O ditador do Moto, Arimatéia Viegas, por ciúmes afastou Rocha Neto do clube

0comentário

O presidente da junta governativa do Moto, Arimatéia Viegas, em um ato de puro autoritarismo e por ciúmes exonerou o diretor financeiro Rocha Neto. A exoneração não agradou aos jogadores e nem ao restante da diretoria e torcedores do clube, pois apesar de dirigir o financeiro era Rocha Neto quem vinha resolvendo os problemas no Papão.

O ex-diretor Rocha Neto era quem vinha comprando alimentação do próprio bolso para os atletas e resolvendo outros problemas pequenos como compra de remédios e material de limpeza para a sede. É claro que a notícia da desoneração dele deixou os jogadores e funcionários do clube, que não recebem salários há mais de dois meses, indignados, pois perderam a pessoa com quem podiam contar nos momentos difíceis.

Apesar de não revelar o motivo da exoneração, Arimatéia Viegas deixou claro que o motivo foi ciúmes, pois Rocha Neto participou de uma reunião para tratar de patrocínio juntamente com o presidente do Conselho Deliberativo, Cursino Raposo, da qual não foi convidado. A maioria dos membros do Deliberativo é contra o atual presidente da junta e há muito tentam intervir na administração do clube.

Por ciúmes ou medo de perder o poder, Arimatéia Viegas também de forma arbitraria exonerou o ex-diretor de futebol Biné Borges, que hoje está no Iape. Ele também tentou afastar o advogado e diretor jurídico Willans Dourado, mas recuou e depois pediu para que o mesmo voltasse.

O fato é que a ditadura que Arimateia Viegas está tentando implantar no Moto não está agradando aos jogadores, funcionários, torcedores e conselheiros do clube. O time fez uma campanha pífia no primeiro turno da Copa União e até o memento não inspira organização fora de campo que possa levar a uma reabilitação no returno, pois sequer técnico contratado tem após saída de Beato Lopes.

sem comentário »

O Iluminado marca e volta a incomodar…

0comentário

Com dois gols em duas partidas, o atacante Célio Codó, o “Iluminado” voltou a brilhar na equipe do Sampaio. O bom rendimento do jogador passa a virar uma pedra no tênis do técnico da equipe Valter Ferreira que terá que optar entre o caro Selmir, que só marcou três vezes na temporada, e o goleador da terrinha.

Os dirigentes do Sampaio parece que não aprendem com os erros. Como no ano passado, a diretoria contratou atacantes caros e o reserva Célio Codó é quem está prestes a ser o artilheiro da equipe. É inacreditável como ainda trazem jogadores para cá inferiores aos que tem no clube. Um bom exemplo é o Selmir, que quem o Iluminado é reserva, que foi contrata a peso de oura, mas até o momento só tem três gols.

Não sou fiscal do dinheiro do presidente do Sampaio, Sérgio Frota, porém, mais uma vez vou de dizer que o time que ele montou é muito caro para o pouco rendimento dentro de campo. Com uma folha de pagamento estimada em R$ 150 mil, o plantel do Tricolor custa mais que o dobro do JV Lideral, que está invicto há nove jogos e tem melhor campanha da temporada.

É bom o presidente ficar de olho nas contratações, pois os dois laterais que ele contratou: Leo e Samuel, aparecem como meias nos sites dos seus times de origem. Pelo menos, os dois que chegaram estavam em atividade e não parados há meses como acontecia na maioria das contratações anteriores.

Acho importante corrigir os erros no momento adequado, pois o Sampaio terá uma difícil missão pela frente: conseguir o acesso a Terceira Divisão, que não será tão fácil como se imagina.

sem comentário »

Moto terá que disputar a Segunda Divisão Maranhense em 2010

0comentário

De nada adiantou a virada mesa protagonizada pela Federação Maranhense de Futebol com o objetivo de manter o Moto na Primeira Divisão Maranhense, pois em todos os âmbitos da justiça desportiva a armação foi por terra. Hoje à tarde, por unanimidade, o Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva acolheu o recurso da Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Maranhão (TJD/MA) e o Moto Clube não poderá disputar a Primeira Divisão do Campeonato Maranhense este ano.

A Procuradoria do TJD/MA alegou que há irregularidades no recurso do Moto Clube impetradas no tribunal local e que o mesmo deve ser suspenso. Por meio do documento, o clube recorria de decisão que não reconheceu sua participação da Segunda Divisão do estadual em 2009.

Uma vez deferido o recurso da Procuradoria, a decisão do TJD/MA de aceitar o recurso do Moto Clube será revogada, e o clube, tendo definitivamente não reconhecida sua participação na Segundona do Maranhense de 2009, não poderá recorrer no caso do polêmico resultado na última rodada da competição, quando o Viana goleou o Chapadinha por 11 x 0 pelo e está impedido de disputar a Primeira Divisão estadual deste ano.

Ao Moto resta apenas recorrer ao tribunal da FIFA, mas com certeza lá será derrotado também e o melhor mesmo é economizar esse dinheiro. Que a decisão do STJD sirva de lição para os dirigentes da FMF e do Papão e aprendam que a virada de mesa está definitivamente banida do futebol.

sem comentário »

JV Lideral com média de 3,4 gols por partida tem ataque melhor que o Santos dos atacantes Robinho e Neymar

0comentário

Invicto há sete jogos e com 100% de aproveitamento na Copa União, o JV Lideral com 24 gols em 7 jogos (média de 3,4 gols por partida) supera o arrasador Santos (SP) com 60 gols em 18 partidas oficiais (média de 3,3 gols por jogo), no título de ataque mais positivo do Brasil. Os dados são do GLOBOESPORTE.COM, que levou em conta as primeiras divisões de todos os campeonatos estaduais, Copa do Brasil e a Taça Libertadores da América.

De acordo com a pesquisa, a equipe do Santos dos atacantes Robinho e Neymar é o tiem com a maior média de gols do Brasil. No mesmo estudo, a equipe em segundo lugar com melhor média de gols no país é o Atlético (GO), que subia para a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro em 2009, que lidera o Campeonato Goiano com 47 gols em 15 partidas (média de 3,1 gols por partida). O nosso JV Lideral, que disputou a Copa do Brasil, porém, não marcou nenhum gol, só não está incluso na pesquisa por está disputando a maldita Copa União e não o Estadual.

É por estas e outras razões que fui contra a inversão do calendário maranhense pela Federação Maranhense de Futebol (FMF), que com o objetivo de proteger o Moto, que foi rebaixado, colocou o Estadual no segundo semestre. Por causa desta mudança estúpida, o Maranhão é o único estado do Brasil que disputará estadual no segundo semestre e que coloca o futebol daqui fora do mapa nacional.

O JV Lideral faz uma campanha belíssima neste inicio de temporada e não tem seus esforços reconhecidos nacionalmente. O Brasil deveria conhecer o Trator, como é chamado na região, pelo trabalho que é desenvolvido neste clube da próspera Imperatriz. O clube é o atual campeão maranhense e forte candidato a conquistas a Copa União. O time não deve um centavo a ninguém e não vive a custa de dinheiro público.

É claro que não podemos comparar os atacantes do JV Lideral Toninho e Valdanes com Robinho e Neymar, mas o que esses dois garotos estão fazendo no futebol maranhense é coisa de cinema, mas ninguém fora do Maranhão saberá por causa da mudança de calendário.

A maldita administração da FMF, que só ainda não acabou como nosso futebol, porque temos pessoas competentes e com vontade de fazer as coisas como o presidente do JV Lideral, Walter Lira, nos tirou essa conquista. Porém, nós maranhenses sabemos que o Trator no momento é o melhor do país.

sem comentário »

Vasco lança terceiro uniforme para ser vestido por quem?

0comentário

0,,38547354-DP,00O terceiro uniforme do Vasco da Gama impressiona pela sua beleza. A nova camisa é linda, mas o que me preocupa é quem a utilizará? O receio é semelhante, por exemplo, o do torcedor da Ferrari, pois um carro tão imponente e de uma tradição de vitórias não pode ser dirigido por qualquer pé-de-chinelo. O mesmo deveria acontecer não apenas como o Gigante da Colina, mas com todos os clubes grandes do Brasil.

Sem muito estardalhaço, o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, apresentou o terceiro uniforme para a temporada de 2010 na sede da Lagoa, na noite da última segunda-feira, no Rio de Janeiro. O uniforme é inspirado no usado pela Orden dos Templários. Criado pela Penalty em parceria com a grife Cavalera, a camisa foi escolhida em uma eleição entre os sócios do clube. Ela é branca, com a Cruz de Cristo em toda a frente e os dragões em mar revolto com a caravela. Na gola, a mensagem “Gigante da Colina”.

O novo manto sagrado do Vasco fará sua estréia nesta quarta-feira, na partida contra o Americano, em São Januário. Só lamento que ela será usada por jogadores como Carlos Alberto, que desde o retorno do clube a Série A ainda não jogou bem nenhuma partida, e Dodô, o artilheiro que amarela nas decisões e perde dois pênaltis no clássico contra o Flamengo. O que quero dizer é que está faltando jogador para vestir o novo uniforme, pois os atletas do atual plantel muitos não estão a altura da tradição do Gigante da Colina.

O curioso é que a camisa custa R$ 200,00 no site do Vasco, mas se a pessoa quiser a de número 19, com o nome de Carlos Alberto, ela aumenta seu valor para R$ 219,00. O mais engraçado é que a 10, com o nome de Dodô, que já se aposentou mais não sabe, é vendida com o desconte de apenas R$ 1,00 quando deveria ser de graça. Como perguntar não ofende: a como o nome Philippe Coutinho, o único do time em alta com a torcida, custa quanto?

Dirigentes do Vasco, uniforme o clube tem, o que está faltando é jogador para colocar dentro. Se o Gigante da Colina não se reforçar urgente, corre sério risco de ter que fazer outro uniforme da subida em 2011.

sem comentário »

Sampaio 2 x 0 Moto; um clássico revelador!

O clássico, pois não posso chamar de superclássico, entre Sampaio 2 x 0 Moto serviu apenas para mostra um raio-x das duas equipes. Com a vitória, o Tricolor demonstra que está saindo da crise dentro de campo, pois jogou bem por 30 minutos. Já a derrota do Papão provou que a crise extracampo, que o perseguiu no ano passado, voltou como uma recaída de gripe suína.
No clássico, o Sampaio apresentou pela primeira vez na temporada um padrão de jogo. Apesar de estar jogando sem sete titulares, o Tricolor tomou a iniciativa na partida e dominou o Moto no primeiro terço do jogo. Porém, o time cansou muito rápido e só não perdeu o jogo porque o goleiro Rodrigo Ramos estava inspiradíssimo.

Acho que o Sampaio está se acertando dentro de campo. O técnico Valter Ferreira aos poucos está implantando sua filosofia de trabalho. A contratação de Edvaldo Coelho como diretor de futebol foi acertada, pois conhece jogadores e treinadores, porém, deve maneirar nas suas declarações para não pegar outro puxão de orelha do presidente Sergio Frota.

As coisas no Tricolor parecem que estão se acertando até nas contratações, pois embora não tenha visto o novo lateral-esquerdo Samuel jogar fiquei satisfeito só pelo fato dos dirigentes trazerem um jogador em atividade ma satisfaz. O clube estava com uma política de trazer ex-jogador em atividade e atleta parado há mais de seis meses que tinha gente confundindo o Sampaio com centro de reabilitação de jogador.

No Moto, as coisas vão de mal a pior. A derrota no clássico para o principal rival é apenas o reflexo da crise extracampo que o time vive. O clube tem múltiplos comandos que apenas dão ordens, mas que não metem na mão no bolso. Os jogadores e funcionários estão com os salários atrasados há dois meses. Para os atletas falta até o básico como alimenta, pois na semana passada sete jogadores tiverem que dividir um galeto no almoço.

Nem mesmo o projeto de arrendamento do departamento de futebol para os empresários Arthur Filho e Clovis Dias foi para frente. O time do Papão hoje é uma mistura de jogadores trazidos pela dupla de empresários e atletas da região que não deram certo em outras equipes e novatos selecionados em peneira.

Para piorar a situação do Moto, a ajuda prometida pelo governo do estado ainda não saiu do papel e temo que o time não termine seus jogos na Copa União. Competição que foi criada justamente para colocar o Papão em atividade no primeiro semestre quando se deveria estar jogando o Estadual.

Portanto, o primeiro clássico da Copa União serviu apenas para mostrar o quanto é mais grave do que se imagina a crise do Moto e que o Sampaio aos poucos está se acertando dentro de campo, pois fora está muito bem administrado.

Chama a ambulância!

1comentário

ambulancia
Está virando costume atraso de jogo na Copa União por falta de ambulância no Estádio. O problema vem se repetindo em praticamente todas as rodadas competição em partida em São Luís e no interior. O prejudicado como sempre é torcedor que é feito bobo e ainda retorna mais tarde para casa. Quanto ao responsável pelas ambulâncias, a Federação Maranhense de Futebol (FMF), como sempre cruza os braços.

O clássico Moto x Sampaio teve seu início adiado em mais de meia hora por falta de ambulância. Por incrível que pareça R$ 500,00 são descontando da renda para pagar por este péssimo serviço. Pelo que é pago, a unidade móvel de atendimento deveria no mínimo chegar no horário marcado.

Em Viana, o clássico entre os “leões” também teve atraso por falta de ambulância. Em bacaba, nas duas primeiras rodas houve atraso por falta da unidade móvel de atendimento. Pior, foi no Estádio Lourão, em Vitória do Mearim, que o jogo teve seu início adiado por falta de bola e redes nos traves.

Tudo por culpa da FMF que não trata o futebol de forma profissional. Enquanto prevalecer essa administração inoperante, estas falhas de estrutura continuaram a existir e torcedor se afastará dos estádios ainda mais.

1 comentário »

A crise no Moto voltou…

0comentário

crise_02Quando todos pensavam que a crise havia ido embora, ela voltou e ainda mais forte. Os dirigentes do Moto não se entendem e o clube volta passar vexames. A última exposição pública negativa do Papão aconteceu no jogo contra o JV Lideral, no qual o time atuou sem técnico, pois havia demitido Beato Lopes por ter comemorado seu aniversário na véspera do jogo. O pior é que no dia seguinte o treinador foi reintegrado.

Por uma questão de vaidade ou de falta de comunicação por pouco o Moto não perdeu o técnico Beato Lopes que vem fazendo um ótimo trabalho dentro das possibilidades que lhe são oferecidas. Porém o diretor de futebol do clube Arthur Carvalho Filho, que vive dizendo que Beato é só um “quebra galho” até trazer um treinador da sua confiança, ficou furioso com a ausência do técnico em um recreativo e mudou a sua escalação.

Ofendido pela interferência em seu trabalho, Beato entregou o cargo, mas sem dinheiro para contratar um técnico de fora, Arthur Filho e o treinador fizeram as pazes como se nada tivesse acontecido.

Apesar da crise financeira, o Moto tem dois times: o formado por atletas da região que vem dando conta do recado e os jogadores trazidos pelo diretor de futebol e empresário de jogador nas horas vagas, Arthur Filho.

Atualmente no Moto há dirigente se comportando como torcedor e torcedor fazendo papel de dirigente. O pior é quando há choque entre torcida e dirigente como o que ocorreu na última partida em que Neto da Torcida Dragões da Fiel saiu no braço com o membro da junta governativa Willans Dourado.

Os galetos com farofa oferecido aos jogadores como refeição no almoço por causa da greve das cozinheiras na gestão de Cleber Verde está de volta e pior sozinho. Uma fonte me revelou chocada que oferecido aos sete jogadores que moram na sede um galeto. Os jogadores só não passaram fome por causa de um grupo de torcedores que teria feito uma “vaquinha” para comprar comida para os atletas.

Os funcionários do clube não receberam o mês de novembro e dezembro e nem 13º salário referente a 2009, pois a atual junta governativa diz os mesmo ainda eram obrigação do ex-presidente Cleber Verde. O que é irônico é que a atual administração ainda não pagou os salários de fevereiro, isto é, as duas gestões devem aos empregas do Moto.

O pior é que tem dirigente colecionando nota fiscal para prestar contas quando o dinheiro do patrocínio do governo do estado entrar, isto é, tem gente emprestando para receber lá na frente, espero que não seja com juros e correção monetária.

O ditado quem não tem competência na se sustenta cabe como uma luva a junta governativa do Moto, que na verdade nunca se entenderam e vivem se digladiando. Agora, concordo com os conselho deliberativo que queria parar as atividades no primeiro semestre para estrutura o clube para o restante da temporada, pois é melhor parar do que dá vexame.

sem comentário »

Não importa o que o Imperador faz fora de campo…

1comentário

imperador_mengaoO Adriano metido em confusão não é nenhuma novidade, pois ele é o chamado jogador “problema”. Aquele que apronta fora de campo, mas dentro das quatro linhas resolve e dá alegria ao torcedor com os títulos que ajuda a conquistar.

Como dizia o saudoso João Saldanha: “Eu não quero jogadores bonzinhos, de bom comportamento; quero feras jogando. Não quero jogador pra casar com a minha filha, mas para brigar pela bola”. É este sem dúvida, o pensamento da grande Nação Flamenguista.

Ao torcedor não importa se Adriano é amigo de traficante, que freqüenta baile funk, que sai no tapa com a noiva Joana Machado e que vive enchendo a cara de cerveja. A torcida quer vê é bola na rede. No clássico contra o Vasco, o evangélico Dodô perdeu dois pênaltis. Já o problemático imperador no único pênalti que cobrou decidiu a partida a favor do Flamengo.

Na verdade estou cheio destes “atletas de cristo”, que querem compensar a falta de talento com bom comportamento e pregação em concentração. Alias, como também dizia João Saldanha: “Se concentração ganhasse jogo, o time da penitenciária seria campeão invicto”. O Kaká é um bom exemplo do que digo, pois se comporta bem, mas não está jogando nada no Real Madri.

O comportamento de Adriano fora de campo não diz respeito a ninguém. E não adianta essa critica moralista que jogador de futebol não pode beber e nem freqüentar balada, pois como fala João Saldanha: “mulher e bebida, em doses certas, nunca fizeram mal a ninguém”. Quando o jornalista foi técnico da Seleção Brasileira não colocava restrições aos atletas em suas folgas, mas aconselhava: “Nos dias de folga, aqueles que não são da farra, não acompanhem aqueles que gostam de tomar a sua cervejinha. Fiquem no hotel, vão ao cinema. Não acompanhem bandido”.

Embora problemático, prefiro ter no meu time um jogador que faça 19 gols no Campeonato Brasileiro, do que um “santo” que perde dois pênaltis na mesma partida. O Imperador é um jogador-problema, mas que traz soluções para a sua torcida.
dodo(5)

1 comentário »

Samapaio x Atlético (PR) será um confronto de Davi x Golias…

0comentário

castor selmirA partida válida pela segunda fase da Copa do Brasil, Sampaio x Atlético (PR), amanhã às 21h, no Estádio “Escurinho” Santos. Será um jogo com características quase bíblicas, como a mitológica luta entre Davi e Golias. O Tricolor, com um elenco modesto, e o Furacão, time da elite do futebol nacional que tem um plantel de estrelas, remete ao eterno confronto do mais forte com o mais fraco.

O Sampaio tem como objetivo bater em casa o Atlético (PR) para forçar a segunda partida em Curitiba onde partirá para o tudo ou nada. Já o Furacão quer matar o confronto logo no jogo de ida, o que acontecerá caso o time paranaense vença por dois ou mais gols de diferença na casa do adversário.

Os dois clubes estão com técnicos novo. No Sampaio, a partida será a segunda do treinador Valter Ferreira, que substituiu Edson Porto no comando da equipe, e estreou com empate por 2 x 2. Já o Atlético, Leandro Niehues, que assumiu o time dia 9 de março após a demissão de Antônio Lopes, ainda sabe o que é vencer no comando do Furacão.

Essa é a única coisa em comum que os dois times tem, pois o Atlético (PR) é um time rico, da Primeira Divisão e quem tem jogadores caros no seu elenco como o meia Paulo Baier e até um maranhense, o zagueiro Manoel, que apesar de bacabalense nunca jogou no Maranhão. Já o Sampaio é um time pobre da Quarta Divisão, que tem como principais estrelas o meia Castor e o atacante Selmir, que já jogou no próprio Atlético (PR).

As comparações são inevitáveis como, por exemplo, os estádios. O Atlético é dono de um dos melhores estádios do mundo, a Arena da Baixada. Já o Sampaio, sem estádio próprio é obrigado a jogar no “Escurinho” Santos. Até entre massagistas há diferença gritantes, pois o Atlético tem o gordinho Bola, enquanto o Sampaio tem o raquítico Joel Sá.

Porém, como romântico que sou acredito que o mais forte nem sempre vence e que o mais fraco pode surpreender. Se os jogadores do Sampaio jogarem com vontade poderão conquistar uma vitória por um bom placar e levar uma boa vantagem para o jogo de volta.joel e bola

Fotos – Raimundo Pacco

sem comentário »