A bola foi cantada, mas a diretoria do Moto insistiu no erro…

0comentário

Eu cantei bola aqui. A falta de organização e a parceria para lá de suspeita com a Futebol International estavam indicando, que a exemplo de 2009, o Moto não conseguiria o acesso para a Primeira Divisão no primeiro turno da Segundona. Quando fiz o alerta não estava torcendo contra o Papão. Muito pelo contrário. Desejo muito ver o Moto de volta a Série A Maranhense, mas de forma organizada e não de “qualquer jeito” ou pela “janela” como a Federação Maranhense de Futebol (FMF) tentou no ano passado.

Não é querendo me gabar, pois não vivo as custa de futebol, mas fui a única pessoa que alertou para o risco da parceria do Moto com a Futebol International do “empresário” Emerson Mendes, ex-diretor do Imperatriz. Por onde Emerson passou deixou estrago. Era só ao Imperatriz ou Araguaína (TO) uma carta de referência do sujeito para ver a ficha corrida que aparece. Porém, quando a parceria foi anunciada teve muito jornalista que fez ôba, ôba, para o negócio!

Emerson Mendes chegou ao Moto prometendo mundos e fundos, mas de concreto não trouxe um centavo. O golpe dele consiste em trazer um bando de jogadores ruins, que ele mesmo empresária e ganha comissão em cima e depois que o jogador assina contrato, mutreta está armada, pois a responsabilidade é do clube. Ele nunca perde, pois de um jeito ou de outro (via Justiça Trabalhista) o time tem que pagar e a comissão dele está garantida.

Agora, o ingênuo presidente do Moto, Gildo Moraes, é quem vai ter que arcar com as despesas por ter colocado o time para disputar a Segundona. O pior é que ele não tem dinheiro para custear a folha dessa equipe medíocre e terá que apelas para o Conselho Deliberativo, que foi contra a parceria com a Futebol International desde o início. E o coitado do Gildo ainda está refém deste grupo, pois se não tem dinheiro para pagar essa equipe como é que vai conseguir nrecurso para montar outra para disputar o segundo turno da Segundona?

Quando cantei a bola aqui do fracasso do Moto Teve muito torcedor que me criticou. Porém, quando comecei no esporte, torcida invadia treino e pressionava jogador para valer. Protestavam pesado. Chamavam de mercenário e xingavam da mãe pra cima os jogadores.Algumas vezes até agredia os atletas. Mas hoje em dia as coisas são diferentes. Tudo é muita conversinha e de concreto nada. Longe de mim querer fazer apologia a violência. Não é isso! Mas as coisas estão muito mole dentro do clube. Talvez por influência de uma relação restrita da torcida com a atual diretoria. Não sei. Mas está esquisito.

A partir de agora a situação da equipe fica ainda mais crítica. Até porque só temem jogo mais uma vaga para a Primeira Divisão. E tem mais: se continuar desse jeito o Papão não consegue o acesso . Algo que há algum tempo era dado como certo. Que coisa, hein?

Foto – Biaman Prado

Sem comentário para "A bola foi cantada, mas a diretoria do Moto insistiu no erro…"


deixe seu comentário