Roberto comemora extinção de acordo com a Ucrânia

0comentário

A comissão mista que analisa a Medida Provisória (MP) 858/2018 que extingue a empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS) aprovou nesta quarta-feira (27) o relatório preliminar. A empresa de capital brasileiro e ucraniano foi formada por acordo assinado entre os dois países em 2003. O relatório, apresentado pelo deputado Hugo Leal (PSD-RJ), ainda será votado nos Plenários da Câmara e do Senado.

A MP 858/2018 determina que a União suceda a empresa extinta em seus bens, direitos e obrigações contraídos situados em território brasileiro. Também põe fim ao mandato dos conselheiros, devolve a área ocupada pelo empreendimento, localizado no centro de lançamentos de foguetes de Alcântara, ao Comando da Aeronáutica e define o inventário para apurar gestão de passivos e ativos da empresa, como forma de favorecer um acerto de contas transparente com a Ucrânia.

Ao justificar a extinção da ACS, o governo brasileiro alega a ocorrência de “desequilíbrio na equação tecnológico-comercial” que justificou a constituição da parceria com a Ucrânia, a partir de 2003. Declara ainda que a Ucrânia, “esgotadas as tentativas brasileiras de distrato amigável, tem oferecido sucessivas resistências para a realização de Assembleia Geral com o objetivo de deliberar sobre a dissolução e a liquidação” da empresa.

O governo brasileiro alega ainda que a manutenção e a estrutura da ACS, “tendo em vista a magnitude dos recursos financeiros envolvidos, tende a gerar, com o passar do tempo, impactos negativos no Orçamento da União”. O governo detalha que o Brasil aportou, ao longo do empreendimento, a quantia de R$ 483,8 milhões, devendo ser este o valor a constar como volume de recursos fiscalizados, embora o capital social da ACS tenha chegado a US$ 1 bilhão, na assembleia geral realizada em maio de 2013.

Ambiente de negócios

Presidente da comissão mista, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) saudou a aprovação do relatório e disse que a cooperação entre Brasil e Ucrânia não trouxe nenhum ganho, mas um “prejuízo bilionário” ao país e ao Maranhão.

Roberto Rocha defendeu ainda a criação de ambientes favoráveis a bons negócios em Alcântara, no litoral maranhense, como forma de favorecer “a exploração econômica da riqueza, e não a exploração política da pobreza”. Ele também destacou as vantagens decorrentes do posicionamento geográfico do centro de lançamentos de Alcântara.

A ilha de São Luís tem o melhor porto das Américas. Alcântara está a dois graus abaixo da linha do Equador, o que gera economia de 30% de combustível. O Cabo Canaveral, na Flórida, está a 25 graus acima da linha do Equador. Quanto menos combustível for gasto, haverá mais espaço no foguete para o transporte de equipamentos usados em pesquisas científicas”, destacou.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Jair Bolsonaro destaca apoio de Roberto Rocha

1comentário

Nos Estados Unidos, o Presidente Jair Bolsonaro (PSL) agradeceu ao senador maranhense Roberto Rocha (PSDB) por sua participação no Acordo de Salvaguardas Tecnológicas.

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, houve uma preocupação do senador maranhense no sentido de que o Acordo não ferisse a soberania do território brasileiro, em especial do Maranhão.

“O Brasil participa de todo o processo com cautela, mas sem cessão, restrições de acesso ou controle de Alcântara por outras nacões. Ao viabilizar Alcântara para o mundo, decolamos o Maranhão”, celebrou o senador Roberto Rocha.

Após assinatura, o Congresso Nacional precisará ratificar o acordo.

Foto: Divulgação

1 comentário »

Ministro garante royalties do minério para maio

0comentário

O pagamento dos royalties da mineração a que tem direito os municípios maranhenses que são cortados pela ferrovia Carajás deve acontecer a partir do próximo mês de maio. A garantia foi dada pelo ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, durante audiência com parlamentares maranhenses, em Brasília.

Os municípios que são cortados pela Estrada de Ferro Carajás serão beneficiados ao longo de 670 km de extensão da ferrovia. Ao todo, a previsão é de que seja injetado aproximadamente R$ 46 milhões de reais.

O reajuste para 15% só foi possível graças a uma emenda apresentada na Medida Provisória 789/17, de autoria do senador Roberto Rocha (PSDB-MA).

Esse reconhecimento foi feito pelos mais de vinte prefeitos e representantes dos municípios presentes na reunião liderada pela prefeita Karla Batista, de Vila Nova dos Martírios, em janeiro de 2018, no gabinete de Rocha, em Brasília.

Na ocasião, a prefeita relatou que o senador maranhense foi incansável e abraçou a causa: “O senador Roberto Rocha esteve o tempo todo conosco na busca desse objetivo” afirmou.

Liderando a bancada maranhense durante a reunião com o ministro, o deputado federal André Fufuca (PP) revelou confiança na liberação dos recursos: “O ministro demonstrou muita sensibilidade em relação ao assunto. Acreditamos que vamos ter êxito nesta questão”, frisou o parlamentar em matéria ao Jornal Pequeno na edição de sábado (16).

Veja a lista dos municípios contemplados:

Açailândia, Alto Alegre do Pindaré, Anajatuba, Arari, Bacabeira; Bom Jardim, Bom Jesus das Selvas, Buriticupu, Cidelândia, Igarapé do Meio, Itapecuru Mirim, Itinga do Maranhão, Miranda do Norte, Monção, Pindaré-Mirim, Santa Inês, Santa Rita, São Francisco do Brejão, São Pedro da Água Branca, São Luís; Tufilândia, Vila Nova do Martírios e Vitória do Mearim.

Foto: Divulgação/ Agência Senado

sem comentário »

Roberto espera concluir este mês apuração de fraude

0comentário

O corregedor do Senado, Roberto Rocha (PSDB-MA), afirmou nesta sexta-feira (15) ao G1 que pretende concluir ainda neste mês a apuração sobre a suspeita de fraude na eleição para presidente da Casa.

No dia 2 de fevereiro, os senadores se reuniram no plenário para eleger o novo presidente. No momento da contagem de votos, foram encontradas 82 cédulas na urna, embora haja 81 senadores.

Com isso, uma nova votação teve de ser realizada, e Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito presidente do Senado. As cédulas da primeira votação foram trituradas.

“Até o final do mês [de março], o que eu espero é concluir o trabalho da Corregedoria. A Corregedoria tem a função de apurar. E aí, se descobrir que tem algum servidor envolvido, manda para o Ministério Público e manda também para a diretoria [do Senado]. Se tiver algum senador envolvido, manda para o Conselho de Ética”, afirmou Rocha.

O Conselho de Ética pode abrir um processo de cassação de mandato parlamentar.

Na avaliação de Rocha, mais duas semanas para a conclusão da investigação é um “prazo razoável”, a não ser que “algum fato” justifique prorrogar o prazo.

G1

sem comentário »

Roberto Rocha é entrevistado na Mirante AM

0comentário

Em Entrevista ao Programa Ponto Final, na Mirante AM, nesta segunda (11), o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) falou, entre outros temas, sobre economia, Reforma da Previdência e a Corregedoria do Senado.  

Líder do PSDB no senado, o parlamentar maranhense foi forte articulador para a eleição do senador Davi Alcolumbre ( DEM-AP) à presidência do senado. Roberto Rocha também está à frente da Corregedoria do Senado e conduz as investigações acerca do processo eleitoral ocorrido no dia 02 de fevereiro. “ Foi uma eleição muito acirrada e cheia de polêmicas, com cenas lamentáveis que deixaram o senado ruim perante a opinião pública e que a população cobra uma resposta”, analisou o senador, que afirmou, está com todas as imagens da votação: “ As imagens já se encontram conosco em HD, são muitas horas de imagens. E a equipe do meu gabinete se debruçou no final de semana pra ver. Após checar essas imagens, voto a voto, nós vamos pegar o testemunho daqueles que participaram da mesa, sejam senadores ou servidores, para esclarecimento do caso. Penso que nós teremos que fazer uma investigação mais profunda em um ou dois votos”, informou.

Questionado sobre o posicionamento do seu partido diante do Governo Bolsonaro, Rocha afirmou com tranquilidade que não haverá dificuldades, considerando que a agenda prioritária da bancada tucana, no momento, é a mesma do atual governo: “ Temos uma agenda prioritária que é a agenda econômica. Precisamos destravar a economia, fazer o país retomar o crescimento econômico. Não há possibilidade de gerar emprego se a economia não crescer. Emprego é a maior obra social. Na medida em que você promove o desenvolvimento econômico, você, claro, gera emprego”, constatou o parlamentar.

O senador maranhense aponta, ainda, como mudança fundamental para a economia do País, as reformas que virão. No caso, a tributária e a da Previdência. “ Na hora em que o Brasil, ainda no primeiro semestre, se for possível, aprovar a Reforma da Previdência, esse país cresce mais ou menos o que vai crescer o mundo, em 2019: 3,5%. Isso significa que a arrecadação tributária cresce 10%, porque pra cada 1% de crescimento do PIB, cresce 3% a arrecadação tributária. Nós precisamos disso. Nós brasileiros.  Ninguém vai conseguir governar nada, daqui a mais quatro anos, se as reformas não forem feitas. Todo o dinheiro do Brasil vai ser pra pagar a previdência. E não haverá mais dinheiro sequer pra pagar folhas de funcionários”,  concluiu.

sem comentário »

Roberto Rocha assina CPI de Brumadinho

0comentário

Foi protocolado esta semana no Senado, o requerimento que cria a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as causas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho. O objetivo é identificar responsáveis pela catástrofe, possíveis falhas nos processos de licenciamentos dos órgãos competentes, os autores dos laudos técnicos, além das providências cabíveis para evitar novos acidentes.

Dos 81 congressistas, 44 assinaram o requerimento. O senador Roberto Rocha, novo líder do PSDB no Senado assinou o documento. “O Brasil quer respostas e providências. Há três anos foi a barragem de Mariana e hoje acontece novamente, mas e amanhã? É preciso investigar os fatos e o legislativo tem um papel relevante no aperfeiçoamento da legislação que trata do tema”, disse.

Ainda de acordo com o senador maranhense, todas as barragens brasileiras precisam passar por um processo de fiscalização mais rigoroso. “Será necessário um esforço conjunto entre os governos estaduais e o governo central para averiguar a situação de cada uma delas”, disse.

A CPI tem prazo de 180 dias de funcionamento e será composta por 11 senadores. A comissão prevê visitas in loco que podem ajudar na investigação das causas do rompimento da barragem.

Foto: Agência Senado

sem comentário »

Roberto Rocha é o novo líder do PSDB no Senado

0comentário

Em uma indicação unânime da Bancada dos senadores do PSDB, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) foi anunciado, nesta quarta-feira (6), como novo líder do partido. Essa é a primeira vez que o congressista do Maranhão exerce a função no Senado. Ele terá a responsabilidade de orientar e encaminhar as votações de interesse do partido nas comissões e no plenário, além de representar a legenda em reuniões no Palácio do Planalto.

“Honrado com o convite, aceitei o desafio para ser o porta-voz do PSDB em um novo momento de esperança que o Brasil atravessa. Vamos lutar pelas reformas necessárias e pelos projetos que são realmente de interesse da sociedade”, disse o novo líder.

De acordo com o Regimento Interno, o líder partidário participa semanalmente das reuniões do Colégio de Líderes — onde é discutida a pauta do plenário. É também atribuição do líder orientar e firmar posições da bancada nas comissões e no plenário, além de dialogar constantemente com o presidente da República.

Bloco parlamentar

Dono da terceira maior bancada no Senado, com oito senadores, o senador Roberto Rocha já havia anunciado na semana passada a formação de um bloco parlamentar com o Podemos, do senador Álvaro Dias (PODE-PR), totalizando 16 senadores.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Roberto Rocha anuncia cura do filho contra o câncer

3comentários

O senador Roberto Rocha (PSDB) que viveu um drama familiar este ano, por conta do diagnóstico de um câncer no rim de seu filho Paulo Rocha, anunciou nas redes sociais que ele está totalmente curado.

Roberto Rocha fez um agradecimento especial ao médico Fernando Maluf e revelou a dor da família contra uma doença que acomete mais de 600 mil pessoas no Brasil.

“No Dia Nacional de Combate ao Câncer e de Nossa Senhora das Graças (27), recebi a notícia da cura do meu filho Paulinho, que foi diagnosticado este ano com câncer no rim. O tratamento doloroso mobilizou a nossa família numa luta diária contra essa doença que acomete mais de 600 mil pessoas por ano no Brasil.

Em momentos mais críticos do tratamento, cheguei a pensar que o nascimento do meu netinho fosse a herança que meu filho deixaria nessa terra. Passei inúmeros momentos de sofrimento e solidão, sobretudo no período eleitoral. Só quem tem um filho nessa situação, pode imaginar a dor e o sofrimento dos pais.

Mas a minha Fé foi renovada a cada nascer do sol por Deus e Dr. Fernado Maluf, e hoje o meu querido filho venceu a batalha contra o câncer. Ele lutou muito e a vida deu a ele uma nova chance. Meu filho está de volta, curado e pode voltar para casa para cumprir a missão maravilhosa de ser pai pela primeira vez”, escreveu.

Foto: Arquivo pessoal

3 comentários »

Roberto Rocha destaca indicação de Sérgio Moro

0comentário

O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) destacou de forma positiva a decisão do juiz Sérgio Moro que aceitou o convite do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir o Ministério da Justiça que será fundido à Segurança Pública.

Segundo Roberto Rocha, Mora mostra desprendimento em sua decisão. Ele acredita que o ministro Moro possa mostrar avanços no combate à corrupção, além de ampliar os efeitos da Lava Jato pelo país.

“Ao deixar a magistratura para assumir o desafio de comandar a Justiça e a Segurança Pública, Sérgio Moro demonstra desprendimento. Esperamos que no Executivo possa alargar os avanços já obtidos no combate à corrupção, amplificando os efeitos da Lava Jato para todo o país”, destacou.

Pela manhã, o governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) condenou, nas redes sociais, a escolha de Moro pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Sérgio Moro aceitar o ministério de Bolsonaro é um ato de coerência. Eles estavam militando no mesmo projeto político: o da extrema-direita. O grave problema é esconder interesses eleitorais por baixo da toga. Não há caso similar no Direito no mundo inteiro”, escreveu no Twetter.

Foto: Reprodução/Twetter

sem comentário »

Bolsonaro recebe Roberto Rocha no Rio de Janeiro

0comentário

O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) visitou, nesta terça-feira (23), no Rio de Janeiro, o candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL).

O encontro, segundo Roberto Rocha foi na casa de Jair Bolsonaro na Barra da Tijuca. Eles conversaram sobre economia, segurança e projetos para o Maranhão.

“Atendendo convite, estive hoje com o deputado Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, onde tratamos de economia e segurança, e de projetos para o nosso Maranhão. No almoço, lembramos que passamos boa parte da campanha no mesmo hospital, em São Paulo. Ele tentando escapar de uma facada e eu, cuidando do meu filho”, disse.

Roberto Rocha apresentou a Bolsonaro o projeto da Zona de Exportação do Maranhão.

“Pude tratar com ele do projeto da ZEMA, a Zona de Exportação do Maranhão, o sonho de transformar a economia nordestina e do centro-oeste num vetor de desenvolvimento, gerando empregos e renda para o nosso povo”, finalizou.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Resposta do senador Roberto Rocha a Zé Reinaldo

0comentário

Por Roberto Rocha

Eu perdi uma eleição amarga, enfrentando duas máquinas onipresentes na política do Maranhão, e ainda o surgimento de um novo fenômeno político nacional que contribuiu para afastar as possibilidades do PSDB surgir com chances de crescimento.

De todos os grandes partidos, fomos o único com presença nacional que não se aliou às duas candidaturas principais.

Minha candidatura, montada pelo PSDB para ajudar o palanque de Geraldo Alckmin – homem público que honra a vida nacional – representou um esforço enorme que, por conta das circunstâncias que todos conhecem, acabou num ponto cego do radar eleitoral.

Ainda assim, não sou daqueles que buscam culpados para as vicissitudes da política. Há que aprender as lições e seguir em frente. Por isso estranhei quando o ex-governador José Reinaldo, de posse dos resultados eleitorais, apontou um único culpado pela derrota de seu pleito. E esse culpado seria eu!

Mas não fui eu que ofereci a ele a única chance de competir por um partido com tempo de televisão e fundo eleitoral? Não fui eu quem prestigiou a sua chegada ao PSDB com a presença em meu gabinete de lideranças nacionais do partido?

E pior, ele ainda guarda palavras de elogio em seu artigo ao atual governador, que de forma infame o escorraçou, e guarda silêncio a quem com tanto sacrifício, Madeira e Alckmin, lhe dispensaram todas as honras para viabilizar a sua candidatura.

Para agradar o governo comunista, e conseguir no próximo ano um emprego, será que precisa ser tão medíocre?

“A mão que afaga é a mesma que apedreja”, lembrando os versos do poeta Augusto dos Anjos, que compara a ingratidão a uma pantera.

Não posso deixar de lembrar disso, ao saber a bisonha explicação que foi a ausência do filho de um ilustre vereador de Caxias na sua chapa que tirou-lhe as chances de competir. O que mais dizer?

Que todos os candidatos a deputado do partido assinaram um documento manifestando apoio a candidatura de Waldir Maranhão e Alexandre Almeida, mas que eu contornei, e depois de muita conversa acatamos a indicação da irmã do prefeito de Pinheiro para compor a chapa de José Reinaldo? Que ele foi o único que recebeu 100% da verba do fundo eleitoral, a que nem mesmo eu recebi integralmente? Que fez sua campanha no Rádio e na TV e nos impressos sem citar os nomes dos candidatos a governador e presidente da República do partido que financiava sua campanha?

Ele sabe que eu só tinha a candidatura registrada, mas na maior parte do tempo fiquei com minha família, por causa do grave problema de saúde com meu filho. Sabe que estou em São Paulo, com meu filho, que está internado no hospital fazendo quimioterapia. Sabe que bem no início da campanha meu filho teve agravado seu estado de saúde. Sabe que naquele momento só não retirei oficialmente a candidatura para não ser acusado de estar a serviço do adversário. Sabe que os poucos programas que gravei eram frequentemente repetidos, e que no final foi contratada uma atriz porque não conseguia mais gravar. Ele sabe que esperei, em casa, a única oportunidade de estabelecer o contraste, a diferença, entre os candidatos a governador, que foi o debate da Globo/Mirante. Nunca fui a uma reunião com nossa equipe para me preparar para esse debate, que foi o primeiro da minha vida. E foram feitas quase 10 reuniões.

Fiquei em casa, vivendo os dias mais difíceis da minha vida, à beira de uma depressão, bebendo para dormir, e acordando para beber.

Uns preferem se drogar, outros se suicidar, a minha fuga da realidade era dormir. Nunca chorei tanto em minha vida, mas escondido.

Não é tarefa fácil para um pai parecer forte diante da enfermidade grave de um filho querido e amado. Eu pensava que era um homem forte, mas agora eu conheço minhas maiores fraquezas, meus limites.

Então agora, com os resultados conhecidos, o culpado pela derrota do ex-governador e do PSDB foi Roberto Rocha? Decerto ele sabia, desde o início, do tsunami eleitoral que varreria o pleito. Decerto sabia que ainda assim, a bordo do PSDB, teria a única chance de vitória. Ele diz que foi uma exceção, num deserto de ideias. Que foi o único que discutiu propostas para o Maranhão. Pois é. Durma-se com um barulho desses.

Termino mais uma vez lembrando o poeta. “Ninguém assistiu ao formidável enterro de tua última quimera. Somente a ingratidão, esta pantera, foi tua companheira inseparável.”

E meu saudoso pai me ensinou: “Em rio que tem piranha, jacaré nada de costas”. E eu completo: Para quem está morrendo afogado, jacaré é tronco.

* Roberto Rocha é senador

sem comentário »

Roberto Rocha declara voto em Bolsonaro

3comentários

O senador Roberto Rocha (PSDB) declarou voto no candidato Jair Bolsonaro (PSL), no segundo turno das eleição presidencial.

Os tucanos decidiram ficar neutro na disputa, mas liberaram os seus membros e Roberto Rocha disse esperar que tanto o PT quanto o PSDB, ouçam o clamor das ruas e refaçam seus destinos.

Leia a nota na íntegra:

“Vem de um dos grandes pensadores da esquerda, Antonio Gramsci, a famosa frase que diz: “a crise consiste precisamente no fato de que o velho está morrendo e o novo ainda não pode nascer”.

O Brasil vive essa transição, para tempos ainda incertos. Mas a população já deu uma demonstração de que não aceita que o velho continue dominando a política.

Como querer que o líder de um partido comande os destinos da nação, de dentro da prisão? Como esperar que esse partido eleja os chefes dos três poderes? Esse foi o triste legado do PT, que ainda acena com brilhantes conquistas sociais, mas é incapaz de fazer uma simples autocrítica sobre os escândalos que envergonharam o País.

Nossa democracia passará o teste decisivo sobre sua solidez. Temos instituições e mecanismos para que prevaleçam todas as cláusulas jurídicas de nossa Constituição. Essa é a lição que o eleitor vem dando, ao valorizar a democracia e a alternância de poder.

Manifesto meu voto em Jair Bolsonaro, sem pedir nada em troca, mas apenas me associar à vontade geral do povo, para que brote o novo dos escombros do velho. E que os derrotados, tanto o PT quanto o PSDB, ouçam o clamor das ruas e refaçam seus destinos.”

Foto: Divulgação

3 comentários »

Roberto Rocha agradece acolhida nas ruas

0comentário

O senador Roberto Rocha (PSDB) que foi candidato ao governo do Maranhão se manifestou pela primeira vez após as eleições. Ele foi o quarto colocado na disputa e teve 64.446 votos (2,05%).

Roberto Rocha divulgou nota de agradecimento aos maranhenses, nesta terça-feira (9), na qual reafirma os seus compromissos com a população e diz que continuará lutando para melhorar a vida das pessoas.

Leia a nota na íntegra:

Em primeiro lugar agradeço à minha família que sempre esteve ao meu lado. Estendo os meus agradecimentos aos candidatos a deputados estaduais, federais e senadores da nossa Coligação “União e Coragem para Fazer um Maranhão Melhor”. Agradeço também aos amigos, lideranças, apoiadores, a nossa militância e ao povo maranhense pela enorme acolhida e carinho que recebi nas ruas por onde passei.

Construí essa campanha eleitoral com base em dois eixos fundamentais: preparar o Maranhão e os maranhenses. No meu Caderno de Ideias, apresentei propostas em todas às áreas, como saúde, educação, segurança pública, infraestrutura, agricultura, turismo, programas sociais e, principalmente, para o desenvolvimento socioeconômico – por meio da dinamização da atividade econômica, geração de empregos e melhoria nas condições de vida das famílias maranhenses.

Como senador da República pelo Maranhão, o nosso mandato continuará a serviço do povo maranhense, lutando sempre, como sempre fiz, para melhorar cada vez mais a vida das pessoas e do nosso País.”

Foto: Divulgação

sem comentário »

Candidatos votam e demonstram confiança

3comentários

Cinco dos seis candidatos ao governo do Maranhão votaram pela manhã.

A candidata Maura Jorge (PSL) foi a primeira a votar. Depois votaram Odívio Neto (Psol), Flávio Dino (PCdoB), Ramon Zapata (PSTU) e Roseana Sarney. O candidato Roberto Rocha (PSDB) que votaria pela manhã foi o último a ir à urna por volta de 15h.

Acompanhe o que os candidatos disserram:

Roberto Rocha (PSDB)

“Não tenho nenhuma dúvida que vamos para o segundo turno no Maranhão. É uma eleição difícil. Atípica. Em um país extremado. Tivemos uma única oportunidade de apresentar ideias, que foi no debate na TV Mirante. E nesse debate foi possível mostrar nossos diferenças por meio de ideias”.

Roseana Sarney (MDB)

“Expectativa boa e que a gente possa cumprir nosso dever de cidadão. Quero agradecer a todos que trabalharam comigo e que participaram de nossa caminhada. Só tenho agradecer o carinho e o afeto de todos maranhenses. Estou confiante para o segundo turno. Vamos para eleição para perdeu ou para ganhar”.

Ramon Zapata (PSTU)

“Vamos em busca de organizar nossa classe, as eleições não mudam nossa vida, o que muda é o enfrentamento de luta nas ruas. Que a gente possa se organizar no partido e em todos lugares que estivermos para mudar a cara do Maranhão, do Brasil e do mundo”.

Flávio Dino (PCdoB)

“Foi uma campanha bonita, alegre e entusiasmada em que o Maranhão claramente está dizendo que as mudanças sigam em frente. Vamos ter uma grande vitória. Estamos confiantes que o segundo governo vai ser melhor que o primeiro. Estamos muito felizes”.

Odívio Neto (Psol)

“A gente já fez nossa parte e cumpriu nosso papel de cidadão. Esperamos que até o final do dia transcorra tudo em paz. Espero que os eleitores tomem a decisão acertada e que possam consolidar nossa democracia”.

Maura Jorge (PSL)

“Quero agradecer ao povo, pelo carinho, confiança e reconhecimento do meu trabalho. Demonstrei para o Maranhão que estou preparada. O gestor tem que unir a razão e emoção. Não tem formula mágica para se governar a não ser se colocar no lugar do cidadão”.

3 comentários »

Ibope: Flávio Dino, 56%; Roseana Sarney, 30%

1comentário

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (4) aponta os percentuais de intenção de voto para o governo do Maranhão. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Votos totais

Veja os números da pesquisa estimulada, considerando todas as intenções de voto, inclusive as respostas dos eleitores que se declaram indecisos ou que votariam em branco ou nulo:

Flávio Dino (PCdoB): 56%
Roseana Sarney (MDB): 30%
Maura Jorge (PSL): 4%
Roberto Rocha (PSDB): 2%
Ramon Zapata (PSTU): 1%
Odívio Neto (PSOL): 1%
Não sabe: 2%

Em relação ao levantamento anterior, divulgado no dia 19 de setembro:

Flávio Dino (PCdoB) foi de 49% para 56%
Roseana Sarney (MDB) foi de 32% para 30%
Maura Jorge (PSL) passou de 5% para 4%
Roberto Rocha (PSDB) se manteve com 2%
Ramon Zapata (PSTU) passou de 0% para 1%
Odívio Neto (PSOL) passou de 0% para 1%
Brancos/nulos foi de 7% para 4%
Não sabe foi de 5% para 2%

Veja, abaixo, o resultado da pesquisa Ibope considerando apenas os votos válidos. Para calcular esses votos são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto. Veja os índices:

Flávio Dino (PCdoB): 59%
Roseana Sarney (MDB): 32%
Maura Jorge (PSL): 5%
Roberto Rocha (PSDB): 2%
Ramon Zapata (PSTU): 1%
Odívio Neto (PSOL): 1%

A pesquisa foi encomendada pela TV Mirante. É o terceiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

No levantamento anterior, feito entre 16 e 19 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes: Flávio Dino (PCdoB): 49%; Roseana Sarney (MDB): 32%; Maura Jorge (PSL): 5%; Roberto Rocha (PSDB): 2%; Ramon Zapata (PSTU): 0%; Odívio Neto (PSOL): 0%; Brancos/nulos: 7%; Não sabe: 5%.

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
Quem foi ouvido: 1.008 eleitores
Quando a pesquisa foi feita: 2 a 4 de outubro
Registro no TRE: MA-07570/2018
Registro no TSE: BR-03151/2018
Contratante da pesquisa: TV Mirante
O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro
0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado

Leia no G1

1 comentário »