Governo e UFMA firmam parceria no Bolsa Atleta

1comentário

Com o foco na aplicação do Programa Bolsa Atleta, desenvolvido pelo Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer (Sedel), o secretário Rogério Cafeteira anunciou a parceria com o Núcleo de Esporte da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). A ideia é garantir aos atletas maranhenses, que serão contemplados no Bolsa Atleta, os exames e toda a tecnologia utilizada no Mestrado em Educação Física da instituição. Os exames permitem que seja feito um planejamento de treinamento, respeitando as características de cada atleta.

Na última terça-feira (25), o secretário Rogério Cafeteira esteve na Universidade Federal do Maranhão e celebrou a parceria. “Essa é a tecnologia, utilizada no Mestrado em Educação Física, que vai ser ofertada aos atletas que serão selecionados pelo Bolsa Atleta, por meio de cooperação técnica entre Sedel e UFMA. Os nossos atletas terão o que há de mais moderno no mundo: mapeamento genético, termografia, ergoespirometria”, comemorou.

O coordenador do Programa de Pós-graduação em Educação Física-Mestrado/Acadêmico da UFMA e fisiologista Christiano Veneroso fala da importância da utilização dos equipamentos para avaliar o desempenho físico de cada atleta. “Os exames avaliam por detalhes alguns aspectos físicos, como a temperatura dos músculos, as proteínas sanguíneas, a força e a explosão muscular de cada atleta, já que na maioria dos esportes essas peculiaridades garantem um diferencial nos resultados”, explicou. 

O projeto visa garantir o melhoramento e desenvolvimento do rendimento esportivo, no qual os atletas serão avaliados em trabalhos de frequência cardíaca, teste CK (creatina quinase) e termografia pós-jogos, tudo por via de modernos aparelhos adquiridos pela UFMA e por meio de seus laboratórios de alta complexidade do Departamento de Educação Física. A exemplo de alguns dos aparelhos de medição dos níveis de desenvoltura dos atletas, o docente apresentou o tapete de contato, que avalia a altura do salto, importante para atletas do atletismo ou do vôlei. 

Bolsa Atleta

O Bolsa Atleta será lançado no segundo semestre de 2019 pela Sedel. O programa ocorrerá com o repasse de um auxílio mensal, no valor de R$ 500,00, que tem como objetivo custear consultas médicas e aquisição de remédios; compra de passagens, pagamento de hospedagens e alimentação; aquisição de materiais e inscrição em eventos esportivos.

O programa Bolsa Atleta visa incentivar o esporte estudantil maranhense, prevendo o auxílio de R$ 500 mensais pelo período de um ano. “O projeto tem como meta incentivar o esporte maranhense. 

“A ideia é realizar cada vez mais a promoção e o desenvolvimento social, esportivo e inclusivo destes atletas em competições, tirando-os das ruas e de ambientes de vulnerabilidade”, ressalta o secretário de Esporte e Lazer, Rogério Cafeteira.

Foto: Divulgação

1 comentário »

Cafeteira comemora retorno do Bolsa Atleta

0comentário

O secretário de Esporte e Lazer do Maranhão (Sedel) Rogério Cafeteira (DEM) comemorou a aprovação pela Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (8), da reedição do Programa Bolsa Atleta.

Criado pelo ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB), o governador Flávio Dino (PCdoB) decidiu reetidar o programa que será executado pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Sedel).

“O projeto tem como meta incentivar o esporte maranhense. A ideia é realizar cada vez mais a promoção e o desenvolvimento social, esportivo e inclusivo destes atletas em competições, tirando-os das ruas e de ambientes de vulnerabilidade”, destaca o secretário de Esporte e Lazer, Rogério Cafeteira.

O Programa Bolsa Atleta garantirá um auxílio mensal de R$ 500,00 para custeio de consultas médicas e aquisição de remédios; compra de passagens, pagamento de hospedagens e alimentação; aquisição de materiais e inscrição em eventos esportivos.

Sem dúvida alguma uma excelente notícia aos atletas maranhenses.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Assembleia aprova reedição do Bolsa Atleta

0comentário

O Plenário aprovou, na sessão desta segunda-feira (8), o Projeto de Lei 099/2019, de autoria do Poder Executivo, que institui o Programa Bolsa Atleta. De acordo com mensagem encaminhada à Assembleia Legislativa pelo governador Flávio Dino (PCdoB), o programa será executado pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Sedel).

Antes da votação no Plenário, a proposta apresentada pelo governo teve parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e da Comissão de Orçamento, Finanças, Fiscalização e Controle, da Assembleia Legislativa.

De acordo com o Governo do Estado, o programa Bolsa Atleta visa incentivar o esporte estudantil maranhense, prevendo o auxílio de R$ 500 mensais pelo período de um ano.

“O projeto tem como meta incentivar o esporte maranhense. A ideia é realizar cada vez mais a promoção e o desenvolvimento social, esportivo e inclusivo destes atletas em competições, tirando-os das ruas e de ambientes de vulnerabilidade”, afirma o governador, na mensagem encaminhada à Assembleia.

O Bolsa Atleta é um auxílio mensal que tem como objetivo custear consultas médicas e aquisição de remédios; compra de passagens, pagamento de hospedagens e alimentação; aquisição de materiais e inscrição em eventos esportivos.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Bolsa Atleta será reeditado pelo governo Flávio Dino

0comentário

A Assembleia Legislativa deve aprovar nos próximos dias o Projeto de Lei nº 99/2019 de autoria do Executivo reedita o Programa Bolsa Atleta no Maranhão por meio da Secretaria de Esporte e Lazer (Sedel). A primeira edição do Bolsa Atleta foi no governo de José Reinaldo Tavares.

O novo Bolsa Atleta já recebeu o parecer favorável  nas comissões  de Constituição, Justiça e Cidadania e de Orçamento, Finanças, Fiscalização e  Controle da Assembleia Legislativa .

O programa vai incentivar o esporte estudantil maranhense, prevendo o auxílio de R$ 500,00 mensais pelo período de um ano para custeio de consultas médicas e aquisição de remédios; compra de passagens, pagamento de hospedagens e alimentação; aquisição de materiais e inscrição em eventos esportivos.

“O projeto tem como meta incentivar o esporte maranhense. A ideia é realizar cada vez mais a promoção e o desenvolvimento social, esportivo e inclusivo destes atletas em competições, tirando-os das ruas e de ambientes de vulnerabilidade”, garante o secretário de Esporte e Lazer, Rogério Cafeteira.

Essa é sem dúvida alguma uma grande notícia aos nossos atletas e merecem o reconhecimento ao governador Flávio Dino e ao secretário Rogério Cafeteira.

Mas pode ficar ainda melhor….

Nesta quinta-feira (4), o deputado Adriano Sarney (PV) apresentou uma emenda ao projeto do governo Flávio Dino que amplia de R$ 500,00 para R$ 1.000,00, o valor mensal do programa Bolsa Atleta.

Os atletas agradecem…

sem comentário »

Adriano Sarney quer aumentar valor do Bolsa Atleta

2comentários

O deputado Adriano (PV) apresentou uma emenda ao Projeto de Lei nº 099/2019, de autoria do Governo do Estado, que institui o programa Bolsa Atleta e visa incentivar o esporte estudantil maranhense, prevendo o auxílio de R$ 500,00 mensais pelo período de um ano. Adriano que ampliar o benefício para R$ 1.000,00 por mês. O PL deveria ter sido votado nesta quinta-feira (4), mas não houve quórum no plenário e a matéria retorna à pauta na próxima sessão.

“Sabemos das necessidades de custeio para o esporte maranhense, por isso estamos de olho na tramitação de projetos de lei como este e vamos continuar lutando contra o governo comunista por maior transparência nos processos para tentar ampliar o debate e aprimorar estas proposições. Graças à estratégia da bancada de Oposição conseguimos obstruir a votação e adiar para a próxima sessão”, declarou Adriano.

A emenda do deputado Adriano ao PL nº 099/2019 será apreciada em destaque na próxima sessão plenária, marcada para segunda-feira, dia 8. O Bolsa Atleta é auxílio mensal que tem como objetivo custear consultas médicas e aquisição de remédios; compra de passagens, pagamento de hospedagens e alimentação; aquisição de materiais e inscrição em eventos esportivos.

Foto: divulgação/Agência Assembleia

2 comentários »

Hewerton diz que governo pode criar Bolsa Atleta

1comentário

O secretário de Desporto e Lazer, Hewerton Pereira disse durante cerimônia de premiação do Troféu Mirante Esporte, no Teatro Arthur Azevedo que o governo do Maranhão estuda a implantação do programa Bolsa Atleta a nível estadual.

A grande notícia foi muito bem recebida pela plateia lotada de atletas de 27 modalidades esportivas.

“Participar da cerimônia de homenagem aos atletas pelo Troféu Mirante Esporte representa o crescimento de ações que contribuem para a valorização do atleta maranhense. Quero parabenizar os vencedores e reafirmar o compromisso do governo do Maranhão em promover o esporte e lazer, nesse sentido o governo do Estado estuda a implantação do programa Bolsa Atleta, uma vez que o programa foi extinto pelo governo Federal”, afirmou.

Hewerton Pereira entregou o o prêmio especial à atleta maranhense Ana Paula Rodrigues, da Seleção Brasileira de Handebol.

Foto: Divulgação

1 comentário »

Congresso aprova medidas para apoiar atletas

0comentário

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem (22/02) a Medida Provisória (MP) 502/2010 que define ações com o objetivo de tornar o Brasil uma potência esportiva até 2016. A MP segue agora para a sanção da presidenta Dilma Rousseff. As propostas começaram a ser discutidas pela equipe técnica do Ministério do Esporte em 2009 e surgiram da necessidade de preparar adequadamente os atletas brasileiros para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

A MP cria duas novas categorias para o programa Bolsa Atleta. Uma delas é a Atleta Pódio que contempla atletas de elite com reais condições de disputar finais, títulos e medalhas. Ela vai atender aos esportistas que estejam nas primeiras 20 posições do ranking mundial em modalidades individuais do programa dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Os benefícios, que podem chegar até R$ 15 mil mensais, serão válidos por quatro anos ou enquanto o atleta permanecer bem posicionado no ranking.

A intenção é evitar interrupções no treinamento e na participação em competições, seja pelo encerramento de um patrocínio ou por falta de recursos do clube ou da confederação. Em contrapartida, o programa passa a exigir que parte dos recursos seja investida na formação educacional do atleta, inclusive preparando-o para o período pós-carreira esportiva.

O Bolsa-Atleta inclui ainda a categoria Base. Com isso, o programa passa a ter seis categorias, com valores diferenciados, para atender às diferentes necessidades e especificidades do esporte e dos atletas brasileiros. O programa também terá outras mudanças, como a prioridade do benefício para atletas de esportes olímpicos e paraolímpicos – aos quais serão destinados 85% dos recursos do programa –, a permissão para que o beneficiado possa ter patrocínio e a correção anual do valor das bolsas.

Outra mudança é o reajuste dos valores do Bolsa Atleta. A categoria Estudantil passará de R$ 300,00 para R$ 370,00; a Nacional passa de R$ 750,00 para R$ 925,00; a Internacional passa de R$ 1.500,00 para R$ 1.850,00; e Olímpica/Paraolímpica passará de R$ 2.500,00 para R$ 3.100,00 mil. Além disso, os valores serão reajustados anualmente por um indexador que será definido na regulamentação da lei.

Rede Nacional de Treinamento

A MP aprovada pela Câmara dos Deputados também cria a Rede Nacional de Treinamento que vai interligar instalações esportivas – existentes ou projetadas – espalhadas pelo país. No topo da pirâmide da Rede estarão equipamentos – como os construídos para os Jogos Pan-americanos de 2007 e os projetados para 2016 – constituídos por infraestrutura de alto padrão e profissionais de alta qualificação para oferecer treinamento e intercâmbio esportivo a atletas e seleções de elite.

O trabalho se apoiará na aplicação da ciência esportiva à formação e ao treinamento de atletas. A “cabeça” da Rede estabelecerá parâmetros unificados de gestão e treinamento a serem adotados pelos demais centros de formação e treinamento existentes nos municípios. Além disso, a Rede poderá fazer convênios e parcerias em diversas áreas com instituições públicas e particulares, para estimular o ensino e a pesquisa voltados ao esporte.

A Cidade Esportiva, outro degrau da Rede Nacional de Treinamento, visa a propiciar espaços para formação e desenvolvimento de atletas nos municípios e, com isso, alargar a base do esporte competitivo. O objetivo é, em parceria com prefeituras, entidades do esporte e a iniciativa privada, fomentar a vocação de cidades para projetos direcionados a fortalecer determinadas modalidades. O programa terá conexão com projetos de esporte social e educacional, como o Segundo Tempo, do Ministério do Esporte, de onde poderão surgir talentos que venham a se desenvolver posteriormente na Cidade Esportiva e, consequentemente, na Rede.

O projeto Cidade Esportiva será um sistema interligando estruturas do governo federal, estados, municípios, entidades esportivas, clubes sociais e associações (ex.: AABB), Sistema S, unidades militares, iniciativa privada e outros interessados. O propósito é organizar, integrar e, sobretudo, qualificar as milhares de iniciativas existentes nos municípios mas que, entretanto, funcionam desconectadas de um projeto nacional de desenvolvimento do esporte de alto rendimento, desde a base até o nível olímpico.

O Governo Federal será indutor das ações, articulador das cidades e cofinanciador das instalações necessárias. Os municípios deverão contar com a parceria das confederações e dos Comitês Olímpico e Paraolímpico Brasileiros para o planejamento e o desenvolvimento técnico do projeto, com acompanhamento do Ministério.

A cidade que aderir ao programa ganhará não apenas certificação – a ser fornecida pelo Ministério do Esporte – como projeção no cenário esportivo e, em muitos casos, financiamento para suas atividades. Os locais onde o programa vai se desenrolar estarão integrados à Rede Nacional de Treinamento que o Ministério do Esporte vai estruturar.

Na base da pirâmide do alto rendimento na Rede Nacional de Treinamento está o programa Iniciação Esportiva, com papel de desenvolver e aprimorar atletas de categorias de base do esporte de rendimento. Na prática, o Ministério do Esporte unificará dois projetos lançados anteriormente que requerem interligação com outras ações – o Descoberta do Talento Esportivo e os Núcleos de Esporte de Base. Nesse novo modelo, o projeto terá conexão com núcleos do programa Segundo Tempo, núcleos de esporte educacional em escolas públicas e núcleos de esporte social.

Importância do Bolsa-Atleta para esportistas de ponta

Sarah Menezes – Judô: “O Bolsa Atleta é o apoio mais importante que tenho para o meu treinamento. Comecei na categoria nacional, passei pela internacional e, agora, conto com o beneficio na categoria olímpica. Nós, atletas, estamos sempre procurando melhorar e superar desafios. O Bolsa-Atleta tem me ajudado bastante na minha trajetória esportiva”.

Maurine Dorneles – Futebol Feminino: “Já recebi propostas para atuar no exterior, mas não compensava partir. Com o Bolsa-Atleta, tenho tranquilidade financeira para me dedicar ao esporte e ficar no Brasil”.

Hugo Parisi – Saltos Ornamentais: “O Bolsa-Atleta é muito importante não só para mim, mas para o esporte brasileiro. É uma ajuda que permite aos atletas focarem seu trabalho e se desenvolverem melhor no esporte. Se eu não contasse com o Bolsa-Atleta, teria que trabalhar em outra área e não me dedicaria ao esporte”.

Ketleyn Quadros – Judô: “O Bolsa-Atleta é bastante importante para meu treinamento. A confederação não tem como financiar todas as competições. Os recursos me ajudam a competir fora e a me manter bem posicionada no ranking da modalidade e, assim, poder lutar por uma vaga nas Olimpíadas de Londres. Para se manter em qualquer esporte, é preciso ter tranquilidade para treinar. Sem dinheiro e incentivo, muitos atletas podem largar o esporte”.

Mauro Luiz – Natação: “Participei de duas Paraolimpíadas. Após Atenas, passei a contar com o beneficio, e a verba me permitiu uma melhor preparação para Pequim. O atleta de alto nível tem diversos gastos. Com o Bolsa, tenho assegurado meu atendimento médico e fisioterapia para me recuperar de lesões, e posso me dedicar aos treinamentos. Os resultados estão aparecendo”.

Fabiana Beltrame – Canoagem: “O Bolsa oferece aos atletas de alto nível mais tranquilidade para melhorar seu desempenho, pois temos gastos elevados para nos manter no esporte, como fisiologistas, médicos, fisioterapeutas. Eu credito as minhas conquistas, em parte, ao Bolsa-Atleta, porque tive mais tranquilidade para me dedicar ao esporte”.

Fonte: Ascom – Ministério do Esporte

sem comentário »

Governo quer aumentar benefícios do Bolsa Atleta

0comentário

send_binaryCAICWZHGO Ministério do Esporte aproveitou a realização do Fórum Rio Cidade Sede, nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, para apresentar o projeto de mudanças nas regras do Bolsa Atleta. O benefício, que atende cerca de três mil esportistas, passará a permitir patrocínios pessoais, e o valor das bolsas será maior.

A proibição de patrocínios pessoais vinha sendo um grande problema para boa parte dos três mil esportistas beneficiados pelo programa. Eles acabavam sendo obrigados a escolher entre o Bolsa Atleta ou o apoio de empresas particulares. Pelas novas regras, será permitido conciliar diferentes tipos de patrocínios. Outros pontos de destaque na proposta são o aumento no valor da bolsa e o investimento maior nas categorias de base, a partir de 12 anos.

– A principal mudança é a permissão de que o atleta tenha patrocínios. É uma visão do Bolsa Atleta como estímulo, como incentivo para o atleta, não como a subsistência exclusivamente – disse Marco Aurélio Klein, diretor da Secretaria Nacional de Alto Rendimento.

Hoje, são gastos R$ 40 milhões por ano com os três mil atletas do programa, que recebem entre R$ 300 e R$ 2.500 por mês. A ideia do Ministério é que, para os próximos anos, os números cresçam em mais de 50%.

As novas regras ainda serão encaminhadas para Assembleia Legislativa para serem aprovadas. O governo federal, no entanto, está otimista que isso aconteça no primeiro semestre de 2011.

– Isso muda a lei, então ainda tem que passar por um processo. Está aprovado que vai mudar, mas ainda vai para o Congresso. Como tem uma lógica positiva, a lei pode até receber um ou outro ajuste, mas nós já estamos conversado com deputados e senadores e sabemos que há uma receptividade boa – afirmou Klein.

Globoesporte.com

sem comentário »