Que saudades que tenho da aurora da minha vida

2comentários

O governante que não se preocupa com os julgamentos aos quais pode ser submetido, invariavelmente será condenado em todos eles.

Há o julgamento popular que é o mais imediato e visível, que graças ao advento da reeleição faz com que o governante subverta céus, terras e mares para não ser condenado, pelo menos não antes de se reeleger, e por isso mesmo acaba sendo condenado em outros julgamentos.

Há o julgamento das cortes de contas, nas várias esferas da jurisdição. Julgamentos em que quase sempre, de uma forma ou de outra, haverá algum tipo de condenação.

Há o julgamento criminal, nos quais ultimamente os nossos governantes têm sido penalizados, mesmo que a justiça também esteja precisando ser julgada.

E há o julgamento da história. Neste julgamento, a pena é o anonimato ou o esquecimento.

Sobre esse julgamento, desde que me entendo por gente, em nossa cidade, São Luís, e em nosso estado, o Maranhão, aqueles que primeiro são sempre lembrados como grandes governantes são respectivamente Haroldo Tavares e José Sarney.

2 comentários para "Que saudades que tenho da aurora da minha vida"


  1. Carlos Luiz Martins Nascimento

    gostaria que o senhor publicasse alguma coisa sobre o carnaval antigo de são luis, especialmente sobre os blocos tradicionais.

deixe seu comentário

Twitter Facebook RSS