Maranhão estreia com goleada na Copa FMF

0comentário

Maranhão goleou o Cordino, por 4 a 1, no Estádio Castelão, na abertura da Copa FMF que garante o campeão no Campeonato Brasileiro Série D.

Os gols do MAC foram marcados por Zé Neto, Cléber Pereira (2) e Amaral. O Cordino diminuiu com Vítor.

No outro jogo da rodada, Pinheiro e Juventude empataram por 0 a 0, em Pinheiro.

A primeira rodada será complementada nesta terça-feira (5), com a partida entre Sâo José x Santa Quitéria, às 15h30, no Estádio Castelão.

Próxima rodada:

09/11 – Sábado
15h30 – Maranhão x Juventude – Em Sâo mateus
15h30 – Cordino x São José – Em Barra do Corda
15h30 – Pinheiro x Santa Quitéria – Em Pinheiro

Foto: João Ricardo

sem comentário »

Impactos da educação de tempo integral

1comentário

Por Felipe Camarão

O Grande, parceiro do Maranhão na expansão da rede de educação de tempo integral no Estado, entregou-me, nesta semana, uma publicação intitulada “Mais integral, mais oportunidades: um estudo sobre a trajetória dos egressos da rede estadual de ensino de Pernambuco”. Trata-se de um relatório que analisa jovens que estudaram em centros de ensino de tempo integral, nas dimensões: escolaridade, renda e equidade.

A pesquisa que avaliou a trajetória dos estudantes pernambucanos concluintes do Ensino Médio, entre os anos de 2009 e 2014, evidencia os impactos positivos que esse modelo de ensino gera na vida do jovem. De acordo com o levantamento, a probabilidade de ingressar no ensino superior é 17 pontos percentuais maior para estudantes formados em escolas integrais. E a probabilidade de ingressar em uma instituição pública, também, é 9 pontos percentuais maior.

No quesito “Mais renda”, o estudo revela um aumento da renda logo no início da carreira e a probabilidade de crescimento nos anos futuros, ou seja, com mais tempo no mercado de trabalho, o jovem obtém taxas de renda ainda maiores que os jovens egressos das demais escolas.

Outro aspecto que vale destaque é a equidade. A pesquisa aponta que o Integral é capaz de reduzir em 13% a diferença salarial entre os egressos brancos e pretos/pardos. Nas escolas de tempo parcial, o segundo grupo tem ganhos de cerca de 10% inferiores em relação ao primeiro. “Esse dado traz atenção para os benefícios advindos do ensino integral, com destaque para a promoção da equidade racial e possibilidade de garantir um maior empoderamento de jovens a despeito da etnia”, justifica o documento.

Esses impactos se devem ao fato de que a educação de tempo integral é um modelo voltado à formação cidadã, com foco no exercício do protagonismo juvenil para a construção do projeto de vida do estudante, a partir do   desenvolvimento de todas as dimensões: intelectual, social, cultural, física emocional.

É meta do Plano Nacional de Educação (PNE) que, até 2024, pelo menos, 25% dos estudantes estejam matriculados nas escolas de tempo integral. E o Maranhão, desde 2015, vem fazendo sua parte, ainda que de forma tardia, dada às décadas sem que o poder público priorizasse a educação. Atualmente, são 49 escolas, entre Centros Educa Mais e unidades plenas do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão-IEMA. A partir de 2020, esse modelo será ampliado, chegando a 60 escolas que passarão a compor a rede de educação de tempo integral.

Com efeito, a educação de tempo integral, no Maranhão, vem demonstrando

ótimos resultados. Para se ter ideia, nas duas avaliações diagnósticas do SEAMA (Sistema Estadual de Avaliação do Maranhão), instituído, neste ano, pelo governador Flávio Dino, escolas de tempo integral obtiveram resultados acima da média estadual, entre elas o Centro Educa Mais Jacira de Oliveira e Silva, no município de Timon.

Só para citar algumas das conquistas da escola: melhor desempenho no SEAMA, entre as escolas da região; aprovação de 72% dos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e demais vestibulares; evasão escolar zero; menção honrosa na Obmep (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas), em 2017 e 2018; medalhista na olimpíada de robótica 2018, etc.

Poderia mencionar mais resultados encontrados em outros centros de tempo integral da rede estadual, que atestam a eficiência do modelo e a melhoria dos indicadores educacionais. Entretanto atenho-me ao fato de que a educação integral, com formação completa, aprendizagem com qualidade e garantia de permanência dos estudantes na escola são o foco deste Governo, que prioriza, desde o primeiro dia de gestão, a educação como setor prioritário para o desenvolvimento do Maranhão.

*Felipe Costa é professor, secretario de Estado da Educação e membro da Academia Ludovicense de Letras e Sócio do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão

1 comentário »

Democracia e AI-5

0comentário

Por José Sarney

A melhor definição de democracia que conheço é de Lincoln: “regime do povo, pelo povo e para o povo”. Na Oração Fúnebre aos mortos no Peloponeso, Péricles fala, pela primeira vez, da necessidade de que um governo seja constituído pelo povo: “chama-se democracia porque não é um governo dos poucos, mas dos muitos”. Era a maneira de superar a lei do mais forte.

No Brasil a democracia teoricamente se instalou com a República, antagonista da Monarquia. Mas ela não pôde instaurar o governo do povo, porque o povo não era republicano, e sim monarquista. Aristides Lobo diz que ele — povo — assistiu bestificado à proclamação da República.

Tivemos ao longo da República Velha intervenções militares conhecidas como “salvacionistas“. Os militares as faziam dizendo proteger as instituições. Por isso eu considero que a última dessas intervenções tenha sido a de 64. Os militares diziam que era para salvar a democracia. Castello evitou que 64 virasse uma quartelada. Mas em 1968 Costa e Silva, em meio a uma crise paroxística com o Congresso, editou o AI-5, rasgando os direitos individuais, inclusive o habeas corpus.

Fui o único governador que não se solidarizou com o AI-5; passei telegrama a Costa e Silva dizendo que não concordava e esperava que logo voltássemos à normalidade democrática. Por isso fui ameaçado de cassação.

Dez anos depois, eu era Senador e no Congresso fui o relator da Emenda Constitucional nº 11, que revogou o AI-5. Em 1985, coube a mim presidir a transição democrática, fazendo eleições todos os anos, acabando com a eleição indireta, dando anistia aos sindicalistas banidos, legalizando as centrais sindicais, acabando com os municípios de segurança nacional, revogando toda a legislação autoritária e convocando a Constituinte. Fiz isso com a diretriz de que a abertura seria feita com as Forças Armadas, e não contra as Forças Armadas, e que, sendo o seu Comandante-em-Chefe, cumpria o dever de zelar pelos meus subordinados, não deixando ocorrer nenhuma revanche. Os ventos da liberdade varreram como nunca o nosso País.

Os momentos de ruptura democrática no Brasil ocorreram sempre em meio a crises institucionais gravíssimas. Agora temos uma Constituição absolutamente democrática, a mais longeva da história da República. Na coerência de minha atitude ao longo da vida de democrata, não posso admitir com o meu silêncio que alguém pense em romper com nosso caminho de liberdade e democracia. Assim, condenei a atitude de um deputado que voltou a falar do AI-5, coisa do século passado, de um tempo que já se findou. Hoje o Brasil é uma sociedade de democracia consolidada e de instituições fortes. Assim, vejo com grande satisfação a reação nacional quase unânime de repelir qualquer tentativa de violar a Constituição.

A democracia veio para sempre, e eu dei a minha contribuição para que assim seja.

sem comentário »

Morre o pai do secretário Rogério Cafeteira

0comentário

Morreu neste domingo (3), o empresário Sanclé Campos Lina, pai de Rogério Cafeteira (DEM), secretário de Estado dos Esportes.

Sanclé tinha 75 e estava internado em um hospital de São Luís.

O velório está acontecendo na sala 7 da Pax, Canto da Fabril. O corpo será conduzido para cremação por volta de 15h.

Que Deus conforte todos os familiares, em especial o amigo Rogério Cafeteira neste momento de dor.

sem comentário »