Vereadores participam de audiência sobre Plano Diretor

1comentário

Vereadores de São Luís participaram, na noite de terça-feira (15), da primeira, de uma série de nove audiências públicas, para revisão do Plano Diretor da capital maranhense, com base na Lei nº 4.669/2006.

O evento, de iniciativa da Prefeitura, ocorreu no auditório da Faculdade Pitágoras, no bairro do Turu, e tem como finalidade debater a reordenação de políticas voltadas para áreas urbanas e rural da cidade, além de garantir acessibilidade, mobilidade, uso racional do uso e ocupação do solo, habitação, meio ambiente, saneamento básico, entre outras questões que envolvem o planejamento estratégico do município.

Para o presidente da Câmara de São Luís, Osmar Filho (PDT), esse é o momento importante para que todos possam discutir melhorias para a cidade. “Entendemos a importância que tem o Plano Diretor, instrumento que há mais de dez anos não passa por um processo de revisão. A cidade tem que acompanhar as mudanças que ocorrem constantemente e um dos pilares para isso é justamente o Plano Diretor”, declarou.

Osmar Filho informou que, após a conclusão das audiências públicas, tudo que for absorvido pelos técnicos da Prefeitura farão parte do documento revisado, que passará por uma ampla discussão e posterior votação no plenário da Câmara Municipal.

“Na nossa avaliação a cidade precisa avançar e no momento em que o prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) encaminhar está matéria para o Legislativo, a gente saberá contribuir para avançar nessa questão. Assim que esse documento chegar na Câmara, com certeza, daremos total celeridade ao assunto”, frisou.

Segundo o vereador Honorato Fernandes (PT), essa discussão é importante, pois garante a retomada da revisão do Plano Diretor de São Luís. “A gente espera que esse debate tenha, cada vez mais, a ampla participação da sociedade civil e que a gente veja a população da cidade participando
desses nove encontros, que se inicia hoje com este evento, pois esta é uma ferramenta importante, ao lado da lei que trata do uso e ocupação do solo urbano, fundamental para que haja um crescimento ordenado do município”, destacou.

A vereadora Bárbara Soeiro (PSC) disse que a sociedade tem mais é que comemorar esse debate, por se tratar de uma discussão que impactará na vida de todos que moram em São Luís. “Entendo que o marco é quando a sociedade participa, fala e discute as suas demandas. Eu sempre digo que
o Plano Diretor começa e termina na Câmara Municipal. O Executivo é a parte técnica, mas é aqui nessas audiências que a sociedade discutirá aonde doi. Portanto, é somente por meio desse diálogo que temos que debater a cidade, pois precisamos ter qualidade de vida. Temos milhares de problemas e não adianta ficar somente reclamando no canto”, enfatizou.

Já o vereador Estevão Aragão (PSDB) criticou a falta de mais participação popular na primeira audiência pública organizada pela Prefeitura, além da demora na revisão do Plano diretor que já ultrapassa os dez anos legais para sua atualização. “O Plano Diretor de São Luís vai caminhando para os três anos de defasagem, pois deveria ter sido atualizado em 2016, já que a última revisão aconteceu em 2006. Entendo também que faltou ampla divulgação sobre o assunto à população da
cidade. É preciso que vários setores e segmentos da sociedade possam participar, pois isso mexerá com a vida e o dia a dia de cada um. O que a gente observa é que sempre participam das audiências apenas correligionários do prefeito. Apesar disso, trata-se de um assunto de extrema importância e essas audiências são fundamentais para reordenarmos o nosso Plano Diretor”, afirmou.

Os trabalhos contaram também com as participações de secretários municipais, estudantes, lideranças comunitárias e demais representantes da sociedade civil organizada.

Para o secretário municipal de Planejamentos Estratégicos, Gustavo Marques, que presidiu a mesa de diálogos, o Conselho da Cidade teve todas as suas atividades técnicas acompanhadas por observadores ao longo das reuniões para a montagem do documento que proporcionará a revisão do Plano Diretor.

“A realização dessas nove audiências públicas é a oportunidade que a população de São Luís tem de se fazer ouvir e falar na montagem dessa revisão do Plano Diretor. Esse processo está sendo garantido pela Prefeitura, que abre as portas para que todos possam fazer suas manifestações e contribuir para esse novo documento”, frisou.

Também participaram da audiência os vereadores Raimundo Penha (PDT), Francisco Chaguinhas (PP), Ricardo Diniz (PRTB) e Joãozinho Freitas (PTB).

Foto: Divulgação

1 comentário »

Estevão Aragão apóia Eduardo Braide

0comentário
BraideeEstevao

Vereador Estevão Aragão decide apoiar candidato a prefeitoEduardo Braide no 2º turno

O vereador reeleito Estevão Aragão (PSB), declarou, neste domingo (9), apoio ao candidato a prefeito de São Luís, Eduardo Braide (PMN).

“Os apoios que tenho recebido são apoios em favor de São Luís. Por isso, fico feliz em receber o apoio do vereador reeleito Estevão Aragão. Tanto ele quanto eu, temos o compromisso de trabalhar para que nossa cidade se desenvolva, prospere. Temos o mesmo compromisso de cuidar da nossa gente”, declarou Eduardo Braide.

No primeiro turno, Estevão Aragão esteve com Wellington do Curso…

Candidato à reeleição, Estevão Aragão faz caminhada com Wellington do Curso no 1º turno

Candidato à reeleição, Estevão Aragão faz caminhada com Wellington do Curso no 1º turno

Mas antes de tudo isso, em agosto de 2015, por exemplo Estevão Aragão andava pelos quatro cantos de São Luís com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

EdivaldoeBarbara

Vereador Estevão Aragão com o prefeito Edivaldo em uma das edições do Todos por São Luís

Embora esteja no partido que elegeu o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha, o vereador Estevão Aragão nunca foi considerado um “fiel” integrante da base de apoio ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior, pelo contrário, por não ter os seus pleitos atendidos pelo prefeito, o vereador decidiu virar “oposição”.

É possível que outros vereadores descontentes sigam o mesmo caminho.

sem comentário »

Crítica ao prefeito

3comentários

Estevao

3 comentários »

Nova escola

2comentários

pedrofernandes

Moradores do Coroadinho receberão uma nova escola de ensino médio, o Centro de Ensino Dorilene Silva Castro, no próximo dia 21 de setembro. A data foi anunciada ontem, durante reunião entre o secretário Pedro Fernandes (Educação), os vereadores Nato (PRP), Manoel Rego (PTdoB), Estevão Aragão (PPS), Pedro Lucas Fernandes (PTB) e Helena Duailibe (PMDB) e lideranças da comunidade.

No encontro foram detalhados os serviços que estão sendo realizados no prédio, como reparos na estrutura (telhamento, esquadrias, instalações elétrica e hidráulica), perfuração de poço no local, pintura e aquisição da mobília necessária para o pleno funcionamento da escola.

A Secretaria de Educação também informou que abriu processo licitatório para contratação de serviços para recuperação o muro, contenção da área de erosão e pavimentação da área livre da escola.

“Temos um compromisso para inaugurar a escola o mais breve possível e proporcionar aos estudantes daquela região um ensino de qualidade em um espaço seguro e adequado, que atenda as necessidades da comunidade escolar”, declarou o secretário Pedro Fernandes.

Os moradores saíram satisfeitos da reunião e sugeriram que a escola oferte cursos e oficinas para a participação da comunidade. “Essa escola será um espaço para ocupar o tempo dos jovens com oficinas para retirá-los da marginalidade e criminalidade em nosso bairro”, afirmou Carlos Alberto Abreu, da comissão de moradores do Coroadinho.

O vereador Pedro Lucas Fernandes elogiou o empenho de todos para que a obra seja concluída e a população do Coroadinho beneficiada. “A definição da data de entrega da escola é mais uma prova de que, com a união dos poderes constituídos, todos saem ganhando”, disse.

2 comentários »