Calados de novo

0comentário

O governador Flávio Dino e seus auxiliares e subalternos não se manifestaram sobre o abandono da obra para construção da ponte Central-Bequimão que está paralisada e o material enferrujando. O descaso foi revelado pelo morador de Bequimão Mellquisedeque Allmeida, que fez um vídeo e publicou em rede social.

A estratégia do governo é sempre a mesma: manter silêncio sobre o problema e encher as redes sociais com ações da gestão anterior. Flávio Dino preferiu calar e deixar de explicar aos maranhenses em que foram aplicados mais de R$ 16 milhões em uma obra que não saiu do chão, até o momento.

O governador não quer explicar por qual motivo a ponte não foi entregue dentro do prazo previsto no contrato, que era setembro de 2018.

Ou seja, o governador do Maranhão que prega transparência, não consegue ser transparente com os maranhenses no uso do dinheiro público.

Pelo contrário, mesmo com uma obra repleta de dúvidas devido à contratação de uma empresa investigada pela Polícia Federal por desvio de verba pública, o comunista preferiu tirar proveito político-eleitoral da construção da ponte durante o período de pré-campanha eleitoral do ano passado, fazendo circular pelas estradas do estado caminhões – que pareciam outdoor – com estas estruturas metálicas hoje abandonadas.

Mas essa postura do governador – que adora criticar adversários nas redes sociais e se colocar como puro – não é novidade: aluguel camarada, capelães, investigação da Polícia Federal de desvio de verba na Saúde do estado são alguns exemplos dos momentos de silêncio de Flávio Dino.

Também calados

Também permanece em silêncio e sem agir o Ministério Público Estadual. O órgão, comandado pelo procurador Luiz Gonzaga Coelho, deveria scalizar a correta aplicação do dinheiro público. Até o momento, não se tem notícia de qualquer ação contra o estado pela obra abandonada da ponte Central-Bequimão.

Assim como Dino, o MP também cou inerte diante das denúncias de aluguel camarada e o caso dos capelães, por exemplo.

Estado Maior

Sem comentário para "Calados de novo"


deixe seu comentário