Professores mantêm greve e vaiam Aécio

0comentário

PROFESSORES EM GREVEIMPERATRIZ – Após uma assembleia realizada na manhã desta terça-feira (12), na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino em Imperatriz (Steei), os professores da rede municipal, em greve há cento e dois dias, decidiram rejeitar a contraproposta apresentada pela prefeitura na manhã de hoje e manter a paralisação. Eles marcaram novas manifestações para hoje.

Numa reunião calorosa, o presidente do Steei, Willas de Morais, analisou o tempo de greve e balanceou a primeira proposta da prefeitura (de o%), com a segunda, de 6%, em três vezes (2% setembro, 2% novembro e 2% dezembro), sem retroativos e tíquete-alimentação.

“É importante lembrar que temos mais de cem dias de greve, e não é fácil de manter. Nós nunca enfrentamos uma greve que nem essa. E, desde o início da greve, até agora, a contraproposta foi nada, e nós fizemos a proposta de 13%. Ele sentou com a presidência e apresentou um acordo de 6%”, contou o presidente.

Um dos manifestantes usou da palavra para disser que a proposta é uma manobra política para enfraquecer a greve e maquiar a situação da classe, na chegada de um candidato à presidência ao município, nesta terça (12).

“Por duas vezes fomos manipulados quando tem evento grande de política na cidade. Dessa vez, não vamos deixar isso acontecer”, exclamou.

A advogada que representa o Steei, Shirley Vasconcelos, aconselhou os presentes que analisassem bem a proposta.

“É importante lembrar que com essa proposta, se aceita, a justiça vai analisar se a greve vai ser decretada ilegal ou não. Se decidirem continuar com a greve, que seja ciente que isso pode acontecer, assim como pode não acontecer”, explicou.

Utilizando o plenário Leo Franklin na manhã de hoje, o prefeito Sebastião Madeira anunciou um acordo de reajuste salarial para o término da greve dos professores da rede municipal.

Após uma votação, a maioria dos professores decidiu manter a greve por tempo indeterminado.

Imirante.com/imperatriz

sem comentário »

Professores pararam e prefeitura de Ribamar Fiquene cede as reivindicações

0comentário
Professores de Ribamar Fiquene (foto/M.Rodrigues)

Professores de Ribamar Fiquene (foto/M.Rodrigues)

RIBAMAR FIQUENE – Nesta segunda-feira (07), professores da rede municipal de ensino fizeram uma paralisação de advertência, contra a prefeitura, pelo não atendimento as reivindicações da categoria, datada de 11 de fevereiro de 2014. A principal reivindicação trata do pagamento dos residuos dos repasses de recursos federais dos 60% do Fundeb, que não foi feito o reateio em 2012 e tampouco em 2013.
Os professores passaram o dia reunidos no Sintespurf, sustentando a paralisação da categoria e resistindo as ameaças de corte de ponto e outras pertinências euxaridas pela secretária-Adjunta da Educação, Núbia Altino e o secretário Antonio Silva Cardoso.
Dois advogados do Sintespurf estiveram reunidos com os servidores e discorreram sobre a lei de greve, com o objetivo de fortalecer o movimento e tranquilizar a categoria, em relação as ameaças.
No fim da tarde, o presidente do Sintespurf, André Alves dos Santos publicou nota na imprensa e por meio do serviço de alto falantes, informando que a prefeitura cedeu as reivindicações e a vitória dos professores, e que, portanto, a categoria pode voltar as atividades normais já nesta terça-feira (08) em todas as unidades escolares da rede municipal de ensino em Ribamar Fiquene.
REINVIDICAÇÕES
1.- Melhorias de condições de trabalho em sala de aula;
2.- Climatização nas salas de aula em todas as escolas, inclusive da Zona Rural;
3.- Disponibilização de material de trabalho, material didático – expediente e permanente – recurso oriundo do PDDE (Programa Dinheiro Direto na Escola;
4.- Capacitação e qualificação para melhorar a qualidade do ensino nas escolas municipais;
5.- Pagamento – rateio – dos residuos do FUNDEB – valores repassados em 2013, além de outras medidas entabuladas.
André Santos declarou que a consolidação do comprometimento do prefeito Edilomar Miranda, entregue por meio de documento nesta segunda-feira, será avaliado pela categoria no fim da tarde desta terça-feira. Se houver desconfiança, será convocada uma assembleia geral da categoria quando será decretado a greve por tempo indeterminado.

sem comentário »

Professores anunciam paralisação em Ribamar Fiquene

1comentário
(Foto/Divulgação)

(Foto/Divulgação)

RIBAMAR FIQUENE – O Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino e no Serviço Público Municipal de Ribamar Fiquene – Sintespurf, em assembleia geral, nessa sexta-feira (04), decidiu pela paralisação de advertência, nesta segunda-feira (07), promovendo anúncio público na comunidade.

O presidente do Sintespurf, André Alves dos Santos declarou que os profissionais e trabalhadores da educação fiquenense, decidiram pela paralisação em apoio às reivindicações apresentadas pelo sindicato, quando de reunião dia 24 de março/2014 com o prefeito Edilomar Miranda (PCdoB), sem que o prefeito tenha manifestado uma solução plausível para atender o pleito dos servidores municipais.

Os professores reclamam o pagamento dos resíduos do Fundeb – 60% – do exercício de 2013, por entenderem que houve sobras, e que também houve em 2012 e o então prefeito Israel Vasconcelos ignorou e não efetuou o pagamento da sobra dos 60% do Fundeb, com rateio aos profissionais da educação. O fato de repete com o prefeito Edilomar Miranda. Também, reivindicam melhorias no ambiente de trabalho e apresentam propostas ao percentual do aumento de salário para todas as categorias do funcionalismo público da prefeitura de Ribamar Fiquene, data base a partir de 1º de maio/2014.

André Santos declarou que a decisão dos professores pela paralisação de advertência, tem o apoio de outros servidores da educação. A paralisação de advertência nesta segunda-feira (07) é um indicativo de greve por tempo indeterminado. “Acredito que essa é a hora do prefeito Edilomar Miranda, que pediu tantos prazos, descer do pedestal e negociar com os profissionais da educação”, finalizou.

1 comentário »

Professores ameaçados de corte de ponto em Ribamar Fiquene

0comentário
(Foto/Divulgação)

(Foto/Divulgação)

RIBAMAR FIQUENE – Corte de ponto, perda de licença prêmio e até ameças aos servidores em estágio probatório, são algumas medidas determinantes em Ofício Circular nº 004/2014 – SEMED encaminhado aos gestores das escolas da rede municipal de ensino, documento assinado pelo secretário de Educação, Antonio da Silva Cardoso, contra os profissionais da educação que aderiram ao movimento da categoria de paralização de advertência, pelo não recebimento da sobra de recursos do Fundeb concernete aos 60%, exercício financeiro de 2012 e 2013.

O professor Vicente Guimarães destaca via rede sociais que o atual prefeito não responde os pleitos da categoria e ainda intimida os professores com ameças de demissão de contratados temporários e dos efetivos em estágio probatório, convalidando corte de ponto dos demais efetivos do serviço público municipal.

Intimados a assinar o documento enviado pela Secretaria Municipal de Educação, mais de 85% dos professores da rede municipal de ensino de Ribamar Fiquene se recusaram ao procedimento de assinatura, firmando o compromisso de unidade pela manutenção da paralisação de advertência, acontecida na segunda-feira (17).

A categoria mobilizada anuncia que nesta quarta-feira (19), às 16h, será realizada uma assembleia-geral do Sintespurf, quando os professores, após resposta da prefeitura quanto a data do pagamento ou não do abono (sobras de recursos do Fundeb), decidirão pela paralisação por tempo indeterminado. Entre os associados do sindicato, há uma proposta de insatisfação que recebe assinaturas pela aprovação da destituição da atual diretoria do Sintespurf.

Segundo informações dos professores que lideram o movimento, a paralisação de advertência foi registrada somente na segunda-feira (17). Para os dias 18 e 19, terça-feira e quarta-feira respectivamente as aulas serão normais. Qualquer mudança no calendário será determinado a partir da deliberação aprovada pela assembléia-geral marcada para esta quarta-feira (18), no fim da tarde na sede do sindicato. “Existe coisas que não podemos deixar para depois, se não tomarmos uma providência seremos esmagados”, comentou o professor Vicente Guimarães.

INTEGRA DO OFÍCIO CIRCULAR

Ilmo(a). Sr(a).

Gestor(a) de Escola Municipal

NESTA

Prezado(a) Senhor(a).

Vimos por meio deste informar a vossa senhoria que em virtude da SEMED não ter recebido nenhuma notificação sobre a paralisação ilegal ocorrida neste dia 17/03/2014 a qual não partiu do representante sindical do município é que haverá aula normal nos demais dias e que os professores do quadro permanente e os que estão em estágio probatório que se recusarem em dar ala receberão falta do dia letivo em questão bem como aos que também faltaram no dia letivo de quarta-feira de cinzas dia 05 de março/2014, serão descontados em seus vencimentos e consequentemente o retardamento da licença prêmio por assiduidade.

Certo de seu pronto atendimento, de já agradecemos.

Atenciosamente,

Antônio da Silva Cardoso

Secretário Municipal de Educação

sem comentário »