JV Lideral é vitima de perseguição

0comentário

DEPUTADO FEDERAL SEBASTIÃO MADEIRA, ELEITO PREFEITO DE IMPERATRIZ, VISITA  JORNA
Foto – Sebastião Madeiro
Ao deixar de providenciar os laudos técnicos do Estádio Frei Epifânio D”abadia e obrigado o JV Lideral a jogar com Flamengo (PI) no Estádio Nhozinho Santos, em São Luís, o prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), comprovou que tem algo contra a equipe e que não gosta de futebol. Ao forçar de forma deliberada o Trator viajar 680 Km para estrear na Série D, o “administrador” da cidade está mostrando o quanto é mesquinho e vingativo, pois está prejudicando toda uma população que adora futebol por causa de briga política.

O presidente do JV Lideral, Walter Lira, há mais de 90 dias solicitou ao Secretário de Esportes e Juventude de Imperatriz, Arnaldo Júnior, que também não é ramo esportivo e caiu no cargo de pára-quedas, os laudos técnicos do Estádio Frei Epifânio D’Abadia. Porém, como o próprio dirigente disse: Sebastião Madeira que não gosta de futebol, e nada fez para providenciar os laudos. Mas apesar de não gostar do esporte, o prefeito de já cobrou R$ 20 mil reais de taxas em quatro jogos que o Trator disputou no Frei Epifânio.

Sebastião Madeira está perseguindo Walter Lira por ele pertencer a outro grupo político e penaliza o torcedor de Imperatriz, que é fanático por futebol. As rendas no Frei Epifânio em média são as maiores do Estado e não é por causa do caixa 2 que é feito em todos os jogos em São Luís, mas porque a torcida imperatrizense gosta de ir a campo.

Ao perseguir o JV Lideral por questões pessoais Sebastião Madeira está agindo como prefeito de cidadezinha de interior, que se sente reizinho e dono do mundo. Governar, acima de tudo, é saber conviver com as diferenças, pois ele não é administra a cidade apenas para seus aliados, mas para toda a população da segunda maior cidade do Estado.

Irritado com a perseguição do prefeito Sebastião Madeira, Walter Lira promete levar seus jogos na disputa para Marabá (PA), o que penalizaria o torcedor do JV Lideral que ficará longe do seu time na Série D. E uma vergonha, o administrador do Pará dar mais valor a um time que o prefeito da sua cidade.

Apesar de não ter sido citada por Walter Lira, a Federação Maranhense de Futebol (FMF) também tem culpa nesse imbróglio, pois como entidade representante dos clubes deveria ter pressionado o prefeito Sebastião Madeira para que conseguisse os laudos. Mas como sempre a FMF foi omissa e por isso, o dirigente do JV Lideral ameaça deixar o Campeonato Maranhense.

Sinceramente, espero que Sebastião Madeira deixe de agir como um ditador e lembro que foi eleito para administrar a cidade para as pessoas que votaram e para as que não votaram nele. E que Walter Lira não saia do Estadual, pois o atual campeão maranhense tem muito a oferecer a competição.

Sem comentário para "JV Lideral é vitima de perseguição"


deixe seu comentário