TURMA HÍDRICA

0comentário

O deputado federal Hildo Rocha não está preocupado com o fato de ser um parlamentar neófito para ter um bom desempenho no Congresso Nacional.

Desde que chegou a Brasília e assumiu o mandato de deputado federal parece um veterano. Atua com desembaraço e desfruta de enorme prestígio junto ao presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha.

Se Hildo Rocha merece elogio pela sua destacada ação parlamentar, não pode ser poupado de crítica pela iniciativa de propor que um grupo de deputados, custeados com recursos públicos, viaje para Hong Kong para conhecer um modelo de conservação hídrica, que nada tem a ver com a realidade brasileira.

SEGURANÇA DA SEGURANÇA

Os jornais paulistas não poupam o governador Flávio Dino pelo fato de o seu governo contratar uma empresa de segurança privada para proteger alguns órgãos da administração estadual.

A empresa que assinou contrato com o governo do PC do B é a Potencial Segurança e Vigilância.

O governo justifica a contratação para que os órgãos dedicados à segurança dos cidadãos e o policiamento das cidades possam ter mais tempo para cumprir as suas funções constitucionais.

TEMPO DE ALÍVIO

Alguns membros do primeiro escalão do governo, que estavam com a corda no pescoço, respiraram aliviados com a manifestação do governador Flávio Dino de que só depois de fevereiro de 2016 fará alterações na máquina administrativa estadual.

Se até lá não mostrarem serviços podem dançar.

Alguns pendurados começaram a mudar a rotina de trabalho e marcar presença nos órgãos que dirigem

RESISTÊNCIA FAMILIAR

Pessoalmente o deputado João Castelo pensa e admite concorrer às eleições de 2016 à prefeitura de São Luis.

Mas dentro de seu lar uma forte barreira age em sentido contrário.

A esposa, Gardênia, e a filha, Gardeninha, rezam e fazem promessa para Castelo não disputar o pleito, no entendimento de que, ainda que de bem nas pesquisas, a sua cota de trabalho por São Luis já se encerrou.

VOLTA DOS AMIGOS

Três casais amigos, que passaram temporada no Rio de Janeiro, estão de volta.

Edna e Joaquim Itapary, Ana Lúcia e Mauro Fecury e Lourdes e Eliezer Moreira.

Depois de um mês em plagas cariocas, retornam às origens para alegria dos familiares e amigos.

LAVA-JATO

Se há um negócio que, nos últimos tempos, prospera assustadoramente em São Luis é lavagem de carros.

Pelo visto, parece ser uma atividade econômica bem rendosa e de retorno financeiro imediato.

Há quem diga que o crescimento desse negócio deve-se à propaganda que a televisão faz diariamente da Operação Lava-Jato.

MIAMI E LISBOA

Até recentemente, quando os Estados Unidos estavam em crise, alguns maranhenses compraram apartamentos em Miami.

Como a roda dos negócios gira rapidamente, quem agora oferece excelente oportunidade, no setor imobiliário, é a capital de Portugal.

Não à toa maranhenses, que andam atrás de bons negócios no exterior, onde o risco de perder o investimento é mínimo, estão trocando Miami por Lisboa.

SUCESSÃO NO TJ

Afinal, quem sucederá a desembargadora Cleonice Freire, cujo mandato na presidência do Tribunal de Justiça, se encerrará em dezembro deste ano?

Alguns dizem que a bola da vez é a desembargadora Nelma Sarney.

Outros, contudo, afirmam que é o desembargador Cleomenes Cunha.

HOMENAGEM A NAURO

Arlete, esposa de Nauro Machado, desejava realizar um evento com a grandeza que o marido merece, nos seus oitenta anos.

A festa deveria ocorrer na bonita residência da família Nogueira da Cruz, na Rua das Flores, que estava em reforma.

Hoje, dia do aniversário de Nauro, na casa restaurada, o poeta lançaria o seu mais novo livro.

NATALINO NÃO PARA

Para o reitor da Universidade Federal do Maranhão, Natalino Salgado, não existe o verbo descansar.

Na madrugada seguinte à morte e enterro do pai, o reitor já estava dentro de uma aeronave com destino a Brasília.

Do aeroporto rumou direto para o Ministério da Educação, onde o ministro o esperava e a quem mostrou a planilha das despesas a serem  pagas até o final de sua gestão.

Natalino quer passar o bastão para reitora eleita, professora Nair Coutinho, sem ônus financeiro.

ACADEMIA E CEMAR

O presidente da Academia Maranhense de Letras, Benedito Buzar, marcou audiência com o presidente da Cemar.

A diretoria da instituição quer saber o motivo pelo qual a Cemar, ao apagar das luzes, não liberou os recursos provenientes da Lei de Incentivos Fiscais, cujo projeto foi aprovado pela secretaria da Cultura.

Os acadêmicos estão em pé de guerra e exigem uma explicação da empresa pelo cometimento de um ato inesperado e impensado.

PÃO COM MANTEIGA

Nestes tempos de vacas magras, o pão com manteiga voltou com toda a força.

Com o dinheiro escasso, os bares e restaurantes introduziram novamente o pão com manteiga no cardápio e alternativa nutritiva e que enche a barriga de qualquer cristão.

O pão com manteiga, que teve seus dias de glória no passado, retorna para cumprir a missão que fez dele um complemento alimentar saudável e capaz de satisfazer o mais exigente paladar.

 

 

Sem comentário para "TURMA HÍDRICA"


deixe seu comentário