Hildo tem audiência com ministra da Agricultura

0comentário

Assistência técnica aos agricultores familiares por parte do governo federal; arranjos produtivos; solução do endividamento de pequenos produtores de abacaxi do Maranhão e liberação de recursos para compra de máquinas agrícolas foram os principais temas discutidos na reunião entre o deputado federal Hildo Rocha e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na última quarta-feira, em Brasília. (Clique aqui e veja o vídeo).

“A ministra Tereza Cristina me deu boas notícias. Ela disse que por determinação do presidente Jair Bolsonaro o Ministério irá fazer grandes investimentos a fim de ofertar assistência técnica qualificada para produtores rurais de todo o país. O Maranhão ainda é muito carente nesse setor, os agricultores familiares do Maranhão precisam muito de assistência técnica. Acredito que com esse esforço do ministério da agricultura, na pessoa da ministra Tereza Cristina, iremos melhorar bastante as condições de vida dos trabalhadores rurais do Maranhão”, afiançou Hildo Rocha.

Dívidas de financiamentos

Rocha intermediou pleitos de produtores de abacaxi que ano após ano veem a produção diminuir e as dívidas provenientes de empréstimos para o custeio das safras aumentarem. 

“Essa é uma situação que causa angústia aos produtores. Fui procurado por representantes da categoria que pediram que eu intermediasse o diálogo com a ministra. Ela demonstrou interesse em buscar soluções administrativas para o caso. A ministra entende do assunto, conhece as dificuldades do setor, até por também ser produtora rural. Ela foi receptiva à questão”, explicou Hildo Rocha.

Arranjos produtivos

Hildo Rocha defendeu o aprimoramento das ações referentes à questão dos arranjos produtivos. “Queremos que os agricultores familiares melhorem as condições de trabalho e alcancem aumento de renda. Fiz isso durante os quatro anos do meu primeiro mandato de deputado e nesse segundo mandato continuo promovendo os arranjos produtivos locais. Sei que o bom arranjo produtivo é aquele que leva em consideração a realidade de cada comunidade. A ministra Tereza Cristina também pensa assim, só que com novos ingredientes, assim faremos o casamento das nossas ideias para que possamos melhorar a renda final dos produtores rurais do Maranhão e consequentemente a melhoria da qualidade de vida”, explicou Hildo Rocha.

Soluções possíveis

A ministra Tereza Cristina disse que irá se empenhar a fim de encontrar soluções para a questão do endividamento dos pequenos produtores de abacaxi do Maranhão. “Nós vamos ver o que é possível fazer pra ajuda-los por meio de alternativas no âmbito da Lei de conversão 13.340, da MP 733/16,  ou por outra maneira, para que eles possam continuar trabalhando, produzindo e conseguindo renda suficiente para pagar as dívidas, para que eles possam sair da situação em que chegaram e possam tocar os seu negócios”, declarou a ministra.

A MP 733/2016 que foi convertida na lei 13.340/2016 tem por objeto a concessão de descontos para a liquidação de dívidas originárias de operações de crédito rural e das dívidas contraídas por meio de programas de financiamentos do governo federal.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Museus e Casa de Cultura abrem neste feriadão

0comentário

Uma ótima opção de lazer pode ser encontrada, neste feriado da Semana Santa, em diversos museus vinculados à Secretaria de Estado da Cultura (Secma). Abertos de terça a domingo, esses espaços estão com entrada gratuita e contam com exposições, obras de arte, documentos, coleções, representando uma ampla visão da história, arte e cultura maranhense.

Para o secretário de Estado de Cultura, Diego Galdino, o museu é um espaço de todos, com acesso gratuito, e deve ser valorizado. “Nosso objetivo é incentivar as visitas, a formação de público e a promoção de atividades educativas e culturais, fortalecendo as casas de cultura”, afirmou.

Neste feriado, três museus estão com exposições temporárias. A Casa do Maranhão abriu duas exposições em comemoração ao mês dos povos indígenas. A mostra fotográfica “Wyra’u Haw – A Grande Festa” e “Festas Guajajara: expressões da resistência de um povo”. As duas mostras interagem com a exposição permanente, “Saberes Tradicionais e Etnografia”.

Outra exposição com tema bem atual pode ser vista no Museu Histórico e Artístico do Maranhão. A mostra fotográfica Pluralidades revela a diversidade e pluralidade das mulheres na sociedade. E a galeria da Casa do Tambor exibe outra exposição fotográfica: Luz do Quilombo.

No Museu do Reggae, o acervo leva o visitante a conhecer a história do gênero musical no Maranhão, ouvir playlists entre outras atrações. No Forte Santo Antônio, localizado na Praia da Ponta d’Areia, funciona o Museu de Embarcações e o Museu da Imagem e Som. Os dois espaços são ótimas opções de passeio neste feriado e fim de semana.

E para levar a família e conhecer um pouco mais da história e cultura do Maranhão, têm os museus Arte Sacra e Palácio dos Leões. São casas que oferecem exposições e mostras permanentes apresentando ao visitante diversas coleções de mobiliário, pintura, escultura, documentos, fotografias e gravuras.

O Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho mantém um acervo com elementos que mostram as mais variadas expressões da cultura popular, nas suas formas peculiares de criar, de comer, de festejar e sonhar.

Em Alcântara, o Museu Histórico retrata a opulência do apogeu econômico, social, político e cultural da cidade com um acervo diversificado com mobiliário, louças, arte sacra e cultura popular.

Museus e casas de cultura 

Casa do Maranhão
Rua do Trapiche, s/n Praia Grande – São Luís
Visitação: Terça a sábado 9h às 18h, domingo 9h às 13h30

Casa do Tambor de Crioula
Rua da Estrela, 309, Praia Grande – São Luís
Visitação: Terça a sábado 9h às 18h, domingo 9h às 13h

Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho
Rua do Giz, 205/221, Praia Grande – São Luís
Visitação: Terça a sábado 9h às 18h, Domingo 9 às 13h

Centro de Pesquisa e História Natural e Arquelogia
Rua do Giz, 59, Praia Grande – São Luís
Visitação: Segunda a sexta-feira 8h às 12h e 14h às 18h

Forte Santo Antônio
Espigão Costeiro da Ponta d’Areia
Visitação: Terça a sexta-feira 10 às 20h, sábado e domingo 10 às 19h

Museu Histórico e Artístico do Maranhão
Rua do Sol, 302, Centro – São Luís
Visitação: Terça a sábado e feriados 9h às 17h30, domingo 9h às 13h

Museu de Arte Sacra
Av. Pedro II, s/n, Centro, São Luís
Visitação: Terça a sexta-feira 9h às 17h30, sábado 9h às 17h, domingo 9h às 13h

Museu do Reggae
Rua da Estrela, Praia Grande – São Luís
Visitação: Terça a sábado 10h às 20h, domingo 10h às 13h

Palácio dos Leões
Av. D. Pedro II, Centro – São Luís
Visitação: Terça a sexta-feira 9h às 18h, sábado e domingo 9h às 17h

Museu Histórico de Alcântara
Praça da Matriz, Centro – Alcântara
Visitação: Terça a sexta-feira 9h às 15h, sábado e domingo 9h às 13h

Foto: Divulgação/Secma

sem comentário »

Edivaldo entrega Ecoponto na Cidade Operária

4comentários

Em maio deste ano, a política dos Ecopontos completa três anos de implantação. Dando seguimento à ampliação deste trabalho, a Prefeitura de São Luís entregou o Ecoponto Cidade Operária – Unidade 205. O equipamento começou a funcionar esta semana e já está em pleno uso pelos moradores do entorno. Este é o 12ª equipamento do tipo a entrar em funcionamento em São Luís.

Os Ecopontos fazem parte da macropolítica de gestão de resíduos sólidos implantada na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior e já garantiram o encaminhamento de mais de 23 mil toneladas de resíduos para a reciclagem. Os equipamentos, implantados em pontos estratégicos da cidade, beneficiam toda a população da capital e mais diretamente aqueles que moram nos bairros onde os Ecopontos estão instalados ou no entorno.

A região da Cidade Operária já conta com dois Ecopontos em operação. O Ecoponto Jardim América funciona desde março de 2017 e o Ecoponto Cidade Operária – Unidade 101 foi entregue em dezembro de 2017. O terceiro equipamento fica localizado na Avenida Leste 103, próximo à Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Mata Roma. A região recebeu mais um Ecoponto por ser uma área populosa.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, destaca que a entrega do novo Ecoponto no bairro Cidade Operária faz parte das ações de fortalecimento das políticas públicas de limpeza urbana na região e segue orientação do prefeito Edivaldo. “Estamos entregando mais um Ecoponto na Cidade Operária e em maio iniciaremos uma grande ação de limpeza em diversos bairros de toda a região. A entrega dos Ecopontos somada às nossas operações diárias e às ações de limpeza urbana terão como resultado uma população mais consciente e bairros mais limpos”, destaca.

O Ecoponto foi construído em um terreno onde costumeiramente era feito o descarte irregular de resíduos no bairro. Para controlar o acúmulo de lixo a Prefeitura de São Luís, por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, realizava ações de remoção manual e mecanizada pelo menos duas vezes por semana no local.

Na próxima semana também serão realizadas ações de educação ambiental da campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza no equipamento para informar à população sobre o uso correto do Ecoponto e como deve ser feito o manejo ambientalmente adequado dos resíduos sólidos domiciliares.

Incentivo à reciclagem

Implantados desde 2016, os Ecopontos são uma política importante da gestão de resíduos sólidos em São Luís porque integram diversas ações. A principal delas é garantir à população um espaço adequado para a destinação ambientalmente adequada de todos os resíduos que podem ser reciclados ou reutilizados, incentivando a reciclagem e atitudes sustentáveis.

Por meio dos Ecopontos, São Luís faz parte do grupo de 7% das cidades brasileiras que têm políticas efetivas de encaminhamento para a reciclagem dos resíduos gerados pela população. Em cerca de três anos mais de 23 mil toneladas de resíduos sólidos já foram entregues voluntariamente pela população nos Ecopontos de São Luís.

Saiba mais
Que materiais são recebidos no Ecoponto?
Eletrônicos televisão, monitores, celular, impressoras, mouses, teclados, etc – até três unidades
Entulho: resíduos de construção civil, como tijolos, telhas, gessos etc – até 2m³ (volume de uma caixa d’água de 2 mil litros)
Madeiras: até 2m³ (volume de uma caixa d’água de 2 mil litros)
Óleo de cozinha: até 5 litros
Pneus: até 4 unidades
Podas de árvores e resto de capinas: até 2m³ (volume de uma caixa d’água de 2 mil litros)
Recicláveis: plástico, papel, isopor, metais, vidros, etc (até 300 litros – 3 sacos grandes)
Volumosos: móveis, sofás, colchão etc (até dois volumes)

Que materiais os Ecopontos não recebem?
Lixo doméstico
Animais mortos
Resíduos hospitalares
Resíduos perigosos/contaminados: pilhas, baterias, lâmpadas, cartuchos/tonner etc

Qual o horário de funcionamento do Ecoponto?
Segunda-feira à Sábado, das 7h às 19h

Informações:
Central de Atendimento do Comitê Gestor de Limpeza Urbana: 0800 098 1636.

Foto: Douglas Júnior

4 comentários »

Márcio Diogo é escolhido o craque do Maranhense

0comentário

A Associação de Cronistas e Locutores Esportivos do Maranhão (Aclem) divulgou a seleção do Campeonato Maranhense. A lista tem sete jogadores do Moto, três do Imperatriz e um do Sampaio.

O Moto teve ainda o craque do ano que foi o atacante Márcio Diogo e o treinador do ano Wallace Lemos. O meia Neto, do Pinheiro foi a revelação do ano.

O melhor árbitro da temporada foi Mayron Frederico dos Reis Novais que ficou fora da escala nos dois jogos válidos pela decisào do Campeonato Maranhense.

Veja a lista completa:

Goleiro – Rodolfo (Moto)
Lateral direito – Diego Renan (Moto)
Zagueiros – Lucas Dias (Moto) e Renan Dutra (Imperatriz)
Lateral esquerdo – Renan Luís (Imperatriz)
Volantes – Naílson (Moto), Lucas Hulk (Moto) e Sousa Tibiri (Imperatriz)
Meia – Juninho Arcanjo (Moto)
Atacantes – Márcio Diogo (Moto) e Samurai (Sampaio)
Craque do Ano – Márcio Diogo (Moto)
Melhor Técnico – Wallace Lemos (Moto)
Revelação – Neto (Pinheiro)
Melhor Árbitro – Mayron Frederico dos Reis Novais
Assistentes – Raélson Almeida e Elson Araújo Silva

Foto: Lucas Almeida/L17 Comunicaçào

sem comentário »

Eliziane apoia Pós-Graduação em História da UFMA

0comentário

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) recebeu a coordenação do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Maranhão e manifestou apoio ao programa que trabalha a formação de mestres e doutores em história no Estado do Maranhão.

O coordenador do programa, professor Alírio Cardoso e os professores Lyndon de Araújo e Wagner Cabral apresentaram o projeto para a construção do prédio próprio do curso e destacaram a importância das instalações.

“A universidade tem um papel fundamental para o crescimento social, desenvolvimento da pesquisa e formação de novos pesquisadores. Eu me comprometi com os professores Alírio, Lyndon e Wagner a lutar para destinação de emenda para execução do projeto que engrandece o curso e contribuirá com a formação de muitos maranhenses”, afirmou Eliziane Gama.

O professor Alírio Cardoso informou que o Programa de Pós-Graduação em História tem uma ótima avaliação da CAPES e quer alcançar a nota 5 na avaliação de excelência da pós-graduação no Brasil. Ele disse ainda que atualmente os cursos tem grande demanda por vagas e ainda não dispõe de espaço físico. Para ele, o programa tem grande importância para a universidade e é fundamental para várias áreas de pesquisa, além de grande impacto social.

“Nossa pós-graduação em História tem dois cursos, o mestrado e o doutorado. É o único curso no Brasil com uma área específica que é História Conectadas e História Global, o que muito nos orgulha, além de um quadro docente muito qualificado. Nossa pontuação hoje é 4 e temos plenas condições de seguir para a nota 5 de excelência. O nosso problema é não ter um prédio próprio, por isso ficamos muito felizes com essa conversa com a senadora Eliziane e o indicativo de contribuição na luta para a construção do nosso prédio próprio’, destacou o coordenador.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Edilázio defende trabalhadores rurais na Reforma

1comentário

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) apresentou dois requerimentos de destaque ao Projeto de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019 da Reforma da Previdência, que pedem a retirada dos itens que tratam de trabalhadores rurais e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Os documentos, com as justificativas em anexo foram apresentadas à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da qual Edilázio faz parte.

No primeiro requerimento o parlamentar justificou a supressão de artigos que faz referência aos trabalhadores rurais na Reforma da Previdência.

“No mérito, um ponto que nos parece incorreto. Trata-se do tratamento dispendido aos aposentadores rurais, em especial, aos da agricultura familiar, porquanto grupo de pessoas sujeito a elevado grau de exposição social e que atualmente conta com proteção constitucional especial. Pela proposta apresentada haverá um aumento da idade mínima das mulheres de 55 anos para 60, além da alteração do critério de demonstração de atividade rural para efetivo tempo de contribuição de no mínimo 20 anos. Nosso entendimento é de que esse maior rigor no tratamento dos aposentados rurais é incompatível com a realidade socioeconômica dessas pessoas, implicando em indubitável retrocesso social”, destaca o texto.

No segundo requerimento ele tratou do BPC. “No mérito, tem-se que a alteração proposta pela PEC nº 6/2019 para o artg. 203 da Constituição torna as regras do Benefício de Prestação Continuada mais rígidas, levando o acesso ao benefício a um número menor de pessoas. O BPC tem por escopo as pessoas em condição de miserabilidade acima de 65 anos e os deficientes em condição de miserabilidade em qualquer idade”, enfatizou.

Edilázio defenderá a tese na CCJ e no Plenário da Câmara em favor dos trabalhadores rurais e dos beneficiários do BPC.

Foto: Divulgação

1 comentário »