Alinhamento no PMDB

2comentários

AndreaMuradDeputados eleitos do PMDB devem alinhar os pensamentos em torno do assunto ‘presidência da AL’. Muitas opiniões vieram à tona após as declarações da eleita Andrea Murad de que o partido precisa ter mais pulso e se opor a candidatura imposta de Humberto Coutinho. “Esta imposição vai deixar de bandeja dois poderes nas mãos de Flávio Dino, o Executivo e o Legislativo”, disse Andrea Murad.

O posicionamento da deputada eleita manifestou opiniões dividas e que precisam ser alinhadas entre os membros do partido. Andrea defende que os deputados devem conversar a respeito, estar mais unidos e decididos quanto o rumo que o PMDB deve tomar a partir de 2015.

“Acredito no diálogo, na união do nosso grupo e percebo que, no momento, está desalinhado. Mas ainda acredito nas relações entre as pessoas como forma de chegar a um entendimento, dando voz e vez a todos, o que é mais justo e correto e não apenas ouvindo uma minoria. Essa desarmonia dentro do próprio grupo foi um dos fatores de termos perdido as eleições”.

Andrea Murad reforçou que não é candidata a presidente da Assembleia Legislativa. “Sei muito bem que os momentos são outros, o governador é outro e as circunstâncias também são outras.  Mas temos uma nova geração na política prestes a assumir, com novos e diferentes pensamentos, que dá mais valor aos seus deputados e não pensa por si só, até porque político não é politico sozinho”.

A deputada eleita disse que não quer ser uma oposição pra ficar calada, “se for assim, eu terei que rever minha situação”. Andrea continua destacando que os partidos que apoiaram Lobão Filho elegeram 29 deputados, que unidos podem conseguir uma Assembleia independente, beneficiando mais o povo do Maranhão. Ao tratar do PMDB, Andrea destacou que “o que acontece em nosso grupo é que poucos são ouvidos, por isso estamos assim tão desalinhados, precisamos nos valorizar mais, valorizar nossa capacidade de realmente fazer uma política diferente e todos precisam ser ouvidos, inclusive os novatos também merecem voz e vez”.

Se votar em Humberto Coutinho para presidente será passar os próximos dois anos atendendo às orientações de Flávio Dino, o PMDB precisa mesmo discutir o assunto. É o que deve acontecer nas próximas semanas.

2 comentários »

Entrevista de Lula Fylho

2comentários

lulafylhoO secretário de governo, Lula Fylho é o primeiro entrevistado numa série de entrevistas que serão feitas pelo Blog do Zeca Soares dentro da retrospectiva 2014 e perpectivas para o novo ano.

Lula Fylho aponta os desafios ao assumir a nova pasta, os avanços na administração municipal e o que espera do novo governo que assume partir de 1º janeiro.

Veja a entrevista na íntegra:

Zeca Soares – Você assumiu a Secretaria de Governo há pouco tempo, mas já fazia parte da administração. Já deu para conhecer um pouco sobre o funcionamento da máquina?

Lula Fylho – Nunca me limitei a entender apenas da minha antiga pasta (Turismo), sempre procurei entender a transversalidade das ações da Prefeitura como um todo, entender as limitações de várias pastas, como poderia criar sinergia, enfim, busquei trabalhar como membro de uma equipe ampla, não apenas como secretário de uma pasta.

A diferença é que, ao chegar na Semgov, o nível de profundidade aumenta. Então tenho que conhecer mais detalhes das operações de todas as pastas. Já tive várias reuniões com secretários e com técnicos das secretarias, fui a Brasília verificar como estamos em relação ao PAC. Averiguei os entraves em relação a algumas pendências de entregas e estou mantendo política de diálogo constante com a Câmara, com as secretarias, com servidores e com fornecedores.

Uma coisa já percebi, ainda tenho muito a entender, muito a averiguar e muito a aprofundar.

Zeca Soares – Quais os principais avanços na administração do prefeito Edivaldo Holanda Júnior você enumeraria neste segundo ano de governo?

Lula Fylho – Temos vários avanços em áreas sociais, inauguramos o primeiro abrigo para população de rua na história da cidade, o primeiro CRAS próprio, ampliamos consideravelmente o atendimento ao Cad Único, devolvemos o Circo Escola (projeto de dez anos de atividade que estava parado a seis anos), propiciando oportunidade de mudança de vida para centenas de crianças, melhoramos consideravelmente as condições de trabalho dos conselheiros tutelares.

Inauguramos a Cozinha Comunitária na Vila Cascavel (essa ressalto que fui na “inauguração” na gestão Tadeu Palácio, mas só agora de fato funcionou), onde servirá 200 refeições por dia para pessoas de baixa renda e população de rua. Fomos o primeiro município do país a ter um Plano Municipal de Segurança Alimentar que norteará todas as políticas públicas voltadas para essa temática e retirar a nossa cidade dentre as piores do país.

Asfaltamos dezenas de ruas do bairro São Cristóvão melhorando a vida e os negócios na região, reformamos 14 unidades de saúde e construímos uma outra no Residencial Alexandra Tavares, garantimos recursos para, enfim, reformar e por em atividade a AMA na Zona Rural parceria com a Alumar.

Ampliamos o acesso a educação, inclusive fomos reconhecidos nacionalmente. Somos uma Prefeitura referência em transparência, realizamos o primeiro pregão eletrônico na história da CPL, aprovamos a realização de concurso para ampliarmos o número de auditores, ampliamos a autonomia da Controladoria. Estamos modernizando a Secretaria de Fazenda, conseguimos viabilizar uma linha de financiamento que estava parada desde 2009.

Ampliamos a participação da cidade em capacitações de agentes de viagens, implantamos o Observatório do Turismo que possibilitará entidades, academia, empresariado e demais agentes do turismo. Capitamos recursos no Pac Turismo para sinalização turística (projeto irá para licitação em Janeiro) e Promoção Internacional da cidade (iremos promover São Luis e o nosso ão João em Paris, Bogotá, Lima e Buenos Aires)

Aprovamos as leis que regulamentam o Fundo Municipal de Cultura, Incentivo a Cultura e Conselho Municipal de Cultura. Ano que vem transformamos a Fundação de Cultura em Secretaria Municipal de Cultura.

Aprovamos o maior número de leis de incentivos visando o desenvolvimento econômico do Centro Histórico na história da cidade, essas leis vão permitir lançar, logo no início do ano, um programa de fomento e atração de empresas para essa área. Aprovamos um fundo de preservação para área tombada pela Unesco.

Avançamos muito no processo de licitação do transporte coletivo, criamos os meios para implantarmos a biometria facial (o que irá diminuir sobremaneira as fraudes no sistema de transporte público), o GPS e o Bilhete único, que serão implementados ainda em 2015.

São muitas entregas, mas o importante é que em dois anos (parece muito, mas não é) serve para organizar a Prefeitura, captar os recursos e elaborar/corrigir os processos, nós avançamos nesses quesitos. Poderemos ampliar as esperanças que 2015 será um ano muito melhor para a cidade, principalmente pela parceria sempre vetada e que agora será realidade com o Governo do Estado.

Zeca Soares – Quando você foi indicado teve quem dissesse que você encontraria dificuldade por não ser um político tido com profissional. Isto de fato atrapalha em alguma coisa?

Lula Fylho – Isso é uma verdade, nunca fui político e nem penso em seguir na política, não tenho nenhuma pretensão de disputar vaga alguma. Sou um gestor que estuda muito, que se prepara muito para assumir desafios cada vez maiores. Sempre busco exercer todas as funções com muito comprometimento, abnegação e dedicação.

No meu primeiro dia tive uma audiência na Câmara de Vereadores, lá também cheguei com muita desconfiança por parte de vários parlamentares e imprensa. Na minha fala disse: “não acho que ter experiência política seja premissa fundamental para esse cargo, por mais político que ele seja. Todos vocês tem um objetivo em comum – o bem da cidade. O prefeito só tem esse objetivo – deixar uma cidade muito melhor. Meu papel como gestor e articulador é criar o ambiente para  essa convergência, onde os poderes, mesmo que independentes, consigam ser harmônicos.”

Continuo achando que meu papel seja de gestor e articulador, não deixar nenhuma das duas agendas se sobrepor a outra, mas nunca perder o foco nas entregas do nosso prefeito, sobretudo porque farão diferença na vida de milhares de cidadãos de nossa cidade.

Zeca Soares – De saída você lançou o Gabinete Itinerante. Como funciona e qual é o objetivo deste projeto?

Lula Fylho – Essa era uma das ideias que havia dado há alguns meses, agora conseguimos por em prática. O prefeito e seu gabinete, se transferem por um dia para as secretarias, cada momento uma.

Nessa ocasião a agenda do prefeito será executada na estrutura da secretaria em questão. Também ouve as demandas da pasta, conhece a estrutura, conversa com a equipe toda, enfim, passa a conhecer in loco, os problemas e potencialidades de cada pasta que ele comanda.

Zeca Soares – Qual a perspectiva para São Luís com o novo governo que assume o Estado a partir de janeiro?

Lula Fylho – Toda parceria, por essência, visa criar sinergia. Essa com o Governo do Estado tende a ser a parceria mais estratégica para a nossa cidade. Todos os municípios, após a Constituição de 1988, passaram a depender demasiadamente do Governo Federal e Estadual. Quando não se trabalha republicanamente e em parceria a situação do município se complica. Não foi diferente com a nossa cidade.

A situação agora é outra, temos um Governo amigo, mas mais do que isso, um Governo democrático que não negligenciará e muito menos desprezará a capital do Estado. Vamos conversar com o Estado logo no início da gestão. Temos pauta para propor convênios, tanto com obras captadas pela Prefeitura, como para atender demandas da cidade que não temos recursos para realizar sem apoio do Governo. Será uma via de mão dupla.

Conheço bem o Governador Flávio Dino, é um amigo, mas acima de tudo é uma pessoa exigente e com foco em resultados e desenvolvimento. Se não atender essas premissas a amizade ficará em segundo plano. Portanto nada de chegar só pedindo, temos que propor ações em que possamos fazer entregas relevantes para a cidade.

2 comentários »