Casa do Maranhão

0comentário

CasadoMaranhaoO Centro de Interpretação Turístico-Cultural Brasileiro, a Casa do Maranhão, está aberto para visitação de turistas e maranhenses. O espaço, erguido com múltiplas possibilidades educacionais e técnicas museológicas contemporâneas, abriga uma exposição fixa sobre diversos aspectos da história e da cultura do estado. O Centro é uma ótima opção para o período de férias e uma boa oportunidade de fazer turismo dentro de casa.

Ao todo são 16 salas, como a “O Maranhão de Gaudêncio Cunha”, que guarda os registros feitos pelo fotógrafo em 1908 e os compara com imagens atuais, e a curiosa “Maranhão, uma experiência sensorial”, uma sala com cheiros, sons naturais e luzes especiais, que quer fazer quem a visita “sentir” o que é este estado.

A edificação, completamente reconfigurada, apresenta ao público possibilidades de explorar, por meio de telas touch screen, fotografias com visões aéreas de São Luís. Os recursos multimídia continuam por meio projeções de fotos de Meireles Jr. em ângulos inusitados e sala com projeção de vídeo que destaca produções maranhenses.

Os visitantes poderão ver ainda uma réplica do Famosão, do Boi de Humberto de Campos, lendas, azulejos, embarcações, danças e outras figuras essenciais à cultura do estado, como os 11 escritores maranhenses da Academia Brasileira de Letras (ABL).

sem comentário »

Eleição de Coutinho

0comentário

RobertoCostaA eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa será em fevereiro e como já era de se esperar, todos os dias o assunto é pauta que repercute no cenário político local. Após as recentes declarações da deputada eleita Andrea Murad, o colega de partido, deputado estadual Roberto Costa, um dos líderes do PMDB, veio à público esclarecer o seu posicionamento sobre a possibilidade da eleição de Humberto Coutinho (PDT) para a presidência do Legislativo. Apesar de não ter definido oficialmente o seu voto, Roberto fez questão de esclarecer a postura que adotou sobre o assunto.

Sobre a próxima eleição para a Mesa Diretora, Roberto Costa disse ter assumido não só uma posição pessoal e transparente, mas fruto, inclusive de conversas com lideranças importantes do PMDB. Costa enfatizou que a sua decisão segue o encaminhamento de respeitar todos os outros 41 deputados eleitos, o que o faz manter a posição que ele sempre teve no poder Legislativo. O deputado disse defender hoje, a mesma tese que já seguiu em momentos anteriores, referindo-se aos diferentes contextos políticos que definiram as duas últimas eleições para a presidência da Casa.

“Assim como na eleição de 2011, em que o meu candidato à presidência era o deputado Ricardo Murad, mas não conseguimos construir um consenso em torno do seu nome, elegendo, na época, o deputado Arnaldo Melo; assim também, como na eleição seguinte, em que o deputado Arnaldo Melo conseguiu aglutinar em torno do seu nome, todos os deputados, inclusive com o meu voto, já que defendi a união do Legislativo, assim, hoje me posiciono da mesma forma e defendo o princípio de que o importante para a Assembleia é a união de todos os deputados”, pontuou.

De forma clara, Roberto disse não ver dificuldades em votar no nome até agora lançado para a vaga. “Acho que independente da sua posição política, Humberto Coutinho tem todas as condições de comandar a Assembleia Legislativa pela sua experiência e pela forma democrática como tem se conduzido ao conversar com todos os parlamentares; o que defendo hoje para a participação do PMDB é que se respeite a proporcionalidade de cada bancada para a composição da Mesa Diretora, não me cabe fazer vetos a nomes ou fazer restrição a qualquer deputado”.

Mais uma vez, o parlamentar reforçou que a sua postura será a postura do PMDB, de uma oposição responsável em relação ao futuro Governo, sobretudo respeitando a vontade popular, que colocou o partido como oposição no estado ao fazer a sua escolha pelo governador Flávio Dino: “a nossa oposição não será pautada no ódio, será coerente para que possamos cobrar todos os compromissos assumidos com a população do Maranhão”, disse. Sobre a sua posição em relação ao partido, Costa disse ainda que tentará construir, com os outros deputados, um caminho que possa atender a todos e não ao interesse de um ou de outro e sobre a posição do PMDB, partido no qual milita há mais de 20 anos, o parlamentar disse se sentir completamente tranquilo para falar.

“A minha forma de fazer política no PMDB sempre foi pela participação de todos, nunca fiz a política de exclusão de nomes internamente no partido, em todos os momentos estive ao lado do senador Lobão Filho em sua candidatura ao governo, mas acho que antes de opinar não podemos esquecer do passado, quem e quais causas foram responsáveis pelas divisões internas do nosso grupo; a oposição ao candidato Humberto Coutinho por questões de interesse pessoal, certamente, não prevalecerá dentro do PMDB, a política de vetos é ultrapassada e esse tipo de comportamento já fez com que candidatos perdessem espaço, sempre ajudei a construir o PMDB no dia a dia, respeitarei a posição de todos, mas vejo como é fácil falar em nome de um partido, difícil é trabalhar para construí-lo”.

Roberto Costa acompanhou todo o processo de crescimento do PMDB no Maranhão, foi presidente da juventude do partido, tanto municipal, como estadual, foi membro da Executiva Nacional, é membro do Diretório Estadual e atual presidente do Diretório Municipal do partido.

O deputado disse ainda não ver a candidatura de Coutinho como uma imposição do futuro governo, mas falou num credenciamento natural resultado da relação de diálogo que ele vem mantendo com os deputados, tanto atuais, como novatos. Já sobre a colega de legenda, Andrea Murad, Roberto fez questão de destacar a importância que ela terá no grupo e disse acreditar que Andrea será uma grande líder na Assembleia, reforçando que a diferença entre ambos está apenas no campo das ideias e das diferentes visões sobre a política de vetos.

sem comentário »

Otimismo de Raniere

5comentários

RaniereEnquanto aguarda no interior de Minas Gerais a renovação do contrato com o Moto, o goleiro Raniere já fala ao Blog do Zeca Soares como jogador do clube e prevê que 2015 será um ano de grandes conquistas para a torcida rubro-negra.

Raniere destaca que o Moto está no caminho certo ao utilizar uma política de valorização dos jogadores maranhenses e conta o que aconteceu no primeiro semestre quando amargou um vexatório rebaixamento para a segunda divisão do futebol maranhense quando ainda atuava pelo MAC.

Ele também fala sobre a difícil missão de duelar com o goleiro Ruan para ser titular no time.

Veja a entrevista na íntegra:

Zeca Soares – Você viveu dois momentos distintos em 2014. No primeiro semestre no MAC amargou o vexame de um rebaixamento para a segunda divisão no futebol maranhense. O que aconteceu com o time do MAC?

Raniere – Infelizmente, houve alguns erros de planejamento. Infelizmente muito erros nas contratações feitas principalmente pelo técnico na época, pessoa muito bacana por sinal, mas pecou em trazer a maioria dos atletas que ele não conhecia. Poderia ter usado a base que o Mac já tinha do ano anterior e certamente teria mais sucesso, mas enfim, todos tiveram sua participação de culpa. Tenho certeza que o MAC vai dar a volta por cima e voltar logo para a elite do futebol maranhense.

Zeca Soares – No segundo semestre você quase conseguiu o acesso com o Moto para a Série C. Mas um detalhe: com o goleiro Ruan em excelente forma você não teve oportunidade. Como foi essa nova experiência?

Raniere – Sempre respeitei a decisão do técnico, seja ela certa ou errada, não estou dizendo que foi o caso, a oportunidade foi dada ao Ruan e ele aproveitou. Teve um bom desempenho, mas na verdade ninguém gosta de ficar no banco, comigo não é diferente, mas como disse antes, respeito sempre as decisões dos técnicos.

Zeca Soares – Você ao sair do Moto deixou tudo encaminhado. O clube já demonstrou interesse no seu retorno. 2015, no Moto será o ano de Raniere?

Raniere – Não tenha dúvida que espero que seja, quero muito poder jogar no Papão e poder ajudar muito mais dentro de campo jogando. Tenho fé que será não só meu ano como ano de todos que estiverem no Papão.

Zeca Soares – O Moto ainda atravessa momentos de dificuldade por conta da falta de patrocínios. Mas vem fazendo um trabalho interessante de valorização de atletas. O caminho para o Moto é esse?

Raniere – Infelizmente por parte de alguns setores seja governo estadual, municipal e de algumas empresas privadas que todos certamente poderiam ajudar muito mais os clubes do estado, mas como futebol maranhense vem crescendo, acho que isso é questão de tempo para que todos esses setores caiam na real e vê que o futebol é um execelente investimento e que muita visibilidade nacionale até internacional.

Zeca Soares – Qual é a sua expectativa sobre a participação do Moto na Copa do Nordeste?

Raniere – A melhor possível, será uma excelente oportunidade do Papão mostra seu valor numa competição muito valorizada a nível de Nordeste.

Zeca Soares – O Moto vai enfrentar o Boa Esporte na Copa do Brasil. Algum temor?

Raniere – Temor nenhum, não acho que o Boa seja esse bicho papão, apesar de que já vem algum tempo disputando a série B, quase sobe esse ano para seria A. Já enfrentei o Boa algumas vezes e não vejo essa dificuldade de passar para outra fase não.

Zeca Soares – E o Campeonato Maranhense. Você entende que essa será a principal competição para o Moto, pois pode levar o clube novamente para a Série D?

Raniere – Entendo que todos essas competições são de grande importância para o Papão, mas como o Moto depende do Estadual tanto para seguir com calendário para restante do ano e também para disputa da série D, que o caminho para o Papão disputar o acesso a série C e tenho certeza que isso vai acontecer o mais breve possível, sim. O Estadual é a competição de grande importância.

Zeca Soares – Qual o seu recado ao torcedor rubro-negro?

Raniere – Já deu par sentir nesse tempo que estive que a torcida do Papão é muito apaixonada e que deixa qualquer atleta muito motivado para defender as cores rubro-negra e posso dizer a torcida do Papão que farei o que for preciso dentro de campo para que o Papão saia vitorioso dos seus jogos e que nos vamos fazer de tudo para conquistar títulos no ano de 2015, e desde já desejar a todos os maranhenses um Feliz e Natal e um ano novo de muitas conquistas, em especial à torcida do Papão.

Foto: Weliandrei Campelo

5 comentários »

Rumos do PT

0comentário

AugustoLobatoLogo no início de janeiro, a Executiva Estadual do PT deverá voltar a ser reunir e debater sobre a posição que o partido tomará em relação ao governo de Flávio Dino (PCdoB). A pressa pela decisão diz respeito tanto à busca por espaços no futuro governo, como também à tentativa de iniciar o debate sobre a sucessão na Prefeitura de São Luís em 2016.

Em dezembro, os petistas chegaram a se reunir, mas, como de praxe, não chegaram a qualquer decisão sobre o futuro da legenda. De acordo com o vice-presidente da sigla, Augusto Lobato, ficou complicado se falar em posição quando o PT ainda faz parte do atual governo.

“É difícil tomar qualquer posição quando sabemos que ainda temos o PT fazendo parte do atual governo. Por isso, preferimos esperar a mudança”, disse Lobato.

A executiva estadual volta a se reunir logo no início de janeiro. A tendência é que o PT vá para a base de apoio de Flávio Dino. Mesmo os membros pertencentes à ala Construindo um Novo Brasil (CNB) estão tendendo a apoiar Dino, o que não terá grande problemas nacionais, já que o PCdoB de Flávio Dino é aliado do PT da presidente Dilma Rousseff.

Essa decisão também facilitará a vida de outros membros do PT, como Márcio Jardim (futuro secretário de Esportes) e Francisco Gonçalves (que comandará a secretaria de Direitos Humanos de Dino) que já foram indicados para compor a futura administração.

O PT tomando a decisão sobre a posição em relação a Flávio Dino no Maranhão, também iniciará a discussão interna sobre a sucessão da Prefeitura de São Luís. As alas existentes na legendas poderão se posicionar.

De acordo com Lobato, por enquanto, a tese que mais ganha força internamente é a de lançamento de candidatura própria em São Luís.

O Estado

sem comentário »