Flamengo é campeão brasileiro sem jogar

0comentário

Dois títulos em um fim de semana e muita festa da torcida do Flamengo no país. E festa que deve continuar na próxima quarta-feira, quando o time rubro-negro enfrenta o Ceará, às 21h30, no Maracanã.

Depois de conquistar no sábado (23), o bicampeonato da Libertadores ao vencer o River Plate, de virada, em Lima, no Peru, o Flamengo conquistou o Campeonato Brasileiro enquanto o time fazia festa nas ruas do Rio de Janeiro.

Faltando 4 rodadas para o término do Brasileirão e beneficiado pela derrota do Palmeiras para o Grêmio, o Flamengo com 81 pontos não pode mais ser alcançado.

Com o título do Flamengo na Libertadores e no Brasileirão, o futebol brasileiro ganha mais uma vaga na Libertadores em 2020.

O G6 tem: Flamengo, Santos, Palmeiras, Grémio, Atlhetico-PR e São Paulo. Na pré-Libertadores estão Internacional e Corinthians.

Na parte debaixo da tabela, O Botafogo venceu o Corinthians e respirou na luta contra o rebaixamento. Hoje jogam CSA-AL x Fluminense.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

sem comentário »

Braide lidera nova pesquisa para prefeito de São Luís

0comentário

Pesquisa Exata divulgada neste fim de semana aponta liderança folgada do deputado federal Eduardo Braide (PMN) na disputa pela prefeitura de São Luís.

Segundo o levantamento, Braide lidera com 40% das intenções de voto.

O segundo colocado é Wellington do Curso (PSDB), com 12%. Em terceiro está Duarte Júnior (PCdoB) com 11%. Vejam os números completos:

Eduardo Braide 40%
Wellington do Curso 12%
Duarte Júnior 11%
Neto Evangelista 6%
Bira do Pindaré 6%
Osmar Filho 3%
Adriano Sarney 3%
Jeisiel Marx 2%
Yglésio Moises 1%
Rubens Pereira Júnior 1%
Allan Garcês 0%
Nenhum/Branco/Nulo 10%
Não sabem/Nào responderam 5%

A pesquisa Exata entrevistou aproximadamente 1 mil eleitores. A margem de erro de 3,1 pontos percentuais, para mais, ou para menos.

sem comentário »

Políticos destacam participação de Spinucci no JN

3comentários

A edição história do Jornal Nacional nos seus 50 anos teve a apresentação neste sábado (23), de Giovanni Spinucci, da TV Mirante e Aline Aguiar, da TV Globo Minas. Veja como foi a apresentação do Jornal Nacional.

Nas redes sociais, a repercussão foi enorme e todos fizeram questão de destacar a participação de Giovanni Spinucci.

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT) escreveu:

“Foi bom assistir o Giovanni Spinucci representando tão bem o Maranhão na bancada do Jornal Nacional”, disse.

A senadora maranhense Eliziane Gama também destacou a participação de Spinucci.

“O Maranhão dando show de profissionalismo e segurança com Giovani Spinucci agora na bancada do Jornal Nacional. Estamos muito bem representados”, afirmou.

“Valeu, Giovani Spinucci! Orgulho te ver tão bem na tela nacional. Salve!”, destacou o deputado federal, Márcio Jerry (PCdoB).

Fotos: Reprodução/Redes Sociais

3 comentários »

Maratonas Aquáticas: Julia Nina brilha no Sul-Americano

0comentário

Mais um desafio vencido na vida da maranhense Julia Nina, vice-campeã da Copa Pacífico/Salinas e do Sul-Americano de Maratonas Aquáticas, competições disputadas em Salinas/Equador. Ela defendeu o Brasil nessa sexta-feira (22), e foi vice-campeã nas provas de 10km das Maratonas Aquáticas – categoria absoluto.

Julia participou da Copa Pacífico e do Sul-Americano com o patrocínio da Equatorial Energia Maranhão e Governo do Estado – através da Lei de Incentivo ao Esporte, ela nadou em busca das primeiras colocações.

As águas frias do mar de Salinas – localizada no ponto mais oeste do Equador e principal balneário do país – não foram empecilho para ela. O maior problema enfrentado terminou sendo a mudança de boias. A campeã foi a peruana Fanny Collocca.

Além do pódio nas duas competições, Julia Nina recebeu com muita alegria a convocação para defender novamente a seleção brasileira adulta de Maratonas Aquáticas no Sul-Americano em Buenos Aires, em março de 2020, na prova de 5km.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Itaqui na cabeça

0comentário

Por José Sarney

Escrevi várias vezes tratando sobre a pobreza do Maranhão e também, é óbvio, sobre nossos sonhos de riqueza. Sempre disse que o Criador não foi muito generoso conosco. A começar pela errada avaliação, muito repetida, de que nossas terras eram excelentes. Na verdade, nossas terras são muito pobres e somente temos uma faixa de terra muito boa, na área de Grajaú e Fortaleza dos Nogueiras. É uma mancha. No resto são terras ácidas e arenosas. São Paulo, Paraná, e uma faixa do sul de Minas têm terras excelentes, “roxas”, que possibilitaram o desenvolvimento do ciclo do café, primeira fase do processo de formação da economia do Brasil independente. Daí a riqueza desses estados, hoje na fase industrial.

Segundo, não temos em nosso território nenhum minério, economicamente expressivo. A melhor coisa que temos, e capaz de alavancar o Estado, é o porto do Itaqui. No mundo, poucos como ele. Por outro lado nossas marés, das maiores do mundo, ajudam a mantê-lo, sem necessidade de dragagem. Agora leio que um estudioso da ecologia nos aponta outra vantagem, que é de servirem de saneamento, levando as sujeiras da Baía de São Marcos para o alto mar.

Itaqui já é o terceiro porto do Brasil, responsável pelo escoamento de 18% das exportações brasileiras. Por ele passam anualmente 280 milhões de toneladas de carga: minério de ferro, manganês, gusa, cobre, pelotas, carvão, combustível, soja, milho e carga geral. 65% de toda essa carga se destina à China.

Fazendo a análise que através de um grande porto se constrói uma grande civilização, todo meu esforço foi para construir o Porto do Itaqui, o que conseguimos fazer durante meu governo.

A primeira grande luta foi a de convencer o Governo Federal de mandar recursos para isso. Recordo que numa reunião, logo depois de 64, veio o Ministro Andreazza com a equipe da Diretoria dos Portos. Fizemos uma reunião no próprio Itaqui, naquele tempo uma mata de difícil acesso. O almirante responsável pela Diretoria abriu o encontro dizendo que não podíamos construir um porto, que não tinha carga a receber, nem nada a escoar. Reforçou sua argumentação dizendo ainda mais, que não tinha estudo de viabilidade. Argumentei sobre o futuro, inventei indústrias que iríamos ter, a começar pela fábrica de cimento de Codó — que conseguíramos — com o empresário João Santos etc e tal.

O almirante foi insensível e voltou a falar na falta de estudo de viabilidade. Aí, eu apelei e disse: o Duque de Caxias foi governador da Província do Maranhão ao tempo na Balaiada e disse, em mensagem a Assembleia, que o porto de São Luís estava assoreado e que era preciso fazer o Porto do Itaqui. E indaguei: “O Senhor acha, Almirante, que o Duque de Caxias ia fazer um porto sem estudo de viabilidade? Isto tem cem anos e ainda se precisa de estudo?” Andreazza bateu o martelo. “É, Almirante, o Governador Sarney nos levou às cordas, com o Duque de Caxias. Vamos fazer o porto.”

Hoje, repito, é o terceiro do Brasil. Outra luta foi trazer Carajás para o Itaqui. Outra, foi fazer a Norte-Sul, que vai transportar toda a produção agrícola do Centro Oeste para cá.

E também, hoje, ainda temos a luta de fazer funcionar a Base de Alcântara. A Base, a Norte-Sul e o Porto do Itaqui, serão as grandes alavancas do futuro do Maranhão. Quem viver verá.

Coluna do Sarney

sem comentário »