Investigação

0comentário

A respeito da polêmica divulgação de uma “nota de falecimento” fake pela morte do deputado Márcio Jerry no site do Governo do Maranhão, a Secretaria de Estado Comunicação emitiu nota.

Diz que, apura o caso “juntamente com a Secretaria Adjunta de Tecnologia da Informação da Secretaria de Governo (Segov”), e que houve “ação invasiva em computador de servidor”.

“A questão seguirá em apuração pela Delegacia local de Crimes Virtuais, com a tomada de providências cabíveis ao caso”, completa o comunicado.

Cobre do governo

Após fake news sobre sua morte, Márcio Jerry (PCdoB) atacou colegas jornalistas e, na sexta-feira (7), publicou artigo na mídia alinhada sustentando teorias conspiratórias.

Mas deixou de fazer o óbvio: cobrar uma explicação oficial do Governo do Maranhão, já que a falsa nota de falecimento foi efetivamente publicada no portal oficial do Poder Executivo.

A única nota do governo sobre o assunto foi encaminhada diretamente a O Estado, a pedido da editoria de Política.

Estado Maior

sem comentário »

Assis Ramos reage a ataques de Márcio Jerry

0comentário

O prefeito de Imperatriz, Assis Ramos (DEM) respondeu, nas redes sociais aos ataques do deputado federal Márcio Jerry (PCdoB), por conta de um vídeo postado pelo prefeito no qual cobra o governo do Estado e os deputados estaduais eleitos por imperatriz ajuda à cidade que foi fortemente atingida pelas chuvas.

“Sem ajuda do Governo do Estado e dos deputados estaduais não poderemos recuperar toda a infraestrutura da cidade que foi danificada pelas fortes chuvas”, afirmou Assis Ramos.

Márcio Jerry se sentiu ofendido e partiu prá cima do prefeito Assis Ramos chamando-o de “incompetente, incapaz e negligente”.

Na tarde desta quarta-feira (17), Assis Ramos reagiu lembrando a passagem de Márcio Jerry pela cidade quando foi secretário na gestão do prefeito Jomar Fernandes (PT).

“…Uma vez que por aqui você já passou e o único rastro deixado foi no fórum”, disse.

Segundo Assis, o governador tem responsabilidade para com o povo de Imperatriz pelos votos que recebeu na região.

“O governador, por quem você sentiu fortes dores, tem responsabilidade, sim, para com Imperatriz. Não é pelo fato de aqui ter um prefeito que o governador deve se omitir”, disse.

“Se não por mim, mas pelos mais de 80% dos daqui que já votaram nele, Imperatriz mereceria um pouco mais de consideração”, acrescentou.

Veja a resposta na íntegra:

“Márcio Jerry, perdão, mas não foi a você que eu me dirigi (e nem teria motivo para tal, uma vez que por aqui você já passou e o único rastro deixado foi no fórum). Agora, se foi dada a você a tarefa de me responder, largue de ser malcriado e respeite, se não a mim, mas o povo de Imperatriz.

O governador, por quem você sentiu fortes dores, tem responsabilidade, sim, para com Imperatriz. Não é pelo fato de aqui ter um prefeito que o governador deve se omitir.

Se você não soube, fomos atingidos por um temporal sem precedentes, alto poder de destruição, inclusive dos asfaltos recentes com que o governo do estado nos agraciou.

Se não por mim, mas pelos mais de 80% dos daqui que já votaram nele, Imperatriz mereceria um pouco mais de consideração.

Querer que eu tenha humildade ou que eu, na qualidade de representante do meu povo, me humilhe por uma obrigação que também é grandiosamente dele, dá a dimensão exata de um estado de prepotência e que quer se impor pelo temor”.

Atenciosamente,
Assis Ramos e o povo de Imperatriz

sem comentário »

Márcio Jerry dispara contra prefeito Assis Ramos

1comentário

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) disparou, nas redes sociais contra o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos (DEM).

No início do mês, Assis Ramos trocou o MDB pelo DEM, partido que integra a base do governador Flávio Dino, mas Márcio Jerry não poupou críticas ao “novo aliado” e o chamou de “incompetente, incapaz e “negligente” nas redes sociais.

“Assis, o incompetente, precisa respeitar o bravo povo imperatrizense, ter humildade em pedir e receber apoio e honrar o cargo que exerce e nele ficará até 31 de dezembro de 2020”, disparou.

“Assis, o negligente, também reitera sua já conhecida falta de compostura para exercício do cargo que exerce. Desqualifica a relação institucional democrática necessária para desviar a atenção da própria incapacidade”.

“Por fim, merecem desagravos os deputados Rildo Amaral e Marco Aurélio; e o secretário Clayton Noleto, citados depreciativamente por Assis, o inepto, quando merecem elogios por ajudar o governador Flávio Dino a cuidar bem de nossa querida Imperatriz”, finalizou.

Será que estamos diante de uma grande crise???

Como vão ficar as coisas a partir de agora é que ninguém sabe…

Foto: Reprodução/Twitter

1 comentário »

Jerry aponta nomes no PCdoB à sucessão de Edivaldo

0comentário

O presidente do Diretório Estadual do PCdoB no Maranhão, deputado federal Márcio Jerry confirmou hoje (12) ao Blog do Zeca Soares que existem três nomes na base do governador Flávio Dino que são pré-candidatos na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Entre esses nomes, Jerry citou o atual vice prefeito Júlio Pinheiro, o deputado estadual Duarte Júnior que foi o mais votado em São Luís e o secretário de Cidades e deputado estadual licenciado Rubens Júnior. Ele afirmou que não acredita que possam surgir outros nomes dentro do partido e descartou a possibilidade do seu nome ser colocado nessa disputa.

“Sou candidato a como presidente estadual coordenar a participação do PCdoB nas eleições nos 217 municípios”, afirmou.

O presidente do PCdoB disse ainda não é hora de se discutir nomes e que a sucessão municipal não é prioridade no momento.

“Partido definirá na hora certa. Não temos pressa alguma com isso, ‘cada dia com sua agonia’. Por enquanto nossa prioridade ainda não é a sucessão municipal. Debateremos com todos os partidos da base na hora certa, todos sem exceção. Buscando sempre a convergência para assegurar que consigamos vencer as eleições”, disse.

Foto: Divulgação

sem comentário »

A incoerência de Márcio Jerry no Twitter

0comentário

É claro que coerência, como este Blog sempre diz, é uma característica cada vez mais rara em boa parte dos políticos, mas alguns abusam da cara de pau e debocham da inteligência dos eleitores.

Durante a semana, em Brasília, o deputado federal Edilázio Júnior (PSD), que tem sido um “calo” no projeto 2022 de Flávio Dino, acertadamente cobrou um posicionamento do Governo do Maranhão, Assembleia Legislativa e principalmente do Tribunal de Justiça, diante do depoimento do delegado e ex-superintendente da SEIC, Thiago Bardal.

O delegado, que já foi um dos principais nomes da Segurança Pública do Maranhão, afirmou em depoimento ao juiz da 2ª Vara Criminal de São Luís, José Ribamar D’Oliveira Costa Júnior, que recebeu ordens expressas do secretário de Segurança, Jefferson Portela, para investigar quatro desembargadores do Maranhão – Fróz Sobrinho, Tryrone José, Guerreiro Júnior e Nelma Sarney, fato esse negado por Portela.

O curioso foi a tentativa de defesa do deputado Márcio Jerry (PCdoB). Ao invés de cobrar transparência e apuração da denúncia, para não pairar nenhuma dúvida, Jerry optou pela tática de desclassificar o delegado Thiago Bardal.

Para Jerry, pelo fato de Bardal está preso, mesmo alegando inocência, ele não tem autoridade moral para denunciar ninguém e suas denúncias não devem ser levadas em conta. Veja abaixo.

O problema é que falta coerência para Jerry, que curiosamente é do mesmo partido de Jefferson Portela e do governador Flávio Dino.

Para Jerry, quando um “criminoso” denuncia um aliado, a denúncia não deve ser levada em consideração, mas quando um criminoso, inclusive réu confesso, denuncia um adversário, é motivo para comemoração.

Não é raro e nem difícil de achar nas redes sociais de Márcio Jerry, o atual deputado comemorando delações premiadas, principalmente quando alcançam seus adversários.

O Blog vai postar apenas alguns exemplos das incoerências de Jerry nas redes sociais, já que aparece comemorando as denúncias de réus confessos.

É lamentável que alguns políticos, mesmo aqueles que estejam chegando agora ao mandato, utilizem o abominável “dois pesos e duas medidas”, deixando a mostra toda a incoerência que deveria ser abolida da política brasileira.

Sendo assim, bem menos meu caro Márcio Jerry…

Blog do Jorge Aragão

sem comentário »

Honorato participa de ato contra Reforma da Previdência

0comentário

O vereador Honorato Fernandes participou na manhã desta sexta-feira (22) do ato Contra a Reforma da Previdência que reuniu políticos, sindicalistas e representantes dos mais diversos setores. A concentração do ato foi na porta do INSS, no Parque do Bom Menino, e de lá seguiu numa grande caminhada rumo a praça Deodoro.

Na sua fala o vereador destacou a importância de todos estarem juntos nesta luta e irem para as ruas defender os seus direitos.

“Não podemos admitir esta reforma da previdência que penaliza os trabalhadores e fere os seus direitos. Temos que ir para as ruas e barrar esta reforma. Este desmonte que estão fazendo em todos os setores do Brasil. Esta reforma não pode passar”, disse Honorato Fernandes.

O deputado federal Marcio Jerry, presente ao ato, falou da luta que trava na Câmara Federal no sentido de barrar a reforma. O parlamentar destacou que a união de todos em torno da defesa da Previdência é fundamental.

O senador Weverton Rocha destacou o quanto a reforma vai ferir os direitos dos trabalhadores. O senador falou que toda a atenção é necessária para que subterfúgios não sejam usados para aprovar a reforma. O senador volto a destacar que seu foco é defender o direito do trabalhador.

Ao longo de toda a caminhada os sindicatos presentes ao ato se revezaram falando sobre os pontos da reforma apresentada pelo Governo e seus desdobramentos na vida do trabalhador.

“Este é um momento de luta. É um momento decisivo. Esta reforma derruba direitos duramente conquistados pelos trabalhadores. Estamos nas ruas e na luta”, disse Raimundo Pereira, presidente do Sindsep/MA.

Foto: Divulgação

sem comentário »

A incoerência, mais uma vez

0comentário

O governador Flávio Dino (PCdoB) não demorou para ocupar as redes sociais com postagens sobre uma suposta investigação da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) contra a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para evitar um avanço da Igreja Católica junto a lideranças de oposição.

Dino classicou de “inaceitável” e até falou em volta da ditadura no Brasil. À sombra do comunista, o agora deputado Márcio Jerry já protocolou convocação do ministro Augusto Heleno, da Segurança Nacional, para esclarecer a denúncia de espionagem contra os membros da Igreja Católica.

A revolta, o protesto de Dino e dos seus aliados poderiam também ter ocorrido quando foi determinado à Polícia Militar do Maranhão que adversários do governo estadual fossem chados para evitar “embaraços” nas eleições de 2018.

Ou seja, o governo de Flávio Dino esteve sob suspeita de ter criado uma comissão eleitoral dentro da polícia para espionar os adversários do comunista. E com ordens expressas por meio de memorando e com cobranças posteriores aos subordinados.

A única reação de Dino foi ironizar, na tentativa de diminuir a gravidade do fato. Mas, no m de tudo, o governo nunca conseguiu explicar (de forma transparente) por que circulou na PM documento determinando chamento de políticos adversários de Flávio Dino.

Mas esta é somente mais uma incoerência do governo do Maranhão. A mesma incoerência que faz com que politicamente ele tenha aliados não somente na esquerda, mas no centro, na direita e até na extrema direita.

Espionagem no MA

Do caso da espionagem da PM, o que cou constatado é que dois ociais ouvidos disseram que a ordem partiu do coronel Heron Santos, que tinha ligações estreitas com o PCdoB de Flávio Dino.

A Secretaria de Segurança chegou a abrir uma sindicância, que também não teve nenhum efeito prático, a não ser um release enviado à Folha de S. Paulo para divulgar a informação unilateral do governo.

Mesmo governo que agora reclama de espionagem contra os padres.

Estado Maior

sem comentário »

Cafeteira é cotado para o lugar de Márcio Jerry

0comentário

Apesar de estarmos bem próximo do segundo mês do ano, o governador Flávio Dino (PCdoB) ainda não oficializou nenhuma mudança para o seu segundo mandato, iniciado em 1º de janeiro de 2019.

Entretanto, nas próximas horas as mudanças devem ser efetivadas e anunciadas. A tendência é que a primeira mudança que será feita pelo comunista será na SECAP – Secretaria de Comunicação e Articulação Política.

O atual secretário, o deputado federal eleito Márcio Jerry (PCdoB), já se despediu da pasta para assumir o mandato na Câmara Federal na próxima sexta-feira (1º). O nome mais cotado para o cargo é o do deputado estadual e Líder do Governo na Assembleia, Rogério Cafeteira (DEM).

Depois da surpreendente não reeleição de Cafeteira, o governador sempre deixou claro que iria contar com o seu atual Líder de Governo na sua equipe para o segundo mandato. A única dúvida existente é se a pasta será desmembrada e Cafeteira fique apenas com a Articulação Política ou se assume da forma que está.

Além de Cafeteira, outro nome que pode ser anunciado nas próximas horas é do deputado federal reeleito Rubens Júnior (PCdoB). Flávio Dino quer abrigar um dos seus mais novos aliados, o ex-deputado e ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira (PROS).

O ex-aliado de primeira hora de José Sarney, ficou como segundo suplente nas eleições de 2018. Para que Gastão assuma o mandato, como deseja Dino, ele precisa empregar Rubens Junior na sua equipe de governo e fazer com que Simplício Araújo, primeiro suplente, siga na Secretaria de Indústria e Comércio.

É aguardar e conferir o twitter do governador Flávio Dino, pois poderemos ter novidades nas próximas horas.

Blog de Jorge Aragão

sem comentário »

Republicanismo de fachada

0comentário

Na esteira do debate que manteve com o deputado federal eleito Márcio Jerry (PCdoB) durante a semana, o deputado estadual Adriano Sarney (PV) condenou em suas redes sociais, na sexta-feira, 11, o que considerou “republicanismo de fachada” das esquerdas maranhenses.

As críticas foram acirradas depois de Jerry e apoiadores do governo Flávio Dino (PCdoB) comemorarem a aproximação com a gestão de Jair Bolsonaro (PSL). E atacarem o parlamentar do PV, que os criticou por boicotar o governo federal, ao mesmo tempo em que tentam se locupletar dele.

Adriano destacou que a postura assemelha-se ao que o PCdoB tem praticado nos últimos anos no Maranhão, onde atualmente faz ferrenha oposição ao grupo Sarney – de forma, avalia ele, muitas vezes baixa -, mesmo já tendo sido parte de uma gestão sarneyzista.

“Nos últimos anos, eles ficam repetindo essa história de oligarquia e de 40 anos. Mas eu lembro que o PCdoB integrou as duas primeiras gestões da ex-governadora Roseana. Naquela época, não tinha oligarquia, o que tinha era muito comunista ocupando cargo e defendo o governo com unhas e dentes”, ironizou.

O deputado se referiu aos mandatos que se estenderam de 1994 a 2002, quando o PCdoB era uma das principais legendas de apoio a Roseana Sarney. Na época, comunistas ocupavam cargos de destaque no governo. Como a Gerência Regional de Santa Inês, comandado por Marcos Kowarick, a Presidência do Instituto de Terras do Maranhão (Iterma), com Stefano Silva Nunes, e a Direção Fundiária do Iterma, com Eurico Fernandes.

Adriano lamentou a forma de fazer política do partido. “Quando a oportunidade de derrubar adversários se apresenta, o PCdoB sobe no palanque. Quando aparece uma oportunidade de se aproveitar de adversários, o PCdoB faz reuniões em gabinetes. Aí, quando alguém denúncia, eles dizem que é patrulha. Esse é o republicanismo de fachada do PCdoB”, afirmou.

Estado Maior

sem comentário »

Comunistas de cabelo em pé

2comentários

Uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) num caso ocorrido no interior de São Paulo deixou de cabelos e pé os comunistas do Maranhão.

Na última terça-feira, 6, os ministros da corte eleitoral decidiram cassar, por unanimidade, os mandatos da prefeita e da vice-prefeita de Cajamar (SP), respectivamente Ana Paula Polotto Ribas (PSB) e Dalete de Oliveira.

A acusação: abuso de poder político e econômico nas eleições de 2016. A decisão também tornou as rés inelegíveis por oito anos.

A corte entendeu que Ana Paula, candidata à reeleição, e Dalete, à época ainda vereadora, se beneficiaram de obras de pavimentação e recapeamento das ruas do município nos meses que antecederam as eleições com o objetivo de influenciar o resultado do pleito.

O caso é idêntico ao que levou à declaração da inelegibilidade do governador Flávio Dino (PCdoB), de Márcio Jerry (PCdoB), além do prefeito e do vice de Coroatá, Luizinho da Amovelar (PT) e Domingos Alberto (PSB), respectivamente – estes também já cassados em decisão de primeiro grau.

Como apresentaram recursos, todos os condenados pela juíza Anelise Reginato, de Coroatá, conseguiram suspender os efeitos da decisão. Mas o processo ainda será julgado pelo TRE-MA e, fatalmente, também chegará ao TSE.

Estado Maior

2 comentários »