Sousa Neto ironiza governo Flávio Dino

2comentários

SousaNeto1O deputado estadual Sousa Neto (Pros) ironizou nas redes sociais o que chamou de mais um programa do governo, após o registro de mais uma explosão de banco no interior do Maranhão.

“Novo programa do governo Flávio Dino – Mais Assalto”, escreveu.

Antes da ação em São Mateus, os bandidos levaram pânico à cidade. OS bandidos interceptaram a passagem de veículos na BR-135 atravessando uma carreta na via e incendiando um veículo.

Em seguida, os bandidos atacaram viaturas da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA) e prédios da delegacia da Polícia Civil, do Comando da PM-MA e Guarda Municipal.

“Mais uma agência assaltada no estado, ontem em São Mateus. De acordo com o Sindicato dos Bancários do Maranhão (Seeb-MA), em 2016 já foram registrados 27 casos de arrombamentos a bancos, incluindo explosões a agências bancárias. No ranking de cidades com casos de arrombamento a agências bancárias, Igarapé Grande e São Luís Gonzaga do Maranhão estão no topo da lista, com dois casos cada uma. Casos de arrombamentos foram registrados ainda em Alto Alegre do Pindaré, Maracaçumé, Paulo Ramos, Paraibano, Peri Mirim, Nova Olinda do Maranhão, Imperatriz, Satubinha, Bacuri, Grajaú, Araguanã, Tufilândia, Colinas, Santa Luzia, Amapá do Maranhão, Centro Novo do Maranhão, São Benedito do Rio Preto, Olho d’Água das Cunhãs, São Domingos do Maranhão, São Luís, Buriti, Anajatuba e São Mateus”, lembrou o parlamentar.

Foto: JR Lisboa/Agência AL

2 comentários »

Sampaio perde e afunda na Série B

10comentários
Sampaio perde para o Joinville por 1 a 0, em Santa Catarina e volta à lanterna da Série B

Sampaio perde para o Joinville por 1 a 0, em Santa Catarina e volta à lanterna da Série B

O Sampaio voltou a ser derrotado pelo Avaí, por 2 a 0, na Arena Joinville e segue sem vencer fora de casa no Campeonato Brasileiro Série B.

Além da derrota, a rodada foi trágica para o Sampaio que viu todos os adversários diretos na briga contra o rebaixamento a pontuar e segue na lanterna com apenas 10 pontos.

O Joinville marcou duas vezes com Carlos Alberto no primeiro tempo. No primeiro gol, o lateral Reginaldo lançou a bola na área com a mão e numa falha de Luis Otávio que cortou errado, Carlos Alberto pegou a bola e mando para o fundo do gol.

O segundo gol saiu também pela direita, Reginaldo avançou e cruzou, a bola sobra para Carlos Alberto que gira e chuta sem chance para Rodrigo Ramos.

O Sampaio ainda teve um pënalti no segundo tempo em Edgar que o árbitro Wágner Nascimento, do Rio de Janeiro não marcou.

A zona de rebaixamento tem Sampaio 10 pontos, Tupi 12 pontos, Joinville 14 pontos e Bragantino também com 14 pontos. A primeira equipe fora da zona de rebaixamento é o Goiás com 15 pontos.

O Sampaio volta a jogar na sexta-feira (15), às 21h30, contra o Bahia, no estádio Castelão, em São Luís.

Foto: Divulgação / Assessoria Joinville

10 comentários »

Os quadros das mudanças

0comentário
Joaquim Haickel é ed-deputado estadual

Joaquim Haickel é ex-deputado estadual

Por Joaquim Haickel

Os quadros que surgiram entre meados das décadas de 1960 e de 1980, ou seja, o grupo de colaboradores que tiveram Sarney, Pedro Neiva, Nunes Freire, Castelo e Luiz Rocha, tornaram-se importantes personagens da história administrativa e política de nosso Estado. Transformaram-se na mão de obra que avançaria na administração pública até meados dos anos 2000.

Agora, em meados da década de 2010, abre-se a oportunidade de uma nova geração repetir e quem sabe, superar o feito daquela geração de 50 anos atrás.

Se naquela época como governador tínhamos José Sarney, hoje temos Flávio Dino. Se os compararmos, em uma abstração temporal, poderíamos dizer que se equiparam, se bem que Sarney assumiu o governo com menos idade que Dino. Em 1966 Sarney tinha 36 anos e Dino nasceu em 1968, no meio do governo de Sarney. Dino assumiu o governo em 2015, com 47 anos de idade, 11 a mais que Sarney tinha na sua época e, portanto, com 10 anos a mais de experiência de vida e de trabalho acumulado, tendo sido juiz federal por quase 15 anos.

Se compararmos os currículos dos dois, antes de se tornarem governadores, veremos que ambos foram funcionários da Justiça e deputados federais, mas Dino, devido ter mais idade e experiência que Sarney, em tese, estaria mais bem preparado para o desafio de governar o nosso Estado.

Enquanto Sarney desbancaria o vitorinismo que controlava o Maranhão desde a década de 1930, Dino desbancaria o sarneysismo que se estabeleceu no Maranhão a partir de 1966 e que em certas ocasiões, entrou e saiu de cena, com mais ou menos força e intensidade nestes 50 anos.

No tempo de Sarney, ele tinha Alberto Tavares, Eliezer Moreira, Joaquim Itapary, José Reinaldo Tavares, João Alberto (que era tido como comunista), Cabral Marques, Lourenço Vieira da Silva, Haroldo Tavares, Carlos Madeira, Edson Vidigal, Cesar Cals, Bandeira Tribuzi, Vicente Fialho e Reginaldo Teles, dentre tantos outros importantes nomes de nosso Estado e de nosso país.

Analisando os nomes citados descobrimos que alguns chegaram a ocupar cargos de ministros do STF e STJ, de ministros de Estado, diretores de grandes autarquias federais, de senadores, deputados federais, além de serem homens de letras e humanistas.

O que vemos hoje é um grupo, talvez não tão jovem quanto o de 67, mas que tem a mesma missão. A de mudar o Maranhão.

Quadros nem sempre com pouca experiência como é o caso de Marcelo Tavares, Márcio Jerry, Carlos Brandão e Humberto Coutinho, que já militam na política faz bastante tempo e acumularam experiências importantes em suas vidas.

E outros como Ted Lago, Felipe Camarão, Carlos Lula, Marcellus Ribeiro Alves, Diego Galdino, Rodrigo Lago, além de Marcos Braide, Diogo Diniz Lima e Lula Fylho, esses três últimos, oferecendo sua importante força de trabalho à prefeitura de São Luís.

Escrevo este texto não para comparar Sarney com Dino ou seus respectivos staffs. Aludo esse assunto para comprovar que ambos os grupos buscaram antes e buscam agora a implementação de mudanças transformadoras das realidades que encontraram e com as quais, em tempos diferentes, discordavam.

Comprovo que em 2015, assim como em 1967, a tarefa delegada àqueles, como também a estes jovens, foi e é imensa. Acredito que, como aconteceu antes, acontecerão agora as mesmas transformações que foram tão benéficas ao nosso Estado e ao nosso povo.

Abstraindo preferências ideológicas, partidárias e políticas, sem maniqueísmo nem sectarismo, vejo nas atribuições destes jovens, hoje, uma possibilidade muito maior de sucesso que 50 anos atrás, mesmo que seja obrigado a reconhecer que o passado já foi provado, gostemos dele ou não, e que o presente ainda está por se provar.

De tudo isso, uma coisa é muito clara para mim: 50 anos sem uma renovação política efetiva é realmente tempo demais para, de uma forma ou de outra, não acabarmos desaguando em alguns erros de avaliação e de percurso.

É sabido que a preservação do poder por um tempo prolongado demais causa sérios problemas no exercício deste mesmo poder, o que requer uma constante reciclagem de lideranças e de métodos de atuação.

A não observância das leis básicas da boa política causa mudanças nem sempre suaves ou facilmente absorvíveis. As leis básicas da boa política valem para todos, em todos os tempos e em todas as situações!

sem comentário »

Braide discute problemas de São Luís

3comentários

EduardoBraideO deputado Eduardo Braide (PMN) participou da Sabatina Verde, evento realizado pelo Partido Verde nesta sexta-feira (8), com os pré-candidatos a prefeito de São Luís. “Uma excelente oportunidade de discutir não só os problemas de São Luís, mas as soluções para a cidade que queremos. É impossível, por exemplo, pensar como melhorar a cidade sem falar do Plano Diretor, que defasado, precisa urgentemente ser revisado e aplicado em São Luís”, destacou o deputado.

Durante a sabatina, Eduardo Braide fez questão de ressaltar que a preservação das áreas de mangue precisa estar contemplada no Plano Diretor. “Os manguezais são os principais filtros naturais que temos em São Luís e devem ser prioridade no Plano Diretor”, disse.

Um dos pontos principais apontado pelo deputado Eduardo Braide na sabatina foi a falta do Plano Municipal de Resíduos Sólidos, citando como uma das consequências, o altíssimo custo do serviço de coleta de lixo em São Luís. “O valor que se paga para coletar o lixo de São Luís é de R$ 420 por tonelada, o que resulta em R$ 10,5 milhões por mês. Diferentemente de São Paulo que paga R$ 340 por cada tonelada, além de Curitiba que tem um custo mensal de R$ 197 pelo mesmo serviço. Como se vê, temos um custo altíssimo, com serviço de péssima qualidade realizado em nossa cidade”, afirmou o pré-candidato.

A solução do problema, segundo Braide, é a implantação do sistema de tratamento de resíduos sólidos consorciado entre os quatro municípios da Região Metropolitana. “Com o custo de R$ 18 milhões, pagos pelo Governo do Estado – que já sinalizou a viabilidade do projeto por meio da Secretaria das Cidades – o sistema consorciado reduziria, no mínimo pela metade, o valor pago mensalmente na coleta de lixo pela Prefeitura de São Luís”, explicou o deputado.

Eduardo Braide também criticou o posicionamento da Prefeitura com relação aos lixões existentes em São Luís. “Não é difícil ver as pessoas reclamando da coleta de lixo na capital. E na maioria dos bairros é possível encontrar vários pontos transformados em lixões. Embora a Prefeitura diga que na cidade só há 399 pontos de descarte irregular, especialistas afirmam que os números são: 490 lixões clandestinos e 1.800 lixinhos. Isso é um problema de saúde pública e o acúmulo de lixo nas galerias só favorece os alagamentos e enchentes tão comuns nos períodos chuvosos na capital. Como é que pode São Luís não ter o seu plano de resíduos sólidos? As ações seriam muito mais eficientes se o plano pelo menos existisse”, colocou o deputado.

Braide avaliou de forma positiva a realização da Sabatina Verde. “A sabatina nos permitiu ver o quanto São Luís está atrasada no que diz respeito ao Meio Ambiente.  Pudemos comprovar que o que falta para a nossa cidade é gestão. E mais que isso, que é possível mudar a realidade ambiental de São Luís. Com políticas eficientes, dialogando com entidades, empresas, enfim, com toda a sociedade. A cidade que queremos deve ser construída por todos e para todos. São Luís tem jeito!”, finalizou o deputado.

3 comentários »

MPF pede solução para ameaça a voos

1comentário

Aeroportoaves

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) participou de audiência de conciliação realizada na 8ª Vara da Justiça Federal, com representantes do Estado do Maranhão, Município de São Luis e da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). A audiência teve por objetivo a definição de um posicionamento comum das autoridades sobre os problemas relativos ao acúmulo de resíduos e, consequentemente, à presença de aves no entorno do Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado.

As partes se propuseram a formar uma equipe de vistoria e fiscalização composta por integrantes do Estado, Município e da Infraero para identificação de pontos de depósito de resíduos na Área de Segurança Aeroportuária (ASA) do aeroporto de São Luis. Também, a elaborar um plano de ação para eliminação de focos de depósito de lixo, a ser apresentado pelo município. Foi concedido prazo de 75 dias para realização da vistoria e confecção do relatório do Plano de Ação de Eliminação de Foco.

Em 2013, o MPF/MA propôs ação civil pública, com pedido de liminar, contra o Município de São Luis, buscando reduzir o risco de acidentes aéreos ocasionados por colisão entre aviões e aves que circulam nos arredores do aeroporto.

O pedido foi aceito pela Justiça Federal, obrigando o Município de São Luís, o Estado do Maranhão e Infraero a adotarem medidas para remoção de lixo, recuperação e manutenção das áreas vizinhas ao aeroporto Marechal Cunha Machado, em São Luís.

Foto: Biaman Prado/O Estado

1 comentário »

Sampaio pega o Joinville no Sul

0comentário
Sampaio bate o Tupi, por 3 a 1, no Estádio Castelào pelo Brasileirão Série B

Sampaiovem de resultados positivos contra Paysandu e Tupi no Castelão pela Série B

Pela 15ª rodada, o Sampaio tem jogo que vale briga direta dentro da zona de rebaixamento, às 16h, contra o Joinville, na Arena Joinville.

Com 10 pontos ganho e ocupando a última colocação, o Sampaio não deixará a zona de rebaixamento, mas dependendo de um tropeço do Bragantino terminará a rodada na 17ª posição e seguirá em recuperação na competição. Com um ponto a mais, o Joinville é o 19º colocado.

O time maranhense vem de um empate com o Paysandu e uma vitória contra o Tupi no Castelão e todos apostam num bom jogo diante do Joinville, mesmo na casa dos adversários.

O técnico Vágner Lopes utilizará os seis titulares que ficaram fora da equipe contra o Figueirense, na quarta-feira, pela Copa do Brasil.

O time está definido com Rodrigo Ramos; Eder Sciola, Wagner, Luiz Otávio e Rafael Estevam; Renan Ribeiro, Felipe Baiano, Lucas Sotero, Pimentinha, Edgar e Elias.

Além de Joinville e Sampaio que você vai acompanhar pela Rádio Mirante AM, a rodada será complementada com Náutixo x CRB, Oeste x Bragantino e Goiás x Atlético-Go às 16h, Vasco x Brasil às 18h e Paysandu x Londrina às 21h.

Foto: Biaman Prado

sem comentário »