobão Filho procurou se articular junto à classe política. Foi atrás de apoio de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, líderes políticos, presidentes de partidos e deputados estaduais e federais em busca de consolidação de seu nome.

Na primeira semana em São Luís, após recuperar-se de duas cirurgias realizadas em Brasília, ele recebeu mais de 60 prefeitos em sua residência. Em seguida, fez a sua primeira incursão ao interior do estado. Visitou a região sul e conseguiu fechar alianças com prefeitos e vereadores.

Em Riachão, por exemplo, recebeu apoio de 14 prefeitos. Em Grajaú foi recepcionado por dezenas de gestores e se consolidou como pré-candidato que terá o maior apoio político na região. A O Estado, ele avaliou o início da sua caminhada rumo à eleição de outubro. “O estímulo e a motivação do nosso grupo foi fundamental no processo. O estímulo partiu da nossa governadora Roseana Sarney [PMDB], que está bastante motivada, pelos prefeitos e deputados, que estão convictos da possibilidade real de vencermos esta eleição de forma plebiscitária, no primeiro turno”, afirmou.

Nacionalização – Outro fator considerado determinante para a polarização da disputa eleitoral entre Lobão e Dino foi a nacionalização da eleição no estado. Lobão Filho tem declaração de apoio do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, do PT – que reeditou aliança para a eleição 2014 -, e da presidente Dilma Rousseff (PT).

Ele defende a manutenção dos programas sociais do PT e cederá palanque político para Dilma, que disputará a reeleição. Já Flávio Dino, que até o início do ano era um dos auxiliares de Dilma, com a presidência da Embratur, passou a atuar como oposição ao Governo Federal.

Ele aderiu à campanha do senador Aécio Neves (PSDB), principal adversário de Dilma no plano nacional, e também apoia o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB).

Tanto Aécio quanto Campos são contrários aos programas do PT e chegaram a criticar o reajuste de 10% concedido por Dilma ao Bolsa Família. “Se fosse eleito, algo que não vai acontecer, Aécio acabaria com todos os programas sociais do PT no Brasil. E isso não por questões conceituais, mas porque esses programas têm a cara do PT”, afirmou Lobão.

O Estado

8 comentários »

Mudança pela Renovação

14comentários

joaquimhaickelPor Joaquim Haickel

Duvido muito que eu pudesse em qualquer outro grupo que não este, ao qual faço parte, externar as minhas opiniões da forma franca e direta como faço, apontando erros e indicando caminhos.

Sempre me vi e sempre busquei me construir como um nobre cavaleiro andante. Um daqueles forjados no fogo das batalhas, onde a coragem, a honra e a lealdade serviram de metais na confecção da arma de meu ser, onde a subserviência jamais fez parte dessa amálgama.

Pois então abordemos hoje um assunto que para muitos é complicado, mas para mim é simples.

Já faz algum tempo que as pesquisas apontam a vontade do eleitor em mudar. Esse é um fato que não se deve nem se pode desconhecer.

Acontece que o eleitor não quer mudar apenas no Maranhão. Isso é um sentimento que vai mais além. É um sentimento nacional e até mesmo mundial. É o salto geracional que faz com que isso aconteça de tempos em tempos. Nós estamos nesse tempo.

Mas para que essa afirmação sobre a vontade de mudar seja bem entendida, vamos tentar esmiuçá-la e entendê-la.

Quem quer mudar? O eleitor; quem é o eleitor? Em primeira análise é o cidadão, aquele que é atingido pelos problemas do dia a dia acarretados pelo convívio em sociedade; quais são esses problemas? Coisas como a precariedade da saúde e da educação, como a falta de segurança, como o caos no trânsito e nos transportes, como a falta de saneamento básico, de infraestrutura, de habitação e como a falta de emprego.

Quando se analisa todos esses fatos, se observa que muitas coisas precisam ser feitas urgentemente para benefício de todos, independentemente de classe social, raça, faixa etária ou financeira.

Quando a educação for melhor, todos vão sair ganhando; quando o sistema de saúde funcionar com agilidade e eficiência, todos vão melhorar de vida; quando conseguirmos conter a marginalidade e diminuirmos a violência, todos serão beneficiados; quando providências simples forem tomadas para resolver nossos problemas de trânsito, transporte, habitação, saneamento básico e infraestrutura, tudo irá melhorar; quando o desenvolvimento for tanto que a busca pelo emprego for natural, tudo estará melhor.

Sejamos práticos. Em sã consciência alguém acredita que um gestor público, quem quer que seja ele, deseje fazer o pior para a população? Será que Fernando Henrique e Lula disputaram a presidência para saber quem faria menos bem ao povo brasileiro? Será que Roseana e Jackson algum dia tiveram a intenção de prejudicar o povo maranhense? E em relação aos ludovicenses? Será que Castelo e Edivaldo Junior alguma vez cogitaram o que fazer de pior? A resposta é um sonoro NÃO! Não creio que nenhum mandatário procure fazer aquilo que não é bom para os cidadãos.

Mas o certo é que muita coisa errada, muita coisa que não é boa, acaba sendo feita, e isso independe de quem é o mandatário, qual é o Município, o Estado ou mesmo o país.

O certo é que a vontade de mudança está presente.

Mudar aqui no Maranhão seria entregar para a atual oposição a direção dos destinos de nosso Estado? Sim! Isso por si só já seria uma grande mudança. Mas a pergunta que se impõe é outra. Essa mudança de nomes, de partidos, de pessoas, por si só resolverá todos esses problemas, para os quais o cidadão eleitor quer as soluções e as mudanças?

Em minha modesta opinião, é claro que não. Essa mudança pura e simples, de nomes e de grupos não resolverá nada, como já foi provado durante os seis anos de Zé Reinaldo e Jackson Lago à frente do governo do Estado e durante os 32 anos de administração de nossos adversários na prefeitura da capital. Mudou alguma coisa? Nada. E é isso que vai acontecer com uma simples mudança de nomes e grupos dominantes.

As dificuldades são muitas e imensas. Superá-las é tarefa difícil e complicada, que fica fácil e simples só no discurso daqueles que se opõem a quem esteja na situação. O inverso seria igual se fôssemos nós que estivéssemos na oposição.

Se nós acreditamos realmente que podemos renovar e revigorar o nosso grupo político e assim, com ele, conseguir o apoio decisivo dos políticos e do povo do Maranhão, temos que começar a fazê-lo logo, desfraldando a bandeira da renovação de nosso estado.

Mudemos internamente para que possamos mudar verdadeiramente o Maranhão, pois as mudanças que nossos adversários estão propondo estão respaldadas na liderança de ex-membros de nosso grupo político, que mudaram apenas de lado, mas não demodus operandi.

 

PS: Bem-aventurados os que têm coragem de reconhecer seus erros e forças para se renovar, pois eles serão respeitados por todos e seguidos por muitos.

É importante que se diga que o texto acima não está incluído nas bem-aventuranças do sermão da montanha.

14 comentários »

Mensagem às mães

2comentários

roseanagovernadora“Para se governar bem, sempre disse que é preciso fazer como quem cuida de uma casa, como nós, mães. E é pensando no bem estar de todas essas guerreiras, criteriosas nos cuidados com os filhos e a família, que tenho desenvolvido muitas ações à frente do governo.

São medidas que alcançam mães em pequenos municípios do Maranhão que, com a entrega de hospitais do programa Saúde é Vida, podem se orgulhar de ter o filho na terra onde vivem, sem precisar viajar para cidades maiores. Também podem fazer o pré-natal, consultar seus bebês e cuidar da própria saúde bem perto de casa, garantindo mais tranquilidade e qualidade de vida.

Hoje, as mães vivenciam dias melhores em todas as regiões do Maranhão, que experimentou a redução de 10% no índice de pobreza extrema, de acordo com dados do Ipea/IBGE. O resultado nos faz vislumbrar um futuro melhor e é destaque especial por ter sido alcançado antes mesmo do prazo determinado pelo Governo Federal, que é 2015.

As ações também contemplam o maior orgulho de todas nós, os filhos. Por isso, o governo trabalha para garantir um futuro melhor aos jovens maranhenses e realiza programas de qualificação profissional. Já são 350 mil capacitados e mais 20 mil estão em salas de aula de 125 municípios como parte do Maranhão Profissional.

Nos últimos anos, construímos 60 novas escolas e reformamos 274, entre unidades de ensino fundamental, médio, indígena e quilombola. Valorizamos o professor com a aprovação do Estatuto do Educador, que garante mais benefícios à categoria.

Como resultado desses investimentos, a média das escolas maranhenses foi elevada no ENEM de 478,75, em 2011, para 481,37 em 2012, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação. Com isso, o Maranhão também subiu três posições no ranking das melhores escolas no Enem e os colégios estaduais elevaram de 441,5 em 2011, para 449, em 2012, a nota das provas objetivas.

É o que precisamos fazer. Educar nossas crianças para que as mães possam ter a tranquilidade de saber que seus filhos estão aprendendo e se preparando para o futuro, para serem adultos mais felizes.

Fico muito alegre em compartilhar esses avanços com as maranhenses, todas merecedoras de um amoroso e feliz Dia das Mães!”

Roseana Sarney
Governadora do Maranhão

2 comentários »