Alcione destaca sucesso do Pão com Ovo no RJ

0comentário

Sucesso!!! Foi assim mais uma temporada da comédia maranhense Pão com Ovo no Rio de Janeiro.

O Teatro João Caetano ficou pequeno na penúltima apresentação do trio que já foi visto por mais de 1 milhão de espectadores e que contou desta vez com a participação luxuosa da cantora Alcione.

“Uma noite inesquecível! Teatro João Caetano lotado para ver a comédia Pão com Ovo, participação mais que especial da madrinha Alcione. Muito obrigado!!!”, escreveu o ator e diretor César Boaes.

No Twitter, a cantora Alcione celebrou o grande momento do Pão com Ovo no Rio de Janeiro.

“Viva o Maranhão!!!! Reencontrando meus amigos Cesar Boaes, Adeílson Santos, Charles Júnior e Jorge Thadeu no camarim da peça Pão com Ovo. O sucesso foi tamanho que eles prorrogaram a temporada no Rio de Janeiro e estarão em cartaz durante o mês de abril no Teatro dos Grandes Atores!”, disse Alcione.

É isso mesmo… Quem pensava que nossos atores estariam de volta logo a São Luís vão ter que esperar mais um pouco.

César Boaes, Adeílson Santos e Charles Júnior vão continuar por mais um tempo no Rio de Janeiro.

A temporada de sucesso no Rio de Janeiro vai continuar, agora no Teatro dos Grande Atores, na Barra da Tijuca, de 5 a 28 de abril.

Mais sucesso gente!!!!!

Fotos: Divulgação

sem comentário »

Sampaio Basquete vence e segue imbatível na LBF

0comentário

O ginásio do Costa Rodrigos lotou na segunda partida do Sampaio Basquete em casa. Neste domingo (31), o Tricolor maranhense recebeu o time do LSB RJ/Sodiê e conquistou a quarta vitória consecutiva na Liga de Basquete Feminino (LBF).

Apesar de um primeiro tempo truncado e um jogo cheio de erros, o time carioca quis esboçar um bom início, mas logo foi controlado pela equipe do Sampaio. No decorrer da partida, o LBS RJ pouco se mostrou agressivo, e a equipe da casa aproveitou melhor suas chances, vencendo todos os períodos até fechar o placar por 66 a 44.

Destaque do jogo pelo lado do Sampaio, foi a jogadora Tati, que acabou conquistando o prêmio de MVP da partida. Tati e sua companheira de equipe Scaife, foram as cestinhas da tarde, somaram 14 pontos cada. Pelo time carioca, Thainá foi a jogadora que mais pontuou, marcando 9 pontos.

O Sampaio Basquete que tem o patrocínio da Cemar e do Governo do Maranhão por meio da Lei de Incentivo ao Esporte continua invicto na temporada e agora se prepara para enfrentar o Pró-Esporte/Sorocaba, na próxima quinta-feira (4) em São Paulo.

Foto: Matheus Marques

sem comentário »

Norte-Sul e o futuro

0comentário

Por José Sarney

Quando eu, como Presidente da República, lancei a ideia de construir uma estrada de ferro de norte a sul, ligando a malha rodoviária nacional ao Porto do Itaqui, o de melhores condições do Brasil, competindo com os grandes portos mundiais, o mundo caiu. Os jornais de Sul/Sudeste, a começar pelos de São Paulo, vieram em cima de mim dizendo que era caipirismo do Sarney, querendo beneficiar o Maranhão ao canalizar a produção do Brasil central para escoar por aqui.

Enfrentei tudo, ataques dia e noite, comissões de inquérito, denúncias e o diabo. Comecei a construção pelo trecho que liga a estrada de ferro Carajás-Itaqui a Porto Franco e construí ali a ponte sobre o Tocantins. Inaugurei esta parte e mais um pedaço em Goiás. Os governos que me sucederam puseram uma pedra em cima do projeto.

Lula, candidato em 2002, veio a minha casa pedir apoio. Disse-lhe que sim. Pedi duas coisas: que restaurasse o Programa do Leite — em que eu distribuía oito milhões de litros de leite por dia para as crianças pobres — e terminasse a Norte-Sul.

Ele cumpriu e deu todo apoio à construção da estrada, que está praticamente pronta. Agora o governo resolveu privatizá-la — o que acho certo — e ontem realizou leilão, dando-a em concessão por 30 anos por 2,72 bilhões reais, um ágio de 100,92%.

Se esta estrada tivesse ficado pronta naquele tempo, como eu desejava, o Brasil seria outro — e o Maranhão também. Basta lembrar que tivemos então, com o programa de irrigação e os incentivos à produção agrícola, uma sucessão de maiores safras da história, chegando a 72 milhões de toneladas de grãos. Hoje, com o desenvolvimento da técnica, com as pesquisas da Embrapa, vamos chegar a 230 milhões de toneladas, transportadas 90% em caminhões. Isso polui o planeta, acaba com as estradas rodoviárias e custa 36 reais por quilômetro/tonelada, contra seis reais nas ferroviárias! Calculem quanto isso significaria para o Brasil ao longo dos trinta anos que se passaram desde que comecei a estrada.

Deixei o Maranhão preparado para o futuro. Fiz o Porto do Itaqui, trouxe o escoamento de minério de Carajás para ele, liguei o Tocantins e o Pará a São Luís. Evitei que o Geipot — o órgão responsável pelas estradas nacionais durante o regime militar — desativasse a São Luís-Teresina. A Norte-Sul vai fazer do Itaqui o maior porto do Brasil.

Os que foram contra a estrada e impediram que eu a concluísse hoje a exaltam e se arrependem publicamente. Muitas vezes Lula me pediu desculpas por ter sido contra; e tornou-se o entusiasta a quem devemos sua retomada.

Agora, com a Norte-Sul privatizada e, em breve, começando a operar, o Itaqui tirará uma grande parte da carga de Santos e Paranaguá, pois a estrada de ferro oferecerá a economia direta do seu custo somada à indireta do custo marítimo, por sua localização estratégica em relação ao canal do Panamá.

Dei ao Maranhão a melhor infraestrutura do Nordeste. Preparei-o para este dia. Como dizia Churchill, não olhe as próximas eleições, mas o futuro.

sem comentário »

A incoerência de Márcio Jerry no Twitter

0comentário

É claro que coerência, como este Blog sempre diz, é uma característica cada vez mais rara em boa parte dos políticos, mas alguns abusam da cara de pau e debocham da inteligência dos eleitores.

Durante a semana, em Brasília, o deputado federal Edilázio Júnior (PSD), que tem sido um “calo” no projeto 2022 de Flávio Dino, acertadamente cobrou um posicionamento do Governo do Maranhão, Assembleia Legislativa e principalmente do Tribunal de Justiça, diante do depoimento do delegado e ex-superintendente da SEIC, Thiago Bardal.

O delegado, que já foi um dos principais nomes da Segurança Pública do Maranhão, afirmou em depoimento ao juiz da 2ª Vara Criminal de São Luís, José Ribamar D’Oliveira Costa Júnior, que recebeu ordens expressas do secretário de Segurança, Jefferson Portela, para investigar quatro desembargadores do Maranhão – Fróz Sobrinho, Tryrone José, Guerreiro Júnior e Nelma Sarney, fato esse negado por Portela.

O curioso foi a tentativa de defesa do deputado Márcio Jerry (PCdoB). Ao invés de cobrar transparência e apuração da denúncia, para não pairar nenhuma dúvida, Jerry optou pela tática de desclassificar o delegado Thiago Bardal.

Para Jerry, pelo fato de Bardal está preso, mesmo alegando inocência, ele não tem autoridade moral para denunciar ninguém e suas denúncias não devem ser levadas em conta. Veja abaixo.

O problema é que falta coerência para Jerry, que curiosamente é do mesmo partido de Jefferson Portela e do governador Flávio Dino.

Para Jerry, quando um “criminoso” denuncia um aliado, a denúncia não deve ser levada em consideração, mas quando um criminoso, inclusive réu confesso, denuncia um adversário, é motivo para comemoração.

Não é raro e nem difícil de achar nas redes sociais de Márcio Jerry, o atual deputado comemorando delações premiadas, principalmente quando alcançam seus adversários.

O Blog vai postar apenas alguns exemplos das incoerências de Jerry nas redes sociais, já que aparece comemorando as denúncias de réus confessos.

É lamentável que alguns políticos, mesmo aqueles que estejam chegando agora ao mandato, utilizem o abominável “dois pesos e duas medidas”, deixando a mostra toda a incoerência que deveria ser abolida da política brasileira.

Sendo assim, bem menos meu caro Márcio Jerry…

Blog do Jorge Aragão

sem comentário »

Rommeo aposta na sequência de projeto social

0comentário

O atleta Rayllan que faz parte do projeto social Gingados, Ringues e Tatames, da Secretaria de Esportes (Semdel), da Prefeitura de São Luís foi convocado para a Seleção Maranhense sub-18 de judô.

Rayllan é um dos talentos que fazem parte do projeto que atende cerca de 500 crianças e adolescentes em São Luís. (Conheça o projeto no Instagram).

O secretário de Esportes (Semdel), Rommeo Amim é o idealizador e maior incentivador do projeto que tem o patrocínio do Grupo Mateus e do Governo do Maranhão por meio da Lei de Incentivo ao Esporte e vem transformando a vida de muitos jovens em nossa cidade.

“Esse é o resultado do trabalho social que desenvolvemos por meio do esporte em nossa cidade com o projeto social Gingados, Ringues e Tatames logo em seu primeiro ano. Acreditamos que, com a continuidade do projeto, outras crianças e adolescentes de São Luís terão a oportunidade virar atletas que seguirão mesmo caminho do Rayllan e logo teremos uma grande geração de atletas campeões e que levarão ainda mais longe o nome do Maranhão”, disse Rommeo.

O projeto social Gingados, Ringues e Tatames possui 14 núcleos, sendo um no Parque do Bom Menino, no Centro e em outros bairros de São Luís nas modalidades de judô, capoeira, jiu-jítsu, muay thai, taekwondo e MMA.

O secretário Rommeo Amim disse acreditar muito na continuidade do projeto nos próximos anos pela sua importância social.

“Estamos trabalhando para garantir a continuidade do projeto e não tenho a menor dúvida que essa parceria da Prefeitura de São Luís, Governo do Maranhão e o Grupo Mateus irá continuar, pois acreditamos na sensibilidade do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, do governador Flávio Dino e do secretário Rogério Cafeteira. O nosso agradecimento especial ao Grupo Mateus que desde o primeiro momento abraçou a ideia que vem transformando a vida de meninos e meninas em São Luís e que muito contribui com o crescimento do esporte no Maranhão”, finalizou Rommeo.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Eudes Sampaio recebe visita de Eliziane Gama

0comentário

O prefeito Eudes Sampaio recebeu na manhã desta sexta-feira (29) a visita da senadora Eliziane Gama, que veio parabenizar o gestor pela posse ocorrida no último dia 15. Ela também aproveitou para falar de futuras parcerias em benefício do município.

Ausente na solenidade de posse, a senadora justificou que não pode participar em virtude de compromissos de sua agenda, mas que não poderia deixar de vir pessoalmente parabenizá-lo. “Fiz questão de vir aqui  parabenizar o prefeito Eudes Sampaio pessoalmente, pois além de ter recebido apoio do seu grupo político e do Luis Fernando na eleição de 2018, sempre fui muito bem recebida e acolhida na cidade. Essa é uma forma de agradecer e retribuir os gestos que sempre me foram feitos”, comentou Gama.

“A senadora veio trazer seu apoio e dizer que está à disposição do nosso município, da mesma forma que sempre esteve quando deputada federal, durante a gestão do prefeito Luis Fernando. Por isso somos muito gratos por tudo que ela já fez por nossa cidade e por tudo que ainda será feito, conforme conversamos hoje”, finalizou o prefeito Eudes Sampaio.

A senadora também se colocou à disposição do prefeito para contribuir com os pleitos do município em Brasília. 

Foto: Divulgação

sem comentário »

Oligarquia PDT em São Luís?

1comentário

Por Adriano Sarney

No último fim de semana a capital maranhense foi vitimada por fortes chuvas que destruíram parte do Centro Histórico, desabrigaram centenas de pessoas, atrapalharam a vida de outros milhares e expuseram a situação de vulnerabilidade de São Luís.

Como político cabe a mim a crítica política. Lancei mão deste direito para fazer um parâmetro entre a situação caótica em que se encontra São Luís e a hegemonia do PDT na prefeitura durante as últimas décadas. Esperava que minhas colocações fossem contrapostas de forma racional, com um debate propositivo e responsável. Mas, como sempre, a resposta dos que comandam a prefeitura e o estado é sempre no âmbito pessoal, familiar, e completamente distorcida. Para se ter uma ideia, minha passagem por Harvard, que resultou em muito suor, dedicação aos estudos e distância de pessoas queridas, foi tratada com desdém.

A única coisa que talvez possa justificar tal atitude é o desespero pela impotência frente à necessidade de defesa do indefensável. Tentar tirar a responsabilidade administrativa de um partido que participou diretamente do comando de quase todas as gestões de 1989 até 2019 é uma tarefa forçosa, impossível e ingrata.

É fato que toda e qualquer discussão sobre a cidade deve ser iniciada identificando-se os responsáveis. Por isso é lógico que o PDT tem sim responsabilidade sobre a situação vulnerável de nossa capital em todos os setores. Assim também é o Governo do Estado, que foi reeleito no ano passado com um discurso de parceria com a Prefeitura, prometendo melhorias para São Luís. Prometeu, mas não cumpriu. Agora em meio ao caos, o governador e sua equipe se escondem, como se tudo que está acontecendo não fosse também responsabilidade deles.

Fato é que a gestão municipal não dispõe de uma rede de proteção que possa tomar medidas rápidas para situações que não deveriam ser inesperadas.

Tentando mostrar serviço, põe-se a imagem do prefeito Edivaldo Holanda Jr nas redes sociais afirmando que acompanha os técnicos da prefeitura nas visitas aos locais atingidos pelas chuvas, ao mesmo tempo em que são mostradas as ruínas do Centro Histórico, isto é, temos aí o ponto alto de um modelo de gestão falido. Na ausência de atitudes, resta ao prefeito apenas a contemplação dos efeitos. E por onde anda o governo do estado e sua tão alarmada parceria?

A boa gestão deveria prever esse tipo de situação que, dadas as circunstâncias, é facilmente previsível. Entra ano e sai ano continua o PDT, cujo modelo de gestão é sempre optar pelos tapa buracos e outros paliativos, mas raramente ações concretas como obras de drenagem e saneamento. Preparem-se para daqui a um ano, pois às vésperas das eleições do ano que vem a Prefeitura e Estado vão derramar asfalto de péssima qualidade nas ruas sem ao menos executar os serviços de drenagem.

Já prevendo essa tragédia, no final do ano passado tentei garantir R$ 5 milhões do orçamento estadual para a defesa de desabrigados e ações que visassem prevenir os impactos das chuvas. Esta proposta foi rejeitada por toda a bancada governista, inclusive o PDT, que há quase 30 anos mantém-se no poder em São Luís.

Por fim, dirijo-me aos demais que sempre irão apelar para ataques pessoais quando o assunto lhes for inconveniente. Da mesma forma que amo a minha família, respeito as demais famílias. Assim procedo na política e na vida. O vício de confundir família com política, sangue com retórica, nunca fará parte do meu repertório. Tenho a maturidade para honrar meu sobrenome seguindo meu próprio caminho e sempre travando debates pertinentes que passem longe da falácia e do ataque gratuito. Vou seguir trabalhando e muito, diferente daqueles que buscam o caminho mais fácil.

Bradar aos ventos e pôr a culpa nos outros não irá apagar os 30 anos de abandono de São Luís. Sei que o povo é ciente disso.

*Adriano Sarney é deputado estadual, economista com pós-graduação pela Université Paris (Sorbone, França) e em gestão pela Universidade Harvard.

1 comentário »