Moto goleia e pega o Floresta-CE na Série D

1comentário

O Moto goleou o Atlético-RR por 5 a 0, neste domingo (9), pelo Campeonato Brasileiro Série D.

Com o resultado, o Moto encerrou a primeira fase do Campeonato Brasileiro Série C na primeira colocação do grupo A3 com 14 pontos ganhos.

Os gols da goleada rubro-negra foram marcados por Wallace Lima (2) Vítor Salvador, Wallace Marques e Diego Renan.

O Moto vai enfrentar na próxima fase o Floresta-CE que foi o segundo colocado no grupo A4.

A primeira partida será no Ceará e a partida de volta em São Luís.

Veja os jogos da segunda fase:

São Raimundo-RR x São Raimundo-PA
Manaus x Real Ariquemes
Moto Club x Floresta
Atlético-CE x Bragantino-PA
América-RN x Bahia de Feira
Jacuipense x Central-PE
Flu de Feira x Salgueiro
Itabaiana x ASA
Iporá x União Rondonópolis
Patrocinense x Juazeirense
Caldense x Ituano
Brasiliense x Vitória-ES
Novorizontino x Boavista
Brusque x Hercílio Luz
Cianorte x Ferroviária
Avenida x Caxias

Foto: Gaudêncio Carvalho/Moto Club

1 comentário »

Edivaldo anuncia inauguração do Museu da Gastronomia

0comentário

Em pleno período de festa junina, São Luís terá um atrativo a mais à população e um incremento ao turismo. O prefeito Edivaldo Holanda Junior vai inaugurar neste mês o Museu da Gastronomia do Maranhão, um presente especial para a cidade, em um local privilegiado do Centro Histórico, na esquina da Rua da Estrela com a Rua de Nazaré. A culinária maranhense agora terá o seu espaço de valorização e reconhecimento o ano todo, instalado no coração da área de influência do comércio e da sede dos poderes Municipal, Executivo e Judiciário. Trata-se de um projeto estratégico de Edivaldo para o desenvolvimento da cidade.

O Museu da Gastronomia é parte de um conjunto de obras que vêm sendo executadas pela gestão Edivaldo em parceria com o Iphan como o Complexo Deodoro e da Praça Dom Pedro II, entregues em dezembro passado, além da Rua Grande, em andamento, bem como os casarões da Rua da Palma, destinados a habitação social e requalificação da área central da cidade. Destaque ainda para a Feirinha São Luís, uma iniciativa de sucesso que tem incentivado o empreendedorismo e valorizado a cultura e a culinária regional.

Na visão do prefeito Edivaldo, publicado em artigo neste fim de semana, os investimentos no potencial gastronômico da cidade são uma forma de impulsionar o turismo, proporcionando experiências únicas aos visitantes, fazendo-os emergir na cultural local também por meio da culinária. É o tipo de atrativo que independe de alta temporada, podendo ser explorado o ano todo, e que é um nicho de mercado em ascensão.

Além do Museu da Gastronomia, Edivaldo mantém outro projeto estratégico para valorizar a culinária maranhense: cursos de capacitação no setor. Um exemplo disto é o que ocorre no bairro Desterro, cujo público-alvo são moradoras atendidos pela Casa do Bairro, equipamento municipal. A capacitação dá prosseguimento às ações de fomento ao empreendedorismo no setor, uma das diretrizes da gestão de Edivaldo. É o prefeito fazendo a sua parte.

Foto: Divulgação / Prefeitura de São Luís

sem comentário »

Pedro Lucas entre os políticos mais influentes no país

0comentário

O jornal Correio Braziliense divulgou, neste domingo (09), um estudo feito Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) e que apontou os “Cabeças do Congresso”.

O levantamento aponta os 100 deputados e senadores mais influentes no Congresso Nacional.

O DIAP adotou critérios qualitativos e quantitativos, que incluem aspectos institucionais, de reputação e de decisão, a partir de postos ocupados, capacidade de negociação e liderança.

Com base nesses critérios, a equipe do departamento faz entrevistas com parlamentares, assessores legislativos, cientistas e analistas políticos e jornalistas, além de levantamentos relacionados a projetos apresentados e a discursos proferidos.

Também são considerados resultados de votações, relatorias, intervenções nos debates, frequência de citações na imprensa, análise dos perfis e grupos de atuação.

Entre os 100 políticos listados pelo DIAP, quatro são do Maranhão, os deputados federais Pedro Lucas (PTB) e Hildo Rocha (MDB), e os senadores Roberto Rocha (PSDB) e Weverton Rocha (PDT).

Entre os maranhenses citados, apenas Pedro Lucas é estreante no Congresso Nacional. Além disso, ele foi o único do seu partido a ser relacionado no levantamento do DIAP.

“É claro que fico feliz pelo reconhecimento e pela citação do nosso nome, mas ainda estamos iniciando um trabalho em prol do Maranhão e ainda temos um longo caminho. De qualquer maneira, parece que estamos no caminho certo”, destacou Pedro Lucas, que também é Líder do PTB na Câmara Federal.

Blog do Jorge Aragão

sem comentário »

Assembleia terá audiência sobre Reforma da Previdência

0comentário

A Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão realiza, nesta segunda-feira (10), às 9h, no auditório Fernando Falcão, audiência pública que debaterá a Reforma da Previdência, evento proposto pelo presidente Othelino Neto (PC do B) e pelos deputados federais Bira do Pindaré (PSB/MA) e Juscelino Filho (DEM/MA), este último, presidente da Subcomissão de Seguridade Social da Câmara dos Deputados.

A audiência pública contará com a presença do presidente da Comissão Especial que analisa a proposta em tramitação na Câmara dos Deputados, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), além de deputados federais e estaduais, membros do Poder Judiciário, do Ministério Público, advogados, defensores públicos, autoridades e representantes de entidades civis de classe. 

Durante a audiência, serão debatidos os pontos mais polêmicos da Proposta de Emenda à Constituição 6/19, que pretende alterar o sistema de Previdência Social para os trabalhadores do setor privado e para os servidores públicos de todos os Poderes e de todos os entes federados (União, estados e municípios).

Caso a PEC seja aprovada, a idade mínima para a aposentaria será de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres. Há regras de transição para os atuais contribuintes.

Atualmente, a proposta encontra-se na fase de análise das emendas apresentadas. Ao todo, o relator deverá analisar 277 sugestões, com expectativa de conclusão do parecer sobre o mérito da proposta até o dia 15 de junho.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »

Câmara debate Plano Diretor e moradias na Zona Rural

0comentário

A Câmara Municipal de São Luís, por meio de proposição do vereador Honorato Fernandes (PT), realizou uma audiência pública na última sexta-feira (7), que retomou a discussão em torno da Lei do Plano Diretor. Dessa vez, os aspectos abordados no debate foram os Impactos e Desafios dos Empreendimentos Populares de Moradia na Zona Rural.

Compondo a mesa da audiência estavam: o vereador Estevão Aragão (PSDB), como presidente e primeiro secretário; vereador Honorato Fernandes (PT), autor do requerimento que originou a audiência; o secretário de Projetos Especiais e conselheiro da Cidade, Gustavo Marques; José Marcelo do Espírito Santo, presidente do Instituto da Cidade de São Luís (INCID), Beto do Taim, membro da COFREM Brasil; Gabriela Melo, representando o secretário municipal de Urbanismo e Habitação, Mádison Leonardo Andrade; Alessandra Pajama, membro do Fórum Maranhense de Entidades de Pessoas com Deficiência e Patologias.; Ângela Medeirros, conselheira da Cidade, representando os Movimentos de Defesa da Ilha.

Dando início às discussões, o vereador Honorato Fernandes destacou que os empreendimentos populares de moradia situados na zona rural, devido à ausência de políticas de habitação, têm se traduzido em uma política higienista, termo utilizado pela sociologia para se referir a um processo de eliminação de elementos sociais “indesejáveis”.

“Os empreendimentos populares de moradia situados na zona rural de São Luís, que deveriam ser a realização de um sonho, têm se tornado um pesadelo, pois é alarmante a falta de planejamento de políticas e a total desatenção do Poder Público com estas regiões. Estes empreendimentos, devido a negligência do Executivo Municipal, têm se tornado pontos de depósito e abandono da população pobre da ilha de São Luís. Isoladas há quilômetros de distância do centro da cidade, sem infraestrutura, sem iluminação, sem serviços de saúde, segurança e educação, essa população padece diariamente relegadas a falta de assistência do Executivo”, destacou o parlamentar.

O papel da municipalidade no Programa Minha Casa Minha Vida foi destacado pelo presidente do Instituto da Cidade de São Luís (INCID), José Marcelo do Espírito Santo que o apontou como uma fragilidade do programa, uma vez que a proposta pouco de se integra aos desafios impostos pelas realidades dos municípios. Tal fato, segundo o presidente do INCID, abriu margem para atuação da iniciativa privada, que focou tais construções na zona rural, pelo baixo valor de mercado dos terrenos da região.

“Precisamos destacar que o Minha Casa Minha Vida é um programa federal, mas cujo planejamento e gestão da implantação cabe aos municípios, cabendo assim aos entes municipais as concessões fundiárias, ou seja, a oferta dos terrenos para estes empreendimentos. No entanto, eis aí um ponto falho do programa, as prefeituras não dispõem de terrenos para a construção destes empreendimentos. Este fato abriu uma brecha para apresentação de áreas para a construção destes empreendimentos pela iniciativa privada”, explicou.

(mais…)
sem comentário »

Alcântara e o babaçu

0comentário

Por José Sarney

O Maranhão teve vários sonhos de salvação. Na Colônia e no Império foram os do algodão e do açúcar. Vivemos com um e outro momentos de euforia. Uns mais e outros menos. O que mais nos realizou foi o do algodão, assim mesmo porque, quando os Estados Unidos se separaram da Inglaterra, esta perdeu o seu grande fornecedor de algodão — era o início da revolução industrial e a indústria têxtil era o carro-chefe da economia inglesa. A esse tempo devemos a bela cidade de São Luís, construída pela riqueza do algodão.

Depois veio o açúcar. Não vingou. Nossas terras eram pobres e não tinham a fertilidade das terras do Estado do Rio nem de Pernambuco ou Bahia.

Outro sonho foi o do babaçu. O interventor Paulo Ramos era um crente fanático de que a riqueza do babaçu ia salvar o Maranhão. Depois, vimos que pelo babaçu só mantínhamos a pobreza.

Nossa geração pensou na vocação maranhense. Como iríamos sair do ciclo de coletor e delegado, de roças pobres e vaqueiros sem futuro.

Coube-me liderar os que começaram a pensar no desenvolvimento do Maranhão. Tínhamos apenas um trunfo, já que o Criador não nos dera minérios nem terras boas. Qual era? O Itaqui, sabendo que em torno de um grande porto sempre se desenvolve uma civilização. A primeira grande luta foi construí-lo e convencer o Ministério do Transporte de que ele seria o porto do Nordeste e da grande exportação.

Lutamos com o Pará e trouxemos o minério da Serra dos Carajás para o Maranhão. Presidente da República, pensei na Norte-Sul para completar a integração do Porto, que teria como carga de volta combustível para o Centro-Oeste, que ia, como vai até hoje, de caminhão e carro.

Depois o sonho da refinaria e da siderurgia. Quantas vezes sonhamos com essas hipóteses. Pois bem, agora aconteceu o que de pior podia nos acontecer. Perdemos força política e o Pará nos derrotou: acaba de assinar com a Vale e os chineses a construção, no Pará, da siderurgia que seria no Maranhão.

Agora só nos resta Alcântara. A Base de Lançamento de Satélites de Alcântara. Os foguetes espaciais e os satélites são as indústrias que mais crescem no mundo. Eu sempre acreditei em Alcântara e ajudei a construí-la. Agora temos que agarrá-la com todas as mãos e forças, e nos unir para fazer de Alcântara o grande polo tecnológico e espacial.

Não vamos chorar, vamos lutar. Alcântara pode nos salvar.

Precisamos mais do que nunca de recursos humanos, de ensino básico e de qualificar nossas universidades para isso. Ainda tenho forças para sonhar. O acordo que foi firmado com os EUA é o primeiro. Alcântara não pode ser o fracasso da refinaria ou do velho babaçu.

*Coluna do Sarney

sem comentário »