Sobre o Maranhão do Sul.

17comentários

Desde a primeira vez em que eu ouvi falar em Maranhão do Sul que a idéia me pareceu muito boa e olha que isso já faz mais de vinte e cinco anos.

Já na Assembléia Nacional Constituinte votei a favor da criação do novo estado por acreditar que seria o melhor a ser feito. Desde então tenho defendido esta idéia e levantado esta bandeira, e vejam bem, não tenho nenhum interesse político ou eleitoral naquela região.

Na semana passada muito se falou sobre este assunto. Li textos nos blogs dos jornalistas Décio Sá e Marco D’Eça falando sobre isto e li os comentários dos seus leitores. Havia um texto do Marco intitulado “Porque apoiar o Maranhão do Sul?” e resolvi fazer um comentário a respeito e participar deste importante debate também ali naquela pagina.

Na sexta-feira, dia 16 de março, recebi um e-mail de um amigo que continha um link para um comentário em áudio que o Arnaldo Jabor fez na rede CBN de rádio, sobre este projeto. Depois de ouvir o que disse o comentarista, achei que deveria enviar-lhe uma mensagem esclarecendo alguns pontos.

Jabor ao invés de defender sua posição ou atacar construtivamente o projeto, perdeu-se em elucubrações sobre nossa política local com o único intuito de denegrir a imagem do senador Sarney e de seu grupo político.

Rechacei seu comentário de maneira direta e clara, mas elegantemente: Primeiramente me apresentei e disse que até, que gostava do cineasta, do letrista e do escritor Arnaldo Jabor, às vezes até do comentarista. Mas precisava informar-lhe que o projeto de criação do Estado do Maranhão do Sul teve sua primeira versão concebida no inicio do século passado. Depois, foi levado a plenário na Assembléia Nacional Constituinte pelas mãos do falecido deputado Davi Alves Silva. Mais recentemente este projeto foi defendido pelo deputado Sebastião Madeira, antes de ser apresentado, pelo senador Edison Lobão.

Continuando na linha informativa, comuniquei-lhe que o grupo Sarney, ao contrario do que ele imagina ou do que lhe foi informado, não detém o controle político-eleitoral absoluto da região sul do Maranhão. Disse-lhe que na principal cidade desta região, Imperatriz, que deverá ser a futura capital do novo Estado, a senadora Roseana Sarney amargou decisiva derrota nas ultimas eleições, onde só obteve um de cada quatro votos. Um dos principais motivos dessa derrota!? Ser contra a criação do novo estado.

Por fim disse-lhe que gostaria que ele soubesse que tanto o senador Sarney, quanto sua filha, que mesmo derrotada conseguiu quase um milhão e trezentos mil votos, menos de cem mil que o governador eleito, Jackson Lago, os dois, José e Roseana, e a grande maioria dos políticos ligados a eles são terminantemente contra a divisão do Maranhão, assim como ele, Jabor, que desavisadamente se coloca contra os anseios emancipatórios de um povo e de uma região que nem conhece.

Na verdade aquele alegre e gracioso comentário só se prestou mesmo para tentar atingir Sarney e seu grupo. Esta foi sua única motivação ao fazê-lo, se assim não o fosse, tal assunto nem lhe teria despertado interesse.

Disse-lhe que os jornalistas e os comentaristas, assim como os políticos, não podem agir de forma casuística e interesseira. Disse-lhe que gostaria muito de ver, de sua parte, uma analise desinteressada, profunda, correta, sem caras e bocas, feita sobre as mais novas unidades federativas, Mato Grosso do Sul e Tocantins, dois exemplos de progresso e prosperidade, como bem podem ser o Maranhão do Sul, Carajás e algumas outras.

Políticos, jornalistas e comentaristas deveriam sempre, o mais que lhes fosse possível, se armar da verdade, coisa que apesar de ser diferente da realidade, já resolveria bastante. Deveriam abandonar de uma vez por todas esta falta grave que é a sedução pelo fácil, pela versão.

Para finalizar fiz uma parodia de uma belíssima poesia de sua autoria: Amor é verdade; Sexo é versão. Ou seria Sexo é verdade; Amor é versão.

Na ultima quarta-feira, 21 de março, submeti a apreciação da Assembléia Legislativa dois requerimentos. Um criando uma Comissão para promover estudos e debates com o objetivo de subsidiar a proposta de criação do Maranhão do Sul e um outro propondo a realização de uma audiência pública com técnicos de diversos setores da administração e de todos os poderes para que possamos esclarecer e aclarar algumas duvidas que tenhamos sobre o processo de emancipação de um estado.

Esta audiência pública deverá ter um objetivo técnico, nada política, no sentido de se defender ou atacar a proposta de criação do Maranhão do Sul. Esta audiência nos ajudará a entender melhor esta situação incomum em que nos encontramos e nos possibilitará um melhor juízo sobre este assunto tão sério e importante.

17 comentários para "Sobre o Maranhão do Sul."


  1. José Jorge

    Dep. Joaquim Haickel
    Parabéns pelo artigo. Muito oportuno e mais lúcido ainda.
    A imprensa do Sul maravilha (não tanto maravilha mais) não poupa o sen Sarney. Até hoje não conseguem “engolir” o ex-Presidente e se contorcem ainda hj pela sua reconhecida liderança nacional. O comentário do Arnaldo (Que vontade de ser o Paulo Francis ele tem, hein?), é preconceituoso e mostra o desconhecimento dos fatos, dado imprescindível a um jornalista para se manifestar publicamente.
    Bom domingo.
    JJorge

  2. Priscylla

    Muito bem colocado deputado. O Maranhão do Sul não deve ser visto como coisa ruim para quem quer que seja, mas sim como uma coisa boa pra todo mundo.

  3. Valmir Matos

    Deputado Joaquim Nagib Haickel acho muito boa a sua iniciativa de fazer uma audiência pública voltada para os aspectos legais e técnicos e de criar uma comissão para analisar os diversos desdobramentos que com toda certeza aconteceram com a criação do Maranhão do Sul. O senhor demonstra mais uma vez sua grande competência e sua larga visão. Esperamos que os seus colegas tenham a sensibilidade necessária para pelo menos debaterem a proposta, mesmo que sejam contrários a ela.

  4. Lorena Nunes

    Sou contra a divisão do Maranhão, mas acho que é legítimo o anseio de quem mora no sul do estado em querer se emancipar. Acho que tanto a audiência pública quanto a comissão que você está propondo são indispensáveis para um melhor entendimento desta situação. Parabéns.

  5. Anônimo

    Quem ta certo mesmo é o Jabor, esse pessoal é mesmo o que há de pior para o Maranhão e agora querem dividir o estado par ficar mais fácil de controlá-lo, por isso sou contra. E tu deputado deixa de ser puxa-saco de Sarney.

  6. Joaquim Nagib Haickel

    Amigo anônimo, não é preciso eu lhe dizer que não sou puxa saco, até porque isto, ser puxa saco, é uma coisa que eu não me perdoaria em sê-lo jamais. Se o fosse perderia o que tenho de mais importante e valioso, minha liberdade, minha independência, e é ela a maior garantia que eu tenho de ser respeitado e valorizado tanto por meus amigos quanto por meus adversários.

  7. Larissa Dias

    O deputado não é apenas corajoso, mas justo ao defender o Maranhão do Sul, uma luta centenária do povo sofrido e abandonado do Sul do Maranhão e expoliado por sucessivas levas de governos..

  8. Anônimo

    A inorância política dos verdadeiros motivos da necessidade do Maranhão do Sul, faz com que muita gente verbalize tantas bobagens. Ser contra a criação do Maranhão do Sul é defender o atraso e a subserviência de um número enorme de pessoas que só a independência da Região será capaz de possibilitar um caminho justo para o desenvolvimento. A história já demonstrou que o processo de inclusão das necessidades báscicas de uma região produtora de tantas riquezas nãoé possível via governos do Estado do Maranhão. É um processo sem volta. E, depois, os que são contra, têm qual proposta a não ser espoliar a região, como sempre?

  9. Dilson

    É muito bom saber que temos um parlamentar de ótima qualidade como o senhor. Parabéns.

  10. Anônimo

    Maranhão do Sul é uma necessidade administrativa e cultural, isso nós já sabemos, agora, convencer um estado que essas necessidades são fundamentais para seu crescimento economico, politico e social, e que, politicos competentes e audaciosos como vc estão à frente de um projeto como esse, é outra história ! Mas….vamos em frente! Tenho certeza que a sua determinação e sua garra irão driblar os obstáculos com transparencia e competência, como em tudo o que vc faz.

  11. Fabio

    Acho muito bom se dividirem o MA,mas não do jeito que o grupo Sarney quer,colocando o senador Lobão sendo o pai do projeto e assim sendo poderia ser o primeiro governador eleito do novo Estado.Agora pelo comentário do Arnaldo Jabor,isso é a imagem que o resto do Brasil tem do Sarney no MA.

  12. willian marinho

    Caro deputado, tenho acompanhado seus comentários acerca do Maranhão do Sul e todos positivos.Por isso mesmo tenho ampliado eles a nível de Imperatriz e região, seja na rádio, no Jornal O Progresso e no meu blog, que inclusive peço desculpa por reproduzir todo o conteúdo do artigo publicado em o Estado e ainda em seu blog. Estás fazendo o que muitos deveriam fazer. Analisar friamente a questão e deixar a população decidir,afinal, serão os eleitores que dirão se querem ou não dois Maranhãos e não, falsas cabeças pensantes. Políticos corruptos existem em vários estados, cidades e povoados. Mais para compensar tem os bons e assim a democracia tem sobrevivido.
    abraços…de um sulmarenhense..chato.
    Há e faço intensa campanha em Imperatriz para que as pessoas visitem sites e blogs para enviar comentários positivos sobre o estado e ainda defender o novo estado de quem escreve contra.

  13. Anônimo

    Esse Arnaldo Jabor não é a maior coca-cola do mundo é um besta e vcs que valorizam são outras.

  14. Fabio Leônidas

    Parabéns, Joaquim. Fico satisfeito de ver que meu colega de Batista de 14 anos de convívio ainda tem o mesmo espírito crítico.O importante é saber se esta separação será bom para as populações de ambas as metades. A meu ver, as políticas agrárias para as duas regiões são distintas e parte disto determinará as políticas industriais. Para ambas, a política educacional é que precisa acontecer de modo contundente. Especialmente a profissionalizante. Gostei das arestas aparadas no Jabor.

  15. Anônimo

    Artigos como este seu sobre o Maranhão do Sul qualifica o debate e colabora para formar decisões. A luta pelo Maranhão do Sul vem do século XIX, vide o livro “O Sertão”, de Carlota Carvalho. No mais, o nosso site ‘Jornal Turma da Barra’, de Barra do Corda, está a transcrever seu artigo. Nossos cumprimentos.

  16. Flavio

    Incrível como mesmo muitos dias depois de publicados os seus posts continuam sendo comentados. Isso demonstra que o que você diz é levado realmente em consideração. Parabéns.

  17. Anônimo

    eu tenho um respeito muito grande pelo que voce fala e escreve, uma pena que um homem do seu nível e caráter tenha laços fraternais com a família sarney, que me entenda basta, já fizeram muito mal para o nosso povo, quanto à emancipação, sou totalmente favorável, e diga-se não sou do sul maranhense, mas acho que seria bom prá eles e prá nós também pois o governo de cá daria mais assistencia às nossas regiões abandonadas, já que tudo é levado para a riquíssima região sul do Ma. e só então nós poderíamos mostrar o nosso potencial principalmente turístico. Chico

deixe seu comentário