A Satisfação do Dever Cumprido!

0comentário

Na semana passada, quando soube que o time infantil de handebol feminino da Escola Barbosa de Godois havia se sagrado campeão dos Jogos Escolares da Juventude (leia-se JEBs infantil, de 12 a 14 anos), em Fortaleza, comecei a rir um riso solto, proveniente de uma alegria incontrolável, que desaguaria em um choro miúdo, de lábios trêmulos, culminando com um grito da mais pura erupção de felicidade e satisfação.

Quem me lê agora imaginará que um filho meu seja o treinador dessa modalidade nessa escola ou que uma neta minha seja uma das atletas que conquistaram esse importante feito para nosso esporte. Mas não é nada disso, não! O motivo de toda essa minha alegria, de toda a minha felicidade e satisfação é devido ao fato de eu ter podido contribuir um pouquinho com essa façanha realizada pelas alunas do Barbosa de Godois.

Em 2012, em meu segundo ano como secretário de Esportes do Maranhão, recebi um convite do professor Eduardo Teles para visitar sua escola e ver de perto um treino de sua equipe. Fui até à Escola Barbosa de Godois para ver as condições de treinamento das equipes de alunos atletas que ali estudavam. Cheguei lá e encontrei um pátio de colégio, com piso de ladrilho de cimento, em declive para um lado, com uma canaleta de esgotamento pluvial numa borda. Não havia traves, tabelas ou redes para nenhuma modalidade esportiva, mas haviam duas traves pintadas nas paredes, em cada lado da escada de acesso da escola, onde os atletas treinavam chutes e arremessos a gol.

O que vi me comoveu e eu saí de lá decidido a que se nada eu fosse capaz de fazer pelo esporte escolar de meu Estado, por aquelas crianças tão dedicadas e por aquele abnegado professor eu iria fazer alguma coisa.

Chamei uma técnica em projetos de lei de incentivo e encomendei a ela que fizesse um que possibilitasse instalarmos uma quadra poliesportiva onde antes se encontrava uma gigantesca e centenária árvore. Assim foi feito. Aprovado o projeto, apresentei à Cemar que de imediato, vendo o alcance da ação social que isso desencadearia, patrocinou de pronto o projeto e em 2013 inauguramos a Quadra Poliesportiva da Barrigudeira, na Escola Barbosa de Godois.

Feito isso, entregamos a obra para a diretora da escola que por sua vez repassou-a ao professor Eduardo Teles, que já vinha trabalhando com aqueles jovens e a partir daquele momento tinham um equipamento capaz de suprir suas necessidades de treinamento.

Eu sempre soube que aquela pequenina obra que custou menos de R$ 400 mil, seria uma das maiores obras de minha administração frente à Sedel, não apenas por aquela secretaria ser muito pequena, com um orçamento anual pífio, não por isso, mas porque mesmo com o investimento daquela pequenina importância monetária, estaríamos trabalhando onde mais era preciso que se trabalhasse, na base, de onde surgem os grandes valores atléticos de nosso país.

Agora, escrevendo este texto, ainda me vem um riso farto, seguido de um choro surdo de felicidade, de certa forma por não ter sido capaz de fazer mais, mas com certeza o fiz com muito amor e sempre procurando fazer o melhor possível.

A vitória das meninas do Barbosa de Godois, de seu treinador, da diretora da escola, de seus professores, funcionários e alunos é também uma vitória do esporte maranhense, uma vitória de todos os nossos jovens atletas que precisam ser apoiados e de toda nossa brava gente.

Ao ver que simplesmente cumprindo minha obrigação de gestor de esporte do nosso Estado, plantando uma sementinha onde antes havia uma imensa árvore, e dela ver brotar tantos talentos em forma de jovens atletas campeãs, isso por se só solta meu sorriso e me faz sentir uma enorme satisfação pelo simples fato de ter cumprido bem o meu dever.

 

sem comentário »

3.200 toques!

0comentário

Meu querido amigo Ademir Santos, editor deste jornal, ligou-me para dizer que a partir de agora eu só posso mandar-lhe textos com no máximo 3200 toques, pois o novo design gráfico do diário assim o exige. Argumentei que desta forma vai ficar difícil eu continuar escrevendo e publicando na coluna dominical de opinião deste jornal.

Depois do telefonema de Ademir fiquei imaginando o que farei com alguns textos atemporais que já produzi sobre o dia a dia da cidade e que ainda não publiquei. Será uma pena não poder comentar com vocês sobre minha amiga Maria Aragão, sobre as funções despertadoras de minha bexiga, quanto ao reflexo das ações esportivas e culturais sobre o direito à cidadania… Pelo que parece vou ter que escrever sobre coisas mais tênues, mais rasas, como por exemplo, política.

Por falar em política, um sujeito me perguntou outro dia se Edison Lobão Filho realmente acreditava que venceria a eleição de Flavio Dino. Respondi que eu pensava que ele acreditava que venceria! Não satisfeito, o cidadão perguntou se eu acreditava que ele, ELF, venceria FD na disputa pelo governo do Maranhão. Respondi que eu sempre achei que aquela eleição não apenas sacramentaria a vitória de Flávio, mas que ela era uma derrota anunciada de nosso grupo político, graças a uma infinidade de movimentos, totalmente equivocados, que “nós” fizemos nos anos que antecederam a tal eleição. E disse mais, que eu havia dito a ELF que ele deveria se candidatar ao senado, já que Roseana resolvera não se lançar. Se ele tivesse feito isso certamente teria ganhado. Mas comentar política depois do acontecido parece incorreto. Ainda bem que o fiz antes também.

Será que já ultrapassei o número de toques por texto? Agora tenho que me policiar. Vou arriscar mais um assuntinho!

Um passarinho me contou que o prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim já está conversando com o ex-prefeito Luís Fernando Silva sobre a eleição do próximo ano naquele município. A conversa giraria em torno da possibilidade, de com uma cajadada só, matarem todos os coelhos, e sacramentarem a candidatura de LFS a prefeito de São Luís pelo PSDB, uma vez que Gil Cutrim aceitaria apoiar a candidatura de seu vice, Eudes Sampaio, muito ligado a Luís, indicando o vice na chapa deste. Que confusão!

Trocando em miúdos: A candidatura de Eudes Sampaio a prefeito de SJR, tendo como vice um indicado do prefeito GC, abre a possibilidade de Luís Fernando Silva vir a ser candidato a prefeito de SLZ, pelo PSDB. Ufa! Santas elucubrações! Tantas abreviações!

Se esse quadro se materializar, coisa que não acredito que aconteça, a eleição em São Luís ficará bem intrincada. Se antes tínhamos uma polarização entre o prefeito Edivaldo Junior e a Deputada Elisiane Gama, com a entrada de Luís Fernando Silva na disputa, o resultado ficaria totalmente imprevisível uma vez que o maior eleitor desse pleito, Flávio Dino, teria em partidos ligados a si os três candidatos na disputa.

No fundo no fundo, imagino que esse quadro seria o que de melhor poderia acontecer para a politica de nossa capital e para o futuro de nossa cidade. Quem sair vencedor dessa disputa terá muito mais compromisso com nossa gente.

Acho que consegui ficar mais ou menos dentro do limite de toques imposto pela editoria de opinião deste jornal, só não sei se meus leitores vão gostar deste novo estilo enxuto, quase seco.

 

sem comentário »