Bomba quebrada e Ribamar Fiquene sem água

0comentário
Mulheres carregando água (Foto/Arquivo)

Mulheres carregando água (Foto/Arquivo)

RIBAMAR FIQUENE – A população dos bairros Vila Mariana, Residencial Manoel Rocha e Vila Bolacha, além de moradores da Av. Wanderly Ferraz, Ruas Paraná, Sarapião Costa, Brasil, Santa Rita e Belém no centro da cidade de Ribamar Fiquene há mais de 30 dias sofrem com a falta de água. No início deste mês, a situação se agravou porque a pressão da água do poço artesiano da Vila Mariana não enche o reservatório que abastece o setor.

Moradores denunciam que a bomba que suga a água do poço artesiano da Vila Mariana, quebrou, e a Prefeitura de Ribamar Fiquene não toma as providências para consertar o equipamento. Prejudicados com a falta de água, muitos tem que carregar água em baldes e latas para a manutenção dos afazeres domésticos. Mesmo denunciando o descaso da Prefeitura a população não encontra respostas para a solução do problema que piora a cada dia.

“Aqui, o sistema é de ligações intermediárias: seis horas da manhã, meio dia e cinco e meia da tarde. Infelizmente há mais de 30 dias não chega água nas torneiras com regularidade. Pela manhã, chega um pouquinho de água da rua, mas ela não enche dois baldes de cinco litros, logo acaba”, declara indignada a moradora da Rua Santa Rita, Zilda Feitosa.

Para a dona de casa Antonia Pimentel a solução que ela e outros moradores encontraram foi levantar cedinho e pegar água em uma cisterna cedida por um visinho, para encher os tambores em casa. “Somos três adultos e temos duas crianças, imagina a situação em que estamos vivendo com a falta de água na torneira”, comentou.

Apesar da irregularidade no abastecimento de água, o prefeito Edilomar Miranda ou qualquer de seus assessores emitiram nota à população, informando sobre as providências que estão sendo tomadas para a normalização da água nas residências em três bairros e as principais ruas do centro da cidade.

sem comentário »

Um dia após denúncia prefeitura inicia coleta de lixo em Ribamar Fiquene

0comentário

RIBAMAR FIQUENE – Após refletir sobre as denúncias, o prefeito de Ribamar Fiquene, Edilomar Miranda, determinou medidas para a que a Secretaria de Infraestrutura providenciasse a coleta de lixo das ruas da cidade.

O serviço essencial de limpeza começou na manhã desta quarta-feira, 1º de julho, após denúncia feita ontem (terça-feira) no blogsoestado.com, pelos moradores, que se manifestaram preocupados com a quantidade de lixo e o perigo de doenças decorrentes da infestação de insetos.

A Prefeitura informou nas últimas horas, que a determinação é recolher todos os tipos de lixo e resíduos sólidos das ruas do centro e dos bairros da cidade. Há informação de que haverá força-tarefa para a coleta do lixo nos povoados de Arraias e Lajeado Velho. Nessas localidades o lixo não é recolhido há mais de 30 dias, segundo declaração de moradores.

O serviço de coleta do lixo domiciliar e outros tipos feira, começou cedo, na manhã desta quarta-feira, e segundo informa assessores da Prefeitura, já foi foram limpas as principais ruas do centro da cidade e o bairro Vila Mariana.

O programa de limpeza vai continuar. “Seria importante que os moradores, observada várias exceções, não jogassem nas ruas e em frente suas casas restos de entulhos e galhas de árvores que podam dos seus quintais. Isso facilitará o serviço dos garis”, disse o morador Raimundo Silva, da Vila Mariana.

Raimundo Silva destacou ainda, que, é medida preventiva de muita importância para o município, a prefeitura mandar fazer uma ação de limpeza que inclua a participação da Vigilância Epidemiológica e da Vigilância Sanitária, principalmente no combate ao mosquito Aedes aegypti – vetor da dengue.

sem comentário »

MPMA move ação contra prefeita de Vila Nova dos Martírios

0comentário
Prefeita Karla Batista (Foto/Arquivo)

Prefeita Karla Batista (Foto/Arquivo)

MARANHÃO – O Ministério Público do Estado do Maranhão moveu, em 16 de junho, Ação Civil Pública contra a prefeita de Vila Nova dos Martírios, Karla Batista Cabral. A ação, elaborada pela 6ª Promotoria de Justiça Especializada de Imperatriz, é resultado da reprovação de contas em convênio firmado com o Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Cultura.

Segundo o promotor de justiça Adalberto Lages Mendes, autor da ação, o convênio foi celebrado para a realização de evento em comemoração ao aniversário da cidade. Entre as irregularidades observadas estão a ausência de apresentação de documentos para comprovação de contas e a inexistência de processo de licitação.

De acordo com a legislação, é indispensável o processo de licitação para realização de serviços que custem mais que R$ 8 mil. O evento produzido pela Prefeitura de Vila Nova dos Martírios custou R$ 30 mil aos cofres públicos.

Diante disso, o MPMA pede que a Justiça aplique o disposto na Lei de Improbidade Administrativa e que a prefeita do município seja condenada à pena de ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, pelo prazo de cinco anos.

O município de Vila Nova dos Martírios é termo judiciário da Comarca de Imperatriz e fica localizado a 657 km de São Luís.

Texto – (CCOM-MPMA)

sem comentário »